Publicidade

Posts com a Tag sollys/nestlé

terça-feira, 19 de março de 2013 Superliga | 11:37

Apagão, calor, reclamação… o que rolou longe da bola

Compartilhe: Twitter

A Superliga está na reta final para homens e mulheres. No masculino, foram definidas as semifinais e no feminino já sabemos que a final será Sollys/Nestlé x Unilever. Mas essa fase de playoffs e alguns jogos da classificação também chamaram a atenção longe da bola. Relembre na seleção do Mundo do Vôlei

Calor, muito calor

Divulgação

Sassá passou mal por causa do calor no Maracanãzinho

Para começar, o mais recente… A semifinal Unilever e Sesi no sábado teve um grande susto e o vilão foi o calor. O Rio de Janeiro sofreu com os temporais e o Maracanãzinho ficou sem ar condicionado. No final de semana, no jogo Unilever x Sesi, dava para ver as jogadoras transpirando muito logo nos primeiros pontos da partida. E pouco depois, Sassá deu um susto. Ela teve uma queda de pressão, ficou com dificuldade para respirar e, muito nervosa, foi retirada da quadra para receber atendimento. Por sorte, não foi nada grave.

Leia mais: Unilever avança para mais um final em manhã de susto com Sassá

Apagão

Já as quartas de final do masculino foram marcadas pelos apagões. Teve falta de luz e jogo paralisado em dois duelos de Sesi x Canoas e no segundo da série São Bernardo x RJX. Em São Paulo, a forte chuva do final da tarde que fez estragos. Em São Bernardo, o gerador superaqueceu e parou de funcionar. Estava lá nesse confronto e o apagão dividiu opiniões. Enquanto Bruninho acha que uma parada atrapalha, Dante não vê tanto problema ao RJX e leva a situação com bom humor. Assista no vídeo abaixo:

Antes, o Maracanãzinho tinha tido problema no gerador e apagão no jogo RJX x Medley/Campinas e o Canoas havia cancelado um treino no local também pela falta de luz. O Vôlei Amil foi outro a perder treino. A luz acabou devido às fortes chuvas em uma tarde em Campinas.

Ginásio pequeno e falta de estrutura

Ventiladores - Eduardo Valente/Futura Press

Ventiladores ajudam a secar a quadra para partida no ginásio Capoeirão

Não é a primeira vez que as condições das quadras aliadas ao tempo atrapalham. No ano passado, o ginásio de Montes Claros tinha goteiras e o Capoeirão, casa da Cimed, teve um inesquecível jogo com ventiladores para secar a quadra (veja foto)! Mas a Superliga desta temporada também teve falta de estrutura sem nenhuma relação com São Pedro.

Relembre: Ventiladores e toalhas salvam jogo da Superliga

Logo no começo, o RJX mandava seus duelos no ginásio da AABB, considerado pequeno e com teto baixo. Vire e mexe a bola parava no teto a sequência do ponto era interrompida. Depois, o time carioca passou a jogar no Maracanãzinho, que segue em obras.

Reclamação e mais reclamação sobre a arbitragem

Reprodução

Reclamações de Gustavo no Twitter

Como esse assunto rendeu! De novo, a série das quartas entre Sesi e Canoas foi agitada e teve muita reclamação da arbitragem. Em um jogo, Murilo reclamou e foi flagrado dizendo que “ali não era Superliga B”. Ele pediu desculpas depois. Já o irmão Gustavo recorreu ao Twitter para reclamar, como mostra o print. Ele falou dos erros, da falta de preparo dos árbitros, lembrou que jogadores podem sem punidos por reclamação e disse que até perde a vontade de jogar.

Leia mais: Gustavo critica arbitragem no Twitter nas quartas de final da Superliga

Outro exemplo de discussão foi no final do returno, com Sollys/Nestlé x Unilever que terminou em confusão. Mesmo vencendo, o time de Osasco reclamou da arbitragem e, segundo Bernardinho, teria hostilizado o delegado da partida. O técnico carioca saiu em defesa do delegado e o clima pesou a caminho do vestiário.

Que falta faz a tecnologia para falar se a boa duvidosa foi dentro ou fora! Que falta faz um pouco mais de estrutura para o esporte!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 16 de março de 2013 Superliga | 12:05

Lá vamos nós para mais um Rio x Osasco na final…

Compartilhe: Twitter

O Sollys/Nestlé conseguiu a vaga na sexta. Agora de manhã, a Unilever venceu o Sesi por 3 sets a 0 e também avançou para a decisão. E lá vamos nós para mais um Osasco x Rio de Janeiro na briga pelo título da Superliga…

Divulgação

Festa da Unilever com vitória em casa na semi

Antes mesmo de começar o torneio, tudo mundo esperava o Sollys na final pelo elenco, pelos resultados que já havia conquistado e tudo mais. Depois de embalar de vez ainda nas primeiras rodadas, a Unilever também desenhava o seu status de favorita. O time do Rio teve uma bela sequência de vitórias e, neste ano, se livrou de um problema que atrapalhou na temporada passada.

A equipe também foi até a final, mas sofreu com a falta de banco e trocas para passar por toda a Superliga. Agora, Logan Tom se machucou no returno, mas Gabi já tinha sido acionada no lugar da veterana e deu conta do recado quando virou titular. Natália voltou a jogar e cresceu ao longo do torneio, sendo decisiva nessa reta final. E ainda tem gente no banco, como Régis, Amanda, Robertinha e outras… Com elenco mais equilibrado, ficou mais fácil.

A partida deste sábado foi equilibrada, principalmente até meados dos sets. O Sesi também tem um elenco estrelado e engrenou depois da parada do final de ano. Entretanto, na hora de decidir, um saque ou um bloqueio fazem a diferença e a Unilever se deu muito bem. Olha o segundo set. Amanda entrou para sacar e aplicou uma série com direito a aces e passes quebrados. É o banco de reservas de novo ajudando. E contando com Bernardinho para orquestrar tudo isso. Na temporada passada, Amanda entrava com a responsabilidade de decidir, atacar e tal. Agora, pode entrar para fazer o seu melhor, que é o saque. Deu tão certo que ela ficou com o troféu de melhor em quadra, pelo que deu para ver na transmissão.

Lá vamos nós para a mesma final. O Vôlei Amil nem deu tanto trabalho ao Sollys e o Sesi tinha elenco que poderia equilibrar a série, mas também não conseguiu. Sollys e Unilever honraram o favoritismo e mereceram as vagas conquistadas. Mais do mesmo? Sim. Mas acho que foi justo. E agora, quem leva a decisão? Resta esperar até o dia 7 de abril.

Divulgação

Sassá passou mal, mas se recuperou e acompanhou a partida

Susto de Sassá

Ainda no primeiro set, Sassá passou mal e caiu em quadra. Respirando com muita dificuldade, ela recebeu atendimento e logo foi levada para a sala de musculação. O ginásio do Maracañazinho, por causa de enchentes e chuvas, estava com o ar-condicionado quebrado. Já a sala de musculação tinha ar. Lá ela melhorou e até voltou para assistir o restante da partida ao lado dos pais. Foi um susto, e segundo a transmissão, ela teve uma queda de pressão e acabou muito nervosa pela dificuldade de respirar. Tudo resultado do calor.

A Superliga já mostrou alguns problemas. Diversos jogos tiveram apagão, agora o calor faz uma atleta passar mal. Até quando veremos isso?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de março de 2013 Superliga | 22:58

Sollys/Nestlé mostra sua seleção é o primeiro finalista

Compartilhe: Twitter

A Superliga feminina já tem o seu primeiro finalista e é um velho conhecido. O Sollys/Nestlé acabou de fazer 3 sets a 0 diante do Vôlei Amil (25/19, 25/16 e 25/20), encerrou a série semifinal em 2 a 0 e avançou para a decisão. Resta saber se encara Unilever ou Sesi na briga pelo título.

Esse resultado, sem desmerecer em nada a equipe de Campinas, já era esperado. Todo mundo já cansou de dizer, mas a realidade é que o Sollys é praticamente a seleção e todo mundo está jogando bem. Fernanda Garay é um destaques da Superliga, Sheilla aparece no momento certo, Thaisa e Adenízia são fortes no ataque e no bloqueio, Jaqueline nesta noite resolveu no ataque e Fabiola, na segunda temporada no time, está mais do que entrosada e sabendo colocar todo mundo para jogar. Ainda tem Camila Brait no fundo.

Para facilitar, o saque do time de Osasco atrapalhou a recepção de Campinas. Com isso, elas conseguiram também colocar pressão no bloqueio e, em todos os sets, abriram vantagem sem muita dificuldade. Foi ainda uma lavada em pontos de ataque: 44 a 27 no final. O Vôlei Amil tentou e até se favoreceu justamente de erros do saque do Sollys no terceiro set, mas logo as visitantes se acharam de novo e fecharam.

A equipe formada por Zé Roberto fez um bom trabalho e cumpriu o objetivo no ano de estreia – como disse o treinador mais de uma vez, ele queria chegar à final do Paulista e às semis da Superliga. Saiu derrotado na duas, mas chegou lá. A mescla de juventude com experiência foi boa, mas as mais novas ainda precisam de rodagem e isso pesa e causa nervosismo na hora do vamos ver.

E agora, mais do mesmo com Sollys x Unilever na decisão? Ou o Sesi pode surpreender e levar a decisão da série semifinal para o terceiro jogo? Meu palpite é que  duelo será mais equilibrado do que o desta noite, mas quem ainda deve levar a melhor é a equipe carioca. E vocês? O que acham?

Desabafo de Zé Roberto

Depois do jogo, o técnico José Roberto Guimarães aproveitou para reclamar da CBV e do ranking das atletas. A pontuação foi criada para equilibrar as equipes e “espalhar” as jogadoras da seleção brasileira. O Sollys/Nestlé herdou atletas do extinto Finasa e, com isso, tem gente “barata” ou que não custa nada, como Adenízia, formada na base de Osasco. Com essas brechas no ranking, a equipe formou essa seleção que comentamos acima.

Será que isso é justo? Para Zé Roberto, não. Ele pediu a revisão do sistema do ranking, citou o caso de Adenízia e ainda completou: “Tem que ser revista a questao dos pontos porque se não a final vai ser sempre Rio e Osasco e quem entra vai ficar com dúvida se vai ficar”.

E vocês, o que acham?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

sábado, 9 de março de 2013 Superliga | 12:49

Unilever e Sollys saem na frente. Teremos mais do mesmo?

Compartilhe: Twitter

*atualizado

Acabou agora há pouco, na manhã deste sábado, a primeira rodada da semifinal da Superliga feminina 2012/2013. E se na noie de sexta-feira, na primeira partida da série, a Unilever passou pelo Sesi por 3 a 1, agora foi o Sollys/Nestlé quem venceu o Vôlei Amil, pelo mesmo placar. Caminhamos para o mais do mesmo com Rio x Osasco na decisão?

Divulgação

Bloqueio da Unilever, e todo o sistema defensivo, se encaixou bem contra o Sesi

Estive no ginásio da Vila Leopoldina para o duelo Sesi x Unilever. Depois de um primeiro set muito forte, o Sesi foi se perdendo e parando no sistema defensivo da Unilever, que não só se armava bem no fundo de quadra, como também fazia uma ótima marcação no bloqueio. Tudo isso com a aquela velha conhecida fórmula, de que um bom saque já é meio caminho andado. Foram sete pontos em aces contra apenas dois da paulistas.

>>Leia mais sobre Sesi x Unilever na semifinal da Superliga

E o Sesi sentiu  virada. Ali, do lado da quadra, dava para ver o rosto um pouco abatido de algumas atletas. A Unilever achou tempo na marcação de Tandara e neutralizou a principal atacante do time rival e maior pontuadora da Superliga. Com isso, o time foi ficando cabisbaixo. Quando acontecia um erro, lá vinha a experiente Elisângela falando “calma, calma, vamos para o próximo”. Mas não deu, defendendo mais, a Unilever foi abrindo no placar e virou a partida. Gabi foi a maior pontuadora, com 19 acertos, e Natália ficou com troféu de melhor em quadra. O primeiro favorito a chegar à final fez a sua parte.

Dani Lins conversou com o blog e falou desse abatimento do time em quadra e dos erros da partida. Veja no vídeo abaixo:

Divulgação

China com Thaísa foi um arma do Sollys contra o Vôlei Amil

Neste sábado, o Sollys/Nestlé recebeu o Vôlei Amil e pelo primeiro set, quando o time da casa não se achou no passe, parecia que a coisa iria complicar. Entretanto, a mudança de quadra fez bem. A recepção saiu no segundo set e Fabíola fez a festa com Thaísa na china. Foi uma lavada com placar de 25 a 10. Acho que o Vôlei Amil praticamente não pontuou no contra-ataque! Tudo seguiu funcionando para o lado de Osasco no terceiro set e o Vôlei Amil só voltou a equilibrar na última parcial, quando levou o jogo empatado por boa parte do tempo. Porém, no final, o Sollys voltou a virar mais e acabou com o jogo.

>>Leia mais sobre Sollys/Nestlé x Vôlei Amil na semifinal

Pelo que deu para perceber nos primeiros jogos, o Sesi, se estiver em um dia de Tandara e outras inspiradas (como Bia, que fez ótimos jogos no ataque e no bloqueio), vai dar mais trabalho a Unilever do que o Vôlei Amil pode oferecer para o Sollys. O time de Campinas pode reagir se encaixar o passe e ganhar opções de ataque e contar com Ramirez soltando o braço, como fez no duelo contra o Pinheiros nas quartas. Veremos como serão os segundos jogos das semis, no final de semana que vem!

Superliga masculina

Começaram também os playoffs da Superliga masculina. E como foi na primeira rodada das quartas para as mulheres, os jogos aqui foram dentro do esperado. Os líderes venceram em sets diretos e quem ficou no meio da tabela na fase de classificação fez os duelos mais equilibrados.

O RJX, primeiro no returno, marcou 3 a 0 diante do São Bernardo em casa. O mesmo para Sada/Cruzeiro, vice na etapa anterior, que bateu o Volta Redonda. Já o Sesi, além de ter jogado sob mais uma chuva torrencial em São Paulo, caiu diante do Canoas por 3 a 2 depois de três horas de duelo. E para fechar, agora há pouco, o Vivo/Minas passou pelo Medley/Campinas também por 3 a 2 fora de casa.

As quartas de final seguem a partir de terça-feira. Como sabem, quem vencer duas avança para as semifinais. E se no feminino o favoritismo é para Unilever e Sollys/Nestlé, quem avança no masculino? Aqui acho que é mais difícil apostar…

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 5 de março de 2013 Superliga | 22:07

Semis definidas… E passou quem disse que chegaria lá

Compartilhe: Twitter

Acabou agora há pouco o último jogo das quartas de final da Superliga feminina. O Vôlei Amil venceu o Pinheiros por 3 a 1 de virada e assegurou a vaga na próxima fase. Agora, encara o Sollys/Nestlé na semifinal, que passou sem muitos problemas pelo Usiminas/Minas com duas vitórias. Na noite de segunda-feira, o Sesi já havia se classificado ao bater o Praia Clube fora de casa. O time de São Paulo será o rival da Unilever, outra que teve vida simples e despachou o Rio do Sul nos playoffs. E curiosamente estão nas semifinais quem me falou que chegaria até essa etapa.

Divulgação

Daymi Ramirez vibra coma torcida do Vôlei Amil. Ela foi destaque da vitória sobre o Pinheiros

Ainda na festa de lançamento da Superliga, conversei com jogadoras desses quatro times. Unilever e Sollys/Nestlé mais uma vez já começaram o torneio como os favoritos a mais uma final e nem precisamos ficar justificando isso. Pelo elenco, Sesi e Vôlei Amil eram os meus outros candidatos.

O Sesi conta com campeãs olímpicas como Tandara, Dani Lins, Fabiana e companhia. Já o Vôlei Amil tinha uma proposta interessante de misturar juventude de ponteiras como Pri Daroit ou Vasileva, que na época era pouco conhecida por aqui, com experiência da também campeã olímpica Walewksa e da cubana Daymi Ramirez. Tanto Sesi quanto Vôlei Amil disseram que o objetivo da temporada era, pelo menos ficar entre os quatro. Pois bem, elas chegaram lá.

O Sesi me surpreendeu. O primeiro turno do time não foi lá dos melhores, mas a equipe se recuperou no returno, como já comentamos por aqui em outros momentos. E se o Sesi melhorou, o Praia Clube teve um começo fulminante, mas perdeu um pouco a potência com a lesão e a ausência da cubana Herrera. Ainda assim fez uma excelente Superliga. Já do lado paulista, Tandara cresceu e muito nos últimos jogos. Ela foi destaque na partida da segunda-feira.

Mas o que chamou a atenção foi a concentração. Tinha visto jogos em que o Sesi estava bem, mas perdia a cabeça, errava principalmente na recepção e se complicava. Dessa vez, elas se mantiveram atentas o tempo todo, principalmente no terceiro set, quando foram buscar o placar. A recepção funcionou e com passe, as atacantes apareceram e decidiram. O time chega forte para a semifinal.

>>Leia mais sobre a vitória do Sesi sobre o Praia Clube

No jogo desta noite, o Vôlei Amil mais uma vez teve trabalho diante do Pinheiros, um time que eu não imaginava que fosse melhorar tanto ao longo da Superliga. Assisti a um jogo entre as paulistas e as campineiras aqui em São Paulo no primeiro turno  e foi uma vitória simples para o lado comandado por José Roberto Guimarães. Agora, o Pinheiros tem um volume e tanto no bloqueio e jogadoras jovens, mas que vibram e acreditam demais em cada bola e sabem encarar os considerados mais fortes. Só que o Vôlei Amil, depois de perder o primeiro set, cresceu no embalo de Ramirez, maior pontuadora e melhor em quadra, e ficou com a vaga na semifinal.

>>Leia mais sobre a vitória do Vôlei Amil sobre o Pinheiros

E agora, mais uma vez Unilever e Sollys/Nestlé confirmam o status de favoritos e chegam de novo à decisão? Ou Sesi e Vôlei Amil podem parar o time do Rio e o de Osasco? Vamos descobrir a partir desta sexta-feira. O primeiro jogo da nova rodada de playoffs será Sesi x Unilever aqui em São Paulo, às 21h (horário de Brasília).

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Superliga | 11:25

E as quartas de final da Superliga seguem sem surpresas

Compartilhe: Twitter

Depois de Sesi x Banana Boat/Praia Clube em um duelo equilibrado na abertura das quartas de final da Superliga feminina, como comentamos aqui no post anterior, os playoffs seguiram na noite de terça-feira com duas vitórias esperadas para os favoritos.

Divulgação

Gabi, ponteira do Unilever

No Rio de Janeiro,  a Unilever fez 3 a 0 para cima do Rio do Sul (25/19, 25/13 e 25/18) em uma hora e meia de jogo. Gabi, que já tinha caído das graças de Bernardinho e assumiu a posição de titular com a lesão de Logan Tom, foi destaque. Ela levou o troféu de melhor em quadra e foi a maior pontuadora, com 14 acertos, ao lado de Elis, do Rio do Sul. Pois é, parece que Gabi está dando, e bem, conta do recado e ser titular com apenas 18 anos. Na temporada passada ela já tinha ido bem com a camisa do Mackenzie.

Saiba como foi a vitória do Unilever set a set

Em Osasco, o Sollys/Nestlé, atual campeão, também venceu em sets diretos o Usiminas/Minas (25/17, 25/17 e 25/11) em 1h25 de partida. Falando em nomes, o destaque foi Sheilla e seus 19 pontos. Se a gente falar em fundamento, destaque para o bloqueio. Foram 15 pontos na rede contra apenas três das mineiras. E de novo Sheilla dominou, com cinco pontos no fundamento. Não foi a toa que levou o Viva Vôlei.

Leia mais sobre Sollys/Nestlé 3 x 0 Usiminas/Minas

E nesta noite, a última partida da primeira rodada das quartas-de-final, entre Vôlei Amil e Pinheiros. Apesar de o time paulista ter melhorado no returno e até ter surpreendido e vencido o Sollys/Nestlé e levado o confronto contra as campinas para o tie-break, por exemplo, a vantagem deve ser do elenco comandado por José Roberto Guimarães. A cubana Ramirez é um reforço e tanto e ela disse estar 90% recuperada das torções nos dois tornozelos e pronta para jogar. Vamos ver se a tendência continua…

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 Superliga | 12:47

Playoffs de um lado e briga pela liderança do outro

Compartilhe: Twitter

Chegamos à reta final da Superliga 2012/2013. Na noite desta segunda-feira começam as quartas de final do torneio feminino com Sesi x Banana Boat/Praia Clube. E o masculino está nas últimas rodadas com briga acirrada pela liderança. Vamos a um resumão do que aconteceu?

Divulgação

Jaqueline vibra na vitória cheia de confusão do Sollys sobre Unilever

E mais uma vez Sollys/Nestlé e Unilever estavam uma decisão na Superliga. A partida da noite de sexta-feira valia a liderança do returno e a chance de encarar o oitavo colocado nos playoffs. Jogando em casa, o time de Osasco venceu por 3 sets a 2, mas quem ficou mesmo com a primeira colocação foi a Unilever.

Leia mais: Unilever perde em jogo com confusão, mas fica com a liderança

Se tivesse acabado por aí, tudo bem, seria mais um clássico do vôlei nacional. Mas o jogo acabou em confusão, com bate-boca no caminho para o vestiário. O Sollys reclamava da arbitragem e a Unilever, sob a voz de Bernardinho, não gostou. Aí a discussão estava armada. É normal reclamar e estar com os nervos à flor da pele em um jogo de tanta rivalidade, ainda mais valendo alguma coisa de fato na tabela. Mas eu sempre fico triste quando vejo uma discussão, briga ou algo do gênero tomando conta do esporte.

No masculino, o destaque do final de semana foi Sada/Cruzeiro x RJX. Jogando em casa, o time mineiro venceu por 3 sets a 2, mas ainda assim segue em segundo na classificação. A vantagem dos cariocas na ponta é de apenas um ponto e, na teoria, a tabela está igual para os dois nas duas últimas rodadas do returno. O Sada encara Medley/Campinas, que pode surpreender, e é favorito diante do Vôlei Futuro. Já o RJX tem o Canoas pela frente, que também deve dar trabalho, e fecha a fase contra o Super Imperatriz, teoricamente mais fácil. A diferença é que o RJX joga as duas em casa.

Agora é acompanhar (ou tentar) essa reta final da Superliga. Às 18h30 tem o duelo Sesi x Banana Boat e na quinta-feira acontece a penúltima rodada no masculino. Até mais!

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013 Superliga | 08:00

Resta saber a ordem dos classificados na Superliga feminina

Compartilhe: Twitter

Depois da pausa para o carnaval, a Superliga voltou na sexta-feira e agitou o final de semana. No masculino, só um jogo para completar ainda a rodada de antes da folga, com vitória do Canoas por 3 a 0 diante do Super Imperatriz. Já no feminino, os oito times com vagas nos playoffs já estão definidos. Agora, falta saber a ordem final dos classificados.

>>Siga o blog Mundo do Vôlei no Twitter

E entra ano e sai ano e a decisão gira em torno de Rio de Janeiro e Osasco. A Unilever poderia ter assegurado o primeiro lugar na classificação geral com vitória por 3 a 0 ou 3 a 1 sobre o Sesi no sábado. A vitória veio, mas por 3 sets a 2 e, agora, advinha contra quem o time de Bernardinho vai disputar a liderança? Sim, isso mesmo, com o Sollys/Nestlé, a equipe de Osasco.

Saiba como foi os 3 a 2 do Unilever contra o Sesi set a set

A vantagem ainda está do lado carioca, que soma 44 pontos na classificação geral, com 13 vitórias seguidas. O Sollys, que tem 39 pontos, entra em campo durante a semana  e pega o Usiminas/Minas fora de casa. Depois, na sexta, encara o Unilever. Para assumir a liderança, a equipe paulista precisa faturar as duas partidas. Mas de qualquer maneira, o duelo Sollys x Unilever dará uma movimentada a mais nessa reta final. Podem ser os adversários de sempre, mas isso não quer dizer que o espetáculo perde a graça…

Outra briga ainda boa vem logo em seguida na tabela. O Vôlei Amil passou pelo Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 1 e está na terceira colocação com 36 pontos. Já Sesi e as mineiras do Praia estão com 32 pontos e disputam quem ficará com o quarto lugar e com o direito de mandar na série das quartas de final.

Leia mais sobre a vitória do Vôlei Amil sobre o Praia Clube

Os demais classificados estão mais afastados. Pinheiros é o sexto colocado, com 21 pontos, seguido por Usiminas/Minas, com 19, e Rio do Sul, com 15. Os últimos jogos da oitava rodada do returno e rodada que fecha essa etapa selam essas colocações e aqui, vale tentar cair contra quem é teoricamente mais simples no cruzamento dos playoffs.

E agora, já dá para fazer alguma aposta para as finais desta temporada da Superliga feminina? Por enquanto, a tabela favorece mais um Unilever x Sollys/Nestlé na decisão. Entretanto, Vôlei Amil, que perdeu com a lesão da Daymi, mas teve Pri Heldes bem no lugar da também lesionada Fernandinha, engatou uma boa série de vitórias e pode atrapalhar. Sesi também melhorou, e muito, no returno. Mesmo com a derrota do final de semana, o time não tem que perder o embalo e, sim, aproveitar a boa fase de Tandara. Quem perdeu mais força foi o Praia Clube sem a cubana Herrera. Será que o time tem chance de título? Vamos acompanhar os últimos jogos e comentar por aqui. Até!

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 O nome da Superliga, Superliga | 12:34

O nome da Superliga: Fernanda Garay

Compartilhe: Twitter
Fernanda Garay

Fernanda Garay - ponteira do Soollys/Nestlé

Depois de abrir a série “O nome da Superliga” com William, a personagem desta semana é Fernanda Garay. A jogadora, que chegou ao Sollys/Nestlé nesta temporada, foi maior pontuadora em algumas partidas, já levou título de melhor da rodada e, no momento, é a melhor atacante da Superliga feminina, com 28,13% de aproveitamento.

Garay está em uma crescente. Na seleção, ela começou as Olimpíadas de Londres como reserva e conquistou o lugar de Paula Pequeno ao longo do torneio. No Sollys/Nestlé, ajudou muito no começo da temporada, quando o time não contou com Sheilla. A oposto perdeu as finais do Paulista e o começo da Superliga e caberia às mais experientes dividir a responsabilidade em quadra. Com isso, Jaqueline virou uma segurança e Fernanda Garay também ganhou mais espaço. Ela foi crescendo, recebendo bolas e se firmando com uma bela opção no ataque de Osasco.

A atacante tem estilo próprio de bater na bola. Ela se curva ao atacar e costuma não aliviar a pancada. E tanto na seleção quanto no Sollys, ela pode dividir a responsabilidade do fundo de quadra com Jaqueline, que teoricamente e a ponteira passadora. Com isso, acaba ainda mais solta para atacar. Ela está amadurecendo em quadra e ainda pode, sim, ajudar mais no fundo. Já vi alguns jogos que ela foi alvo do saque rival e não contribuiu muito. Mas acho que ela já tem os seus méritos em quadra.

O melhor jogo de Fernanda Garay até aqui foi a vitória sobre o Sesi no primeiro turno. O Sollys/Nestlé marcou 3 sets a 2 e a ponteira assinalou 36 pontos, igualando Karen Rodrigues como a maior pontuadora em um jogo da Superliga (a marca da ex-jogadora era de 98/99). Agora, o Sollys encara mais uma vez o Sesi nesta semana. Será mais um jogo comandado por Garay? Façam suas apostas e comentem por aqui!

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 Superliga | 10:21

Unilever vence com Gabi, e Sollys/Nestlé vence com bloqueio

Compartilhe: Twitter

A quinta rodada do returno da Superliga feminina acabou na noite de quarta-feira. A parte de cima da tabela não teve mudanças, mas duas coisas me chamaram a atenção. A atuação de Gabi na Unilever e os pontos de bloqueio do Sollys/Nestlé, atuais líder e vice do torneio nacional.

Divulgação

Unilever venceu o Banana Boat/Praia Clube, e Juciely foi maior pontuadora com 19 acertos

Primeiro, quem está na ponta. A Unilever encarou o Banana Boat/Praia Clube fora de casa e o time mineiro já sofreu em outras rodadas desde a lesão da cubana Herrera. Entretanto, elas se aproveitaram dos erros de recepção da equipe carioca e não deram nenhuma moleza. A Unilever venceu apenas no tie-break, com parciais de 26/24, 23/25, 25/19, 21/25 e 15/10.

No primeiro set, o Praia Clube abriu 24 a 20 e levou a virada. Na segunda parcial, mais uma vez vantagem para as donas da casa no final, com 24 a 16 depois de outros tantos erros no fundo de quadra. A Unilever, entretanto, reagiu com a novata Gabi no saque. Foram sete pontos nessa passagem, mas a derrota na parcial. Depois, um set para cada lado e vitória no 5º set para as cariocas com ataques de Gabi e bloqueio.

A caçula do time de Bernardinho foi selecionada pelo técnico para o lugar da experiente Logan Tom e só isso já não é uma tarefa simples. Para complicar, as falhas atrapalhavam a equipe. E, mesmo assim, Gabi se segurou em quadra, teve aquela passagem importante pelo saque e levou o troféu de melhor da partida. Essa ponteira está crescendo…

Em outra partida, 3 a 1 para o Sollys/Nestlé para cima do Rio do Sul. As atuais campeãs havia sido surpreendidas pelo Pinheiros na rodada passada e não queriam mais um tropeço, é claro. Sabendo do favoritismo, elas mostraram potencial e dominaram todos os fundamentos. Ainda perderam um set porque, como as próprias jogadoras comentaram, bobearam. Mesmo assim, fizeram 9 a 5 em aces, 43 a 37 em ataques e belos 24 a 6 em bloqueio. Foi um set apenas no fundamento! Foi com um bloqueio firme que o time foi campeão na última temporada. E é assim que a equipe voltou a jogar nesta rodada. E um detalhe: Luizomar não mexeu no elenco. Quem começou, terminou a partida.

A rodada ainda teve vitória do Sesi sobre o Usiminas por 3 a 1 e 3 a 0 do Pinheiros contra o São Caetano. Na noite de segunda-feira, o Vôlei Amil já havia passado pelo São Bernardo por 3 sets a 1 fora de casa.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última