Publicidade

Posts com a Tag Sidão

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Diversos, Superliga | 10:44

O que o Funvic Taubaté tem?

Compartilhe: Twitter
Divulgação/CBV

Funvic Taubaté é campeão da Copa Brasil

Tanto a versão feminina como a masculina da Copa Brasil tiveram campeões inéditos em 2015. A diferença foi que, para as mulheres, venceu um dos times mais tradicionais do País, o Pinheiros. E entre os homens, o título ficou com o reformulado Funvic Taubaté. O time do interior de São Paulo já disputou outras Superligas, mas nesta temporada veio com cara de equipe grande, cheia de estrelas, e, por enquanto, tem cumprido o seu papel.

O Taubaté desbancou o Sesi para faturar o título do Paulista. Agora, depois de ter passado pelo Sada Cruzeiro na semifinal, venceu o Brasil Kirin na decisão da Copa Brasil. Afina, o que essa equipe tem?

Detalhes da final: Taubaté vence Copa Brasil e garante vaga no Sul-Americano

Eles já chamavam a atenção no papel, com elenco formado pelos selecionáveis Sidão, Lipe, Felipe e Rapha. Ainda tem o experiente Dante em uma das pontas, o oposto Lorena e o central Maurício. Entretanto, juntar talentos nem sempre resolve tudo. Era preciso esperar e ver na prática se o time se encaixava. Bom, os resultados respondem se deu certo ou não… Além do Paulista e a Copa Brasil, o Taubaté é vice na Superliga. Até agora soma apenas quatro derrotas, para Sada Cruzeiro (duas vezes), Sesi e Minas.

As armas da equipe são saque e bloqueio. Como comentamos por aqui, Lipe é destaque. Ele é uma arma de saque para Bernardinho na seleção e tem repetido o desempenho no Taubaté. Tanto que é o melhor sacador da Superliga, com 34 aces até agora e aproveitamento de 15,04%. O time ainda é o líder nas estatísticas no saque e no bloqueio.

Equipe desfilou nesta terça (27) por Taubaté para comemorar o título na Copa Brasil

Equipe desfilou nesta terça (27) por Taubaté para comemorar o título na Copa Brasil

Na final da Copa Brasil, a equipe fez jus aos números. No primeiro set, com Lipe no saque, abriu 22 a 15. No segundo, de novo com o ponteiro no serviço, virou para 21 a 20 depois de três bloqueios. E, para completar, Lipe foi o maior pontuador, com 22 bolas no chão.

Ok, saque está garantido e isso já ajuda, e muito, a atuação do bloqueio. E na rede, se Lorena estiver em um dia inspirado, os ataques também vão bem. O oposto é velho conhecido por seu temperamento explosivo em quadra e às vezes se perde, mas é uma força e tanto para a equipe. E ainda podemos lembrar que o time passou parte da temporada desfalcado. Sidão começou lesionado e Rapha machucou o tornozelo na final do Paulista e perdeu o começo da Superliga.

Leia mais: Central Sidão comemora título e bom momento na cidade onde foi criado

Vale a pena cuidar da sua recepção ao enfrentar o Funvic Taubaté. E será que eles cumprem os objetivos da temporada? Segundo o técnico Cesar Douglas, as metas eram o título do Paulista, final da Copa Brasil e semifinal da Superliga. Dois já foram…

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015 Diversos, Superliga | 10:01

Troco da Superliga e um campeão diferente para a Copa Brasil

Compartilhe: Twitter
Lipe ataca para Taubaté na semifinal da Copa do Brasil diante do Cruzeiro

Lipe ataca para Taubaté na semifinal da Copa do Brasil diante do Cruzeiro

*atualizado

Estão definidos os finalistas da Copa Brasil masculina. Em casa, o Brasil Kirin passou pelo Minas T.C. por 3 sets a 1 e, na sequência, Taubaté Funvic passou pelo Sada Cruzeiro pelo placar. A segunda semifinal foi um troco da recente derrota dos paulistas na Superliga.

Na Superliga, no começo do mês, o Taubaté caminhava para vencer o Sada em casa. Entretanto, levou a virada dos mineiros e acabou derrotado por 3 a 2. Agora, venceu os dois primeiros sets por 26 a 24 e perdeu o terceiro por 25 a 17, mas voltou para liquidar a partida na parcial seguinte, com 25 a 23.

E jogo entre esses dois times é sinônimo de ótimos saques. Dessa vez, o serviço cruzeirense não funcionou muito bem. Já o Taubaté conta com jogadores como Lipe, que vem fazendo estragos com o saque potente, e Sidão. O central fez um ace no começo e outro no final do primeiro set, o levantador Rapha também fez o seu… E como sabemos, bom saque ajuda o bloqueio. Taubaté fechou os dois primeiros sets neste fundamento. E no quarto set, abriu cinco pontos no placar com saque, agora na passagem de Lorena.

Agora, a Copa Brasil terá um outro campeão, já que o Sada, dono do título ficou pelo caminho. Quem faturar o título garante vaga para o Sul-Americano, que será disputado em San Juan, na Argentina, entre os dias 9 e 15 de fevereiro.

P.s.: em tempo, o Taubaté venceu o Brasil Kirin na final por 3 sets a 0 no final de semana e ficou como o título! 

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 Seleção masculina | 10:48

Nove vitórias em nove jogos e vida dura daqui para frente no Campeonato Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina terminou a fase de classificação do Campeonato Mundial com nove vitórias em nove jogos depois de passar pela Rússia por 3 a 1 neste domingo. Só que esses resultados ajudam apenas para empolgar o time para a fase de mata-mata, já que a liderança não amenizou em nada os próximos confrontos.

Divulgação/FIVB

Recepção do Brasil em ação contra a Rússia no Mundial

Depois de um sorteio ainda no domingo, o Brasil caiu na chave de Rússia e Polônia na próxima fase. Do outro lado estão França, Irã e Alemanha. Os dois melhores de cada chave fazem a semifinal. Pois é, após o primeiro lugar a seleção está no grupo da morte. Coisas de sorteio…

Leia mais: Brasil terá Polônia e Rússia pela frente na terceira fase do Mundial masculino

E o pior não é isso, porque o time só cresce desde os tropeços do começo da Liga Mundial e sempre tem aquela velha história, de que equipe que quer ser campeã não pode escolher adversário. Mas o que preocupa agora são as lesões. Wallace saiu do jogo contra a Rússia ainda no começo da partida, depois de um entorse no tornozelo ao voltar de um bloqueio. Sidão teve dores no joelho e Murilo sentiu uma fisgada na coxa. Todos seriam reavaliados nesta segunda-feira.

Os três tem todos os méritos, mas acho que Murilo é quem mais pode fazer falta. Ele voltou a jogar como antes na Liga Mundial e é um excelente passador e o Brasil vai precisar disso contra os saques forçados de russos e poloneses. Inclusive isso chamou a atenção no domingo. Mesmo com ótimo saque, também vimos ótimos passes no Brasil x Rússia.

Eu sigo na cobertura de eleições e na torcida pelo Brasil nessa reta final de Mundial! Como disse Leandro Vissotto depois da vitória de ontem, agora que o campeonato começa de verdade!

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 7 de abril de 2014 Superliga | 13:24

Rodada do Sesi na reta final da Superliga

Compartilhe: Twitter

O Sesi foi o nome da rodada da Superliga. No feminino, o time de São Paulo venceu o Banana Boat/Praia Clube em casa por 3 sets a 2 e fechou a série de quartas de final. No masculino, a equipe de Murilo, Sidão e companhia, passou pelo Brasil Kirin também por 3 a sets a 2 e avançou para a decisão da competição.

Leia mais: Sesi derrota o Praia Clube e enfrenta o Molico/Nestlé na semifinal da Superliga

Nos dois casos, os resultados levaram a reencontros. Entre as mulheres, o Sesi vai encarar o Molico/Nestlé na semifinal. Até agora, os times duelaram na final da Copa do Brasil, com vitória para o lado de Osasco, e na briga pelo ouro no Sul-Americano, quando as paulistanas comandadas por Talmo de Oliveira levaram a melhor. Apesar desse “empate”, a vantagem segue para o Molico e sua impressionante série invicta. O time não perdeu nesta Superliga e esse é um fato que deve ser levado em conta.

Leia também: Sesi-SP aguenta a pressão, bate o Vôlei Brasil Kirin e vai à final da Superliga

Já no masculino, o Sesi fará a final do torneio nacional contra o Sada Cruzeiro. Os dois foram 1º e 2º na fase de classificação e se enfrentaram pelo título em 2010/2011, com vitória dos paulistas. Agora, o duelo promete equilíbrio mais uma vez. O Sada se destaca pelo volume de jogo. E o Sesi chama atenção no bloqueio. Foi assim diante do Brasil Kirin na semifinal. A partida acabou com 14 pontos em bloqueio para o Sesi contra 13 da equipe de Campinas, uma bela média. Sidão mostrou uma ótima leitura de jogo e ainda faz rede ao lado de Renan, de 2,17m. A dupla parece entrosada.

Os jogos continuam nesta semana. Na outra semifinal da Superliga feminina, Vôlei Amil encara o Unilever. E a decisão do masculino será no próximo domingo no Mineirinho, em Belo Horizonte. Quem será que leva a melhor nesses reencontros?

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 30 de março de 2013 Superliga | 12:50

Semi tem atuação completa do Sada e superação de Serginho

Compartilhe: Twitter

A Superliga masculina tem o seu primeiro finalista na edição 2012/2013. O atual campeão Sada Cruzeiro venceu o Sesi na manhã deste sábado por mais um 3 sets a 0 (25/22, 25/23 e 36/34), fechou a sua série semifinal e assegurou lugar na decisão. Na partida, superação de Serginho de um lado e um time completo do outro.

>> Curta a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Logo no primeiro set, o líbero, personagem do “O nome da Superliga” da semana, também apareceu como personagem do jogo. Ele tentou uma defesa e sentiu dores na coluna. E Serginho já teve problemas no local, passou por cirurgia e sempre lembra que joga com quatro pinos. Neste sábado, ele ficou em quadra, mas nitidamente não era o mesmo.

Depois do incidente, não abaixou mais para passar ou recepcionar e ajudou com alguns levantamentos e outras defesas que  bola estouraram nele e subiram.  Sorte era se o saque chegava sem tanta força para uma recepção de toque. Ele se segurou e ficou o tempo todo em quadra, fazendo o que dava para fazer. Não entendi porque outro jogador não foi improvisado e Giovane não fez uma substituição. Mesmo arriscar com os centrais o tempo todo, até no passe…

Falando em central, mais tarde, Sidão, que fez trabalho de recuperação para atuar nesta semifinal, saiu mancando de um saque e não voltou mais. Problemas no Sesi.

Vipcomm

Sada Cruzeiro é o primeiro finalista da Superliga

Já o Sada Cruzeiro começou com a mesma fórmula que deu certo no primeiro jogo: saque. De cara abriu 6 a 2, o Sesi buscou e abriu mais uma vez em meados da primeira parcial com o saque. E no final, na hora de decidir, apareceu o bloqueio, que estava zerado o set inteiro. Foram três pontos no fundamento que decidiram a vitória dos mineiros naquele momento.

>>Acompanhe o Mundo do Vôlei também no Twitter

O jogo seguiu e o Sesi, mesmo com a lesão de Serginho, tentou reagir. Dessa vez o time de São Paulo também conseguiu sacar  e teve Lorena virando desde o começo, o que faltou na primeira partida da semifinal. Entretanto, os erros dos donos da casa pesaram. O placar em pontos de graça acabou em 11 a 5! Muita coisa para um set só. Enquanto isso, o Sada Cruzeiro seguiu com seu jogo e mostrando um conjunto completo, que não apenas saca, mas que defende muito bem, sob o comando de Serginho e isso ficou claro nessa parcial e vem sendo mostrado na Superliga.

E veio o terceiro set e o tudo ou nada para o Sesi, que mesmo com os problemas, se manteve grande parte do tempo na frente e dava pinta de que iria fechar. Ali o nome era Mão. O ponteiro, que geralmente entra para “crescer a rede”, ficou no lugar de Cleber e virou bolas fundamentais. Já o Sada bobeou. Perdi a conta de quantos foram os saques errados dos mineiros, um atrás do outro. Se sabe soltar o braço, para que aliviar e fazer feio? Enfim, a partida seguiu e ganhou ares dramáticos. Mão era a saída para o Sesi e o Sada queria acabar logo com tudo aquilo. E Mão, depois de salvar alguns match points, fazer ace e colocar a bola no chão no ataque, errou e deu o 36 a 34 para os mineiros.

Para mim, venceu o favorito na série, apesar de os confrontos diretos entre os dois terem sido vencidos pelo Sesi na fase de classificação. O Sada Cruzeiro vem bem, com saque, defesa, levantamento e definição. Por isso mais um 3 a 0 e a terceira final seguida da Superliga. O time, como disse, se mostrou completo. Teve saque, apesar dos erros no final. Para ajudar, a defesa se fez presente e proporcionou boas chances de contra-ataque, bem aproveitadas na rede. E tem William. Já o Sesi começou o torneio nacional com lesões, lutou e se recuperou, mas acabou vítima das lesões mais uma vez. Vai para a final e o favorito e que vai brigar pelo bi.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sábado, 4 de agosto de 2012 Sem categoria | 21:32

Saque forçado ajuda, Brasil se segura e vence Sérvia

Compartilhe: Twitter

Foi no tie-break, depois de passar algum sufoco, mas a seleção brasileira masculina venceu a Sérvia nesta noite nas Olimpíadas de Londres. O time fechou a partida no tie-break, recuperou a segunda colocação no grupo e garantiu a vaga nas quartas de final.

Veja como foi a vitória do Brasil set a set

O começo foi um pouco apático e com vitória da Sérvia no primeiro set. Depois, o Brasil mostrou qual seria o melhor fundamento da partida. Com saque forçado, marcou seis aces na segunda parcial e ganhou moral. Sidão acertou o braço. E Murilo, usando a força, foi o mais regular na função. Na sequência é que veio a bobeada do jogo. Após abrir 16 a 13, o Brasil perdeu contra-ataques e viu a Sérvia virar, crescer e fechar mais uma parcial. O jeito era se recuperar e levar o jogo ao tie-break. E foi isso que eles fizeram, vencendo a parcial seguinte e dominando o set decisivo de ponta a ponta.

O jogo poderia ter sido um pouco mais simples, mas o Brasil voltou a ter uma boa atuação depois da derrota para os EUA cheia de altos e baixos e falta de paciência. O saque foi fundamental. Não apenas no segundo set, mas colocou pressão o tempo todo. Além disso, a defesa foi muito bem. Foram diversas bolas bem recuperadas, dando chance aos contra-ataques e para o time vencesse com facilidade em alguns momentos, como no tie-break.

Entre os jogadores, acho que os destaques foram Murilo, que sacou e virou bem no ataque, voltando a bater aquela bola rápida; e Sidão, que também sacou, correspondeu no ataque e, principalmente, voltou a ser efetivo no bloqueio. Dos 13 pontos do Brasil no fundamento, seis foram dele. Leandro Vissotto foi melhor nos outros jogos, mas Wallace veio empolgado do banco, batendo bolas também fortes e aceleradas.

Sim, ainda tem que melhorar para evitar bobeadas. Mas a vitória, além de ter garantido a classificação, mostrou o Brasil de novo com cara de Brasil, jogando com vontade, pancadas e se armando bem no fundo. Parece que a aquele time da Liga Mundial já passou. Que continue assim!

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 2 de agosto de 2012 Sem categoria | 20:44

Sem paciência e reação, Brasil leva virada dos EUA

Compartilhe: Twitter

Depois das mulheres, foi a vez dos homens caírem diante dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos. O Brasil saiu na frente, venceu o primeiro set, mas levou a virada e acabou perdendo por 3 sets a 1 nesta quinta-feira. Segundo Bernardinho, a equipe jogou sem vida e faltou paciência para se recuperar em quadra.

Leia mais: Bernardinho reclama de excesso de erros e diz que seleção jogou “sem vida”

No primeiro set, agressividade dos dois lados. Em um lance, Priddy soltou o braço no ataque, mas Serginho conseguiu colocar a bola na mão de Bruninho, que armou para Sidão, que também deu uma linda pancada. O oposto Leandro Vissotto, que eu já reclamei porque em muitos jogos não consegui ser veloz, estava muito bem e atacando forte e na bola chutada. Apesar de alguns erros, os saque brasileiro estava dando trabalho à recepção rival. O set foi equilibrado, com vitória nacional e parecia que seria assim todo o jogo. Mas o cenário mudou.

Veja os detalhes da vitória dos EUA sobre o Brasil set a set

Aos poucos, o Brasil se perdeu e viu o saque norte-americano fazer ainda mais efeito. O bloqueio não colaborou e isso parece ter influenciado todo o time. Nos tempos, todos gritavam ao mesmo tempo para arrumar o posicionamento e em quadra, as coisas ainda davam errado. O time foi perdendo paciência e também e efetividade. Com uma bela sequências de saque de Dante, o Brasil aplicou oito pontos em sequência,virou o segundo set em 21 a 19, mas não soube se segurar. Depois, perdeu mais dois sets e o jogo.

A seleção, que começou com a atitude correta, com Bruninho usando bem o meio e variando e ataques potentes, caiu quando passou a falhar no saque, se abalou na recepção e não se achou no bloqueio. E não era segredo algum que o jogo dos EUA seria baseado na força o tempo todo. Foi assim que eles foram campeões olímpicos em Pequim. Com saque de Stanley fazendo estrago e Ball coordenando as ações. Stanley segue no time e ainda ganhou a companhia de outros bons sacadores, como Anderson. E o time achou um levantador que se deu bem. Suhxo distribuiu com coerência, chamou a atenção do Brasil com o meio, deixou as pontas livres. Fez um grande jogo.

A seleção jogou abaixo do que mostrou contra a Rússia, mas ainda está melhor do que no começo desta temporada. Ricardinho, que tanto foi criticado na volta (eu também não estava gostando das atuações dele) por estar lento e sem entrosamento, já está acelerando bem as jogadas e alinhado com os companheiros. E perder não é bom, mas pelo menos foi para um time que jogou bem, se arrumou corretamente em quadra em todos os fundamentos e errou menos que os russos. Ainda é a primeira fase e o Brasil ainda é o segundo do grupo. A vitória contra a Rússia pode ter até empolgado demais, mas a derrota para os EUA não acaba totalmente com as esperanças.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de junho de 2012 Seleção masculina | 14:00

Saque ajuda, e Brasil vence Canadá na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Não foi uma atuação como a daqui do Brasil, mas a seleção masculina passou pelo Canadá agora há pouco na Liga Mundial. O time de Bernardinho venceu por 3 sets a 2, teve alguns momentos de falhas do ataque e na cobertura, e se achou quando o saque começou a entrar.

No começo do jogo, Murilo era quem estava colocando as bolas no chão. Mais uma vez, o Brasil não demostrava aquela segurança na virada de bola. Para complicar, a defesa estava um pouco desligada, deixando cair bolas amortecidas que davam para ser convertidas em contra-ataque. Já os canadenses fizeram como no primeiro jogo e usaram muito bem o seu oposto Gavin Schmitt. Ele passou sem problemas pela marcação nacional, fazendo 25 pontos no ataque. Para se ter uma ideia, o primeiro ponto de bloqueio do Brasil no jogo saiu apenas no 19 a 17 para o Canadá no primeiro set.

Veja mais detalhes e números de Brasil 3 x 2 Canadá

A partir do segundo set, Bernardinho colocou Bruninho no lugar de Ricardinho e o ataque ficou mais variado e um pouco melhor. Mas o Brasil só engrenou mesmo quando o saque entrou, principalmente com o central Sidão. Os canadenses sabem atacar, mas não têm uma excelente equipe e, com passe quebrado, perderam dois sets.

Depois, o Brasil resolveu errar quando não poderia, ou seja, no final do quarto set. Era importante fechar logo em 3 a 1 para assegurar três pontos na classificação e seguir com um de vantagem para cima da Polônia, caso a equipe vença a Finlândia daqui a pouco. Mas o Canadá marcou no bloqueio, o Brasil errou ataque e teve uma falha infantil. A bola amorteceu no bloqueio, foi recuperada no fundo e, quando chegou alta à rede, um ficou olhando para o outro e a bola caiu no meio.

Pelo menos no tie-break os brasileiros voltaram a encaixar o saque, mais uma vez tudo começou com Sidão, e venceram o set mais curto sem muitos problemas (foram sete aces, três com o central). Não foi o 3 a 0 ou o 3 a 1 esperado, mas pelo menos o Brasil conseguiu se recuperar em quadra. No sábado, a seleção encara a Finlândia, às 12h30 e no domingo será a vez da Polônia, às 10h. Só para pensar em vitória para assegurar a primeira colocação. E que o saque continue ajudando.

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 20 de maio de 2012 Seleção masculina | 19:46

Com altos e baixos, Brasil vence a primeira na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

E veio a primeira vitória da seleção brasileira na Liga Mundial. Depois de perder para Polônia e Canadá, Brasil venceu a Finlândia neste domingo por 3 sets a 1. Ainda foi uma partida com altos e baixos, mas pelo menos o resultado foi positivo.

Nos dois primeiros jogos, Bernardinho apostou em Ricardinho como titular. Além disso, com Vissotto, Murilo e Giba ainda treinando em Saquarema, escalou Wallace como oposto e Maurício para a ponta. Ricardinho se deu bem com Wallace, destaque do Brasil nesses três jogos, mas usou muito pouco as jogadas de meio, que pedem um pouco mais de entrosamento da equipe. Com isso, a virada de bola brasileira ficou muito marcada na ponta nas duas derrotas.

Neste domingo, Bruninho voltou ao posto de titular e, com ele, as jogadas com os centrais. Sidão marcou 11 pontos no ataque e Lucão fez sete. Sendo assim, quando uma bola ia para as pontas, o bloqueio finlandês chegava quebrado e finalmente o ataque nacional saia. Foi a opção mais correta, afinal, o Brasil tinha que vencer esse jogo. E para isso era melhor colocar em quadra quem já está acostumado com a equipe.

Além disso, o saque brasileiro entrou bem contra a Finlândia. Bruninho fez estrago com um saque flutuante, enquanto Lucão, Sidão e Thiago Alves acertaram bons serviços forçados. A seleção deve investir neste fundamento, pois foi uma das coisas que faltou na temporada passada. E um bom saque ajuda, e muito, no bloqueio. Foram 17 pontos na rede contra a Finlândia. Tudo fica mais fácil com um serviço bem executado.

A atuação brasileira ainda não foi a esperada. É começo de temporada, o primeiro torneio de um time que tem gente nova e é normal uma falta de ritmo. Mas é ruim ver a equipe, às vezes, perdida em quadra ou lenta nas coberturas, por exemplo. Entretanto, alguma coisa já melhorou. No primeiro jogo, o Brasil perdeu para a Polônia muito porque se desconcentrou nos finais dos sets. Contra o Canadá,  falhou porque não soube como parar o oposto Schimitt, estava com passe ruim e só bolas nas pontas. Neste domingo, voltou a errar no primeiro set, mas agora se recuperou, conseguiu armar melhor os contra-ataques e virar com mais facilidade. Depois, viu a Finlândia equilibrar, mas cresceu no final da quarta parcial, dessa vez fechando o jogo e evitando mais um tie-break. E a cobertura e as defesas finalmente apareceram.

E na briga de levantadores, por enquanto Bruninho resolveu mais. Ele deu volume ao Brasil, variando mais as jogadas, atrapalhando o bloqueio rival. Já Ricardinho ainda tem que se acostumar com seus companheiros para voltar a arriscar mais. E é bom que tê-lo de volta à equipe porque isso coloca Bruno em posição, digamos, ameaçada. O filho de Bernardinho terá que mostrar que merece ser o titular mesmo com toda a movimentação para volta do veterano.

A situação do Brasil não é a melhor do mundo, a vitória ainda não foi convincente, mas também não significa que a seleção esteja completamente errada. Foi o primeiro final de semana da temporada…

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 Superliga | 11:12

Quando um time realmente fica pronto para a temporada?

Compartilhe: Twitter
Sidão - Divulgação/CBV

Sidão reclamou da atuação do Sesi apesar da vitória sobre o Londrina

Na rodada do final de semana, a Superliga masculina ganhou um novo líder. O Sesi-SP levou um susto, perdeu um set para o lanterninha Londrina, mas marcou 3 sets a 1 e reassumiu a ponta da tabela. Mas, além da parcial perdida, outra coisa me preocupa no Sesi: o discurso dos jogadores.

Veja mais: Sesi vence Londrina e reassume liderança da Superliga masculina

    Rodada começa e rodada termina e os atletas repetem que estão felizes com a vitória, mas que o time ainda precisa se encontrar, se arrumar em quadra. “Ainda não conseguimos jogar do jeito que gostaríamos. Hoje (sábado) tivemos muitos momentos de oscilação e sabemos que isso tem que ser corrigido para as próximas partidas, já pensando no play-off”, afirmou Sidão depois da vitória. Já estamos na metade do returno e o time ainda não se arrumou?

    Quem parece que se encontrou foi o RJX que, diferente do Sesi, se aproveitou da superioridade em relação ao adversário e fez 3 a 0 para cima do UFJF. Esses jogos mais simples devem servir para embalar o time. E mais uma vez, a dupla Marlon e Lipe foi bem. Esses dois se deram bem em quadra, como já comentamos por aqui outras vezes.

    Veja a classificação atualizada e os resultados da rodada da Superliga masculina

      A rodada do final de semana ainda teve vitórias para quem já começou a temporada arrumado. O Sada/Cruzeiro, que manteve o time do ano passado e acaba ficando um pouco fora do foco por não contar com campeões olímpicos e mundiais, bateu o Medley/Campinas por 3 a 0 sem problemas. O Sada pode estar em quarto na tabela, mas é forte candidato a mais uma final.

      Já o Vôlei Futuro mudou para 2012, mas se deu bem com Ricardinho + Lorena. O vice-líder bateu o Montes Claros, em outro 3 a 0. Sempre na parte de cima da tabela, o time pode ser um exemplo de equipe que se entrosou bem, soube aproveitar o estadual para ganhar ritmo e chegou forte à Superliga.

      A Cimed/Sky ainda venceu o Vivo/Minas na sexta-feira. O time mineiro tinha embalado, mas agora está sete pontos atrás do líder Sesi. E a equipe catarinense segue colada nos líderes. O que mostra que a Superliga ainda pode ter mudanças na parte de cima da tabela e quem quiser acabar bem esse returno tem que se arrumar. Agora, ou nunca mais.

      Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

      1. Primeira
      2. 1
      3. 2
      4. 3
      5. Última