Publicidade

Posts com a Tag Sérvia

domingo, 31 de maio de 2015 Seleção masculina | 13:35

Liga Mundial: Brasil estreia com estreias e duas vitórias

Compartilhe: Twitter

Dois jogos, duas vitórias e estreias para a seleção masculina na Liga Mundial. Na sexta-feira, o Brasil venceu a Sérvia no tie-break e, neste sábado, marcou 3 sets a 1 no placar, novamente diante dos sérvios. Em quadra, a volta de Serginho como líbero e as estreias de Riad e Evandro com a camisa nacional no torneio. E o saldo do primeiro final de semana é positivo.

Divulgação/FIVB

Concentração de William no segundo jogo contra a Sérvia na Liga Mundial

O jogo da sexta-feira foi bastante equilibrado e valeu para já começar o torneio com ritmo acelerado. Já a partida deste sábado foi um pouco mais simples para o Brasil, que largou na frente e venceu os dois primeiros sets. O problema foi a terceira parcial. A Sérvia ficou o tempo todo na frente e, depois de abrir quatro pontos, viu o Brasil encostar. A seleção saiu de 13 a 7 para 13 a 12, mas não se segurou e perdeu o set. Pelo menos o jogo foi decidido no quarto set, com vitória brasileira.

E se na sexta os números foram praticamente os mesmos em bloqueios, saques e erros, desta vez a Sérvia facilitou. Eles deram 39 pontos de graça para  Brasil, que errou 21 vezes. Entretanto, foram melhores no saque e no bloqueio. O Brasil só se achou no bloqueio na reta final. Mas foram dois resultados positivos, que ajudam a dar ritmo e já embalar na competição. É bom começar contra rivais fortes.

E sobre as estreias e novidades, também boas impressões. Bernardinho, que cumpre suspensão da FIVB, deu lugar a Rubinho no comando. Serginho está de volta após três anos é o líbero que já conhecemos e dispensa maiores comentários. Aos 39 anos ainda é o dono da posição. Riad veio bem pelo meio neste sábado. Ele fez quatro dos sete pontos de bloqueio do Brasil e já está entrosado como levantador William. Foi o segundo maior pontuador do time (16 acertos), atrás apenas do oposto Wallace (19 bolas no chão). Evandro entrou como oposto nas inversões de 5-1, mas ficou pouco em quadra.

Nos fundamentos, senti falta do saque. Lipe e Isac são alguns jogadores que soltam o braço no viagem forçado. Mas Murilo, que voltou ao time nesta manhã, segue com o saque mais tático visto no Sesi desde as cirurgia no ombro. Isso pode facilitar a vida dos rivais. Vale prestar mais atenção e colocar mais pressão no serviço. Mas foram apenas os primeiros jogos, o primeiro final de semana… Tem muito ainda pela frente até a fase final no Rio de Janeiro

Autor: Tags: , , ,

domingo, 27 de maio de 2012 Diversos | 15:29

Vôlei feminino completo para as Olimpíadas

Compartilhe: Twitter

*atualizado dia 29/05, às 9h48

Servia - FIVB

Sérvia comemora vitória sobre o Japão e vaga nas Olimpíadas de Londres

Acabou neste domingo o Pré-Olímpico mundial para as mulheres no vôlei. Depois do vexame de Cuba, que passou longe da vaga olímpica, Rússia, Coreia do Sul, Sérvia e Japão completaram as seleções que vão brigar nas Olimpíadas de Londres. O que vocês acharam? O torneio teve o resultado esperado?

Leia também: Cuba perde e está fora do vôlei feminino em Londres

Rússia foi o melhor time do campeonato, com sete vitórias e apenas um set perdido, na partida contra a Sérvia. Como de costume, Gamova foi a maior pontuadora em todas os jogos (apenas contra as sérvias ela marcou os mesmos 18 pontos que Estes). O time teve pouquíssimas mudanças, Merkulova entrou em alguns momentos, e Tatiana Kosheleva, importante peça da equipe que se machucou no Pré-Olímpico europeu, não entrou. A Rússia segue como uma potência e para Londres terá de novo Sokolova, que dá bastante volume ao time. Vai dar trabalho, mais uma vez.

A seleção da Coreia acabou na segunda colocação no Pré-Olímpico mundial, com duas derrotas, para Sérvia e Rússia. Por aqui, a segurança é a oposto Kim. Ela foi a maior pontuadora em cinco das sete partidas do time e chegou a marcar 34 pontos na vitória sobre o Japão. É um time asiático, de defesa e volume, mas com essa atacante forte e que sabe resolver.

Depois veio a Servia, apontada há tempos como grande time europeu, capaz de desbancar a Rússia no continente. Elas estavam desfalcadas no torneio, mas também têm jogadoras altas e rápidas e garantiram a vaga em Londres com uma vitória por 3 sets a 2 sobre o Japão, dono da casa. É mais uma seleção que pode brigar por medalha nas Olimpíadas.

E essa vitória ni tie-break fechou a lista, deixando o Japão na quarta colocação e dando a eles a vaga como a melhor seleção asiática fora do “top três”. Segundo o técnico Masayoshi Manabe, a equipe entrou nervosa contra a Sérvia e precisa melhorar a recepção. Mas os comentários foram que o time entregou, já que os 3 a 2 classificariam japonesas e sérvias para as Olimpíadas. Não consegui acompanhar o jogo, mas disseram aqui nos comentários que o Japão errou demais no último set. Bom, está na hora de rever esses regulamentos para impedir qualquer tipo de combinação…

Com o final do Pré-Olímpico mundial, Londres receberá Brasil, Grã-Bretanha, Itália, Estados Unidos, China, Argélia, Turquia, República Dominicana e as quatro últimas classificadas no torneio feminino de vôlei. E agora, quais são as seleções que subirão ao pódio nas Olimpíadas? Façam suas apostas!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 16 de maio de 2012 olimpíadas, Seleção feminina, Seleção masculina | 10:34

Quem já tem e quem ainda pode ter a vaga olímpica

Compartilhe: Twitter

Os Pré-Olímpicos continentais acabaram e ainda restam as repescagens mundiais para homens e mulheres. Até agora, quem já conseguiu a vaga para as Olimpíadas de Londres? Entre os classificados, já dá para saber quem está melhor? E entre aqueles ainda sonham com Londres, quem carimbará o passaporte?

Quem já está lá

Brasil-FIVB

Brasil venceu sem problemas o Pré-Olímpico Sul-Americano em São Carlos

Entre as mulheres, o Brasil entrou para a lista que já contava com Grã-Bretanha, Itália, Estados Unidos, China, Argélia, Turquia e República Dominicana. No masculino, Estados Unidos, Argentina e Itália completam a relação ao lado de Grã-Bretanha, Rússia, Polônia, Brasil e Tunísia.

Como conversamos por aqui, ainda é difícil falar qual o nível atual da seleção brasileira feminina, já que os rivais do Pré-Olímpico Sul-Americano foram mais fracos.  Os homens estreiam agora na Liga Mundial e a expectativa é para ver como será a volta de Ricardinho. Se ele encaixar as suas bolas rápidas com os atuais atacantes, como fazia nos anos de parceria com Giba, o Brasil ganha um ótimo ponto positivo.

Já entre os outros time, a Turquia mostrou suas credenciais no Europeu feminino, deixando Rússia e companhia para trás. É uma seleção que vem crescendo e vale ficar alerta. A República Dominicana também é outra que gosta de dar trabalho, ainda mais com Bethania de La Cruz jogando bem. Estados Unidos dispensam comentários e podem ser candidatos ao ouro.

No masculino, os norte-americanos ainda têm estrelas de Pequim, como Stanley e seu saque, e Anderson, que já foi destaque em Liga Mundiais. São os campeões e merecem respeito e cuidado. A Argentina é a seleção em crescimento, que busca amadurecer e, apesar de ter Conte e companhia, acho que ainda fica um pouco para trás.

Quem ainda busca a vaga

Cuba - FIBV

Cuba quase ficou fora do Pré-Olímpico mundial, mas deve conseguir a sua vaga

Os torneios classificatórios mundiais dão uma vaga aos asiáticos e três para seleções de outros países. No feminino, brigam Japão, Coreia, Taiwan e Tailândia, além de Sérvia, Cuba, Rússia e Peru. Por aqui, a briga não deve ser tão dura. O Japão deve ser o asiático classificado e Peru não tem ainda time para competir com os demais. No final, Cuba, que precisou de ajuda financeira para disputar o torneio, deve ir para Londres, ao lado de Rússia e Sérvia.

O masculino terá três torneios de repescagem, um na Bulgária e outro na Alemanha ao mesmo tempo e, depois, um no Japão. Essa será a chance de tradicionais como Bulgária e Cuba conseguiram as vagas. Sérvia, mesmo sem Milijkovic, ainda tem bons atacantes e segue na briga.

Agora é com vocês. Quem encara o Brasil em Londres? Quem serão os favoritos por lá? É só comentar!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 Seleção masculina | 14:30

Que a folga tenha feito bem… Para todos!

Compartilhe: Twitter

Oi de volta, galera!

A folga fez eu perder os jogos da Copa do Mundo feminina e o começo da masculina, mas me fez bem. E espero que a folga também tenha feito bem ao time de Bernardinho! Voltei (agora casada) a ler as notícias e acompanhar a equipe e encontrei uma seleção desestabilizada, errando muito, desde o saque ao ataque, e perdendo jogos de maneira pouco comum.

Miljkovic - Divulgação/FIVB

Miljkovic encara bloqueio do Brasil na vitória da Sérvia

Primeiro, a derrota para Itália. Depois, Cuba e Sérvia e mais dois sets perdidos para a China no meio do caminho. O que aconteceu com o time? Agora, depois da primeira folga na Copa do Mundo, eles voltam a jogar nesta madrugada, à meia-noite, e precisam vencer o Irã, e depois a Polônia e o Japão, para sonhar com Londres 2012.

A seleção me parece desgastada. E aquela discussão entre o líbero Serginho e o técnico Bernardinho no jogo contra a Argentina, por mais que a gente saiba que se trata de dois profissionais acostumados a jogar juntos e também esquentados, abalou a seleção. O clima pesou e o resultado foram os 32 erros diante da Sérvia.

E também não é hora de reclamar de regulamento, como fizeram Giba e Murilo. Antes da competição, todos sabiam que a Copa do Mundo daria três pontos para quem vencesse por 3 a 0 ou 3 sets a 1 e apenas dois para quem fizesse 3 sets a 2. Na Superliga já é assim. E também já era conhecida a tabela e a ordem de todos os jogos.

Adianta criticar a Sérvia por escalar reservas  em outros jogos e vir com tudo para cima do Brasil? Ou a Argentina por ter poupado seus jogadores diante da seleção? Acho que não. Cada um está adotando a sua estratégia. Se a Sérvia jogou com seriedade contra o Brasil, foi para ver seus rivais europeus já classificados e jogar com tranquilidade o pré-Olímpico. O mesmo vale para a Argentina, que quer ver o Brasil em Londres para ter o seu pré-Olímpico mais fácil na América. Não acho que os times europeus queiram se ajudar, como já li nesses últimos dias. Todo mundo está é se defendendo como pode, seja na bola ou com o regulamento.

Tudo seria mais simples se o Brasil tivesse feito a sua parte. Todos sabiam que em um campeonato de pontos corridos, qualquer derrota poderia pesar. Já foram três. Entretanto, a seleção ainda tem chances de se classificar. Mas para isso, precisa jogar o que sabe, mostrar vontade e esquecer brigas e desgastes, começando nesta madrugada contra o Irã.

“Estamos a três vitórias de nossa tão sonhada vaga para as Olimpíadas de Londres e vamos buscar não apenas vencer, mas vencer bem, para chegarmos com moral ao confronto de sábado com os poloneses”, disse Rodrigão em seu blog. Essa é a ideia: aproveitar o rival mais frágil teoricamente da última fase para não só vencer, mas também tentar embalar.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 25 de agosto de 2011 Seleção feminina | 09:18

Mais uma vitória e a vaga na semifinal do Grand Prix

Compartilhe: Twitter

Parece que, nesta temporada, o Japão não é mesmo páreo para o Brasil. Depois de vitórias em torneios amistoso, a seleção feminina venceu a equipe nipônica por 3 sets a 0 nesta madrugada e já assegurou vaga na semifinal do Grand Prix. Agora fica a pergunta, quem passa do outro grupo para encarar o Brasil?

Em um jogo de números equilibrados, a Sérvia venceu a Rússia por 3 sets a 1 nesta quinta-feira e lidera a chave. Com isso, já teríamos um Brasil x Rússia na semifinal do Grand Prix. O que será melhor? Encarar logo a nossa pedra no sapato da Rússia ou torcer para uma mudança e pegar a Sérvia, que vem surpreendendo neste Grand Prix?

A decisão das chaves só sai amanhã e eu ainda não tenho um palpite totalmente formado, confesso. Se pegar a Rússia agora e vencer, a seleção vai ganhar uma confiança imensa para a final. E acho até melhor decidir contra um time como a Sérvia que vem bem, mas não tem todo o histórico contra a seleção. Podemos começar uma nova história e, quem sabe, uma nova rivalidade. Mas tudo isso se perde se o Brasil ficar mais uma vez no paredão e nas gigantes europeias…

Antes de qualquer coisa, a seleção deve entrar firme para ganhar dos Estados Unidos, que devem ser o pior rival até agora no Grand Prix. A partida será às 2h30 desta sexta-feira. O vencedor será o líder do grupo. Ver o Brasil ganhando elogios de Zé Roberto na defesa anima para essa partida, já que as norte-americanas são fortes, sabem atacar e defender, ou seja, vai ser bom contar com o nosso fundo ligado para armar e acertar contra-ataques

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 23 de julho de 2010 Seleção masculina | 00:05

Seleção não brilha, mas tem banco que resolve

Compartilhe: Twitter

O Brasil conseguiu a segunda vitória na fase final da Liga Mundial e garantiu o lugar na semifinal do torneio. Na noite desta quinta-feira, a seleção, mais uma vez, não teve uma atuação brilhante, mas fez 3 sets a 2 na Sérvia, com parciais de 21/25, 25/22, 18/25, 25/20 e 16/14.

O time nacional parecia desconectado. No começo do jogo, apresentou-se bem na recepção, melhor do que na partida contra a Argentina, mas teve dificuldade para definir os ataques. Já os sérvios cresceram no fundamento, colocaram no chão e fecharam o set. Na sequência, quando o ataque se encontrou, a defesa bobeou e, depois de vencer o segundo set, o Brasil perdeu o terceiro.

Méritos para o jovem Starovic. Ele era banco na Sérvia há algumas temporadas e ganhou a titularidade na vaga de Milijkovic, o melhor jogador do país. Starovic assumiu a responsabilidade e desestabilizou no saque. Ele não marcou nenhum ace, mas quebrou a recepção do Brasil e deu moral para a sua seleção.

Sidão saiu da reserva e fez o ponto do jogo

Sidão saiu da reserva e fez o ponto do jogo - Divulgação

No quarto set, foi o banco do Brasil que fez o seu papel. Desde o segundo set, Bernardinho colocou Marlon, Sidão e Giba em quadra. Pouco depois, Giba voltou a dar lugar para Dante e a seleção se encontrou. Marlon melhorou a distribuição de bolas, variando bem as jogadas, com precisão. Sidão, que entrou no lugar de Lucão, não se encontrou no bloqueio, mas virou todos os ataque que recebeu. E até Leandro Vissotto, que estava um pouco apagado, ganhou forças com o levantamento de Marlon. O Brasil igualou o jogo e foi para o tie-break, mais uma vez.

Na decisão, o jogo seguiu como no set anterior. Marlon insistiu com Sidão, que seguiu pontuando. Os brasileiros tiraram o peso do saque e erraram menos. A Sérvia, mais uma vez com Starovic, equilibrou. No final, o único ponto que faltava para Sidão. Ele subiu na rede, bloqueou e o Brasil fechou.

A seleção ainda não está jogando bem e está sofrendo muito para vencer, como reconheceu Murilo logo depois da partida. Mas ter banco ajuda e muito nessas horas. Marlon entrou e deu mais volume ao jogo. E Bruninho, voltou bem nas inversões de 5-1, sem se abater com a ida para a reserva. Giba ajudou e Dante voltou recebendo mais bolas e virando mais. Se Lucão não estava bem, Sidão foi perfeito no ataque e chamou o bloqueio adversário, liberando os ponteiros. Com titulares e reservas misturados, como é a cara do Bernardinho, o Brasil vai para a semifinal.

No outro grupo, Rússia já está classificada. Em mais um 3 a 2, os europeus venceram os cubanos e garantiram a sua vaga e a liderança da chave. Nesta sexta-feira, entram em campo Itália x Cuba, para definir o adversário do Brasil, e Sérvia x Argentina, para saber quem encara a Rússia. As semifinais serão no sábado, com a seleção brasileira em quadra às 21 horas (e não mais às 17h30, como havia sido informado anteriormente), e a final está marcada para domingo, às 21 horas.

Mais um 3 sets a 2, mais uma vitória sem um grande desempenho e, mais uma vez, a bola com vocês. O que acharam da partida? E em quem vocês apostam como adversário da semifinal? Deixem seus comentários!

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 20 de julho de 2010 Seleção masculina | 14:14

É chegada a hora das finais da Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

As finais da Liga Mundial começam nesta quarta-feira, na Argentina. O Brasil busca seu nono título no torneio, assim como a Itália. Cada uma está em grupo e podem, quem sabe, se enfrentar na semi ou mesmo na final deste ano. Para nos localizarmos nas chaves, um resumo de cada grupo e suas seleções rumo à decisão. No final, vocês também podem, e devem, fazer as suas análises e dar os seus palpites!

Grupo E: Argentina, Brasil e Sérvia
Argentina: É a dona da casa e busca o primeiro pódio na Liga Mundial. Vi poucos jogos dos anfitriões e não fiquei surpresa. Eles têm um time renovado e um grande treinador, Webber, que conhece muito bem os brasileiros e o seu estilo de jogo, já que atuou muitos anos por aqui. Será o adversário do Brasil na estreia, no dia 21 de julho, às 21 horas.

Brasil: Chegou até aqui com uma derrota em casa e alguns jogos sem impressionar. Mas, como todo time de Bernardinho, cresceu nas últimas partidas. Vissotto e Murilo são dois nomes de destaque. O primeiro jogou bem desde o começo e mostrou versatilidade, bloqueando e atacando mesmo sendo um “baixinho” de 1,90. O outro, o gigante do time, foi o diferencial contra a Bulgária e se tornou o verdadeiro homem de segurança. Os outros jogadores também merecem méritos, afinal, esse time não é de um atleta ou de outro. É um grande conjunto. O que precisa ser trabalhado, entretanto, é o saque. O Brasil foi irregular neste fundamento na primeira fase da Liga e isso pode pesar na hora da decisão.

Sérvia: Conseguiu a vaga como melhor segunda colocada. Segundo Bernardinho, é habilidosa e considerada a “brasileira da Europa”. As estatísticas do torneio comprovam a força do time. O oposto Sasa Starovic, de 22 anos, assumiu o lugar deixado por Milijkovic, o melhor jogador do país. O jovem é o maior pontuador da Liga Mundial e dono do melhor saque. Pela ponta, a seleção conta com Stankovic, terceiro melhor atacante. Ainda é comanda pelo levantador Petkovic, o líder no fundamento. Eles devem buscar uma revanche contra o Brasil, já que foram derrotados em casa na final do ano passado. Brasil e Sérvia se enfrentam no dia 22 de julho, também às 21 horas.

Grupo F: Itália, Rússia e Cuba
Itália: Pode se dizer que, depois de algumas temporadas sem um grande voleibol, os italianos foram a surpresa da primeira fase. Lideraram seu grupo, passando por Sérvia e França, e ganharam elogios de Bernardinho. “Os italianos estão voltando ao rol dos finalistas. Chegam por méritos próprios e são candidatos ao título. O time mescla jovens com grandes veteranos, como o Fei, que é um excelente passador e diferencial da equipe; o Mastrangelo, um dos maiores bloqueadores do mundo; e o Vermiglio, um grande levantador. Taticamente a Itália beira o brilhantismo”, disse o técnico ao site oficial da CBV. Se o Brasil ficar em primeiro do grupo e a Itália em segundo, ou vice e versa, eles duelariam na final. Gostaria de ver essa decisão neste ano. Seria uma bela briga pela supremacia na Liga, já que Brasil e Itália tem oito títulos cada um.

Rússia: É a grande equipe dessa Liga Mundial. É um time com o jogo típico da escola europeia, com muita força. Eles sacam e bloqueiam muito bem. O oposto Dmitriy Muserskiy é o melhor bloqueador do torneio até agora. O central Volkov, outro destaque, é o sétimo no fundamento. No saque, a Rússia é a única seleção com dois jogadores entre os cinco melhores: Muserskiy, de novo, na 3ª posição, e Mikhaylov, na 4ª. É o provável adversário do Brasil em uma final. Pode depender do duelo contra a Itália para definir o líder do grupo.

Cuba: É um time que joga na força física. Eles têm explosão no ataque e pancada no saque. Podem complicar, mas acho que ainda estão atrás da Rússia, pelo menos. Mas, como bem conhecemos o jeito cubano de jogar, melhor não menosprezar. Os jogadores mudam, mas a marra é a mesma. Eles crescem e ganham confiança quando estão na frente. O jovem León, de 16 anos, segue no time como grande força no serviço.

Jogos da fase final da Liga Mundial
Grupo E
21/07 – 21 horas – Brasil x Argentina
22/07 – 21 horas – Sérvia x Brasil
23/07 – 21 horas – Argentina x Sérvia

Grupo F
21/07 – 17h30 – Itália x Rússia
22/07 – 17h30 – Rússia x Cuba
23/07 – 17h30 – Cuba x Itália

Agora é com vocês! O que esperam das finais da Liga Mundial? O Brasil chega à decisão? Contra quem? Deixem seus comentários!

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 17 de junho de 2010 Seleção masculina | 18:35

As outras seleções na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Até agora falamos do Brasil na Liga Mundial 2010, que teve até uma boa estreia, fez feio no primeiro jogo contra a Holanda e, depois, voltou a jogar. Eles enfrentam a Coreia do Sul nesta sexta e neste sábado no Maracanãzinho e precisam de duas vitórias para tentar retomar a liderança do grupo A seguir na briga pela vaga na fase final. Mas vamos dar uma pausa na seleção e dar uma olhada nas outras equipes que brigam pelo título na competição. E nesta rodada teremos duelo de invictos!

Grupo B
Sérvia e Itália estão com quatro vitórias cada um e abrem os duelos da chave na sexta-feira. Os sérvios começaram a Liga com um 3 a 0 e um 3 a 1 na China. Depois, fizeram dois 3 a 0 na França. Eles têm um time novo, com nomes do Starovic, Podrascanin, Kovacevic e Stankovic, mas que está se acostumando a jogar junto e, por enquanto, despontam como uma das grandes seleções da Liga Mundial.

Já os italianos tem um 3 a 0 e um 3 a 2 na França e dois 3 a 0 para cima da China. Fei vem sendo um dos grandes nomes do time. Faz tempo que a Itália é uma equipe mais de tradição do que de eficiência em quadra, mas eles começaram bem neste ano. Ainda assim, no confronto direto, aposto na Sérvia.

Grupo C
Nesta chave a única invicta é a Rússia, que passou sem muitos problemas pelos Estados Unidos no final de semana de estreia (3 a 0 e 3 a 1), mas que decepcionou contra o Egito. Na primeira partida, venceu por 3 a 1 e no outro jogo sofreu com o saque egípcio e com seus erros e fechou apenas no tie-break. O técnico Daniel Bagnoli deixou a quadra esbravejando. “Depois de um jogo como esse, nós deveríamos estar bravos com a nossa atuação”, disse. E ele tem razão. Ninguém imaginava que o Egito pudesse dar trabalho aos gigantes da Rússia. Foi quase a primeira zebra da Liga Mundial.

No mesmo grupo, os campeões olímpicos Estados Unidos tentam a recuperação. Mesmo com veteranos  como Lee e Millar, eles começaram mal com as derrotas para a Rússia e voltaram para a briga com dois 3 a 1 sobre a Finlândia. Entretanto, acho que ainda precisam de mais para recuperarem o nível das Olimpíadas de Pequim.

Grupo D
O invicto do grupo é Cuba, que segue com seu estilo já conhecido de jogo: pancadas no saque e no ataque. Leon, que apareceu na última Liga Mundial, continua sendo o nome do time. Até agora, são duas vitórias sobre a Argentina e duas sobre a Alemanha. Assisti à estreia cubana contra a Argentina e não gostei muito da partida, com pouco volume de jogo. Mas acho que isso se deu pelo baixo nível dos sul-americanos, que tentam se renovar e não são mais aqueles grandes do começo dos anos 2000.

Por enquanto é isso! Boa sorte ao Brasil contra a Coreia e que venham duas vitórias para dar moral ao time e aos nossos atacantes, principalmente a Leandro Vissotto, que já melhorou, mas pode fazer muito mais. E fica a torcida para a Bulgária vencer a Holanda e tirá-la da liderança do grupo! Volto depois da partida! Até…

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 26 de julho de 2009 Seleção masculina | 18:40

Somos octacampeões da Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Podem comemorar! O Brasil é campeão da Liga Mundial de vôlei! O Brasil é octacampeão! Em uma final que pode ser explicada em uma palavra: tensão. Tensão da primeira final da nova geração.Tensão da derrota no primeiro set. Tensão de jogar com casa lotada de torcida contra. Tensão de Giba, esperando e não recebendo bola. Tensão no saque, que não estava entrando. Tensão dos muitos erros de arbitragem. Mas, mesmo com tudo isso, o Brasil foi o melhor time, cresceu quando tinha que crescer e faturou o título com a vitória por 3 sets a 2 (22/25, 25/23, 25/22, 23/25 e 15/12).

A partida deste domingo foi emocionante, como deve ser uma final. Estavam em quadra os dois times que mais se destacaram no campeonato. A Sérvia, dona da casa, fez uma ótima campanha na primeira fase e não chegou à final apenas por ser a sede. O Brasil teve apenas uma derrota em toda a competição, sofreu com a adaptação no começo e ainda teve que carregar o peso de ser o Brasil, uma grande potência no vôlei mundial.

Brasil é octacampeão da Liga Mundial - Divulgação/FIVB

O jogo

O jogo começou melhor para os donos da casa. Com Milijkovic voando, a Sérvia não deu chances ao bloqueio brasileiro, que pouco apareceu. Além disso, o saque nacional estava muito irregular. Resultado, vitória da Sérvia. O primeiro momento tenso da final.

No segundo e no terceiro sets, o Brasil conseguiu acertar o seu serviço e achar a deficiência da recepção sérvia. Eles não sabiam passar na mão os saques chapados, aqueles não muito fortes. Melhor para o lado brasileiro, afinal, a chance de errar no serviço sem peso é muito menor. Depois dos oito erros no primeiro set, foram apenas quatro no segundo e quatro no terceiro. Com isso, vitória nas duas parciais e virada no placar.

O Brasil também conseguiu acertar o bloqueio. A seleção pegou o tempo de Milijkovic e o experiente levantador Nicola Grbic teve que variar as jogadas. Outro momento tenso. O passe nacional ficou quebrado e, enquanto isso, os centrais sérvios acharam o espaço na defesa nacional. Resultado do ótimo saque dos anfitriões. Para complicar, o auge da tensão da partida. Quando estava 21 a 21 no placar, Milijkovic atacou, Murilo bloqueou e a bola voltou na cabeça do sérvio. Mesmo assim, o árbitro deu ponto para Sérvia. A partida teve diversas bolas roubadas para os donos da casa, mas essa foi demais. Tanto que o jogo parou, o árbitro foi chamado à mesa e teve que voltar o ponto para o Brasil. Mas, com isso, a seleção perdeu a concentração e a Sérvia cresceu com um bloqueio em Rivaldo e fechou o set na seqüência.

Faltava o quinto set. Empolgada, a Sérvia abriu quatro no placar. Mais tensão para o Brasil, que não se acertava em quadra, com erros de ataque. Tensão para Giba, que não recebia bola. Mas tudo estava prestes a mudar nas mãos de Murilo, o jogador que mais cresceu na Liga Mundial. Com um bloqueio do ponta, Brasil voltou para o jogo. Com raça, vibração e a segurança de Leandro Vissotto, que marcou 29 pontos no jogo, a seleção nacional buscou o placar. E no final, bola para Giba. Dois ataques, dois pontos e o título mundial!

Para coroar, Serginho ainda levou o prêmio de melhor jogador da Liga Mundial. Isso mesmo! Um líbero como o melhor do mundo! Em um time que, mesmo renovado, mantém a característica de todos iguais, com reserva entrando e segurando as pontas, como Sidão que substituiu bem Rodrigão na semi e na final. Um time novo, que ainda tem coisas a aprender, mas que começa muito bem! Valeu, Brasil!

E você? O que achou da final da Liga Mundial? O que achou da seleção brasileira? Também ficou tenso durante o jogo? Conte o que achou ao Mundo do Vôlei!

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 22 de julho de 2009 Seleção masculina | 18:26

Chegou a hora, Brasil!

Compartilhe: Twitter

Seleção Brasileira estreia nesta quinta-feira na fase final da Liga Mundial. O primeiro jogo será contra Cuba. Depois, vem a Argentina na sexta-feira. E agora?  O time está preparado para a fase decisiva?

O renovado time de Bernardinho teve a melhor campanha da primeira fase, com 11 vitórias em 12 jogos. Entretanto, é bom lembrar que o Brasil não teve nenhum adversário muito complicado. E quando alguém caprichou no saque e no bloqueio, quebrou a nossa recepção, desestabilizou os contra-ataques e venceu, como a Finlândia.

Agora, na fase final, a seleção também deu sorte na escolha dos grupos. Está ao lado de Cuba e Argentina, teoricamente mais fracos de Sérvia, Estados Unidos e Rússia, que estão na outra chave. E, para a estreia na decisão, o Brasil já sabe com quem deve se preocupar: Leon.

O cubano de apenas 15 anos foi o destaque do time na primeira fase e comandou o ataque e o saque na vitória sobre a Argentina, na tarde desta quarta. Ele marcou 20 pontos no ataque e 4 no saque, sendo que foi com ele no serviço que Cuba segurou a Argentina e cresceu para fechar terceiro e quarto sets e liquidar a partida em 3 a 1. (Veja como foi o jogo).

Vale mais um alerta contra Cuba. Assim como o Brasil, é um time novo, que está jogando solto e sem responsabilidades. Tanto que construiu a vitória de hoje nos erros da nervosa Argentina. Mas, mesmo jovem, esse time tem uma qualidade a mais que os cubanos dos anos 90. Eles sabem jogar atrás do placar, não se desesperam e buscam o jogo. Fizeram isso também contra a Argentina.

Já os jovens brasileiros devem segurar a ansiedade. Eles já admitiram um frio na barriga pelas finais, mas não devem se abalar. Na estreia na Liga Mundial, diante do Ibirapuera lotado, o Brasil se desconcentrou no começo. O mesmo aconteceu na partida na Polônia, a primeira fora de casa. Cuidado para a fama não se repetir na estreia na final… E o que está em jogo é montar uma nova seleção, um time que esteja pronto para o Mundial e para os próximos jogos olímpicos, então, esse é momento de se acertar e não se cobrar demais e ser apontado como grande favorito!

O outro grupo
Na outra chave da fase final, Sérvia venceu bem os Estados Unidos. Com saque forçado e ótimos ataques de Miljkovic, os donos da casa venceram por 3 sets a 0. Pelo visto, eles vêm com tudo para a final. (Veja como foi a partida)

Com nomes como os jovens Bjelica, Stankovic, Starovic e Podrascanin, a Sérvia também passa por renovação, mas parece manter o mesmo saque pesado e ataque potente. Além disso, tem os veteranos Grbic e o próprio Milijkovic que definem o jogo. Já os Estados Unidos, outro renovado, mostraram, pela atuação de hoje, estar abaixo do time campeão olímpico e da Liga.

Vamos ver o que acontece pela frente. Minha aposta, por enquanto, é apenas na classificação de Brasil e Cuba. Na outra chave, prefiro esperar a atuação da Rússia para opinar. E para você? Quem avança para a semifinal? Dê o seu palpite! Depois a gente vê quem acertou mais!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última