Publicidade

Posts com a Tag São Bernardo

segunda-feira, 10 de março de 2014 Superliga | 14:19

Jogo de bloqueio, vitória de favoritos e uma quase surpresa nos playoffs da Superliga

Compartilhe: Twitter

Os playoffs da Superliga masculina já estão aí. E na primeira rodada, teve jogo marcado por bloqueio, vitória de quem era favorito e uma quase surpresa. Ainda teve uma curiosidade. A torcida parece ter ajudado e todos os donos da casa venceram. E vocês, o que acharam dos jogos? Vamos a um resumo das partidas e aos comentários.

Bloqueio do Brasil Kirin x ataque do Kappesberg Canoas

Gustavão - Facebook

Gustavão comandou bloqueio do Brasil Kirin

Esperava que esse fosse o duelo mais equilibrado dessas quartas de final da Superliga masculina. De fato foi um jogo parelho, com 3 a 2 no placar para a equipe de Campinas. Em quadra, Dennis, maior pontuador da competição, foi quem mais colocou bola no chão, com 19 acertos. Mas apesar do desempenho do cubano do Canoas, o que fez a diferença foi o bloqueio do Brasil Kirin.

No total foram 17 pontos no fundamento contra 9 dos donos da casa, com destaque para Gustavão, que marcou sete vezes e foi o melhor em quadra. Num jogo bem disputado como foi, o bloqueio esteve presente em diversos momentos chaves. No primeiro set, foram quatro bloqueios seguidos do Campinas, que perdeu a parcial, mas já mostrou a sua cara. No segundo set, eles abriram justamente com bloqueios e empataram o jogo. E para fechar, um bloqueio quando estava 14 a 12, outro para deixar 14 a 14 e mais um para marcar 17 a 15. Acho que não precisa falar mais nada.

Vitórias que eram esperadas

Sada Cruzeiro - CBV

Sada Cruzeiro foi líder na classificatória e saiu na frente nas quartas de final

Na sequência das quartas de final da Superliga, em dois jogos já eram esperados 3 sets a 0 no placar. Foram as vitórias do Vivo/Minas sobre o RJ Vôlei e do Sada Cruzeiro diante do Moda/Maringá. O time de William, Wallace e companhia é um dos favoritos ao título e não teve muito trabalho diante do paranaenses. Soube abrir no final das parciais para fechar e no segundo set, o que teve o placar mais dilatado, contou com erros do rival. Com todo respeito ao Moda Maringá, mas a aposta é no Sada Cruzeiro na semifinal.

A outra partida tem um significado a mais para o RJ Vôlei, que chegou aos playoffs aos trancos e barrancos depois da saída da OGX como já comentamos por aqui ou em matérias no iG. O time carioca conseguiu completar o elenco, que contava com apenas nove jogadores, e contratar três atletas que estavam na Superliga B. O jogo teve momentos de equilíbrio, mas prevaleceu o Vivo/Minas, bem mais estruturado ao longo de todo o torneio. Nem o bloqueio, fundamento comandado por Ualas e que vem sendo destaque no campeonato, ajudou os cariocas. Melhor para os mineiros, com os 15 pontos de Filip.

A quase zebra da rodada

Murilo - CBV

Sesi sofreu para bater o São Bernardo no tie-break

O jogo era entre segundo e sétimo colados. Olhando assim, quem leva a melhor? Sim, o Sesi venceu o São Bernardo, mas não foi nada fácil e o resultado só saiu no tie-break. O Sesi, segundo o líbero Serginho, jogou abaixo do que sabe. Como em outras partidas que já vi nesta Superliga, o time se atrapalhou no saque em alguns momentos. Foi assim de novo diante do São Bernardo. Entretanto, no finalzinho, lances de Lucarelli e um ponto de saque de Sidão fizeram a diferença, deixaram o Sesi em vantagem e ajudaram para a vitória.

As quartas de final seguem nesta semana. As séries são decididas em melhor de três e a gente acompanha para ver quem chega às semifinais. Até mais!

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 13 de março de 2013 Superliga | 10:24

Apagão, vitória do RJX e ameça do fim do São Bernardo

Compartilhe: Twitter

A noite de terça-feira foi decisão do primeiro semifinalista da Superliga masculina e muito mais. O RJX venceu o São Bernardo por 3 sets a 0 com facilidade e avançou no torneio. Mas o jogo teve apagão no começo do segundo set, paralisação de quase meia-hora e o anúncio de que a equipe do ABC pode fechar as portas para a próxima temporada.

O jogo foi o esperado. O RJX mostrou força no saque e boa marcação no bloqueio e o São Bernardo só conseguia equilibrar os começos das parciais. Aí teve o apagão. O ginásio, a pedido da TV, estava funcionando com gerador. Quem é daqui de São Paulo ou região sabe das chuvas torrenciais de final de tarde e, por precaução, preferiram usar o gerador e não a luz da rua. Porém, o gerador não aguentou a luz caiu. Só se viam celulares acesos nas arquibancadas (veja as fotos na galeria). Tentaram ainda mais uma vez com o gerador, que aguentou apenas poucos segundos. Então, decidiram usar a luz da rua mesmo, já que o tempo estava aberto e tal. Os jogadores não saíram de quadra e aproveitaram para descansar com a bola como travesseiro e tiveram que aquecer tudo de novo. 23 minutos, o jogo recomeçou e o time carioca continuou na frente.

No meio da partida, veio a notícia ruim da noite, de que o São Bernardo está em busca de patrocinadores e corre sério risco de não seguir para a próxima temporada. Ou de seguir, mas com um time mais modesto. Triste saber disso vendo um ginásio bastante cheio mesmo em uma partida em uma terça-feira, às 18h30. Triste para o vôlei porque, nem acabou a Superliga, e voltamos ao problema de todos os anos, de times fechando, de falta de apoio e tudo mais.

O São Bernardo não repetiu o desempenho do ano passado, isso é um fato. Eles, mais uma vez, chegaram aos playoffs, mas no ano passado deram muito trabalho ao Sada/Cruzeiro e tiveram um desempenho bem mais regular no geral. Entretanto, isso não justifica o risco de o time acabar. E como atuar sabendo dessa “faca no pescoço”? Segundo o oposto Renan, o elenco já sabia da situação adversa desde outubro do ano passado.

Infelizmente, parece que só os grandes têm investimentos de verdade. No feminino, Sollys e Unilever destoam dos demais. Sesi e Campinas também têm um bom orçamento. No masculino, o RJX parece ser, disparado, o mais rico. De novo o Sesi aparece com uma boa grana, mas outros times já acabaram. O Vôlei Futuro, que fez um investimento com estrelas há algumas temporadas, manteve só a equipe masculina nesta temporada e sem muitos recursos. Deve sair do cenário. O Funvic/Midia Fone, de Pindamonhanbaga, segundo fontes, já saiu. O mesmo deve acontecer com o Super Imperatriz, que seguiu em Florianópolis depois de a Cimed deixar de investir no vôlei, mas nem se compara ao que era na época do patrocinador. Será que todo final de temporada vai ser isso?

Pelo barulho que ouvi no ginásio ontem e pelo vôlei, torço para que o São Bernardo siga com um time competitivo. A equipe faz parte da cidade, revela talentos (como Wallace, hoje no Sada/Cruzeiro, ou Renan e Isaac, destaques na base e que buscam lugar na seleção) e tem a sua tradição. Na verdade, torço para que o vôlei tenha mais investimento e espaço para todos.

p.s.: Assim que tiver um tempinho, volto com vídeos e entrevistas depois da partida! Estou preparando um especialzinho! Até

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013 Superliga | 23:09

RJX vence, Sada/Cruzeiro vence e Superliga segue acirrada

Compartilhe: Twitter

A noite de quinta-feira foi de rodada da Superliga masculina, a terceira do returno. E se o RJX, líder, vence e segue na primeira colocação com 31 pontos, o Sada/Cruzeiro também faz a sua parte e continua colado na segunda colocação na classificação geral, com 30 pontos.

Os cariocas receberam o São Bernardo e abriram a rodada com um 3 sets a 0 no Maracanãzinho. Os primeiros sets, com 25 a 17 e 25 a 22, tiveram resultados um pouco mais tranquilos. No terceiro, equilíbrio e um ótimo momento de Joel. O veterano estava virando tudo para o São Bernardo! Mas o RJX tinha Thiago Alves, eleito o melhor em quadra, que recebeu a última bola e liquidou em 27 a 25.

E o RJX se deu muito bem no bloqueio, o que ajudou para a vitória em sets diretos. Foi o dobro de pontos no fundamento (16 a 8). O saque também funcionou e o time saiu com seis aces. Com isso, somou os três pontos e permaneceu na liderança, jogando a responsabilidade para quem entraria em quadra logo depois…

Filipe - Vipcomm

Filipe ataca para o Sada/Cruzeiro. Ele foi eleito o melhor em quadra

O Sada/Cruzeiro recebeu o Volta Redonda e tinha que vencer para seguir ali, pertinho do RJX na classificação. E foi isso que os mineiros fizeram, mas não foi fácil. O Sada saiu na frente, mas o Volta Redonda passou a defender mais e tirou uma diferença de quatro pontos no primeiro set para marcar 29 a 27. Depois, começou na frente na parcial seguinte e foi a vez dos mineiros conseguirem a virada. Quando assumiu a liderança, não saiu mais e empatou a partida com 25 a 20 no segundo set. De novo, o Volta Redonda cresceu e o Sada só empatou na terceira parcial em 21 a 21 e fechou em 26 a 24. Depois, um passeio. Com saques de Wallace e Leal, os donos da casa foram abrindo, abrindo e acabaram com o set em simples 25 a 16.

O jogo foi de poucos bloqueios, mas de belos ataques e ótimas defesas. Daniel, líbero do Volta Redonda pegou cada pedreira! E até Leal, cubano conhecido pela potência no ataque e no saque, ajudou no fundo de quadra. No final, valeu quem soube manter a calma, se segurar e aproveitar a oportunidade de deslanchar no placar com um serviço bem executado.

Teve mais rodada nesta quinta-feira. O Canoas bateu o Medley/Campinas fora de casa em outro 3 sets a 1. O resultado não é tão surpreendente assim, afinal, apesar da boa equipe campineira, o time de Canoas já bateu o RJX nesta Superliga e deve seguir dando trabalho.

Os outros resultados também foram 3 sets a 1. O Sesi virou para cima do UFJF. Não acompanhei esse jogo, mas levei um susto ao saber que a equipe de São Paulo, que estava melhorando no torneio, havia perdido o primeiro set. Mas eles se recuperaram e venceram. Quem também teve ter levado um susto foi o Vivo/Minas. Em casa, o time passou sufoco para bater o Funvic/Midia Fone. Para fechar, o Vôlei Futuro encerrou a rodada com vitória sobre o Super Imperatriz.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sábado, 8 de dezembro de 2012 Superliga | 13:40

Primeira derrota e primeiro set perdido na Superliga

Compartilhe: Twitter

Na noite de quinta-feira, o RJX perdeu o primeiro set na competição masculina. E na noite de sexta-feira, o Banana Boat/Praia Clube conheceu a primeira derrota no torneio nacional. Nada para alarmar um time ou outro por enquanto…

A equipe carioca vinha de sequência que pode ser considerada tranquila na Superliga masculina. Tinha encarado UFJF, Funvic/Midia Fone e Volta Redonda. Agora, começou uma série de jogos que devem ser mais equilibrados e sentiu isso logo no primeiro deles, contra o São Bernardo. A equipe do ABC, como disse Dante no lançamento da Superliga, é chata e não desiste. E foi assim que eles roubaram o primeiro set do RJX. Pena que perderam Renan…

No feminino, o Banana Boat/Praia Clube era o único invicto da competição. A situação era um pouco parecida com o RJX, com um começo um pouco mais fácil, com São Bernardo e Pinheiros. Depois, o primeiro bom resultado, com vitória sobre o Sesi, que se reforço com Fabiana e Tandara nesta temporada, mas ainda não engrenou. Aí veio o São Caetano, que mesmo com um time bastante jovem está tentando dar algum trabalho aos rivais. Agora, o Unilever foi o adversário da noite de sábado e veio a primeira derrota.

No papel, a equipe de Bernardinho era a favorita com estrelas como Logan Tom, Natália, Fofão e companhia. O Praia Clube tem a cubana Herrera, as irmãs Pavão e contou com a estreia de Dani Scott. Mas as conhecidas do lado carioca ainda não estão tão entrosadas quanto as meninas de Minas. Herrera comandou os ataques e marcou 31 pontos. O Praia perdeu, mas equilibrou e vendeu caro.

O jogo foi decidido apenas no tie-break, com grande atuação de Logan Tom, principalmente no saque. É comum vermos, principalmente no set final, um jogador arriscando tudo no primeiro serviço e dando uma segurada depois. Com Tom não tem essa história. Ela forçou o primeiro e fez ace. Forçou mais os outros três, se não me engano, e quebrou o passe mineiro. Com isso, sem contar com os ataques, contribuiu e muito para a vitória do Unilever.

Bom ver jogos equilibrados. Bom ver que as mulheres também podem usar, e bem, um saque forçado!

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 25 de novembro de 2012 Superliga | 18:39

Superliga começa com virada, vitória e derrota aos campeões

Compartilhe: Twitter

A edição 2012/2013 da Superliga começou neste final de semana. Para as mulheres, a vitória do Vôlei Amil para cima do Sollys/Nestle ainda na sexta-feira foi o destaque. No masculino, o atual campeão Sada/Cruzeiro venceu o clássico mineiro contra o Vivo/Minas e o BMG/São Bernardo estreou com uma boa virada para cima do Sesi. Além disso, o torneio nacional começa com algumas baixas. Vamos a um resumo dos primeiros jogos:

Superliga feminina

Divulgação

Vôlei Amil vence Sollys/Nestlé na estreia da Superliga

Solly/Nestlé e Vôlei Amil jogaram quatro vezes no Paulista e o time de Campinas venceu apenas um set. Já na Superliga, mudança total de cenário. A equipe de Osasco ainda não tem Sheilla, que se recupera da fratura no dedo do pé, e Adenízia, que ficará dois meses fora depois de fraturar dedos da mão em um treino no começo da semana. Mas isso não justifica o rendimento muito abaixo do esperado das atuais campeãs.

Elas perderam o primeiro set, venceram o segundo com facilidade e pararam em quadra. O Vôlei Amil, sob o comando de Fernandinha, a melhor em quadra, deu o troco e passeou no terceiro set. Depois, manteve o ritmo e liquidou a partida. Vitória para começar com moral e para o Sollys já acordar logo de cara. Ter ganhado tudo no ano não vai ser garantia de mais um título. Ok, foi apenas o primeiro jogo do torneio, mas foram muitas bolas rifadas e muitos erros e falta de concentração. Méritos para as comandadas por Zé Roberto, que se aproveitaram.

A primeira rodada da Superliga teve também a estreia de Natalia na Unilever. A vitória por 3 a 0 sobre o frágil São Caetano era esperado, mas é bom ver uma atleta jovem e com potencial voltando a atuar de fato depois de tanto tempo parada por causa das cirurgias na canela.

Outros resultados também foram esperados. Banana Boat/Praia Clube é um time que merece atenção depois de ter se reforçado com a cubana Herrera e ainda contar com as gêmeas Monique e Michele. Tanto que bateu o São Bernardo por 3 a 1. Vitórias também para Sesi, de Dani Lins, Fabiana e Sassá, diante do Pinheiros e o Usiminas/Minas para cima do Rio do Sul.

Superliga masculina

Felipe - Divulgação

Felipe vibra na vitória do Sada/Cruzeiro sobre o Vivo/Minas no clássico mineiro

Entre os homens, o campeã estreou com vitória, com 3 a 0 no Vivo/Minas. Wallace, oposto do Sada e da seleção, foi o maior pontuador com 14 acertos. Eles também foram melhores no saque, marcando oito pontos direto contra apenas três da equipe de Belo Horizonte.

Mas acho que o resultado que chamou a atenção foi a vitória de 3 a 2 do BMG/São Bernardo contra o Sesi. A equipe de São Paulo foi apontada, ao lado de Sada e RJX, como uma das favoritas ao título. No entanto, foi para o jogo sem Lorena, cumprindo suspensão de cartão da última Superliga, Éder e Sidão lesionado. Depois de sair na frente, viu o São Bernardo crescer e se manter melhor em quadra, vencendo o jogo. Vale lembrar que, em 2011/2012, a equipe do ABC deu um trabalho e tanto do Sada/Cruzeiro nos playoffs.

E começa também com um bom elenco é o Medley/Campinas, que encerrou a primeira rodada com vitória sobre o Vôlei Futuro. O conjunto ganhou a cara do técnico Pacheco, que trouxe nomes do antigo Cimed, como Rivaldo, Renato e Murilo Radke. Por enquanto, deu certo e Rivaldo foi o destaque em quadra.

Para completar, o outro favorito, RJX, fez seu papel e passou pelo Juiz de Fora. O Canoas, de Gustavo e experientes como Munizzi, também venceu o Super Imperatriz, formado com remanescentes da Cimed. E o Volta Redonda virou diante do Funvic/Midia Fone.

Os jogos seguem na terça-feira para as mulheres e na quinta para o homens. Vale ficar de olho em Vôlei Amil x Unilver. Mais um belo teste para Zé Roberto e companhia e o primeiro jogo duro para o time de Bernardinho. Sem contar com o reencontro dos técnicos após toda polêmica de Atenas 2004…

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011 Superliga | 17:18

Superliga feminina volta aos eixos na segunda rodada

Compartilhe: Twitter
Unilever - Divulgação/Local

Unilever comemora primeira vitória na Superliga 2011/2012

A Superliga feminina 2011/2012 teve a sua segunda rodada na noite de terça-feira e, olhando os resultados, digamos que as coisas “voltaram aos seus eixos”. Quem era favorito, cumpriu o seu papel e venceu. E o jogo que acabou como o mais equilibrado reuniu times de forças parecidas.

Na rodada de abertura a surpresa havia sido a derrota do Unilever para o Sesi por 3 sets a 0. Já era esperado que o Sesi, com Dani Lins, Sassá e Elisângela, chegaria nesta temporada para brigar com os times grandes. Mas o que surpreendeu foi o placar em sets diretos. No jogo que era o clássico da rodada, a expectativa era por mais equilíbrio. Só que o time carioca não rendeu, Fernanda Venturini sofreu com o passe e com o ritmo de jogo e as paulistas dominaram o marcador.

Na noite de terça-feira, vitórias esperadas. O Sollys/Osasco, com a estreia da norte-americana Hooker e Jaqueline, venceu o Mackenzie. Sesi passou pelo Macaé e o Unilever se recuperou e bateu o São Caetano. Todos os jogos foram 3 sets a 0. O único 3 a 2 foi do São Bernardo para cima do Pinheiros em um jogo fraco, com times que ainda estão se arrumando e ainda parecem longe das favoritas ao título.

Hooker - Divulgação/CBV

Hooker estreou na vitória do Sollys/Osasco na segunda rodada da Superliga

Mas o tropeço do Unilever logo na primeira rodada e o bom começo do Sesi podem ser bons sinais. Finalmente teremos um ano que não será dominado por Osasco e Rio de Janeiro? Além do time da capital, o Vôlei Futuro, por exemplo, tem duas vitórias na competição e vem com um potente elenco nesse ano, com os reforços de Fernanda Garay e Carol Gattaz.

Calma, ainda é muito cedo para prever alguma coisa. Hooker fez apenas o seu primeiro jogo no Brasil e ficou poucos pontos em quadra. A cubana Nancy Carrillo ainda não jogou pelo São Bernardo. Stacy Sykora ainda se recupera do acidente de abril e é reserva no Vôlei Futuro. Esses são apenas três jogadoras que podem fazer a diferença em quadra.  Pode ser cedo para fazer qualquer afirmação, mas os elenco das equipes e esses primeiros jogos são pequenos indícios de que a final em 2012 pode ser diferente…

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 10 de abril de 2009 Superliga | 13:33

O lema agora é vencer de virada!

Compartilhe: Twitter

Rexona abriu caminho, e agora só vale vencer de virada nas semifinais da Superliga 2008/2009. Assim como o time carioca, Minas e São Bernardo triunfaram e levaram a decisão de quem será o finalista deste ano para o terceiro jogo da série. Emoção e equilíbrio dignos do vôlei brasileiro.

Na noite de quarta-feira, Minas recebeu o embalado Sada Cruzeiro em mais um clássico mineiro e, assim como Rexona contra o Brusque, precisava vencer para seguir na competição. E também como o time carioca, saiu perdendo os dois primeiros sets e virou no tie-break.

A partida em Belo Horizonte foi emocionante do começo ao fim. Só no segundo set alguém conseguiu abrir, e foi o Sada, em cima dos erros das Minas. Ao longo dos cinco sets, os jogadores ficaram tensos, brigaram com a arbitragem, mas nunca deixaram de vibrar a cada ponto ou mostraram cansaço. Espetáculo digno de ser visto, com vitória das Minas por 20 a 18 na última parcial. Resultado foi 3 sets a 2 para o Minas, com parciais de 25/27, 19/25, 25/23, 33/31 e 20/18.

Serginho,Já na quinta-feira, foi a vez do São Bernardo seguir os mesmos passos nesta semifinal. Contra o favorito Cimed, que havia vencido a primeira partida por 3 a 0, a equipe de Serginho jogou com o apoio da torcida, virou e venceu por 3 a 1. E essa partida teve dois fundamentos marcantes: bloqueio e defesa.

Cimed venceu a primeira parcial, quando bloqueou melhor. São Bernardo levou o segundo e o terceiro sets, quando Serginho deu um show na defesa e o bloqueio também cresceu. No quarto set, os catarinenses voltaram para o jogo adivinha com o quê? Bloqueio de Lucão! Foi o set mais equilibrado, mas os paulistas venceram e viraram no 25 a 25 com o quê? Bloqueio! O jogo, mais um grande espetáculo com vibração e raça dos dois lados, mostrou que vôlei não é feito só de ataques e saques. Vence quem se defende melhor! Jogo terminou 3 a 1 para o São Bernardo, com parciais de 23/25, 25/21, 25/19, 27/25. Parabéns Serginho, que além de líbero, bancou de levantador e colocou bolas redondinhas. Parabéns aos bloqueadores, paulistas e catarinenses.

Para saber se essa de vencer de virada e levar decisão para o ultimo jogo da série vai mesmo ser uma regra, só falta do duelo entre Finasa e São Caetano, marcado para a manhã de domingo. Time de Osasco pode ter de volta Paula Pequeno, sem dores no joelho. Já do lado do ABC, Sheilla está inspirada como a maior pontuadora da Superliga. Finasa venceu a primeira partida. Depois dos outros jogos equilibradíssimos, não arrisco mais nenhum palpite! Deixo isso para você, leitor… Fique a vontade!

Semifinais da Superliga

Rexona x Brusque: terceiro jogo, sábado, às 21h45
Finasa x São Caetano: segundo jogo, domingo, às 9h45
Cimed x são Bernardo: terceiro jogo, domingo, às 21h30
Minas x Sada Cruzeiro: terceiro jogo, segunda-feira, às 18h
Finasa x São Caetano: terceiro jogo (se houver necessidade), terça-feira, às 21h

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 6 de abril de 2009 Superliga | 12:14

Brusque e Sada Cruzeiro, as surpresas das semifinais

Compartilhe: Twitter

A primeira rodada das semifinais da Superliga 2008/2009 foi 50% como o esperado e os outros 50% para contrariar qualquer favoritismo. Brusque e Sada Cruzeiro foram as surpresas ao vencerem Rexona e Minas. Já Finasa e Cimed tiveram suas dificuldades, mas colocaram um pé na final da competição.

Na abertura da fase, Rexona foi até Santa Catarina para o jogo que era visto com o mais previsível dos confrontos. O time de Bernardinho fez uma excelente campanha em todo o torneio e deveria passar pelo Brusque. Deveria… Na quadra, as cariocas estavam irreconhecíveis e deixaram as donas da casa saírem na frente e fechar os dois primeiros sets. Depois, arrasaram na terceira parcial, fizeram 25 a 10 e voltaram para a partida. Mas, no final, perderam a cabeça, o que não acontece com Rexona, e levaram uma lavada no tie-break. Resultado foi 3 a 2 para o Brusque, e méritos para Elisângela, que faz uma de suas melhores Superligas.

Entre os homens, era esperada a vitória do Minas, de André Nascimento, André Heller, Henrique, Ezinho e companhia, no clássico contra o Sada Cruzeiro. Mais uma surpresa. Os favoritos se desestabilizaram depois de terem o primeiro set na mão e perderam por 3 a 0. E mais uma vez esse descontrole emocional acontece com uma equipe marcada pela garra e vibração. Assim como o Rexona, o Minas sempre foi centrado e muito motivado em quadra. Daqueles que vibra a cada ponto, desde o começo do set. Porém, não soube lidar com os erros e perdeu o primeiro jogo da semifinal.

Já Finasa e Cimed entraram como favoritos e honraram o posto. O time de Osasco perdeu mais uma vez Paula Pequeno, que voltou a sentir dores no joelho, mas teve Lia de novo em boa forma no lugar da atacante. Finasa venceu de virada, por 3 sets a 1. Do outro lado, Sheilla resumiu a situação do São Caetano. “Jogamos mal”, disse a oposto. Pronto, simples assim. No masculino, Cimed também bateu o São Bernardo depois de começar atrás no primeiro set e crescer ao longo da partida. Simples assim, favorito se impõe e vence.

Apesar das surpresas na primeira rodada das semifinais, ainda mantenho os palpites e acredito na classificação de Rexona, Finasa,  Cimed e Minas. Seria bom mudar um pouco os finalistas, mas esses ainda são os melhores times do Brasil, mesmo com os tropeços neste final de semana.

As semifinais continuam a partir de terça-feira, com o duelo Rexona x Brusque, no Rio de Janeiro. E para você, quem vai para a final da Superliga? Deixe o seu comentário.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 2 de abril de 2009 Superliga | 10:17

Vão começar as semifinais da Superliga

Compartilhe: Twitter

Chega de ficar apenas nos treinos! Chegou a hora das equipes voltarem para a quadra para as semifinais da Superliga, que começam na noite desta sexta-feira com o duelo  Brusque x Rexona. Será que os resultados serão previsíveis como os das quartas-de-final? Mais uma vez, é hora de dar os nossos palpites.

Acácio, do São Bernardo - Divulgação/CBVNa primeira etapa dos playoffs, venceu quem era favorito. Uns tiveram mais facilidade que os outros, o que é normal. Até o Cimed, atual campeão, sofreu para fechar a sua série contra o Fátima. Sada Cruzeiro mostrou que é time grande e eliminou o embalado Vôlei Futuro. São Bernardo e Unisul fizeram o esperado duelo equilibrado no último jogo e o time do ABC paulista levou a melhor. Entre as mulheres, Rexona, Finasa e São Caetano não tiveram problemas. Já o Brusque teve que suar a camisa para passar pelo Pinheiros, em mais um confronto no qual já era previsto o equilíbrio.

Agora, nas semifinais, os favoritos continuam os mesmos, mas os jogos prometem ser mais acirrados. Como na fase anterior, avança quem fechar a série melhor de três. E aí vão os palpites do Mundo do Vôlei:

Superliga Feminina

Natália ataca contra o Banespa - Divulgação/CBVBrusque x Rexona: apesar das boas atuações nas quartas das catarinenses, o Rexona continua como o favorito para o confronto e até para faturar mais uma vez o título nacional. (sexta, 20h30)

Finasa x São Caetano: equipe do ABC finalmente jogou o que todos esperavam e pode complicar a vida do Finasa. Porém, a equipe de Paula Pequeno, Thaíssa, Sassá e companhia segue como favorita. É o time com o melhor elenco da temporada e só precisa de concentração para chegar à final, mas a missão não é a mais simples. (sábado, 19h)

Superliga Masculina

Cimed x São Bernardo: promete muito equilíbrio. Cimed é o melhor time da temporada, mas o São Bernardo ganhou moral com a vitória sobre o Unisul nas quartas, têm histórico na competição e chances de vencer. (sábado, 10h)

Minas x Sada Cruzeiro: é o único clássico estadual das semifinais. Com promessa de ginásio lotado, Minas tem mais chances de seguir para a final, pois conta com uma equipe mais experiente e segura que o Sada. Se der uma zebra, vai ser bom para o Cruzeiro, que ganha um incentivo a mais para manter o time para próxima temporada, como lembrou o leitor Luiz Carlos (domingo, 12h)

E para você, quem vai para a final? As semifinais serão tão rápidas quanto as quartas ou vamos ter mais decisões na última partida? Deixe seus comentários e a gente vê como ficou tudo na segunda-feira!

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

domingo, 29 de março de 2009 Superliga | 14:16

Agora sim, o equilíbrio que a gente queria!

Compartilhe: Twitter

A definição dos semifinalistas foi rápida, sem muitas surpresas e com um clássico que todos esperavam.  Durante a semana, Rexona, Finasa, Brusque e São Caetano fecharam a série melhor de três logo na segunda partida, sem dificuldades. Já entre os homens, tranquilidade mesmo para Cimed e Minas. Sada também se classificou, mas teve um pouco de trabalho com o Vôlei Futuro. Agora, São Bernardo e Unisul honram as quartas-de-final e fizeram um duelo a altura de uma decisão.

As duas equipes foram as únicas que precisaram de três partidas para saber quem iria para a semifinal  da Superliga. No primeiro confronto, vitória fácil do São Bernardo com bobeadas irreconhecíveis  da Unisul. Na segunda partida, polêmica com o afastamento de Marcelinho e Roca, mas vitória para a Unisul. E no confronto deste final de semana teve equilíbrio, ralis lindos, defesas ainda mais espetaculares e o dono da vaga na próxima fase.

Giovane já cansou de dizer que cortou Marcelinho por uma opção tática. A realidade é que o levantador já esteve em melhor fase e vinha deixando a desejar nesta Superliga. Faltou voz ativa e mais comando em quadra. E, no final, o Unisul cresceu sem o levantador e jogou de igual para igual contra o São Bernardo.  Às vezes é bom ousar e tirar um selecionável de quadra para colocar quem está com sede de jogo no banco de reservas. Nenhum jogador é eterno.

Os dois times entraram para o tudo ou nada e mostraram isso em quadra. Cada ponto era uma vibração maior que a outra. Cada ataque era uma chance da defesa se esticar o máximo que pudesse para tentar colocar a bola no chão. E a defesa do time do sul fez o que pode e deu show. O saque também foi forçado o tempo todo.

Ou seja, o jogo teve todos os elementos de uma decisão. São Bernardo só garantiu o lugar na semi no tie-break. Agora sim tivemos a partida que todos nós esperávamos! Que continue assim na próxima fase!

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última