Publicidade

Posts com a Tag quartas-de-final

segunda-feira, 10 de março de 2014 Superliga | 14:19

Jogo de bloqueio, vitória de favoritos e uma quase surpresa nos playoffs da Superliga

Compartilhe: Twitter

Os playoffs da Superliga masculina já estão aí. E na primeira rodada, teve jogo marcado por bloqueio, vitória de quem era favorito e uma quase surpresa. Ainda teve uma curiosidade. A torcida parece ter ajudado e todos os donos da casa venceram. E vocês, o que acharam dos jogos? Vamos a um resumo das partidas e aos comentários.

Bloqueio do Brasil Kirin x ataque do Kappesberg Canoas

Gustavão - Facebook

Gustavão comandou bloqueio do Brasil Kirin

Esperava que esse fosse o duelo mais equilibrado dessas quartas de final da Superliga masculina. De fato foi um jogo parelho, com 3 a 2 no placar para a equipe de Campinas. Em quadra, Dennis, maior pontuador da competição, foi quem mais colocou bola no chão, com 19 acertos. Mas apesar do desempenho do cubano do Canoas, o que fez a diferença foi o bloqueio do Brasil Kirin.

No total foram 17 pontos no fundamento contra 9 dos donos da casa, com destaque para Gustavão, que marcou sete vezes e foi o melhor em quadra. Num jogo bem disputado como foi, o bloqueio esteve presente em diversos momentos chaves. No primeiro set, foram quatro bloqueios seguidos do Campinas, que perdeu a parcial, mas já mostrou a sua cara. No segundo set, eles abriram justamente com bloqueios e empataram o jogo. E para fechar, um bloqueio quando estava 14 a 12, outro para deixar 14 a 14 e mais um para marcar 17 a 15. Acho que não precisa falar mais nada.

Vitórias que eram esperadas

Sada Cruzeiro - CBV

Sada Cruzeiro foi líder na classificatória e saiu na frente nas quartas de final

Na sequência das quartas de final da Superliga, em dois jogos já eram esperados 3 sets a 0 no placar. Foram as vitórias do Vivo/Minas sobre o RJ Vôlei e do Sada Cruzeiro diante do Moda/Maringá. O time de William, Wallace e companhia é um dos favoritos ao título e não teve muito trabalho diante do paranaenses. Soube abrir no final das parciais para fechar e no segundo set, o que teve o placar mais dilatado, contou com erros do rival. Com todo respeito ao Moda Maringá, mas a aposta é no Sada Cruzeiro na semifinal.

A outra partida tem um significado a mais para o RJ Vôlei, que chegou aos playoffs aos trancos e barrancos depois da saída da OGX como já comentamos por aqui ou em matérias no iG. O time carioca conseguiu completar o elenco, que contava com apenas nove jogadores, e contratar três atletas que estavam na Superliga B. O jogo teve momentos de equilíbrio, mas prevaleceu o Vivo/Minas, bem mais estruturado ao longo de todo o torneio. Nem o bloqueio, fundamento comandado por Ualas e que vem sendo destaque no campeonato, ajudou os cariocas. Melhor para os mineiros, com os 15 pontos de Filip.

A quase zebra da rodada

Murilo - CBV

Sesi sofreu para bater o São Bernardo no tie-break

O jogo era entre segundo e sétimo colados. Olhando assim, quem leva a melhor? Sim, o Sesi venceu o São Bernardo, mas não foi nada fácil e o resultado só saiu no tie-break. O Sesi, segundo o líbero Serginho, jogou abaixo do que sabe. Como em outras partidas que já vi nesta Superliga, o time se atrapalhou no saque em alguns momentos. Foi assim de novo diante do São Bernardo. Entretanto, no finalzinho, lances de Lucarelli e um ponto de saque de Sidão fizeram a diferença, deixaram o Sesi em vantagem e ajudaram para a vitória.

As quartas de final seguem nesta semana. As séries são decididas em melhor de três e a gente acompanha para ver quem chega às semifinais. Até mais!

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de março de 2013 Superliga | 11:05

Definição de um lado e disputa aberta do outro nas semifinais

Compartilhe: Twitter

Mais uma noite de jogos nas quartas de final da Superliga masculina. Em uma série, Vivo/Minas venceu o Medley/Campinas e garantiu a vaga na semifinal. Na outra, Sesi bateu o Canoas e empatou os playoffs. Por coincidência, uma semi definida e terá RJX x Vivo/Minas. Na outra, tudo ainda está aberto.

Enquanto o RJX fechou sem problemas as quartas diante do São Bernardo, como comentamos por aqui, o Vivo/Minas teve mais trabalho nos jogo, mas também liquidou em duas partidas. Na noite de quinta-feira, o placar foi de 3 sets a 1, com destaques para Marcelinho, melhor em quadra, e Filip, maior pontuador.

>>Leia mais sobre a vitória do Vivo/Minas sobre o Medley/Campinas

E acho interessante uma certa mistura que acontece no Vivo/Minas. A equipe tem veteranos, como Marcelinho, que vem muito bem na Superliga, e Henrique, ao lado de jovens como Lucarelli, outro que cresceu neste torneio e deve ter chances no futuro na seleção brasileira.

Na outra série, equilíbrio total. O primeiro jogo foi 3 a 2 para o Canoas. Agora, 3 a 2 para o Sesi. E aqui, o interessante é ver times com perfis diferentes fazendo confrontos assim. A equipe de São Paulo tem um investimento alto, com renomados como Murilo, Serginho, Éder, Lorena e companhia. Já o Canoas é um grupo de veteranos, com investimento mais modesto, mas que foi bem montado. Como Joel, oposto do São Bernardo, comentou comigo uma vez, não precisa ensinar ninguém ali a jogar. E em quadra, acho que está tudo aberto para a última partida. Quem vencer, encara o melhor de Sada/Cruzeiro x Volta Redonda na semifinal.

E parece que mais uma vez a arbitragem roubou a cena? Depois do jogo em Canoas muito se comentou dos erros. Infelizmente, não é nem de longe a primeira vez que isso acontece na Superliga…

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 14 de março de 2013 Superliga | 10:15

Volta Redonda surpreende… Já o Sada sofre de novo nas 4ªs

Compartilhe: Twitter

Mais uma noite de jogo pelas quartas de final da Superliga masculina, e o Volta Redonda se aproveitou do fator casa para vencer o Sada/Cruzeiro e empatar a série em 1 a 1. A vaga na semifinal será decidida na terceira partida, em Minas, no sábado, às 16h (horário de Brasília).

>>Leia mais sobre a vitória do Volta Redonda sobre o Sada Cruzeiro

O duelo desta quarta-feira foi decidido apenas no tie-break e mostrou equilíbrio em quadra mesmo colocando frente a frente o segundo contra o sétimo colocado na classificação da primeira fase. O Volta Redonda, apesar de no final ter marcado menos aces que o Sada (cinco a oito), soube usar bem o seu saque e diversos momentos da partida. Do lado mineiro, o bloqueio fez a diferença para faturar o quarto set e levar o jogo ao tie-break. Mas o time fluminense levou a melhor.

E esse é a sina do Sada/Cruzeiro na Superliga. “O nosso volume de jogo ficou um pouco abaixo do que a gente vinha fazendo e eles jogaram muito bem. Mas, sinceramente, acho que é assim mesmo, pois não me lembro de nenhuma quartas de final em que tenhamos resolvido em dois jogos, é uma fase difícil”, disse Acácio. É só lembrar do ano passado, quando a equipe sofreu para avançar a semi depois de uma série contra o São Bernardo.

Na temporada 2011/2012, o Sada Cruzeiro se deu bem e levou o título. E agora, avança de dono? Ou o Volta Redonda ganhou moral para surpreender? Repostas no próximo sábado.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 13 de março de 2013 Superliga | 10:24

Apagão, vitória do RJX e ameça do fim do São Bernardo

Compartilhe: Twitter

A noite de terça-feira foi decisão do primeiro semifinalista da Superliga masculina e muito mais. O RJX venceu o São Bernardo por 3 sets a 0 com facilidade e avançou no torneio. Mas o jogo teve apagão no começo do segundo set, paralisação de quase meia-hora e o anúncio de que a equipe do ABC pode fechar as portas para a próxima temporada.

O jogo foi o esperado. O RJX mostrou força no saque e boa marcação no bloqueio e o São Bernardo só conseguia equilibrar os começos das parciais. Aí teve o apagão. O ginásio, a pedido da TV, estava funcionando com gerador. Quem é daqui de São Paulo ou região sabe das chuvas torrenciais de final de tarde e, por precaução, preferiram usar o gerador e não a luz da rua. Porém, o gerador não aguentou a luz caiu. Só se viam celulares acesos nas arquibancadas (veja as fotos na galeria). Tentaram ainda mais uma vez com o gerador, que aguentou apenas poucos segundos. Então, decidiram usar a luz da rua mesmo, já que o tempo estava aberto e tal. Os jogadores não saíram de quadra e aproveitaram para descansar com a bola como travesseiro e tiveram que aquecer tudo de novo. 23 minutos, o jogo recomeçou e o time carioca continuou na frente.

No meio da partida, veio a notícia ruim da noite, de que o São Bernardo está em busca de patrocinadores e corre sério risco de não seguir para a próxima temporada. Ou de seguir, mas com um time mais modesto. Triste saber disso vendo um ginásio bastante cheio mesmo em uma partida em uma terça-feira, às 18h30. Triste para o vôlei porque, nem acabou a Superliga, e voltamos ao problema de todos os anos, de times fechando, de falta de apoio e tudo mais.

O São Bernardo não repetiu o desempenho do ano passado, isso é um fato. Eles, mais uma vez, chegaram aos playoffs, mas no ano passado deram muito trabalho ao Sada/Cruzeiro e tiveram um desempenho bem mais regular no geral. Entretanto, isso não justifica o risco de o time acabar. E como atuar sabendo dessa “faca no pescoço”? Segundo o oposto Renan, o elenco já sabia da situação adversa desde outubro do ano passado.

Infelizmente, parece que só os grandes têm investimentos de verdade. No feminino, Sollys e Unilever destoam dos demais. Sesi e Campinas também têm um bom orçamento. No masculino, o RJX parece ser, disparado, o mais rico. De novo o Sesi aparece com uma boa grana, mas outros times já acabaram. O Vôlei Futuro, que fez um investimento com estrelas há algumas temporadas, manteve só a equipe masculina nesta temporada e sem muitos recursos. Deve sair do cenário. O Funvic/Midia Fone, de Pindamonhanbaga, segundo fontes, já saiu. O mesmo deve acontecer com o Super Imperatriz, que seguiu em Florianópolis depois de a Cimed deixar de investir no vôlei, mas nem se compara ao que era na época do patrocinador. Será que todo final de temporada vai ser isso?

Pelo barulho que ouvi no ginásio ontem e pelo vôlei, torço para que o São Bernardo siga com um time competitivo. A equipe faz parte da cidade, revela talentos (como Wallace, hoje no Sada/Cruzeiro, ou Renan e Isaac, destaques na base e que buscam lugar na seleção) e tem a sua tradição. Na verdade, torço para que o vôlei tenha mais investimento e espaço para todos.

p.s.: Assim que tiver um tempinho, volto com vídeos e entrevistas depois da partida! Estou preparando um especialzinho! Até

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 5 de março de 2013 Superliga | 22:07

Semis definidas… E passou quem disse que chegaria lá

Compartilhe: Twitter

Acabou agora há pouco o último jogo das quartas de final da Superliga feminina. O Vôlei Amil venceu o Pinheiros por 3 a 1 de virada e assegurou a vaga na próxima fase. Agora, encara o Sollys/Nestlé na semifinal, que passou sem muitos problemas pelo Usiminas/Minas com duas vitórias. Na noite de segunda-feira, o Sesi já havia se classificado ao bater o Praia Clube fora de casa. O time de São Paulo será o rival da Unilever, outra que teve vida simples e despachou o Rio do Sul nos playoffs. E curiosamente estão nas semifinais quem me falou que chegaria até essa etapa.

Divulgação

Daymi Ramirez vibra coma torcida do Vôlei Amil. Ela foi destaque da vitória sobre o Pinheiros

Ainda na festa de lançamento da Superliga, conversei com jogadoras desses quatro times. Unilever e Sollys/Nestlé mais uma vez já começaram o torneio como os favoritos a mais uma final e nem precisamos ficar justificando isso. Pelo elenco, Sesi e Vôlei Amil eram os meus outros candidatos.

O Sesi conta com campeãs olímpicas como Tandara, Dani Lins, Fabiana e companhia. Já o Vôlei Amil tinha uma proposta interessante de misturar juventude de ponteiras como Pri Daroit ou Vasileva, que na época era pouco conhecida por aqui, com experiência da também campeã olímpica Walewksa e da cubana Daymi Ramirez. Tanto Sesi quanto Vôlei Amil disseram que o objetivo da temporada era, pelo menos ficar entre os quatro. Pois bem, elas chegaram lá.

O Sesi me surpreendeu. O primeiro turno do time não foi lá dos melhores, mas a equipe se recuperou no returno, como já comentamos por aqui em outros momentos. E se o Sesi melhorou, o Praia Clube teve um começo fulminante, mas perdeu um pouco a potência com a lesão e a ausência da cubana Herrera. Ainda assim fez uma excelente Superliga. Já do lado paulista, Tandara cresceu e muito nos últimos jogos. Ela foi destaque na partida da segunda-feira.

Mas o que chamou a atenção foi a concentração. Tinha visto jogos em que o Sesi estava bem, mas perdia a cabeça, errava principalmente na recepção e se complicava. Dessa vez, elas se mantiveram atentas o tempo todo, principalmente no terceiro set, quando foram buscar o placar. A recepção funcionou e com passe, as atacantes apareceram e decidiram. O time chega forte para a semifinal.

>>Leia mais sobre a vitória do Sesi sobre o Praia Clube

No jogo desta noite, o Vôlei Amil mais uma vez teve trabalho diante do Pinheiros, um time que eu não imaginava que fosse melhorar tanto ao longo da Superliga. Assisti a um jogo entre as paulistas e as campineiras aqui em São Paulo no primeiro turno  e foi uma vitória simples para o lado comandado por José Roberto Guimarães. Agora, o Pinheiros tem um volume e tanto no bloqueio e jogadoras jovens, mas que vibram e acreditam demais em cada bola e sabem encarar os considerados mais fortes. Só que o Vôlei Amil, depois de perder o primeiro set, cresceu no embalo de Ramirez, maior pontuadora e melhor em quadra, e ficou com a vaga na semifinal.

>>Leia mais sobre a vitória do Vôlei Amil sobre o Pinheiros

E agora, mais uma vez Unilever e Sollys/Nestlé confirmam o status de favoritos e chegam de novo à decisão? Ou Sesi e Vôlei Amil podem parar o time do Rio e o de Osasco? Vamos descobrir a partir desta sexta-feira. O primeiro jogo da nova rodada de playoffs será Sesi x Unilever aqui em São Paulo, às 21h (horário de Brasília).

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 Superliga | 22:24

Vôlei Amil passa pelo paredão do Pinheiros e vence nas quartas

Compartilhe: Twitter

Em meados do segundo set, os números da partida indicavam 12 a 2 em pontos de bloqueio para o Pinheiros no confronto contra o Vôlei Amil nesta noite, o último da primeira rodada das quartas de final. E esse foi o fundamento que mais me chamou a atenção no duelo desta quarta-feira. O Pinheiros tem um time menos estrelado e menos experiente que o Vôlei Amil, mas mostrou volume, sacou bem, bloqueou melhor ainda e os 3 sets a 1 no placar podem não demostrar o quão equilibrado foram as parciais.

Doro Jr

Pri Daroit foi destaque na vitória do Vôlei Amil sobre o Pinheiros em casa

Veja como foi a partida set a set

O bloqueio do Pinheiros fechou o jogo com 26 pontos. O Vôlei Amil até melhorou e conseguiu 12 tentos, mas sofreu, e muito, com o paredão rival, comandado por Ellen. Poucas conseguiam colocar a bola no chão. Ramires foi parada, Walewska foi parada na china, Vasileva foi parada. Quem estava recebendo bola e virando era a ponteira Pri Daroit, que não a toa foi a maior pontuadora, com 23 acertos e eleita a melhor em quadra.

O Vôlei Amil venceu porque soube crescer nos finais dos sets, quando o jogo ficava mais equilibrado. O exemplo foi a quarta parcial. Depois de ter vantagem de três pontos, deixou o Pinheiros com seu saque e bloqueio empatar em 24 a 24. Aí apareceu a búlgara Vasileva. Ela recebeu uma bola alta na entrada de rede e encaixou no espaço entre os braços do bloqueio, colocando no chão. Depois, recebeu e marcou de novo. O time ganhou ânimo e fechou a parcial e a partida, vencendo de virada com parciais de 23/25, 25/23, 25/21 e 28/26.

Seguindo a lógica, pela classificação da primeira fase, o Vôlei amil fez jus por ser o favorito e ter terminado em terceiro na classificação geral e venceu o Pinheiros, que acabou em sexto. Na prática, a equipe da capital paulista mostrou mais uma vez que pode surpreender. Basta levar toda a efetividade do sistema defensivo para o ataque. Essa é mais uma série que promete equilíbrio.

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 Superliga | 21:11

Sesi leva a melhor e sai na frente nas quartas da Superliga

Compartilhe: Twitter

Os playoffs da Superliga feminina começaram na noite desta segunda-feira e o O Sesi venceu o Banana Boat/Praia Clube. Agora há pouco, jogando em casa, o time paulista fez 3 sets a 1 nas rivais mineiras (25/23, 25/15, 15/25 e 25/21). E se as paulistas contaram com Tandara e Elisângela em uma boa noite, o Praia tinha Monique e Dayse, mas não soube aproveitar as oportunidades.

A partida foi equilibrada e já era esperado que esse fosse o confronto mais igual nas quartas de final. O Praia começou bem, pressionando demais no bloqueio, mas aos poucos o Sesi se achou e fechou justamente com um ponto de bloqueio. Depois, o melhor set do Sesi e os problemas no Praia. O time mineiro perdeu a virada de bola. Em um set inteiro fez apenas cinco pontos no ataque. Isso é muito pouco! Com isso, o Sesi abriu 2 a 1.

Aí o Praia mostrou que ainda estava no jogo. Monique e Dayse comandaram o saque. A primeira acertou logo de cara e viu a equipe abrir 6 a 1. Depois, a companheira fez estragos na recepção do Sesi. Tandara e Sassá não se acharam e o Praia abriu de novo, com 20 a 12 no placar e fechou a parcial. Depois de um set assim é esperado que se cresça e parta para cima de vez, não? Não. De novo o Praia se perdeu na virada de bola e o Sesi se distanciou com 7 a 2 no placar. As visitantes ainda voltaram a pressionar quando Dayse e Michele se acharam na rede, mas o jogo era do Sesi. Tandara marcou no finalzinho, o time abriu 24 a 19 e fechou em outro ataque de Tandara.

Pois é, Herrera, que teve uma séria lesão no joelho e está fora da temporada, faz falta. Se o Praia tivesse mantido a virada de bola, teria complicado e muito, porque bom saque a equipe tem. Monique conseguiu fazer o papel de jogadora de segurança em alguns momentos, mas faltou sequência. Já no Sesi, Tandara foi a maior pontuadora, mas dividiu a responsabilidade com Elisângela em alguns lances. Bia também foi bem como central. Ou seja, o time conseguiu se virar melhor e o placar mostra isso.

Agora é esperar pela sexta-feira, pela segunda partida da série lá em Uberlândia. Acho que tudo ainda segue aberto. Com um pouco mais de paciência e carinho com a bola, o Praia acerta a virada. E se seguir com o saque potente como fez no terceiro set, tem grandes chances. Já o Sesi só evoluiu desde o returno e já saiu na frente. A disputa é boa.

Autor: Tags: , , , , , , ,

domingo, 25 de março de 2012 Sem categoria, Superliga | 12:06

Superliga tem surpresas, semi definida e um 25 a 7

Compartilhe: Twitter

Este final de semana é mais um daqueles de agenda cheia e de decisão. Se na sexta São Bernardo e Vivo/Minas empataram as suas séries de quartas de final, o sábado foi de definição de uma das semis, com RJX enfrentando o Vôlei Futuro. Já no feminino, Sollys/Osasco teve um começo arrasador e saiu na frente do Usiminas/Minas na sua semifinal. Vamos ao resumo da Superliga e alguns pitacos.

Séries empatadas
Um pode ter sido uma surpresa, mas no outro, o equilíbrio era mais do que esperado. Primeiro o BMG/São Bernardo esqueceu o primeiro jogo da série, no qual foi batido facilmente pelo Sada/Cruzeiro, jogou de igual para igual e venceu os mineiros por 3 a 1. Os paulistas realmente acreditaram na vitória, apesar da superioridade do Sada, que havia vencido todos os jogos contra eles nesta Superliga. Tanto que saíram perdendo de 5 a 0 em um dos sets e buscaram o placar. Além disso, fizeram direitinho a combinação saque e bloqueio. Acertaram no serviço com sete aces e bola fora da mão de William. E completaram com 14 bloqueios.

Já Vivo/Minas e Cimed/Sky tiveram mais um tie-break. E tenho que concordar com os leitores daqui do blog. Eu mesma já disse isso em outros posts: já chegou a hora de Bruninho parar com essa de insistir com o jogador se ele erra a primeira bola! Rivaldo era o maior pontuador em quadra e, então, ele deveria receber bola no tie-break. Mas ele foi bloqueado e, em seguida, recebeu mais uma bola e levou outro bloqueio. Era a hora de tentar uma jogada diferente. Com isso, o Vivo/Minas venceu e forçou o quarto jogo. Mas Bruno ainda é um bom levantador e Cimed e Minas têm ótimos elencos. Esta série é de longe a mais equilibrada…

Altura nem sempre resolve
Medley/Campinas tem um oposto de 2,08m (Bob), um central de 2,15m (Gustavão) e até um levantador de 2,06m (Fidele, reserva de Rodriguinho).  Já o Vôlei Futuro tem Camejo, de 2,06m, mas o outro ponteiro tem 19,4m (Dentinho), o oposto é de 1,98m (Lorena) e um central de 1,96m (Vini). Quem bloquearia melhor? Os mais altos? Não, não… No segundo set o Vôlei Futuro já tinha oito a zero em bloqueios para cima do Campinas.

E o saque também ajudou. O time de Araçatuba força muito no serviço e quebrou a recepção do Medley/Campinas a ponto de Lukianetz dizer a seguinte frase após o jogo: “Com esse saque forçado e sem errar, o Vôlei Futuro vai longe e vai ser campeão dessa Superliga”. Será? Vamos ver a semifinal diante do RJX. Pelo que mostrou na temporada, pelo elenco redondo e ótima dupla Ricardinho e Lorena e também pela potência no saque acho que o Vôlei Futuro pode chegar à final…

Adeus ao campeão
O RJX está mais perto do que era o objetivo no começo da temporada, quando o time foi lançado. Eles queriam chegar à final. Já estão na semi depois de terem eliminado o Sesi, atual campeão. O time paulista vinha sofrendo nas últimas rodadas sem seus opostos, que estavam machucados. Wallace até jogou, mas voltou a sentir dores no joelho. Depois de altos e baixos dos dois lados, melhor para o RJX, que venceu no tie-break. É uma equipe que oscilou na fase de classificação, mas que aos poucos deixa de ser só um grande nome no papel e também aprende a jogar junta em quadra. 

Alerta depois de começo arrasador
O jogo feminino deste final de semana foi Sollys/Nestlé x Usiminas/Minas na primeira partida da série semifinal. O  time de Osasco e marcou simplesmente 25 a 7 no primeiro set. Depois, o jogo ficou equilibrado e ganhou mais cara de semifinal. E, depois de vencer dois sets, o Sollys mais uma vez baixou a guarda, como fez no segundo jogo das quartas contra o BMG/São Bernardo. Só que o Minas tinha Herrera, que tinha começado a virar bolas, Claudinha bem na distribuição e um saque que deu trabalho (mais uma vez o saque, personagem desses jogos!). Se contra o São Bernardo deu tempo de recuperar e fechar em 3 a 0, aqui foi necessário se contentar com um 3 a 1. Ainda acho que o Sollys/Nestlé é mais equilibrado e tem um conjunto melhor. Mas é melhor ligar o alerta para Herrera, que pode decidir.

Na terça-feira tem mais, com Unilever x Vôlei Futuro na abertura da outra série de semifinais… Os homens voltam a jogar na sexta e no sábado.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 19 de março de 2012 Superliga | 23:07

Unilever avança, e Superliga tem três semifinalistas de 2011

Compartilhe: Twitter

Depois de Sollys/Nestlé e Vôlei Futuro, o Unilever mostrou mais uma vez ser favorito e fechou a sua série diante do Mackenzie/Cia do Terno com vitória por 3 sets a 0. Com isso, três semifinalistas que estavam em quadra na temporada passada voltam a disputar as vagas na final na edição 2011/2012. O Pinheiros foi o time que também avançou no ano passado, mas foi muito mal neste ano depois de um desmanche e nem chegou aos playoffs. Usiminas/Minas e Sesi decidem na terça-feira a última vaga na semifinal.

Bloqueio-Unilever/Divulgação

Mais uma vez, Unilever foi bem no bloqueio, principalmente no terceiro set

No jogo desta noite, o Unilever começou melhor e venceu o primeiro set com facilidade. A central Valeskinha jogou solta e, como Fernanda estava com o passe na mão, foi bastante acionada. O bloqueio mineiro nem viu seus ataques.

Já na segunda parcial, o Mackenzie/Cia do Terno jogou mais e equilibrou. Depois do susto com a ponteira Thaís, que bateu o rosto na proteção da cadeira do árbitro e tem suspeita de fratura na mandíbula (após atendimento, ela voltou para quadra e assegurou estar tudo bem, sem nenhuma lesão na cervical ou coisa assim), Gabi entrou em quadra e lembrou a atacante do primeiro confronto, não se intimidando com as selecionáveis do outro lado. Porém, na parte final do set, deu para ver quem era o favorito em quadra. O Mackenzie passou a errar mais, falhar na virada de bola e no contra-ataque e, dando pontos de graça, viu o Unilever fechar.

Leia também: Na Superliga masculina, RJX bate Sesi fora de casa

Os erros da segunda parcial devem ter abalado as mineiras, que também saíram atrás no terceiro set. Já o Unilever manteve o seu jogo, acertando ataques e também crescendo no bloqueio. O saque do time carioca também funcionou o tempo todo. E no final, outra central brilhou. Juciely foi bem na rede, no ataque e no bloqueio e ajudou a equipe a acabar com o jogo e garantir a vaga na final.

Mais Superliga masculina: Vôlei Futuro sai na frente do Medley/Campinas nas quartas

Agora, o Unilever encara o Vôlei Futuro. Uma tarefa mais complicada do que foi no ano passado, quando teve que passar pelo Pinheiros, que nem contava com sua levantadora Fabíola, com lesão na mão. Na outra semifinal, Sollys/Nestlé contra Usiminas/Minas ou Sesi. Já nesse caso, pelo que mostrou no returno e nesses playoffs, o time de Osasco, se encaixar seu jogo, por exemplo com Thaísa pelo meio que sofreu em algumas partidas, e não perder a concentração, é favorito.  E agora, mais um Rio x Osasco ou o Vôlei Futuro pode atrapalhar nesta temporada?

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 17 de março de 2012 Superliga | 15:59

Mais um semifinalista e a volta de um favorito na Superliga

Compartilhe: Twitter

O sábado colocou mais um time na semifinal da Superliga feminina 2011/2012 e viu a volta de um favorito. Com mais um tie-break, o Vôlei Futuro venceu o Banana Boat/Praia Clube, fechou a sua série em 2 a 0 e avançou na competição. O time de Araçatuba encara Unilever ou Mackenzie/Cia do Terno, mas eu falo desta série daqui a pouco.

Jogando fora de casa, o Vôlei Futuro começou com a formação que eu mais gosto, com Ana Cristina no levantamento e Stacy Sykora como líbero. Porém, dessa vez a combinação não deu certo e o Praia Clube venceu os dois primeiros sets. A partir do terceiro set, com Vere no fundo e Ana Tiemi armando o time, o Vôlei Futuro reagiu e chegou a vencer o quarto set com facilidade. Depois, fechou a partida no tie-break, assim como no primeiro jogo da série. Vaga na semifinal garantida.

Unilever - Divulgação/CBV

Bloqueio da Unilever também funcinou diante do Mackenzie e marcou 13 pontos

Na outra série, o Unilever voltou a ser o que foi em quase toda a Superliga, assumiu o favoritismo e venceu o Mackenzie/Cia do Terno em pouco mais de uma hora. No primeiro jogo, o time mineiro entrou agressivo, pesou no saque e no ataque e surpreendeu com a vitória no tie-break. Neste sábado, a equipe não teve nem de perto a agressividade, deu 26 pontos de graça e perdeu por 3 setsa 0.

Leia mais sobre o jogo: Unilever vence Mackenzie e empata quartas de final

O Unilever começou na frente e só relaxou no terceiro set. E se na sexta-feira o Sollys/Nestlé teve um jogo parecido, como comentamos por aqui, e também perdeu o foco na terceira parcial, o time carioca logo se recuperou, buscou o marcador e liquidou o jogo em sets diretos. Depois de três derrotas seguidas, uma vitória com superioridade.

E o que salvou o terceiro set foram duas lindas defesas e três pontos decisivos de Mari. Pois é, a ponteira, que já foi tanto criticada durante o torneio por errar passes, não se intimidou. Apesar de ter sofrido com o tempo de bola de Venturini, acertou quando o time precisava no fundo e fez a sua parte. E um fato em comum. Aqui, como no outro jogo do dia, a inversão de 5-1 deu certo. Com Roberta e Ju Nogueira em quadra que o conjunto do Rio de Janeiro buscou seis pontos e virou o último set.

O jogo mostrou que se não entrar forte, não tem chance. Desta vez, o saque do Mackenzie não quebrou o passe carioca e Gabi não foi tão decisiva. Apesar de terem acordado no terceiro set, terem colocado pressão no bloqueio, não dá para vencer com 26 erros em três sets.

Deu Unilever, que é um time mais experiente, que soube reverter e empatar a série. Se continuar assim, as cariocas avançam às semifinais e encaram o Vôlei Futuro. No final, aqueles que eram os favoritos caminham para as semifinais.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última