Publicidade

Posts com a Tag Montes Claros

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 Superliga | 10:05

Uma surpresa atrás da outra na Superliga

Compartilhe: Twitter
Divulgação

Montes Claros surpreende Sesi e vence time paulista por 3 a 2

Desde o final de semana a Superliga, tanto a feminina quanto a masculina, teve resultados que podem ser considerados inesperados. No sábado passado o Sesi derrubou o último invicto, o Sada Cruzeiro. Na noite de quarta-feira, o mesmo time perdeu em casa por 3 sets a 2 para o Montes Claros. E os 3 a 0 entre as mulheres também foram surpreendentes nas últimas partidas.

O Sesi me parece um time que ainda não encontrou nesta Superliga. Marcos Pacheco conta com nomes importantes em quadra como Lucão, Lucarelli, Maurício, Serginho, Marcelinho, mas ainda tem altos e baixos na competição. Parecia que a situação iria mudar. “O time não tinha se ajustado e as peças não estavam encaixando”, comentou o treinador depois da vitória sobre o Sada em casa.

A partida poderia embalar o time paulista, mas aí outros mineiros estavam no caminho. O Montes Claros, que agora (infelizmente, porque nunca é bom ver um time ter que se reformular e cortar gente boa do elenco para se manter vivo e competindo) é muito diferente daquela equipe que chegou à final da Superliga com Lorena, Rodriguinho e companhia, venceu o Sesi.  O time de estrelas parou mais uma vez e soma cinco derrotas em doze jogos.

Leia mais: Montes Claros surpreende e derrota o Sesi em jogo com set de 66 pontos

Sesi venceu o Molico e assumiu a liderança na Superliga feminina

Sesi venceu o Molico e assumiu a liderança na Superliga feminina

Também na noite de quarta-feira, outro estrelado levou 3 sets a 2. O Taubaté, de Sidão, Dante, Lorena e mais, foi parado pelo Minas, de virada. E a equipe de Belo Horizonte apostou na juventude nesta Superliga e tem se dado bem, se mantendo na parte de cima da tabela.

Na Superliga feminina, os placares foram de 3 a 0. Fora de casa, o Rexona-Ades parou o Praia Clube e, também no ginásio dos rivais, o Sesi passou pelo Molico/Nestlé. Eram jogos entre os grandes da competição e por isso os resultados elásticos podem entrar nesse pacote de surpresas. E a pior ficou com o Praia. As meninas de Uberlândia já lideraram a tabela, mas amargam uma série de derrotas. Caíram diante do Pinheiros, quando perderam a invencibilidade, do Molico, do Sesi e do Rexona.

O bom é que a Superliga ainda reserva bons duelos. Faltou colocar os eternos rivais Rexona e Molico frente a frente. E que venham mais bons jogos para gente fechar o ano!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 Campeonato Italiano, Superliga | 18:48

Por que Leandro Vissotto se dá tão bem no vôlei italiano?

Compartilhe: Twitter
Leandro Vissotto - Divulgação

Leandro Vissotto é um dos jogadores de segurança do Cuneo

O oposto Leandro Vissotto chegou à seleção brasileira depois de títulos e várias partidas como destaque nos anos que ficou no Trentino. Na temporada passada, defendeu o Vôlei Futuro com altos e baixos e também caiu no time de Bernardinho em 2011. Na janela de mercado, voltou para a Itália e é mais uma vez o destaque, só que agora no Cuneo. Na quarta-feira, ajudou o time na classificação antecipada na Liga dos Campeões, por exemplo. Porque Leandro Vissotto vai tão bem no vôlei italiano e nem sempre tem o mesmo rendimento por aqui?

A explicação vem em um bate-papo exclusivo com o oposto de 2,12m. “A diferença entre o Campeonato Italiano e a Superliga é basicamente a bola e, com isso, muda todo o sistema de jogo. A penalty (usada no Brasil) é uma bola muito leve e de difícil controle , por isso, os sacadores a não forçam tanto. Assim, acaba ficando mais fácil passar, o que ajuda o levantador a distribuir bolas com velocidade e pelo centro. Na Itália é exatamente o contrário”, fala Vissotto.

“Aqui o saque é muito forçado porque a bola é mais pesada e mais fácil de ser controlada. Como serviço forçado e sem o passe na não, o levantador tem que se apoiar nos atacantes de bola alta. É por isso que sou muito efetivo e um jogador de decisão no Italiano”, completa o oposto. Os resultados comprovam a boa fase do brasileiro na Itália. Ele foi eleito o melhor jogador de dezembro no campeonato nacional.

Ter 2,12m e estar acostumados e esse tipo de jogo ajuda, e muito, Vissotto na Itália e nos torneios pelo Cuneo. Mas o que falta para se dar bem também por aqui e na seleção, como fez na reta final dos torneios de 2010? Quem sabe se antecipar um pouco ao ataque para chegar às bolas mais aceleradas?

A bola pode deixar o voleibol italiano mais “quadrado” e um pouco mais lento, mas os gigantes que atacam nas pontas também pode se dar bem no Brasil. Renan, de 2,17m e destaque do BMG/São Bernardo tem ido bem e foi o principal atacante do time na vitória sobre o RJX na noite de quarta-feira. Vissotto também te jogo para isso, basta se readaptar ao vôlei nacional para se dar bem também na seleção…

Mudança na tabela da Superliga
E falando no vôlei por aqui, a Superliga masculina tem um novo líder. O Sesi venceu o Montes Claros e, com o tropeço do Vôlei Futuro diante do Vivo/Minas, assumiu a ponta da tabela (leia mais sobre a partida). Agora sim os times não ganhando a sua cara e podemos ter ideia do que acontecerá na competição. O RJX ter perdido não é alarmante, por exemplo, porque jogou sem Dante e Lipe. Mas agora os times já estão entrosados e mais bem treinados. A tendência é que o torneio fique ainda melhor.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sexta-feira, 20 de maio de 2011 Diversos | 18:19

Vissotto na Itália, mudanças em Araçatuba e em Montes Claros

Compartilhe: Twitter

Mais uma sexta-feira e mais uma semana agitada para o mercado do vôlei. Nesta manhã, Leandro Vissotto cumpriu a sua promessa. Ele disse na quinta, no Twitter, que teria uma novidade nesta sexta. Voltou ao microblog e disse que havia assinado com o Cuneo, da Itália (leia mais sobre a transferência de Vissotto). Bom negócio?

Leandro Vissotto

Vissotto voltou ao Brasil no ano passado e jogou no Vôlei Futuro, mas não chegou a acordo para renovar

Vissotto conhece nem o vôlei italiano depois de ter jogado quatro temporadas lá antes da passagem pelo Vôlei Futuro (que acabou depois que ele e o time não chegaram a um acordo para a renovação). E o Cuneo fez uma boa campanha no último nacional, terminando em segundo lugar. Não é o super time do Trentino que ele jogava, mas é uma equipe que briga para vencer.

E é melhor ele se esforçar na temporada porque a concorrência pela vaga de oposto na seleção aumentou depois da ótima Superliga de Wallace no Sesi. Na Itália, ao menos, estará em um torneio de um nível excelente, apesar de um pouco diferente do Brasil. Lá os atletas apostam mais na força. Mas para um cara de 2,12m é até mais fácil jogar dessa maneira.

Ainda essa semana, o Vôlei Futuro feminino anunciou a contratação de Paulo Coco, que deixa o Pinheiros (saiba mais sobre a ida de Paulo Coco para Araçatuba). Apesar de não ter entendido algumas escolhas de Coco na Superliga, como a troca de líberos, eu acho que ele é técnico muito mais firme que o William.

Aqui na capital, o Pinheiros dá sinais de que será difícil seguir na próxima temporada. A assessoria do time afirmou que o clube tentava negociar com patrocinadores, mas o Mackenzie já tirou o seu apoio(veja como acabou a parceria Pinheiros e Mackenzie). E como sempre falo por aqui, é muito ruim ver qualquer equipe se fechando, perdendo patrocínio. O Pinheiros vinha de temporada com resultados que podem ser considerados bons, mas sem jogadoras como Fabíola, Ivna, Ju Costa, Karine perdeu a sua base e a identidade. O Sollys/Osasco foi ao maior beneficiado, pelo menos dentro de quadra.

Bruno Zanuto

Bruno Zanuto deixa o Montes Claros e é um grande reforço para o Medley/Campinas

No masculino, quem estava ameaçado e respirou foi o Montes Claros. A equipe comMas também fica a dúvida de quem restará no elenco para a temporada. O técnico Talmo já fechou com o novo time feminino do Sesi. E agora Bruno Zanuto, uma das melhores contratações de 2010/2011, assinou com o Medley/Campinas.

Com isso, a equipe de Campinas já está com um belo elenco. Vamos relembrar… Já contrataram o oposto Bob, o levantador Fidele, o meia Everaldo e renovou com nomes como André Heller, Gustavão e Lukianetz. Agora também em Zanuto e Aranha, ponteiro que estava no Pinheiros. Em suma, o time conta com atacantes de raça (Bob e Zanuto) e de força (Lukiantez). Os centrais equilibram altura (Gustavão) e experiência (Heller). Resta saber como Fidele, que ainda é um levantador novo, vai comandar todo mundo. Acho que o time começa a temporada com chances melhores do que no ano passado.

Para fechar, o RJX segue contratando. Os titulares já estão praticamente definidos e são eles: Marlon (levantador), Théo (oposto), Riad (central), que acabou se der campeão italiano com o Trentino, Dante (ponta), Felipe (ponta) e Lucão (central) e Allan (líbero). Agora também anunciaram Guilherme, levantador que estava no Londrina e Renan, ponta que era do Minas. Como já disse Gustavo, é um time que nasceu forte. Só espero que siga os caminhos do Pinheiros, que também nasceu grande, mas não se encontrou muito bem em quadra.

E vocês? Gostaram das novas mudanças do mercado? Deixem seus comentários!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 18 de maio de 2011 Superliga | 17:57

Sollys/Osasco terá duas estrangeiras na temporada

Compartilhe: Twitter

O Sollys/Osasco terá gente nova na temporada 2011/2012. De acordo com o Terceiro Set, programa parceiro aqui do blog e que participo toda semana, o time ainda tem duas vagas e negocia com quatro estrangeiras: as norte-americanas Logan Tom, Metcalf e Hooker e a cubana naturalizada italiana Aguero. Bons nomes, não?

Nos últimos encontros entre Brasil e Estados Unidos, Hooker, que faz parte da nova geração da seleção americana, deu bastante trabalho à defesa nacional. Já Aguero foi um dos grande nomes da equipe italiana nos últimos anos e faz falta ao time quando ficou fora. Quem vier para o Sollys/Osasco ajudará, sem dúvida!

O Terceiro Set ainda fala da volta de Fernada Venturini e das expectativas de Gustavo e Giba no Cimed/Sky na próxima temporada. Para ouvir, clique aqui.

No mercado masculino, a boa notícia na semana é para os torcedores do Montes Claros. O time segue por mais uma temporada e já renovou com o ponteiro Denílson. Isso é bom para o vôlei em geral. Mesmo que não consiga uma equipe tão forte como nas últimas temporadas, o Montes Claros, nesses dois anos, conquistou a torcida de uma maneira surpreendente e seria muito ruim ver a equipe acabar. Que eles cheguem competitivos a temporada 2011/2012!

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 4 de maio de 2011 Superliga | 20:32

Dia de definição para "Fabis" no mercado do vôlei

Compartilhe: Twitter
Fabíola troca o Pinheiros pelo Sollys/Osasco

Fabíola troca o Pinheiros pelo Sollys/Osasco

Agora que acabaram os jogos da Superliga, o foco se volta para o mercado da bola. E a mais nova atleta a trocar de uniforme é Fabíola, levantadora da seleção brasileira. A jogadora deixou o Pinheiros/Mackenzie, passou o dia fazendo exames no Sollys/Osasco e assina o contrato nesta sexta-feira.

Fabíola foi procurada pela equipe vice-campeã da Superliga logo depois da decisão do torneio nacional.

Foi uma bela aquisição da equipe de Luizomar de Moura. Carol Albuquerque teve momentos bons e ruins nesta Superliga e não se acertou com suas ponteiras no jogo final. Ana Tiemi também pouco apareceu. Fabíola chega para ser a titular e deve fazer bem à equipe.

Resta saber quem fica no Sollys/Osasco. Especula-se que Jaqueline poderia assinar com uma nova equipe feminina do Sesi, assim como Dani Lins, do Unilever. Essa seria uma grande baixa. Mesmo não tendo a sua melhor atuação na decisão do último sábado, a ponteira dava estabilidade ao passe de Osasco. Vamos esperar os próximos capítulos dessas negociações…

Por enquanto, o que já sabemos é que a líbero Fabi segue no Rio de Janeiro. “A Fabi é a alma de nossa história, uma representante de destaque em todo o projeto do time”, resumiu Bernardinho. Também uma bela opção da equipe carioca (leia mais).

Aproveitando o assunto “Fabis”, no começo do mês a central Fabiana postou uma mensagem em seu Twitter em tom de despedida do Vôlei Futuro. “Obrigada a todos vocês que torceram por mim e pelo @vfuturo! Obrigada a Araçatuba que me recebeu de braços abertos. Tanto a diretoria, quanto a cidade. Terrinha boa, me senti em casa. Quanto ao futuro…..DEUS é quem sabe!”, escreveu. Será mais uma no Sesi?

No masculino, boas e más notícias para colocar o assunto mercado em dia (quem mandou ficar gripada, né?!?). O BMG ainda não confirmou o patrocínio ao Montes Claros e o time pode deixar o vôlei nacional. Ver uma equipe fechar é ruim, mas se essa equipe está na sua segunda temporada e jogando bem, é pior ainda! O Montes Claros perdeu toda a sua base para a temporada e, ainda assim, viu o entrosamento de Rodriguinho e Bruno Zanuto, por exemplo, e chegou até as quartas. A torcida já começou uma campanha para que o time siga na próxima temporada (veja o blog dos torcedores).

Já o Sada/Cruzeiro renovou com a base vice-campeã nacional e com o técnico Marcelo Mendez. Promessa de mais um conjunto forte para 2011/2012 (leia mais). E isso também é assunto da edição desta quarta do Terceiro Set, programa semanal em parceira com o site do Milton Neves. Quem quiser ouvir, clique no link.

P.s.: ainda estou me recuperando de uma forte gripe, por isso, estou um pouco ausente do blog… Mas tentarei acompanhar as novidades do mercado e escrevo por aqui quando tiver novas negociações concretizadas. E como perguntaram da Fofão no Minas, ainda não é nada certo. Ela disse no Twitter que está muito feliz no Fernabahce e que avisa qualquer novidade na sua página no microblog.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 25 de março de 2011 Superliga | 00:16

Clássico com cara de clássico

Compartilhe: Twitter
Vibração de Chupita na vitória suada do Minas

Vibração de Chupita na vitória suada do Minas

Vivo/Minas e BMG/Montes Claros fizeram o segundo jogo da noite e, dessa vez, o clássico mineiro teve cara de clássico. No primeiro jogo, o Minas venceu sendo arrasador no bloqueio e o Montes Claros foi mal e não foi aquele time vibrante que todos conhecem, mesmo jogando sem seu caldeirão. Nesta noite os bloqueios continuaram, mas todo mundo parecia bem mais empenhado. A responsabilidade da vitória, seja para fechar logo a série ou para tentar sobrevier, fez bem!

O jogo teve momentos bons do Montes Claros, momentos bons do Minas, recuperadas de bola, um bloqueio sensacional de Henrique em uma bola de cheque de Bruno Zanuto… Foi bom!

Mas o Minas poderia ter vencido com mais facilidade. Eles abriram diversas vezes no placar e não souberam sustentar a vantagem. E quando conseguiu, como na vitória do terceiro set, entrou apático na parcial seguinte. Já o Montes Claros foi grande, mostrou que também consegue bloquear, mas se perdeu ali no finalzinho (leia mais detalhes sobre a partida). Foi duro ver as lágrimas de Zanuto, o cara sempre vibrante e que puxa o time, com a derrota. Eles fizeram um bom jogo, mas perderam a série das quartas de final em casa, na terça-feira.

Agora, o duelo será Sesi x Vivo/Minas na semifinal. Confronto do time novato, que está na sua segunda temporada, com a tradição do tetracampeão nacional que tenta apagar a campanha bem abaixo do esperado da última temporada. Mais bons jogos nos esperam…

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 14 de março de 2011 Superliga | 11:31

Esta é a hora de crescer na Superliga – parte 1

Compartilhe: Twitter

As equipes têm, nesta semana, suas últimas chances de buscar uma vaga na fase final da Superliga ou de melhorar a sua classificação na tabela. Por isso, o Mundo do Vôlei começa essa maratona de jogos com um balanço sobre quem está crescendo e quem está “a perigo” nas últimas rodadas do returno. Na primeira parte, a Superliga masculina.

Do 1º ao 5º colocado
A rodada do final de semana pouco mudou a parte de cima da tabela, mas mostrou que os mineiros estão mais do que embalados. E o destaque vai para o Vivo/Minas. Sob o comando dos pontas Ezinho e Diogo e contando com o saque inspirado de André Nascimento, eles venceram a Cimed em casa e já somam oito triunfos consecutivos. O time segue firme na quinta colocação.

Rafinha, do Vivo/Minas, vibra diante da Cimed

Rafinha, do Vivo/Minas, vibra diante da Cimed

E esse era um dos objetivos do Minas nessa etapa. O levantador Marlon me disse, no meio do returno, que o time estava crescendo no momento certo, mas que precisava vencer os rivais diretos e quem estava acima na tabela. Agora, conseguiram a meta.

Já a Cimed soma mais uma derrota sem o levantador Bruninho, ainda em recuperação da torção no tornozelo esquerdo. Ele espera voltar nesta semana, diante do Montes Claros. Mas, mesmo com os tropeços, o time é o líder provisório (tem um jogo a mais que o Sesi) e só depende se seus resultados para acabar o returno em segundo lugar. O problema é que isso pode significar cruzar com o Vôlei Futuro nos playoffs. Calma, a gente já fala sobre o time da Araçatuba…

Os outros mineiros também venceram. O BMG/Montes Claros, na partida que foi recorde de público desta Superliga, bateu o Pinheiros/Sky por 3 sets a2. E quem está bem é o oposto Leandrão. No jogo contra o Sesi, na semana passada, ele foi bem no saque, mas vacilou no ataque. Agora, melhorou na rede e é mais um a crescer no momento certo da competição. O Montes Claros mantém o seu estilo para ser um dos fortes candidatos ao título: forçando no serviço para quebrar o passe rival e colocando os contra-ataques no chão. Para fechar, Sada/Cruzeiro bateu o Soya/Blumenau em um resultado já esperado. O Moc é o quarto colocado, colado no Sada.

Camejo, do Vôlei Futuro, foi maior pontuador contra o Santo André

Camejo, do Vôlei Futuro, foi maior pontuador contra o Santo André

Quem fica entre os oito?
Do outro lado dos possíveis classificados aos playoffs, Vôlei Futuro e Medley/Campinas vivem seus grandes momentos, enquanto o Londrina/Sercomtel começa a se complicar…

A equipe de Araçatuba parecia pressionada no começo do jogo, mas deslanchou e fez 3 a 0 no frágil Santo André. Apesar de sétimo colocado, o time de Ricardinho e companhia vem bem nas últimas rodadas. Depois da lavada para o Sesi, passou por Pinheiros e Londrina e, agora, para se manter bem, encara o BMG/São Bernardo, de quem perdeu em um jogo dramático no primeiro turno. Com mais uma vitória, consolidam a posição de time das estrelas. É bom a Cimed tomar cuidado e contar com Bruno 100% nos playoffs.

Já os times de Campinas e Londrina estão em caminhos opostos. Usando bem o banco, os campineiros venceram os paranaenses e roubaram deles a oitava colocação. E ainda tem um caminho mais simples pela frente para sustentar a posição, enfrentando São Caetano e Santo André nesta semana. Já o Londrina, o bicho-papão dos grandes, parou depois da vitória sobre a Cimed e vem caindo na tabela. E ainda enfrenta Sesi e Pinheiros nos últimos jogos. Ou eles seguem como o estraga-prazeres dos grandes ou darão adeus à Superliga.

E agora? Quem vai aproveitar e crescer nos últimos jogos para chegar forte aos playoffs? Comente! E depois eu volto com a segunda parte, sobre a Superliga femimina. Até!

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de março de 2011 Superliga | 23:38

Rodada mais do que cheia na Superliga

Compartilhe: Twitter

A rodada da quinta-feira na Superliga masculina bem que poderia ser a semifinal do torneio. Em quadra, o primeiro colocado enfrentou o quarto. Depois, o segundo enfrentou o terceiro. No final, melhor para em estava atrás da tabela.

Montes Claros, que já venceu o Vôlei Futuro em casa, conta de novo com a torcida

Montes Claros, que já venceu o Vôlei Futuro em casa, contou de novo com a torcida

1º x 4º
No primeiro jogo, o líder Sesi tropeçou e perdeu para o BMG/Montes Claros fora de casa por 3 sets 1. Alguns aspectos chamaram a atenção. Primeiro, o saque. A proposta dos dois times parecia ser forçar. E eles erraram muito seguindo essa linha. Entretanto, o Sesi melhorou ao usar um serviço balanceado, mas, sem motivo aparente, voltou a forçar e a desperdiçar bolas. Já o Montes Claros, de tanto tentar acabou acertando. O oposto Leandrão fez cinco aces e ponteiro Bruno Zanuto fechou a conta com mais um. Isso sem falar nos saques que quebraram a recepção dos paulistas, principalmente no quarto set. Giovane, técnico do Sesi, bem que tentou parar Leandrão. Ele sempre pedia tempo e o oposto errava o serviço na volta para quadra. Mesmo assim, os donos da casa levaram a vantagem no fundamento.

Depois temos o bloqueio. Só no terceiro set, o Sesi fez 6 pontos na rede enquanto o Montes Claros não marcou nenhum. E só graças a esses bloqueios que o time não perdeu por 3 sets a 0. Isso leva a outro destaque do jogo: os erros. Como o Sesi errou no ataque! Estava complicado alguém bater bem na ponta. O oposto Wallace entrou mesmo no jogo no terceiro set, mas já era tarde. E os bloqueios salvaram um set, mas não toda a partida.

Para fechar, vale ressaltar o caldeirão lotado de Montes Claros, que empurrou a equipe no quarto e decisivo set. Em quadra, os mineiros defenderam mais e acertaram a mão nos contra-ataques, fechando o jogo com superioridade. “O fator casa tem nos ajudado bastante nesta Superliga”, resumiu Leandrão após o jogo.

Sada/Cruzeiro também venceu em casa

Sada/Cruzeiro também venceu em casa

2º x 3º
E não é o fator casa ajudou mais uma vez (veja mais no post anterior)? No segundo grande jogo da noite, o Sada/Cruzeiro levou a melhor sobre a Cimed e fez um tranquilo 3 sets a 0.

Esse jogo teve um ponto em comum com o anterior: os erros. Mais uma vez, as equipes desperdiçaram muitos saques, principalmente no segundo set. Será que falta um pouco de calma para bater na bola? Ou é a vontade de decidir logo? Não sei, mas tem momentos que fica um pouco cansativo ver tantas falhas assim…

Bruninho, que ainda se recupera de uma torção no tornozelo, fez mais uma vez falta à Cimed, que perdeu o seu poder de virada de bola. Ele dá a tranqüilidade ao ataque e é um líder em quadra e a equipe ainda não soube se virar com o reserva Joel.

Com os resultados, a parte de cima da tabela segue igual. Sesi em primeiro, seguido pela Cimed. Logo depois aparecem Sada/Cruzeiro e BMG/Montes Claros.

Outro lado da tabela
Para quem briga até o oitavo lugar, vitória importante do Vôlei Futuro por 3 sets  1 em um jogo acirrado diante do Londrina/Sercomtel. O Medley/Campinas ainda sonha com a classificação depois de passar pelo Santo André por 3 sets a 0.

Com 16 pontos, Natália foi destaque da vitória do Osasco

Com 16 pontos, Natália foi destaque da vitória do Osasco

Rodada também é das mulheres
Acha que já está bom por uma noite? Pois a quinta-feira ainda teve rodada da Superliga feminina com um resultado esperado e outro que surpreendeu.

Fora de casa, o Sollys/Osasco confirmou o favoritismo e fez 3 a 0 para cima do BMG/Mackenzie. Já o Usiminas/Minas perdeu os dois primeiros sets para o Pinheiros/Mackenzie e não se abalou. Voltou para o jogo com direito a 25 a 15 e fechou no tie-break, completando a virada.

Por enquanto, a gente fica por aqui. Ufa! Mas nesta sexta-feira tem mais. O Unilever recebe o Vôlei Futuro no Maracanãzinho. Pois é, reta final é assim mesmo. Os jogos valem a classificação para os playoffs e todos querem a sua vaga ou a melhor posição na tabela!

E para você? Qual o destaque da rodada? Ou qual resultado foi inesperado? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 Superliga | 15:27

Os mineiros na Superliga

Compartilhe: Twitter

Atendendo a pedidos, o meu texto de segunda-feira, com um resumo de como foram os jogos do final de semana, falará sobre os times de Minas Gerais que estão nesta edição da Superliga. Eles estão bem no torneio e tem gente candidata ao título tanto no masculino como no feminino.

Entre os homens, o melhor colocado do Estado é o Sada/Cruzeiro. A equipe estava em uma fase embalada por oito vitórias consecutivas, mas acabou tropeçando no Medley/Campinas no domingo com uma derrota por 3 sets a 1. A equipe, segundo o técnico Marcelo Mendez, cometeu muitos erros e não rendeu o que costuma no ataque. Do outro lado, os campineiros se acertaram na rede e no saque e venceram.

O Sada agora é o terceiro na tabela. O time foi superado pela Cimed, que bateu o Volta Redonda com facilidade (leia mais sobre o jogo). O Sesi segue na liderança isolada depois de passar pelo MBG/São Bernardo em casa, por 3 sets a 1.  Mas nem por isso o Sada/Cruzeiro perde o seu prestígio. Mesmo sem Zanuto e Sandro, destaques da última temporada, eles seguem entre os melhores.

Montes Claros é uma das forças de Minas na Superliga

Montes Claros é uma das forças de Minas na Superliga

Outros mineiros que se deram bem foram o BMG/Montes Claros e o Vivo/Minas. O primeiro passou com facilidade pelo Londrina, que embalou no final do primeiro turno, mas acho que ainda não se reencontrou, por 3 sets a 0 (leia mais sobre o jogo). Mesmo placar para o conjunto de Belo Horizonte em plena Araçatuba diante do Vôlei Futuro. E no interior de São Paulo só deu Henrique. Ele é um jogador com saque pesado e mostrou isso na partida. Fez quatro pontos de serviço. E ainda mais quatro de bloqueio e sete no ataque. Não foi à toa que foi eleito o melhor em quadra e o maior pontuador do jogo.

Particularmente fico feliz com esses resultados. O Montes Claros foi arrasador na temporada passada e achei que pudesse se perder agora, já que ficou sem grandes nomes. Mas o levantador Rodriguinho, um dos remanescentes, está muito bem. E o Minas tem toda a tradição e fez uma temporada ruim em 2009/2010 e merece se reencontrar para dar ainda mais equilíbrio a esta Superliga.

No feminino, quem vem bem é o Usiminas/Minas. Depois de tirar a invencibilidade do Sollys/Osasco, dar trabalho ao Pinheiros, a equipe venceu o Brusque por 3 sets a 2 e está na terceira colocação na tabela. O time acertou na contratação da ponta Michelle, uma das gêmeas do Unilever até a temporada passada, e ainda tem a força da cubana Herrera.

Outros resultados

O final de semana teve mais alguns jogos que não devem ser esquecidos. O Unilever venceu o Sollys/Osasco por 3 sets a 1, de virada, e segue invicto na Superliga feminina (leia mais sobre o jogo). Até aí, nenhuma grande surpresa, já que podemos esperar qualquer resultado desse clássico. Mas achei bom ver o Unilever variando a suas jogadas e não ter soltado toda a pressão e todas as bolas para Sheilla. Tanto que os destaques do jogo foram Juciely, melhor em quadra, e a levantadora Dani Lins.

Já o Pinheiros/Mackenzie tropeçou de novo e perdeu para o Macaé/Sports por 3 sets a 2. Será que elas ficaram abaladas com a derrota para o Unilever? Até porque naquele jogo, as paulistas poderiam ter ganhado, mas vacilaram nos  momentos decisivos.

Seja do Rio, São Paulo ou Minas, acho que essa Superliga tem gente boa espalhada por todo o Brasil e é isso que deixa o torneio cada vez mais atraente, tanto para atletas quanto para o público.

E para você, a Superliga está sendo o que você esperava? Deixe seu comentário!

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011 Superliga | 14:38

A Superliga tem quantos favoritos?

Compartilhe: Twitter

*atualizado dia 21, às 17h40

O que pode fazer um time se tornar o grande favorito em uma competição? Vamos a algumas opções: a) ter no histórico quatro títulos do torneio, incluindo o de atual campeão; b) ter investido pesado e contratado jogadores talentosos e renomados; c) ter elenco com bons jogadores em quadra e no banco, para alterar quando necessário sem perder o nível; ou d) ter uma equipe bem entrosada mesmo sem todas as estrelas dos rivais.

Pelo que estamos vendo nesta edição da Superliga masculina, todas as opções são válidas, mas nenhuma é garantia de sucesso absoluto. Isso porque, a cada rodada, novo favoritos aparecem na competição. E a semana passada foi um belo resumo disso.

A Cimed, dona dos quatro títulos e atual campeã, foi até Montes Claros e bateu os donos da casa por 3 sets a 1. Os catarinenses estão fortes e reforços como Jardel e João Paulo chegaram bem. Eu achava que o time mineiro poderia ter perdido o status de favoritos, já que viu jogadores importantes, como Lorena, Diogo, Piá, Acácio, saírem no último mercado. Mas a equipe segue com a mesma identidade e, sob comando do levantador Rodriguinho e do ponta Bruno Zanuto, ainda dá bastante trabalho.

Pinheiros, do Giba, venceu o Londrina e acabou com série de sete triunfos dos paranaenses

Pinheiros, do Giba, venceu o Londrina e acabou com série de sete triunfos dos paranaenses

Já para a opção “time de estrelas”, duas equipes estão em caminhos distintos. Na semana, o Vôlei Futuro, de Ricardinho, Leandro Vissotto e companhia, perdeu mais uma e levou sufoco em outra. Eles cairam diante do BMG/São Bernardo, como falamos por aqui, e venceram o lanterninha São Caetano/Tamoyo apenas no tie-break. Vale lembrar que na segunda partida, a equipe jogou sem líbero (Mário Jr e Daniel estavam suspensos), com Dentinho improvisado no fundo. Já o Pinheiros/Sky, agora só com dois olímpicos (Giba e Gustavo) parece estar se encontrando depois do tumultuado final de ano com as dispensas de Rodrigão e Marcelinho. Eles acabaram com a série invicta de sete jogos do Londrina/Sercomtel com direito a 3 sets a 0.

Entrosamento, sem dúvida, é fundamental para ter um time vencedor. O próprio Londrina acho que mostra isso. É uma equipe que teve investimento mediano, mas que se encaixou bem e vem crescendo. Entretanto, ter um elenco homogêneo também é muito importante. O Sesi, por exemplo, vive isso. Apesar de ter perdido a invencibilidade para os paranaenses, segue líder do torneio. E Giovane ainda não conseguiu colocar todos seus titulares em quadra por conta de lesões ou seleção brasileira. Por outro lado, ele conta com 16 atletas e tem peças de reposição. Japa, por exemplo, está jogando solto ao lado de Murilo nas pontas no lugar de Thiago Alves. Isso sem falar em Sandro, que está se destacando, e muito, no levantamento.

Fechado o primeiro turno da Superliga, eu não sei quem é “o” favorito ao título. Além desses times que comentei, tem outros que podem brigar até os playoffs como Sada/Cruzeiro, Vivo/Minas… A gente que está do lado de cá assistindo só agradece, afinal, quanto mais opções aparecerem, mais imprevisível e divertido fica!

E para completar, mas uma edição do Terceiro Set, o boletim semanal sobre vôlei do site do Milton Neves, parceiro do iG. Nesta edição, falamos com alguns representantes de times que se deram bem no começo da Superliga. Para ouvir, clique no link. Espero que gostem!

Superliga feminina

Entre as mulheres, tem gente que já desponta como favorito. São eles: Unilever, Sollys/Osasco e Pinheiros/Mackenzie. O time carioca mudou bastante para a temporada, mas se entrosou bem e ainda conta com Sheilla, que dispensa comentários. Já as equipes de São Paulo pouco mudaram e, por isso, se mantém no alto nível. Os três seguem invictos no torneio.

Enquanto isso, o Vôlei Futuro e suas estrelas, como também já falamos aqui, segue ainda com problemas. Elas levaram dois 3 sets a 0 na semana, de Pinheiros e Osasco. Mais uma vez, só grandes nomes não garantem vitórias…

A Superliga segue essa semana, com seus favoritos e candidatos a favoritos em quadra. Alguém por aí arrisca a apostar em um forte candidato ao título? Ou também apostam no equilíbrio? Quem quiser, deixe seu comentário!

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última