Publicidade

Posts com a Tag Lucão

terça-feira, 28 de abril de 2015 Diversos | 10:35

Lucão no time dos casados

Compartilhe: Twitter

A Superliga acaba, os jogadores começam a curtir os dias de férias e aproveitam para se casar! Foi assim com Sheilla, Camila Brait e agora, com Lucão.  O central vice-campeão nacional pelo Sesi e da seleção brasileira trocou alianças com Beatriz na noite de segunda-feira (27) em São Paulo, na Igreja Nossa Senhora do Brasil.

A cerimônia, como esperado, reuniu diversos nomes do vôlei como Murilo e Jaqueline, Lucarelli, Éder, Gustavão… E a festa contou com muita música sertaneja com as duplas Cesar Menotti e Fabiano, Fernando e Sorocaba, Jorge e Matheus e mais. A #casamentobiaelucao bombou nas redes sociais e rendeu cliques dos bastidores e de momentos da união. Veja na galeria abaixo:

Autor: Tags: , , ,

domingo, 6 de julho de 2014 Seleção masculina | 17:13

Brasil faz placar que precisa e está nas finais da Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Acabou o sufoco da primeira fase. Depois de atuações muito abaixo do esperado, a seleção masculina de vôlei cresceu, fez os 3 a 1 que precisava diante da Itália neste domingo para deixar a Polônia para trás e se classificou para as finais da Liga Mundial. O problema é que agora o time terá pela frente Rússia, Estados Unidos… Pelo menos esse rivais virão no momento que a equipe finalmente apareceu na competição.

Divulgação/FIVB

Lucão ataca para o Brasil diante da Itália na Liga Mundial

No jogo desta tarde, a seleção venceu o primeiro set e sofreu com o saques e ataques de Zaytsev na segunda parcial, mas logo reagiu. Se levou 5 a 1 no começo do segundo set, aplicou 6 a 1 no início do terceiro e ainda conseguiu três bloqueios para cima do astro italiano. Era esse espírito que faltava. A seleção estava apática no começo da Liga Mundial, abalada em quadra. Agora, mesmo se tem um tropeço, logo volta para a partida.

Lucarelli, que foi o maior pontuador do jogo com 17 acertos, resumiu esse sentimento: “Brinco que estávamos com o coração quase parando, mas conseguimos sobreviver e agora vamos ainda muito mais fortes, cheios de vida, para a fase final”.

Leia mais detalhes da partida Brasil 3 x 1 Itália

O momento é de comemoração, entretanto também vale ligar um alerta. É ótimo contar com Murilo de novo jogando confiante e ajudando o fundo de quadra, mas a seleção não pode depender apenas disso. E algumas jogadas já estão ficando marcadas e é bom Bruninho ter cuidado. O meio com Lucão, por exemplo, é fundamental para a equipe, mas está sendo visado pelos rivais. Neste domingo, no quarto set, Lucão levou um caixote em uma dessas jogadas forçadas, com o passe afastado da rede. O bom foi que o Brasil respondeu com bloqueio logo na sequência.

A seleção fez o que era preciso para chegar às finais. O nível melhorou e muito. Mas ainda tem que mostrar mais para subir ao pódio de novo na Liga Mundial. Gente em quadra para isso eu acho que tem. Que venham as finais!

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 13 de abril de 2014 Superliga | 15:10

Sada Cruzeiro fatura Superliga e é o grande nome do vôlei masculino

Compartilhe: Twitter

Na final da Superliga masculina da temporada 2012/2013, o Sada Cruzeiro encarou o RJX e perdeu na casa dos rivais. Depois disso, o time mineiro não soube mais o que era ser derrotado em decisões. Venceu Mineiro, Copa do Brasil, Sul-Americano, Mundial de Clubes e, na manhã deste domingo, conquistou a Superliga 2013/2014. É, sem dúvida, o grande time do vôlei no Brasil.

divulgação

Sada Cruzeiro é campeão da Superliga 2013/2014

A partida desta manhã prometia equilíbrio, como foi a final da Copa do Brasil, por exemplo. E no começo o placar até ficou parelho, mas pelos erros dos dois lados. Wallace foi bem e colocou a bola no chão para assegurar 1 set a 0 ao Sada Cruzeiro. Na parcial seguinte, o time mineiro se manteve melhor e conseguiu abrir pela primeira vez três pontos no duelo. Destaque para Filipe, seguro no passe e decisivo no ataque. Mais um set vencido pelos cruzeirenses, dessa vez com um ace de Éder.

Veio o terceiro set para liquidar a partida. Logo no começo, Leal deu um manchetão para devolver a bola e o Sesi deixou cair num golpe de vista. A bola foi dentro e o placar marcou 4 a 1. E esse foi só um dos muitos erros do time paulista. A equipe comandada por Pacheco chegou a errar cinco saques seguidos. Não dá para ganhar jogo, ainda mais uma final, assim. Quando acertaram o serviço. era tarde demais. Depois do primeiro match point do Sada Cruzeiro, Lucarelli foi para o saque e fez três ótimos serviços. Mas no primeiro contra-ataque, bola no chão com Wallace e vitória e título para a equipe mineira.

Mais sobre o set a set da partida

Mais uma vez, o Sada Cruzeiro prova o quanto vale manter uma base e seguir com projeto. O time campeão deste ano tem quase as mesmas peças do vice do ano passado. E quem não estava por lá, chegou muito bem, como o central Éder, por exemplo. Uma equipe não chega a tantas finais e soma tantos títulos a toa. Eles formam o time do momento com méritos e que sirvam de exemplos para outros elencos da Superliga.

Do outro lado, o Sesi foi quem mais investiu, contratando, por exemplo, Lucão e Lucarelli. Entretanto, a equipe mal jogou hoje. Pareciam nervosos desde o começo e a série de erros no saque são indício disso. Apesar do ótimo elenco, sentiu a pressão e não levou perigo ao Sada Cruzeiro, que arrasou com Filipe e Wallace no ataque, além de William no levantamento e todo o elenco.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 26 de novembro de 2013 Seleção feminina, Seleção masculina | 09:25

Descanso em paz e ouro com alerta na Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

As seleções brasileiras fecham o ano de 2013 com duas medalhas de ouro. Homens e mulheres do país venceram a Copa dos Campeões. No feminino, a sensação, pelo menos para José Roberto Guimarães, era de poder descansar em paz. Já no masculino, o título tira um certo peso das costas depois de tropeços na Liga Mundial e nas Olimpíadas, mas também vem com um sinal de alerta.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Seleção feminina sobe ao pódio para receber o ouro no Japão

Seleção feminina sobe ao pódio para receber o ouro na Copa dos Campeões

Algumas frases de Zé Roberto chamaram a atenção durante a competição das mulheres no Japão. Uma delas foi sobre Walewska. A convocação da veterana depois de cinco anos fora da seleção chamou a atenção de todos. Por que o técnico convocou uma jogadora de 34 anos e não deu chance a uma novata, pensando em renovação? Wal ajudou com a experiência dentro e fora de quadra, assumiu o lugar de outra central importante, Thaísa, e cumpriu o seu papel. As palavras do técnico: “Foi importante ela ter vindo e mostrado para essa juventude o significado de vestir a camisa da seleção”. Parece que ela passou bem a sua lição…

Relembre: Waleska reestreia e seleção feminina vence a Tailândia na Copa dos Campeões

Depois, o treinador ainda disse: “Vamos tentar vencer o 5º torneio do ano para fazer dele o ano dos sonhos”. O título veio e, com ele, um desabafo: “Na minha cabeça significa (ouro) descansar em paz. No Brasil, segundo e último lugares são a mesma coisa”. Sim, 2013 foi mais um ano perfeito para a seleção feminina, que venceu Montreux, Alassio, Grand Prix, Sul-Americano e, agora, a Copa dos Campeões. É muito bom manter o embalo assim logo no começo de um novo ciclo olímpico, com renovação, cansaço das jogadoras e tudo mais. E sim, dá para descansar, pelo menos um pouco. O teste mesmo dessa seleção será no ano que vem, com o Mundial. Mas pelo que vem mostrando, tem chance de conquistar o título que falta.

Veja também: Brasil vence o Japão e é bicampeão da Copa dos Campeões

Seleção masculina comemora com o tradicional peixinho o ouro no Japão

Seleção masculina comemora com o tradicional peixinho o ouro na Copa dos Campeões

No masculino, o ouro na Copa dos Campeões foi mais sofrido e, de novo, o time de Bernardinho encontrou a Rússia pelo meio do caminho. Quando o Brasil vai reaprender a vencer os russos nos momentos de decisão? De novo o placar era de 2 a 0 com chance de liquidar a partida. De novo Muserskiy e companhia deram um nó na seleção e viraram. E aqui está o motivo do alerta que escrevi lá no título. A equipe brasileira está bem, mas vem pecado na hora de definir. Foi assim contra a Rússia e o jogo quase se complicou também contra a Itália na última partida do campeonato. Segundo Bruninho, o time teve chance de vencer no terceiro set mais uma vez, mas ficou nervoso.

Leia mais: Seleção masculina leva susto, mas vence a Itália e conquista a Copa dos Campeões

O time masculino também passa por mudanças e os caras novos têm que ter muita cabeça no lugar para aguentar a cobrança de repetir o desempenho de 2002, 2004 e 2010 e recolocar o Brasil no topo. Que isso apareça no Mundial e ganhe força até 2016.

Mas também teve coisa muito boa no Japão. A recuperação de Sidão, por exemplo, depois tanto sofrer com dores e lesões. Logo no primeiro jogo ele foi o maior pontuador! Também vale ressaltar o crescimento de Lucão. Eu o vejo como o nome dessa nova geração, com o saque poderoso e definição no ataque. Na Copa dos Campeões, ele escutou críticas de Bernardinho pelo começo apático. Mas o central cresceu e apareceu. Diante da Rússia, fez cinco dos sete aces do Brasil. No último jogo, marcou 21 pontos. Além disso, o Bruninho e Wallace ainda entraram para a seleção do campeonato. No final, a missão foi cumprida.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 23 de julho de 2013 Seleção masculina | 15:22

Uma prata para começar… e agora, seleção?

Compartilhe: Twitter

O Brasil levou a prata na Liga Mundial, primeira competição do novo ciclo olímpico. Para um time que teve a melhor campanha na primeira fase e que tem nove títulos no torneio já estava sendo criada a expectativa de mais um ouro. Entretanto, lá estava a Rússia de novo pelo caminho da seleção masculina. E com 3 a 0 do último  domingo, Bernardinho vive um jejum de quase dois anos sem títulos, já que foi campeão apenas no Sul-Americano e no Pan de 2011 e passou 2012 em branco.

Mais sobre vôlei de quadra? Curta a página do blog Mundo do Vôlei no Facebook

E agora, o que pensar da seleção? Na segunda-feira, na chegada a São Paulo, o técnico disse que o ideal é conseguir vitórias e medalhas no final do ciclo olímpico. Sim, de fato. Agora é começo de um trabalho, da renovação, e até 2016 muita coisa pode mudar. Vencer agora não garante que vá continuar vencendo até as Olimpíadas. Como também perder uma final não significa que vá perder por mais três anos. É que perder para a Rússia já está ficando meio traumático. Foi tropeço na Liga Mundial de 2011, virada histórica nas Olimpíadas de Londres e mais uma derrota com direito a passeio agora… É, não é legal!

Divulgação/FIVB

Brasil com a prata no pódio na Liga Mundial

Entretanto, se era necessária uma renovação, até pela leva de aposentadorias depois de Londres 2012, é agora o momento. E o resultado, para um primeiro torneio, não é ruim. Claro que o time se mostrou pouco entrosado no começo e sentiu a pressão no final. Era a primeira vez que essa formação atuava junta e a estreia de alguns no time, como William e Lucarelli.

Sobre o levantador eu mantenho o que disse desde os primeiros jogos. Ele entrou bem nas inversões, ditou um ritmo interessante de jogo. Gostei da dupla com Bruno e espero que continue. Já Lucarelli é o caçula do time e precisa se acostumar a ser perseguido pelo saque rival (o que já acontece na Superliga, diga-se de passagem). Mas tem talento de sobra para se destacar em uma posição carente, já que Murilo segue se recuperando de cirurgia, Dante ainda tem dores no joelho e Giba se aposentou. Falando nisso, Giba até comentou que queria voltar para a seleção e foi vetado por Bernardinho. Acho que tem que ser assim mesmo. O cara foi um ídolo e incontestável, mas é hora de dar chance para gente nova.

Curta também a página do Mundo do Vôlei no Twitter

Se o Brasil está carente na ponta e falta aquele ponteiro passador para segurar ali no fundo diante de um saque pesado como da Rússia, por exemplo, tem gente sobrando em outras posições, como no meio. Lucão é o nome do time no momento e que siga assim nos próximos três anos. Além de ser a jogada de segurança de Bruno e já ter se entrosado bem com William, tem o melhor saque da equipe. É um dos poucos a forçar três ou quatro saques seguidos e colocar todos em quadra. Isac, outro estreante, começou bem, mas logo se machucou. Já Éder tem a sua chance e pode aproveitá-la. Definitivamente, o meio não deve ser problema.

Para oposto, Renan pouco atuou e deve voltar ao longo do ciclo. Com 2,17m e bem entrosado com os levantadores, pode ser uma arma e tanto na hora de encarar esses times altos. E acho interessante a mescla Vissotto e Wallace, um alto e um mais veloz. São dois que também seguem na seleção.

No final, a Liga Mundial mostrou que é possível criar expectativas de títulos com a seleção masculina, mas que é preciso também um pouco de calma. Pelo menos foi deixado para trás o sexto lugar do ano passado…

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 17 de julho de 2013 Seleção masculina | 22:23

Mais um 3 a 2 para a Rússia contra o Brasil

Compartilhe: Twitter

*atualizado

O Brasil começou a fase final da Liga Mundial diante da Rússia e, mais uma vez, perdeu por 3 sets a 2 para os rivais europeus. Foi assim na Liga Mundial em 2011. Foi assim na final olímpica em Londres em 2012. E agora nesta quarta-feira, em Mar Del Plata. A diferença é que não foi aquela virada como no ano passado e tudo caminhava para um 3 a 1 para a seleção nacional. Mas os russos levaram a melhor.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Divulgação/FIVB

Bloqueio da Rússia marcou bem o ataque brasileiro

O que faltou ao time brasileiro dessa vez? Acho que um pouco do de sempre. Faltou manter a regularidade e a cabeça no lugar. O Brasil começou mal, errando muito e virando poucas bolas no ataque. Perdeu o primeiro set entregando 10 pontos de graça. Depois, encaixou saque e bloqueio. Bruninho, um dos baixinhos do time, começou a reação no bloqueio! Lucão apareceu no saque e ainda ganhou a companhia de Lucarelli. Para ajudar, Wallace entrou no lugar de Vissotto e, com mais potência, fez o ataque entrar. Depois disso, o ataque como um todo do time começou a funcionar mais. Foram dois sets assim, bem na partida, pressionando, errando menos, variando e virando o placar.

Aí veio o quarto set. E aí faltou manter o mesmo ritmo. Do outro lado, a Rússia que conseguiu encaixar mais o saque e quebrar o passe brasileiro. Sem bolas muito boas, a jogada de meio, segurança do Brasil, não foi tão eficiente. Os russos cresceram, continuaram sacando forte e fizeram o que sabe que é a marcação forte no bloqueio. Com 17 pontos no fundamento, fecharam o quarto e o quinto sets e o jogo.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Mas a partida teve outros pontos a serem destacados. O gigante Musersky, que assombrou o Brasil na final olímpica improvisado na saída, voltou ao meio e não assustou tanto assim. Ele fez seus pontos de ataque e bloqueio, mas também foi parado pelo bloqueio brasileiro. Entretanto, a Rússia contou com poder de ataque na outras posições. Pavlov colocou 27 bolas no chão  e foi o maior pontuador do jogo. Mas Spiridonov também virou quando acionado. Eles arrumaram o saque ao longo do jogo, se mantiveram firmes e venceram.

Reprodução/FIVB

Spiridonov, o Tintin russo. E também o provocador do time

E como os russos provocaram… Desde o primeiro set, eles provocaram. Nesse quesito, Spiridonov foi o rei. O jogador, que é cara do personagem do desenho do Tintin, é um bom jogador, tem bons fundamentos, mas como é chato! Tanto provocou que até levou vermelho. Acho que o Brasil se manteve bem, respondeu na bola quando deu e não se deixou levar. Mas não é que justo o Tintin russo marcou o ponto derradeiro? O jeito foi engolir e guardar para o próximo jogo.

O lado bom do Brasil foi a defesa. Como o líbero Mario Jr defendeu nesta partida! Ele estava muito bem posicionado em quadra, salvou diversas pancadas e fez um bom trabalho com o bloqueio. Que continue assim! Pena que nem sempre os contra-ataques passaram pelo sistema defensivo da Rússia e outros acabaram desperdiçados com erros…

Brasil volta para quadra na sexta-feira e encara o Canadá, às 16h30 (horário de Brasília). Como os dois primeiros do grupo se classificam e os russos devem ficar com a liderança porque devem passar pelos canadenses, resta à seleção fazer a sua parte no próximo jogo para se classificar. Nível para isso tem!

P.s.: Aproveitando, Felipe Marques, leitor aqui do blog, me perguntou o que achei da lista de jogadores que Bernardinho levou para  a fase final. Bem, Felipe, eu achei justa. Rapha, por exemplo, é um bom levantador, mas teve a lesão na mão no final da temporada na Itália e pouco atuou. E William tem entrado muito bem na seleção, como você mesmo destacou nos comentários. Renan é um oposto alto, jovem, mas é bom ter uma variação na posição. Já tem o Vissotto que é o grandão, é interessante ter o Wallace com seu estilo cubano. Acho que Bernardinho optou por quem ele mais testou e correspondeu! Agora é seguir acompanhando o time na fase final e quem quiser comentar, perguntar ou dar seus palpites, é só deixar o seu recado por aqui!

P.s.2: Canadá venceu a Rússia por 3 sets a 2 e embolou o grupo na noite de quinta-feira. Alguém esperava por isso? Eu não…

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 14 de julho de 2013 Seleção masculina | 14:38

Liderança, aula de saque de Lucão e um alerta na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

O Brasil fechou o final de semana e a primeira fase da Liga Mundial com duas vitórias sobre os Estados Unidos no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Com isso, avançou em primeiro do grupo, fechou a classificatória com o ótimo saldo de apenas uma derrota até aqui, mostrou qualidade dos novatos, mas também já sabe onde deve melhorar.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Como já estava com o time classificado, Bernardinho poupou titulares e testou jogadores. Renan e Rapha foram acionados nas inversões de 5-1, Maurício entrou e não saiu mais no primeiro jogo, Lipe e Maurício Sousa foram titulares no segundo. Com duas vitórias,  não tem como não dizer que as mudanças deram certo e mostraram a qualidade do elenco do Brasil.

Divulgação FIVB

Brasil fechou primeira fase com duas vitórias sobre os EUA

Mas acho que Éder resumiu bem o que faltou à seleção. “Tivemos dois bons sets e não conseguimos manter o ritmo no terceiro. Temos que mudar isso para as finais”, disse o jogador ainda depois da primeira partida. Um confronto foi 3 a 1 e o outro 3 a 0, mas quase que o jogo foi de novo para o quarto set! Seja qual o elenco em quadra, falta manter a consistência e não baixar o ritmo.

Enquanto isso, o destaque positivo continua sendo Lucão. Já falei dele outras vezes, mas não tem como ignorar um jogador que faz quatro aces seguidos. Ele é uma referência no saque e um dos caras de segurança no ataque de Bruninho. Para ajudar, também está bem ao lado de William. Será Lucão o nome do Brasil nessa Liga Mundial?

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

A seleção fez bem o seu papel. Bernardinho está certo em renovar e testar jogadores. William parece uma boa dupla com Bruninho. No final de semana, ganhou destaque em todos os jornais por um ponto no qual só deixou a bola passar para o outro lado. Se Lucão vai bem, Éder é outro central de destaque. Como oposto, Vissotto é o alto enquanto Wallace é a impulsão e a força. Na ponta, Lucarelli é a grande promessa virando realidade, mas também gosto da velocidade e potência das jogadas com Lipe.

Bem servido o Brasil está e a renovação começou mostrando serviço. Agora é encarar Rússia e Canadá no grupo E da fase final. E lembrar das palavras de Éder! Chega de mandar dois sets bem e se perder logo depois. Nem sempre pode dar tempo de se recuperar.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 12 de junho de 2013 Diversos | 14:51

Romance está no ar!

Compartilhe: Twitter

Dia 12 de junho, Dia dos Namorados! E o vôlei reúne diversos casais no esporte, como Jaqueline e Murilo ou Mari Paraíba e Riad. Luciane Escouto conheceu o agora noivo também nas quadras, quando defendia o Macaé e ele era fisioterapeuta do time. Tem aqueles comprometidos com amores de fora das quadras e que ainda encaram a distância, como os jogadores da seleção masculina, que estão na Argentina para a Liga Mundial, longe das amadas…

Veja também: Seleção de fotos e declarações do Dia dos Namorados no mundo dos esportes

Esses e outros casais das quadras declaram seu amor nas redes sociais nesta quarta. Veja as fotos e as frases apaixonadas na galeria (clique nas imagens para ampliá-las):

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 15 de abril de 2013 O nome da Superliga, Superliga | 19:42

Os nomes da Superliga masculina

Compartilhe: Twitter
Alexndre Arruda/CBV

Lucão, central do RJX

Depois de falar quem se destacou entre as mulheres (veja post anterior), é a vez de lembrar dos homens na temporada 2012/2013 na Superliga. Como comentei, fiz uma série chamada “O nome da Superliga” para citar alguns destaques ao longo do torneio aqui no blog. Agora, é hora de balanço final. O RJX faturou o título com uma grande virada para cima do Sada/Cruzeiro e tem o primeiro nome da lista: Lucão.

>> Curta a página do Mundo do Vôlei no Facebook

O central do time carioca foi o melhor saque da competição e também desequilibrou no bloqueio. Na final, o time entrou na partida quando a jogada entre ele e Bruninho saiu. Depois de ter atuado com o levantador anos e anos na Cimed e também na seleção, é o cara de segurança do companheiro. É um jogador que sempre usou o saque forçado, só que agora parece estar cada vez mais consistente no fundamento. Ele força e acerta o primeiro, força e acerta o segundo e assim por diante. Foi um belo nome da Superliga, ainda mais com a medalha de ouro na decisão.

Quem ficou pelo caminho também chamou a atenção. Lucarelli chegou à semifinal com o Vivo/Minas e fez uma grande temporada. Ele já passou pelo O nome da Superliga e amadureceu demais em quadra. Já vi jogos em que ele era caçado na recepção e errava. Agora, aguenta a função de passador. E mostrou variedade no ataque, sem se intimidar com rivais. É um nome que merece ser lembrado por Bernardinho na seleção, ainda mais uma posição com jogadores que já estão ficando velhos. Enquanto Lucarelli tem 21 anos, Murilo e Dante já passaram dos 30, por exemplo.

>>Acompanhe o Mundo do Vôlei também no Twitter

No levantamento, o melhor do torneio foi William, do Sada e acho uma escolha justa. Foi um jogador que, mais uma vez, desequilibrou e soube usa muito bem o que tinha nas mãos. Dispensa mais comentários. Mas gostei muito da atuação de Marcelinho, do Vivo/Minas. O veterano exibiu as jogadas precisas e mais seguras com as quais ficou conhecido, mas também usou bolas rápidas, jogadas de meio forçadas com Henrique e Maurício. Terminou a Superliga jogando um voleibol e tanto.

Entre os cubanos, coloco Leal, outro do Sada/Cruzeiro, entre os nomes da Superliga. O cubano foi o esperado no ataque, com bolas potentes e certeiras. Também deu trabalho no saque. E acho que surpreendeu no fundo de quadra. Geralmente cubano não é especialista em recepção, mas Leal não prejudicou o Cruzeiro, não pelo menos nos jogos que eu assisti.

Assim como falei no post anterior, tem mais gente que foi destaque na Superliga masculina. Bruninho faturou o título distribuindo bem às bolas, Henrique foi bem n saque, Isaac é dos jovens que se destacou e está na seleção… Mas não dá para listar todo mundo ou não acabaria mais. Agora é com vocês. Quem foram os Nomes da Superliga para vocês? Quem quiser, é só comentar….

Autor: Tags: , , , , , , ,

domingo, 14 de abril de 2013 Superliga | 12:16

Com uma virada e tanto, RJX é campeão da Superliga

Compartilhe: Twitter

A Superliga masculina tem um novo campeão! Uma semana depois de a Unilever aplicar uma virada para faturar o título no feminino, o RJX também reverteu o placar, marcou 3 a 1 para cima do Sada/Cruzeiro neste domingo no ginásio do Maracanãzinho e levou o ouro. A Superliga nessa temporada foi toda do Rio… E com uma virada sem dar nenhuma chance ao rival!

No primeiro set, o Sada Cruzeiro foi dominante e parecia que ia segurar o título conquistado em 2011/2012. O time mineiro fez o seu jogo, com volume, bolas bem distribuídas e contra-ataque. Até o bloqueio, que foi a principal arma do RJX, funcionou mais para o lado mineiro. Com isso, o jogo começou com 25 a 15 no placar!

O que poderia ser fácil para o Sada Cruzeiro virou completamente a partir do segundo set, quando o RJX acordou e logo emplacou 5 a 1. Além de se manter à frente o tempo todo, o bloqueio, que acabei de comentar, voltou. Foram sete pontos na parcial no fundamento. Com isso, vitória por 25 a 18 e tudo igual. Mas não ia parar por aí. De novo com bloqueio e ainda saque, que funcionou com aces de Lucão, a situação se repetiu para os cariocas na terceira parcial, até com o mesmo placar.

O RJX manteve o embalo na quarta parcial para consolidar a vitória. Mais uma vez, o time dominou do começo ao fim. Já o Sada se perdeu, errou mais e não conseguiu reagir. Para liquidar a partida, saque de Théo, erro na recepção do Sada Cruzeiro, 25 a 14 e 3 sets a 1 no placar.

Para a decisão, o RJX sabia do volume de jogo do Sada/Cruzeiro. Sabia também que precisava do seu saque e principalmente do seu bloqueio para se destacar. Foi o que fez quando entrou no jogo a partir do segundo set. Lucão, destaque na temporada, foi o maior pontuador na segunda e na terceira parciais e marcou presença. Thiago Alves, que ajudou e muito na semifinal diante do Vivo/Minas, fechou dois sets e virou diversas bolas. Foi o melhor em quadra. Théo colaborou na segurança. Todo mundo fez a sua parte e, por isso, o título.

Já o Sada Cruzeiro parou depois do primeiro set. O time começou a errar e o saque, tão importante na semifinal, não atrapalhou a vida do RJX. A equipe carioca demorou para entrar, mas quando embalou, não parou mais. Liderou do segundo set ao último ponto! Faturou o seu primeiro título na sua segunda temporada. Honrou ser o elenco de maior investimento e soube usar os seus pontos fortes, os diversos erros do Sada e a festa da torcida a eu favor.

E no final, acabou sendo um jogo em casa para o RJX. O Maracanãzinho já havia sido escolhido o palco da decisão antes mesmo do começo da Superliga. Depois de turno, returno e playoffs, acabou que o time que manda o jogos aqui veio para decisão. E mesmo se a briga pelo título fosse na casa do líder, o confronto seria de mando do RJX, que avançou em primeiro. Com isso Maracanãzinho está em festa, pode gritar: “É campeão!”.

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última