Publicidade

Posts com a Tag Copa dos Campeões

terça-feira, 26 de novembro de 2013 Seleção feminina, Seleção masculina | 09:25

Descanso em paz e ouro com alerta na Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

As seleções brasileiras fecham o ano de 2013 com duas medalhas de ouro. Homens e mulheres do país venceram a Copa dos Campeões. No feminino, a sensação, pelo menos para José Roberto Guimarães, era de poder descansar em paz. Já no masculino, o título tira um certo peso das costas depois de tropeços na Liga Mundial e nas Olimpíadas, mas também vem com um sinal de alerta.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Seleção feminina sobe ao pódio para receber o ouro no Japão

Seleção feminina sobe ao pódio para receber o ouro na Copa dos Campeões

Algumas frases de Zé Roberto chamaram a atenção durante a competição das mulheres no Japão. Uma delas foi sobre Walewska. A convocação da veterana depois de cinco anos fora da seleção chamou a atenção de todos. Por que o técnico convocou uma jogadora de 34 anos e não deu chance a uma novata, pensando em renovação? Wal ajudou com a experiência dentro e fora de quadra, assumiu o lugar de outra central importante, Thaísa, e cumpriu o seu papel. As palavras do técnico: “Foi importante ela ter vindo e mostrado para essa juventude o significado de vestir a camisa da seleção”. Parece que ela passou bem a sua lição…

Relembre: Waleska reestreia e seleção feminina vence a Tailândia na Copa dos Campeões

Depois, o treinador ainda disse: “Vamos tentar vencer o 5º torneio do ano para fazer dele o ano dos sonhos”. O título veio e, com ele, um desabafo: “Na minha cabeça significa (ouro) descansar em paz. No Brasil, segundo e último lugares são a mesma coisa”. Sim, 2013 foi mais um ano perfeito para a seleção feminina, que venceu Montreux, Alassio, Grand Prix, Sul-Americano e, agora, a Copa dos Campeões. É muito bom manter o embalo assim logo no começo de um novo ciclo olímpico, com renovação, cansaço das jogadoras e tudo mais. E sim, dá para descansar, pelo menos um pouco. O teste mesmo dessa seleção será no ano que vem, com o Mundial. Mas pelo que vem mostrando, tem chance de conquistar o título que falta.

Veja também: Brasil vence o Japão e é bicampeão da Copa dos Campeões

Seleção masculina comemora com o tradicional peixinho o ouro no Japão

Seleção masculina comemora com o tradicional peixinho o ouro na Copa dos Campeões

No masculino, o ouro na Copa dos Campeões foi mais sofrido e, de novo, o time de Bernardinho encontrou a Rússia pelo meio do caminho. Quando o Brasil vai reaprender a vencer os russos nos momentos de decisão? De novo o placar era de 2 a 0 com chance de liquidar a partida. De novo Muserskiy e companhia deram um nó na seleção e viraram. E aqui está o motivo do alerta que escrevi lá no título. A equipe brasileira está bem, mas vem pecado na hora de definir. Foi assim contra a Rússia e o jogo quase se complicou também contra a Itália na última partida do campeonato. Segundo Bruninho, o time teve chance de vencer no terceiro set mais uma vez, mas ficou nervoso.

Leia mais: Seleção masculina leva susto, mas vence a Itália e conquista a Copa dos Campeões

O time masculino também passa por mudanças e os caras novos têm que ter muita cabeça no lugar para aguentar a cobrança de repetir o desempenho de 2002, 2004 e 2010 e recolocar o Brasil no topo. Que isso apareça no Mundial e ganhe força até 2016.

Mas também teve coisa muito boa no Japão. A recuperação de Sidão, por exemplo, depois tanto sofrer com dores e lesões. Logo no primeiro jogo ele foi o maior pontuador! Também vale ressaltar o crescimento de Lucão. Eu o vejo como o nome dessa nova geração, com o saque poderoso e definição no ataque. Na Copa dos Campeões, ele escutou críticas de Bernardinho pelo começo apático. Mas o central cresceu e apareceu. Diante da Rússia, fez cinco dos sete aces do Brasil. No último jogo, marcou 21 pontos. Além disso, o Bruninho e Wallace ainda entraram para a seleção do campeonato. No final, a missão foi cumprida.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 4 de novembro de 2013 Seleção feminina, Seleção masculina | 10:12

Novatos e veteranas para a Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

As seleções brasileiras de vôlei se preparam para a Copa dos Campeões, que será disputada neste mês. A equipe feminina já está concentrada em Saquarema, enquanto a masculina se apresenta nesta segunda-feira. A pela lista de convocados de José Roberto Guimarães e Bernardinho, um aposta na experiência e outro em novatos.

Divulgação/CBV

Zé Roberto observa Carol Gattaz durante treino em Saquarema

No time feminino, o técnico teve que fazer mudanças por conta de dispensas e lesões (muitos jogos, desgaste e tudo o que vire e mexe comentamos por aqui). Dani Lins nem foi convocada e Thaísa, Juciely e Gabi acabaram dispensadas. Nos lugares, Claudinha segue como opção no levantamento, como já havia sido na ausência de Fabíola. Michelle fica com a vaga de Gabi e continua sendo testada na equipe. A experiência veio pelo meio, com Walewska e Carol Gattaz.

Veja a lista completa da seleção feminina para a Copa dos Campeões

Não esperava a volta das duas centrais. A justificativa do treinador faz sentido, já que ele  disse querer dar mais maturidade ao time sem pesar muito para as jogadoras, já que é um torneio curto. Mas Carol ficou um tempo parada e Wal não defende a seleção há cinco anos, desde Pequim. Espero ainda ver no time nomes como Bia, que fez uma ótima Superliga pelo Sesi no ano passado, mas a jogadora ainda se recupera de lesão. O fato é que Zé Roberto treina as veteranas no Vôlei Amil e sabe muito bem das condições das duas…

No masculino, Bernardinho mexeu no elenco e lembrou de campeões mundiais do Sub 23. Além de Lucarelli, destaque do torneio e que deve seguir firme e forte na seleção. foram convocados os ponteiros Ary e Lucas Loh. A posição pede uma renovação e eles podem mostrar seu potencial ao técnico. E vai ser bom ver Murilo de volta ao time, mesmo que apenas para os treinos. O ponteiro do Sesi passou por um cirurgia no ombro e aos poucos está de volta e acho que ainda tem espaço na equipe nacional.

Leia mais: Bernardinho divulga lista da Copa dos Campeões e convida Murilo para os treinos

No levantamento, pode ser o teste de Rapha. O ex-jogador do Trentino e agora na Turquia teve uma fratura na mão e não pode ser incluído na lista. Agora, sem William (uma pena, depois do que fez na estreia na seleção e também no Mundial), Rapha ganha espaço o lado de Bruninho.

A Copa do Campeões começa no dia 12 para as mulheres e no dia 19 de novembro para os homens. Já dá para fazer alguma previsão?

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009 Campeonato Italiano, Diversos, Seleção feminina, Seleção masculina, Superliga | 08:00

2009 foi ano de ouros, crise e volta de ídolos ao Brasil

Compartilhe: Twitter

O ano de 2009 foi de crise e de renovação do vôlei brasileiro. Crise com a extinção de clubes de tradição como o Finasa/Osasco e o Unisul/Joinville. Renovação com clubes recém-formados como Sollys/Osasco, Sesi, Pinheiros/Sky ou Montes Claros. E renovação nas seleções, com mudança de levantadora entre as mulheres e novos ídolos entre os homens. 2009 foi um ano no qual o vôlei superou os maus temopos, o Brasil ganhou tudo no masculino e perdeu apenas um no feminino e ainda termina com uma Superliga que promete equilíbrio e ginásios lotados.

O Mundo do Vôlei selecionou nesta retrospectiva os principais fatos de 2009. Para navegar, basta clicar nas fotos e lembrar das histórias. E, claro, fique a vontade para deixar seu comentários!

 
Ps.: Galera, chegou a hora de descansar. Vou tirar uns dias de férias e volto em janeiro. Feliz 2010 para todos! Abraços e  continuem comentando por aqui!
 
credito das fotos: divulgação e AP
Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 26 de novembro de 2009 Seleção masculina | 12:55

A espera na volta para casa da seleção masculina

Compartilhe: Twitter

Um dia depois do previsto, toda a seleção brasileira masculina conseguiu chegar em casa! Giba, Marlon, Murilo, Rodrigão, Sergio Escadinha, Sidão, Théo e Thiago Barth, além de Bernardinho e a comissão técnica ficaram presos em Paris na terça-feira, no caminho de volta ao Brasil depois da conquista da Copa dos Campeões, no Japão. O voo deles teve uma pane e eles tiveram que passar um dia na capital francesa. Os demais jogadores, integrantes da Cimed, estavam em outro avião e chegaram em casa sem problemas (leia mais).

O central Rodrigão conversou nesta manhã com exclusividade com o Mundo do Vôlei e nos contou como foi o dia em Paris, o que aconteceu no voo e lembrou que esse não foi o primeiro susto da seleção brasileira no ar em 2009.

“A gente fez uma conexão em Paris, pegou o avião 23h, no horário normal, sem problemas, mas voltou às 3h30 para a França. Quando já estávamos em Portugal, o piloto avisou que teríamos que voltar porque estava com problema no sistema de navegação e não poderia voar sobre o oceano”, contou o jogador. “Chegamos a Paris e a companhia nos arrumou um hotel bem perto do aeroporto. Ficamos lá e nos avisaram que tinha outro voo, mas que teríamos que esperar”. “A primeira coisa a fazer foi tentar avisar o mais rápido possível a nossa família ou quem fosse nos buscar no aeroporto para não deixar ninguém preocupado e nem esperando a toa”, falou o central.

Por sorte, eles estavam em uma cidade conhecida e até aproveitaram o imprevisto. Paris normalmente está na rota das viagens do time para Europa ou Ásia. “A gente já tem até centro de treinamento lá”, disse Rodrigão. “Teve gente que foi passear, dar uma volta pelo centro de Paris, e outros que preferiram ficar no hotel descansado. Eu aproveitei para fazer umas compras que precisava. Queria comprar calças, que não acho do meu tamanho no Brasil. Presente para a família eu já tinha comprado lá no Japão. Eu até convidei o Murilo e o Sérgio para saírem comigo, mas eles estavam cansados e eu fui sozinho mesmo. Foi tranquilo e achei  o que queria”.

Rodrigão ainda lembrou que esse não foi o primeiro susto do time brasileiro neste ano. E o outro “perrengue” no ar também teve ligação com a capital francesa. “Foi no caminho de ida de Paris para a Venezuela na Liga Mundial. Quando chegamos ao aeroporto venezuelano, tivemos que arremeter porque tinha outro avião fazendo manobras na pista. Ficamos muito assustados, mas deu tudo certo”.

Agora, todos os jogadores finalmente estão em casa, ao lado da família. Eles desembarcaram em São Paulo por volta as 7h da manhã desta quinta. Mas o descanso vai durar pouco! A Superliga 2009/2010 comeã na semana que vem, no dia 3 de dezembro (leia mais), e eles se reapresentam aos times na próxima segunda-feira.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 24 de novembro de 2009 Seleção masculina | 11:38

Os melhores da Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina faturou o tricampeonato na Copa dos Campeões, mas quem roubou a cena foi um cubano, pelo menos nos prêmios individuais. Roberlandy Simon, de 22 anos, carrega a faixa de capitão da seleção caribenha, é a cara da nova equipe e foi eleito o melhor jogador do torneio, o melhor bloqueador e o dono do melhor saque.

Simon mantém a tradição recente de Cuba de um jogador de meio como capitão do time. Segundo o site da Federação Internacional de vôlei, ele é a cola que mantém a equipe unida. Além de comandar o time, o jogador é destaque em todas as posições e, por isso, o título merecido de melhor do campeonato. Ele fechou a Copa dos Campeões com a média de um bloqueio por set e fez 16 aces. Só para lembrar, o torneio só teve cinco jogos. E Simon ainda reclamou porque queria ser melhor no ataque. Esse cara promete! A seleção de Cuba promete! É um time jovem, com jogadores fortes e altos. Se Simon já está assim agora, imagine com mais experiência? E o jovem Leon, de 16 anos e um foguete nas mãos? Vem coisa boa por aí…

Pai e filho campeões no Japão - Divulgação

Pai e filho campeões no Japão - Divulgação

Para o Brasil, Serginho, que já está acostumados aos prêmios, levou de melhor líbero. Já Bruninho foi a surpresa como melhor levantador. Sim, a Copa dos Campeões é um torneio de poucos times e não reúne todos os melhores do mundo. Não sei se ele venceria o páreo com Ball (Esatdos Unidos), Grbic (Sérvia),Pujol (França) ou Falascia (Espanha). Mas o brasileiro mostrou amadurecimento. Tem a ousadia para acelerar as jogadas e a segurança do entrosamento com os companheiros da Cimed, como Lucão. Além disso, está jogando solto com peças fundamentais no Brasil como Giba, Murilo e Leandro Vissotto. Ele mereceu o reconhecimento.

E para fechar, os donos da casa. Os japoneses, que também mostraram que estão aí para brigar nesse novo ciclo, levaram os prêmios de melhor atacante, com Tatsuya, e maior pontuador, com Shimizu. O segundo mereceu porque dá pancada e coloca a bola no chão de qualquer lugar da quadra. Já o prêmio de atacante poderia ter vindo para um brasileiro pelo desempenho geral no torneio. Leandro Vissotto teve uma segurança incrível em quadra e Giba jogou como um menino, virando tudo o que recebia com muita inteligência. Eles não levaram os prêmios individuais, mas sabem muito bem o que podem fazer. E a seleção brasileira agradece!

E você? O que achou dos prêmios da Copa dos Campeões? E o que achou da campanha do Brasil? Deixe o seu comentário!

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 23 de novembro de 2009 Seleção masculina | 10:26

Brasil é tricampeão da Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina já havia vencido a Liga Mundial e o Sul-Americano em 2009. Faltava a Copa dos Campeões para fechar um ano perfeito. Pronto, problema resolvido! O Brasil passou pelo Japão por 3 sets a 0 (25/12, 26/24 e 25/22) com potência no saque e grande volume no ataque e levou o último título do ano.

Os japoneses chegaram à Copa dos Campeões por méritos. Ganharam a vaga como campeões asiáticos e não poder ser o país-sede. Em quadra, eles mostraram uma garra imensa. Voltaram ao pódio do torneio depois de 32 anos! Shimizu foi um gigante em todos os fundamentos e um dos nomes do campeonato. O Japão venceu a Polônia logo na estreia e seguiu invicto até parar no saque do cubano Simon. Nesta manhã, parou no saque brasileiro.

O Brasil venceu todos seus jogos. Passou por Cuba na estreia por 3 sets a 2, depois pelo Irã com alguma falta de concentração, arrasou a Polônia e errou muito contra o Egito. Mas na final os brasileiros “mostraram quem era o chefe”, como definiu o site da Federação Internacional de vôlei na nota após a partida. Logo no primeiro set já abriu 8 a 1 e deu o tom do jogo: saque muito forçados e ataques de todos os jogadores.  E com um bom serviço, como já sabemos, fica muito mais simples bloquear. Foram seis pontos nesse fundamento (12 no total no jogo) e a vitória por 25 a 12 no primeiro set.

Na parcial seguinte, Shimizu, que havia atacado apenas quatro bolas até então, voltou para o jogo a acendeu a torcida. O Brasil ficou na frente até o 24 a 20 e aí sentiu do seu veneno: levou três aces de Ishijima. Depois, voltou a virar bem a bola e fechou em 26 a 24. Para encerrar, um pouco de equilíbrio e mais uma uma sequência de saques, bloqueios e ataques, 25 a 22 no placar e a taça de campeão. Cuba ficou em segundo e Japão, em terceiro.

Giba levanta taça na Copa dos Campeões - AP

Giba levanta taça na Copa dos Campeões - AP

A seleção venceu no volume de jogo. Todo mundo atacou bem e achou espaço na quadra japonesa. Para ajudar, o bloqueio segurou as jogadas potentes dos asiáticos. E a Copa dos Campeões foi um bom torneio para encerrar o ano. Mostrou que o time está evoluindo com a nova formação. Bruninho está muito mais entrosado com todos, principalmente com Giba e Murilo, com quem estava sem o tempo perfeito na Liga Mundial. Prova disso foi o prêmio de melhor levantador para o brasileiro. O saque também está funcionando e facilitando o bloqueio.

Claro que ainda tem erros. Ás vezes falta a concentração, como no set perdido para o Irã. Ou o passe sai quebrado, como contra o Egito. Mas é um time em construção para o novo ciclo olímpico com grandes armas como Leandro Vissotto e seus 2,12m ou a maturidade de Murilo, excelente bloqueador mesmo com 1,90. E a vontade de  Lucão no meio? Ainda tem Giba, e a garra de jogar, Serginho, melhor líbero da Copa dos Campeões, e a calma de Rodrigão. É uma equipe ainda em desenvolvimento, mas com futuro!

E você? O que achou da Copa dos Campeões? Aprovou o desempenho do Brasil? O que espera para a próxima temporada? Deixe seu comentário!

Autor: Tags: , , , , , , ,

domingo, 22 de novembro de 2009 Seleção masculina | 14:05

Brasil vira ídolo, erra muito, mas vence Egito

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina venceu o Egito nesta madrugada por 3 sets 0 e segue invicta na Copa dos Campeões. Quem vê isso pode pensar que o time fez um jogo bonito como contra a Polônia e que venceu com facilidade. Não foi bem assim. Mais uma vez faltou concentração, a recepção não funcionou e a equipe de Bernardinho venceu com a ajuda da fragilidade do Egito.

Egípcios posam para fotos com brasileiros/ Divulgação

Egípcios posam para fotos com brasileiros

Os egípcios estavam encarando seus ídolos. Prova disso foi a felicidade deles ao tirarem fotos com os brasileiros depois do jogo! E a briga era para ficar ao lado de Giba, como mostrou as imagens da TV. O Egito jogou com respeito demais contra o Brasil. Eles sabiam atacar bolas na força, sacaram muito bem, mas erraram demais e não souberam o que fazer diante do bloqueio nacional. Quando a bola sobrava  no contra-ataque e o Brasil subia com um triplo na rede, os egípcios tentavam soltar o braço e não explorar a jogada. Conclusão foram alguns bloqueios de volta no pé.

Já do lado brasileiro, pesou a falta de concentração. O time sofreu muito com o saque forçado dos africanos e não se acertou no passe. Assim, as jogadas ficaram marcadas. E o Brasil também errou demais. Enquanto foram apenas 15 erros contra a Polônia, agora foram 24 pontos de graça. Só que o Egito conseguiu falhar mais (27 vezes).

O que pesou para o Brasil foi a experiência. Apesar de ter um time que mescla novos e veteranos, já está se acostumando aos campeonatos internacionais. E contou com Theo, que entrou muito bem no lugar de Leandro Vissotto, e Giba, vibrante e acreditando em todas as bolas. Com isso, virou o terceiro set depois de estar perdendo por 6 a 1. O Brasil não fez o que sabe, mas venceu e segue invicto na Copa dos Campeões.

A final no Japão
A seleção encerra a sua participação no torneio contra os donos da casa. Os japoneses estavam invictos até esta manhã, quando pararam nos cubanos, principalmente no saque de Simon. Os latinos venceram por 3 sets a 0 e não deram chances aos anfitriões. Nem Shimizu, um dos astros do time, que chamou a atenção com ataques e saques potentes contra Polônia logo na estreia, conseguiu jogar. Nos dois primeiros sets, ele marcou apenas dois pontos! Mérito dos cubanos, constantes em todos os fundamentos.

Agora, o Brasil precisa apenas superar o Japão no jogo desta segunda para ficar com o ouro. E vale seguir a tática usada por Cuba: caprichar no saque. Eles marcaram sete aces e, com isso, abriram caminho para a vitória. A partida final da Copa dos Campeões será às 8h (horário de Brasília) e terá transmissão da Sportv.

E você? O que achou da partida contra o Egito? E o que espera da final contra o Japão? Deixe seu comentário

*crédito da foto: Divulgação/FIVB

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 21 de novembro de 2009 Seleção masculina | 03:09

Brasil vence Polônia em seu melhor jogo

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina se encontrou em quadra! Depois da emoção e do desgaste do tie-break contra Cuba na estreia e da falta de concentração contra o Irã, o Brasil fez seu melhor jogo na Copa dos Campeões, cresceu para cima da Polônia e venceu por 3 sets a 0 (25/17, 25/17 e 25/18).

Os poloneses entraram em quadra apáticos pelas derrotas para Japão e Cuba e com Kurek, seu melhor jogador, no banco. Com isso, o Brasil e fez dois sets muito parecidos. Abriu 5 a 1 no placar com a passagem de Murilo no saque e Lucão e Leandro Vissotto na rede. Depois, manteve o domínio com pressão no bloqueio, ótimos saque e bom aproveitamento no contra-ataque. A seleção fechou as duas parciais em 25 a 17.

Já o começo do terceiro set foi o único momento de instabilidade dos brasileiros. Kurek, que havia entrado na segunda parcial, acertou o tempo de bloqueio em Vissotto e marcou os primeiros pontos dos europeus no fundamento. Depois do jogo, Bruninho reconheceu que perdeu a concentração e errou nas armações de jogadas. Mas, diferente da partida contra o Irã, o Brasil logo se recuperou, voltou a dominar com bloqueios e saques e liquidou o jogo em 3 a o.

Como disse Bruninho ao canal Sportv, a seleção foi brilhante. Mesmo diante da abalada Polônia, manteve o seu nível de jogo. O saque foi uma arma mortal! Foram 3 aces, todos no primeiro set, e muitos outros serviços que quebraram o passe polonês. Resultado disso foram os 10 pontos no bloqueio e também muitos outros que amorteceram a bola. E, apesar do vacilo na terceira parcial, Bruninho distribuiu bem as bolas. Assim como no jogo contra Cuba, vários brasileiros passaram da casa dos 10 pontos (Murilo, com 13; Vissotto, com 12, e Giba, com 10). O levantador está cada vez mais afinado com todos os atacantes. Para arrebatar, o time todo soube se fechar no contra-ataque e teve paciência para definir as jogadas.  Tudo começa com um bom saque….

Parece que a viagem para Nagoya fez bem para o Brasil. Bernardinho dizia, após vencer o Irã, que a equipe tinha que recuperar as energias. Pelo visto, recuperou! Agora a seleção enfrenta o Egito e encerra a Copa dos Campeões contra o Japão. O Brasil segue invicto e favorito a mais esse título.

Jogos do Brasil na Copa dos Campeões
dia 22/11 – Brasil x Egito – 1h30
dia 23/11 – Brasil x Japão – 8h
*jogos estão no horário de Brasília. Todos terão transmissão pela Sportv

E você? O que achou do jogo contra a Polônia? Será que a seleção masculina volta para casa campeã? Deixe o seu comentário!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de novembro de 2009 Seleção masculina | 09:56

Irã dá trabalho ao Brasil na Copa dos Campeões

Compartilhe: Twitter

Quem esperava que a seleção do Irã iria crescer para cima do Brasil na segunda partida da Copa dos Campeões? Mas foi isso mesmo o que aconteceu. Com um bom sistema defensivo e saque potente, os iranianos deram trabalho aos brasileiros. A seleção de Bernardinho precisou de quatro sets para fechar a partida em 3 a 1 (veja como foi o jogo).

Irã para ataque de Thiago Alves/AP

Irã para ataque de Thiago Alves/AP

O Irã sabia que entraria em quadra contra uma seleção superior. “Nós jogamos contra o melhor time do mundo e tínhamos muita pressão em cima de nossos jogadores”, disse o técnico Hossein Madani. Mesmo assim, eles não se intimidaram. “O Irã jogou com velocidade, muito coração, defendeu e bloqueou bem”, elogiou Bernardinho, que nunca havia enfrentando esse time. Os brasileiros sentiram isso na pele.

Giba e Lucão foram poupados e deram lugar a Thiago Alves e Sidão. Depois de um começo lento, talvez por reflexo do longo jogo de estreia contra Cuba, a seleção assumiu a liderança até meados da terceira parcial. Nesse momento, sofreu a famosa “síndrome do terceiro set”. Os jogadores perderam a concentração e o Irã, sem respeitar o Brasil, se aproveitou. Eles cresceram no jogo e levaram a partida para o quarto set. Na hora da decisão, pesou a experiência do Brasil, que acabou com a partida.

A seleção não fez uma partida bonita, ainda está pouco eficiente no bloqueio (marcou só 10 pontos, um a menos que o Irã), mas segue firme na briga pelo título. “Não foi nosso melhor jogo, mas como é uma competição curta, o importante é vencer”, ressaltou Murilo. Agora, o time viaja e volta para quadra na madrugada de sexta para sábado, à 1h30 da manhã, para enfrentar a Polônia em Nagoya. “Espero que possamos recarregar as baterias para o próximo jogo”, comentou Bernardinho depois da vitória desta quinta. E é bom ter cuidado! A Polônia é uma boa equipe, com atacantes altos e fortes, mas vem de duas derrotas (contra Japão e Cuba) e pode querer descontar para cima do Brasil.

Donos da casa invictos
Além do Brasil, o Japão segue com 100% de aproveitamento na Copa dos Campeões. Depois de surpreender e vencer a Polônia na estreia, eles assumiram uma posição de favoritos para a partida desta quinta contra o Egito e não fizeram feio. Levaram o jogo por 3 sets a 1.
Mais uma vez, Shimizu foi o destaque. Ele marcou 23 pontos (21 no ataque, 1 no bloqueio e 1 no saque). Os japoneses não querem fazer feio diante da sua torcida!

Jogos do Brasil na Copa dos Campeões
dia 21/11 – Brasil x Polônia – 1h30
dia 22/11 – Brasil x Egito – 1h30
dia 23/11 – Brasil x Japão – 8h
*jogos estão no horário de Brasília. Todos terão transmissão pela Sportv

E você? O que achou da atuação do Brasil contra o Irã? E o que espera do jogo contra a Polônia? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 17 de novembro de 2009 Seleção masculina | 10:56

Seleção masculina já estreia na "final"

Compartilhe: Twitter

“Só penso em Cuba. Podia ser mais para o final esse jogo. O campeonato já começa pela final”. Foi assim que o central Rodrigão se referiu a estreia da seleção masculina na Copa dos Campeões em sua página no Twitter. O time de Bernardinho encara Cuba na desta quarta-feira madrugada, às 4h30 (horário de Brasília). Como o torneio é de pontos corridos, uma derrota pode custar o título logo no primeiro jogo. Assim como no feminino, todos jogam contra todos e fica com o ouro quem vencer mais. Para as meninas, bastou a derrota para Itália para ficar com vice…

Contra Cuba as atenções estarão voltadas para o jovem Leon, de 16 anos. Ele é dono de potente saque e bate muito bem no ataque. Foi eleito o melhor atacante e a revelação da Norceca, torneio continental que classificou os cubanos para a Copa dos Campeões. Na final contra os Estados Unidos, Cuba venceu por 3 a 1 e Leon fez 24 pontos. Contra o Brasil, ele não deu tanto trabalho assim, pelo menos na Liga Mundial, mas parece estar evoluindo e merece sim todo o cuidado do nosso bloqueio e da nossa defesa

No caminho do Brasil
“Cuba e Polônia serão nossos principais adversários”, afirmou o ponta Thiago Alves ainda antes de embarcar para o Mundial de Clubes com a Cimed. E lá no Mundial ele enfrentou a base da seleção polonesa e provou do poder de ataque de Kurek, uma das estrelas da competição (relembre o Mundial de Clubes). A Cimed perdeu para os poloneses por 3 sets a 1. Mas o Mundial foi disputado com a “Golden Formula”, que obrigava a equipe a fazer o primeiro ataque depois da linha dos três. Isso ajudou o desempenho de Kurek, ótimo atacante nas bolas altas. Agora na Copa dos Campeões, tudo volta ao normal.

Além de Cuba e Polônia, a seleção ainda enfrenta Irã, Egito e Japão. Todos os jogos terão transmissão do canal Sportv. Brasil busca o tri na competição.

Dia de folga
A seleção brasileira está desde o começo do mês concentrada em Osaka, no Japão, sede dos primeiros jogos da Copa do Mundo. Depois de muito treino, eles ganharam um dia de folga. Veja o passeio nas fotos abaixo. As imagens são do VôleiBrasil.org.br

Jogos do Brasil na Copa dos Campeões
dia 18/11 – Brasil x Cuba – 4h30
dia 19/11 – Brasil x Irã – 2h30
dia 21/11 – Brasil x Polônia – 1h30
dia 22/11 – Brasil x Egito – 1h30
dia 23/11 – Brasil x Japão – 8h
*jogos estão no horário de Brasília

E você? O que espera da seleção masculina na Copa dos Campeões? Deixe o seu comentário!

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última