Publicidade

sexta-feira, 26 de julho de 2013 Diversos | 11:12

O Maraca é nosso!

Compartilhe: Twitter

*atualizado

A data era 26 de julho de 1983. O estádio do Maracanã foi palco de Brasil x União Soviética. Não, não se tratava de um jogo de futebol com Sócrates, Zico e companhia. Os astros que invadiram o gramado naquela noite chuvosa foram Renan, Montanaro, William e os nomes da geração de prata do vôlei brasileiro. Há 30 anos, diante de mais de 95 mil pessoas, eram os amantes do vôlei que viam uma vitória da seleção por 3 sets a 1. O Maracanã já foi, sim, do vôlei!

Mais sobre vôlei de quadra? Curta a página do blog Mundo do Vôlei no Facebook

“Me perguntaram se eu lembro do vestiário, do caminho. Não lembro de nada. Ao falar do jogo o que vem na cabeça é muita chuva, a gente secando a quadra e a vitória”, afirma ao Mundo do Vôlei Montanaro, um dos ídolos dos anos 80 presentes naquela partida.

O jogo fez parte de uma série de amistosos contra o então melhor do time do mundo. Os soviéticos eram os atuais campeões olímpicos e mundiais. E eles tinham vencido o Brasil na final do Mundial de 1982. Mas a prata naquele torneio já fez o vôlei ficar conhecido no País. Por aqui, os amantes do esporte viviam a decepção da eliminação para a Itália na Copa do Mundo de futebol e começaram a abraçar os meninos do vôlei como ídolos.

Reprodução

Jogadores do Brasil e da União Soviética ajudam a secar a quadra armada no Maracanã

Com isso, a ideia de fazer um amistoso contra os europeus foi bem recebida. A partida, conhecida como “O Grande Desafio”, aconteceu em uma quadra improvisada no centro do estádio do Maracanã. E foi marcada para julho justamente por ser um mês com pouca chuva. Mas a previsão não acertou. O duelo seria uma semana antes, mas foi adiado por conta de um dilúvio na cidade. Restou o dia 26 de julho. E choveu, e muito, de novo. Nada disso espantou o público ou atrapalhou o espetáculo. 95.887 pessoas lotaram o Maracanã e até jogadores brasileiros e soviéticos pegaram toalhas para enxugar a quadra!

Ali, no meio do gramado de um templo de futebol, o Brasil venceu a ex-URSS por 3 sets a 1 (14/16, 16/14, 15/07 e 15/10). Bernard usou o seu famoso saque “jornada nas estrelas” para tentar desnortear a recepção rival. Hoje, nos ginásios e com aqueles placares suspensos no meio da quadra, é impossível executar um bom jornada. Mas sob o céu aberto no Maracanã e ainda contando com a bola molhada, não havia cenário melhor para Bernard!

Siga também a página do Mundo do Vôlei no Twitter

“Foi a nossa consagração. Foi uma partida muito mais promocional do que qualquer outra coisa, mas ainda assim teve um valor muito grande e representou muita coisa. Foi a consagração do vôlei, do público. Representou toda a aceitação do vôlei no Brasil”, explica Montanaro.

O jogo foi um recorde e um marco para a história. Antes, o recorde de público de um esporte olímpico eram os 90 mil para a abertura das Olimpíadas de Tóquio, em 1964. O número daquele jogo representa hoje nove Maracanãzinhos lotados para uma final de Superliga. E agora, também, o Maracanã nem pode mais receber aquelas 95 mil pessoas. Após as reformas para Copa das Confederações de futebol, o estádio tem capacidade para 70 mil.

O Grande Desafio completa 30 anos hoje. Lógico que muita coisa mudou nesse tempo. Desde a vantagem e os sets de 15 pontos, até a altura dos jogadores. Daquela seleção, os mais altos eram Domingos Maracanã e Fernandão, com 1,99. Hoje, o Brasil tem Vissotto, de 2,12m e Renan, de 2,17m. As jogadas são mais rápidas, tem o líbero… Pode ter bastante coisa diferente do que já nos acostumamos, mas ainda assim eu queria muito ter ido lá na chuva no Maracanã naquele dia 26. Como só tinha cinco dias de vida na data, resta ler sobre o jogo, conversar com os antigos ídolos e ver vídeos. Para quem não estava por lá ou quer reviver o momento, veja alguns lances da partida:

Autor: Tags: , , , ,

2 comentários | Comentar

  1. 22 marcos 26/07/2013 12:48

    Boa lembrança,
    mas tem uns detalhes: a partida começõu sem chuva, que foi apertando. Num determinado momento, os jogadores russos começaram a secar a quadra (eles queriam jogo!) com suas toalhinhas (ficavam presas no calção, pelas costas) e só então os players brasukas foram também ajudar, uma lição que eles deram de humildade.
    Depois, como não adiantava, improvisaram colocando carpetes e marcaram com fitas as linhas!!!!!
    E os jogadores (todos eles) ajudando. Houveram muitos mais episódios, nem dá pra contar tudo aqui, merecia uma comemoração essa data.
    INESQUECÍVEL ! ! ! ! ! ! !

    • Aretha Martins 30/07/2013 8:22

      Oi, Marcos

      Legal saber mais sobre a partida! Você estava lá?

      Abs e continuem comentando por aqui

  2. 21 darli 26/07/2013 12:24

    Foi muito emocionante esse jogo!!! Inesquecível!!!!

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.