Publicidade

Arquivo de junho, 2013

sábado, 29 de junho de 2013 Seleção masculina | 15:10

Saldo na Liga: uma vitória, uma derrota e um banco que ajuda

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina de vôlei fechou mais um final de semana de Liga Mundial com o saldo de uma vitória e uma derrota, mas com mostras de que o banco de reservas está pronto para ajudar. O time de Benardinho venceu a França na manhã de sexta-feira por 3 sets a 2. Na manhã deste sábado, perdeu para os franceses por 3 a 1, no primeiro tropeço na competição. As duas partidas foram no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

FIVB

William arma jogada com Éder. Na vitória e na derrota, ele saiu do banco e ajudou o time

Os confrontos mostraram deficiências do Brasil, como a falta de concentração no primeiro jogo que permitiu a virada da França. Ou um saque e um sistema defensivo não muito presentes no segundo duelo. Mas também mostrou pontos positivos, como a ajuda do banco de reservas.

Na sexta-feira, a seleção precisou buscar o placar no tie-break para vencer. Entraram William e Wallace e fizeram a diferença em quadra. Tanto que Wallace começou como titular a partida deste sábado. E nesta manhã, William mais uma vez saiu do banco, agora ao lado de Leandro Vissotto, e melhorou o ritmo do Brasil, variando bem a distribuição de jogadas e recolocando Lucarelli, que estava um pouco apagado, no jogo. Foi o melhor momento do time nacional, que venceu aquele set.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

A equipe brasileira, com essas caras novas que vemos na Liga Mundial, começou a atuar junta exatamente no torneio. Ou seja, eles têm seis jogos no currículo, com uma derrota. Aos poucos estão ganhando corpo e é importante ver que o banco também ajuda e até salva em alguns momentos. Ter reservas e titulares bem entrosados é fundamental ao longo da temporada.

Além disso, Lucão é sempre um reforço neste time. Ele volta depois de contusão e segue como o cara de segurança de Bruno, e também de William, na rede, e uma peça fundamental no saque. Ele é um dos poucos que força o primeiro e acerta, força o segundo e acerta, força o terceiro e acerta…

Mas, claro, ainda há o que arrumar. Não dá para vencer dois sets e se perder, como na sexta-feira. E nem cair no saque e bobear na defesa como neste sábado. Ainda mais contra uma equipe que nem é muito experiente nem nada, mas que tem um ótimo volume de jogo. Os franceses defenderam muito bem, principalmente neste sábado, e souberam achar todos os buracos do Brasil. Mory Sibide passou um set inteiro sem ser bloqueado! E Ngapeth achou o chão brasileiro 26 vezes. No Brasil, Lucarelli, que como disse começou um pouco devagar, foi o maior pontuador, com 21 acertos.

O saldo do final de semana foi um empate, mas no geral ainda acho que é positivo. A França foi bem, defendeu mais, marcou mais e mereceu vencer. Mas ao longo da Liga Mundial, a seleção está mostrando a sua cara. Ter tantos altos e baixos, vistos desde os jogos contra a Polônia, preocupa. Mas é bom passar por isso porque a tendência e ter mais dificuldade. Semana que nem, o adversário será a Bulgária. Depois, os Estados Unidos. Vamos ver como ficará o saldo depois disso!

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 17 de junho de 2013 Seleção masculina | 08:00

Qual destaque do Brasil no final de semana na Liga Mundial?

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina de vôlei segue 100% na Liga Mundial. No final de semana, o time de Bernardinho venceu as duas partidas diante da Argentina fora de casa por 3 sets a 0. Quais foram os destaques da equipe nacional nesses jogos?

Divulgação/FIVB

Éder foi o maior pontuador do Brasil no 1º jogo do final de semana

Primeiro, o saque. Esse fundamento vem funcionando bem na Liga Mundial e desequilibrou o primeiro jogo contra os argentinos. De um lado, o Brasil encaixou o serviço, quebrou a recepção rival e ainda marcou seis aces. Do outro, os argentinos não representaram perigo e, com isso, Bruninho trabalhou o tempo todo com bola na mão.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

E quando o passe sai, qual a jogada preferida? Muitas vezes é a bola rápida de meio. Com isso chegamos ao segundo destaque do final de semana e no geral deste começo de torneio: Éder. Na ausência de Lucão, que sentiu uma lesão diante da Polônia e ainda não voltou, Bruninho “elegeu” Éder seu parceiro nas bolas rápidas. Os dois já jogaram juntos, têm afinidade e na primeira partida na Argentina isso resultou em 14 pontos do central, o maior pontuador do Brasil. E Éder já é um jogador com uma certa experiência, que já tinha sido convocado por Bernardinho e está tendo a sua chance nesta competição. Pelo visto, está aproveitando bem!

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Seguindo o final de semana, o Brasil repetiu os 3 a 0 no segundo jogo, só que dessa vez os argentinos melhoraram no saque e deram mais trabalho. Entretanto, na opinião de Bruno, a seleção foi melhor na hora de fechar os sets. O Brasil deu uma vacilada na segunda parcial e só venceu nos 27 a 25. Mas depois aplicou um sonoro 25 a 13. Ou seja, depois de um set complicado, o time logo recuperou a concentração e o ritmo e se impôs.

E aqui, mais um destaque. Bernardinho mexeu no elenco e escalou Lipe como ponteiro titular no lugar de Lucarelli. E o jogador, mais uma das caras novas da seleção (assim como Éder, já tinha sido convocado e, também como central, jogou o Pan-Americano de 2011. O ponteiro foi um dos nomes do Brasil na conquista do ouro), mostrou a que veio e foi o maior pontuador, com 14 bolas no chão. Comentei isso quando falei da estreia de Lucarelli e acho que a ideia cabe aqui de novo. No momento, a seleção está um pouco carente de ponteiros já que Giba se aposentou do time e Murilo se recupera de uma cirurgia no ombro. É bom ver que esses caras que estão chegando, chegam fortes!

Infelizmente, o final de semana também teve um destaque ruim. Isac sofreu uma luxação exposta no quinto dedo da mão direita durante o terceiro set do segundo jogo. Não foi nada muito grave, de acordo com o médico da seleção, mas ainda não comentaram sobre a previsão de volta. Ruim porque o central, que havia entrado por conta de uma lesão de Lucão, estava se acostumando a Bruninho e foi uma arma e tanto no saque, justo o melhor fundamento do Brasil. Que se recupere logo! Mas coincidência ou não, Maurício entrou e já deixou um ace, só para manter a escrita dos centrais da seleção.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 13 de junho de 2013 Seleção masculina | 11:03

'Seleção está mais forte do que nunca'. Quem concorda?

Compartilhe: Twitter

“O Brasil está mais forte do que nunca sob a liderança de Bruninho, com Lucão em sua melhor fase e com a experiência que Vissotto adquiriu na Rússia. Temos grandes chances de fazer acontecer. E ainda tem Éder com a sua grande chance de mostrar para todo mundo o que pode fazer, assim como os jovens Lucarelli e Isac. Com esse time, não temos nada com o que se preocupar”.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Divulgação/FIVB

Lucarelli, Éder, Bruninho e Dante: novatos e experientes na seleção

As palavras são de quem entende do assunto. Gustavo Endres escreveu nesta quinta-feira um texto para a FIVB (veja a versão original, em inglês) e fez elogios à renovada seleção brasileira masculina que disputa a Liga Mundial. O time de Bernardinho venceu as duas primeiras partidas contra a Polônia e, nesta semana, encara a Argentina fora de casa.

“O Brasil está criando uma nova geração, com experientes e jovens. A mistura tem ajudado a formar uma equipe balanceada”, continua o central. “Acho que estamos no caminho para ganhar o título esse ano”, completa.

Quem concorda com Gustavo? Ainda tem muito trabalho pela frente, mas a formação da seleção agrada. Lucarelli estreou já como titular e segurou a pressão. Levou uns bloqueios no primeiro jogo, demorou a entrar de fato na partida, mas depois, deslanchou. E na segunda partida foi o teste de Isac. Ele ainda precisa de mais afinidade com Bruninho, o que virá com o tempo, mas também correspondeu.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

E como diz Gustavo, a mescla do time está interessante. Ao mesmo tempo que tem um Lucarelli em uma ponta, o cara mais jovem do time e ainda com pouca experiência, do outro lado tem o veterano Dante. Além disso, os tempos na Rússia fizeram bem a Vissotto. Foi bom ver o gigante soltando o braço no ataque e afinado com Bruninho. Ah, e Gustavo não falou, mas usar William e Wallace nas inversões de 5-1 também ajudou, já que entrosamento entre eles não falta. O que precisa é segurar a concentração durante toda a partida (contra a Polônia parece que apareceu aquela síndrome do terceiro set) e diminuir os erros.

Agora é ver como o time se comporta diante da Argentina. A seleção encara os hermanos às 20h30 desta sexta-feira e, depois, volta para quadra no mesmo horário no sábado.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 12 de junho de 2013 Diversos | 14:51

Romance está no ar!

Compartilhe: Twitter

Dia 12 de junho, Dia dos Namorados! E o vôlei reúne diversos casais no esporte, como Jaqueline e Murilo ou Mari Paraíba e Riad. Luciane Escouto conheceu o agora noivo também nas quadras, quando defendia o Macaé e ele era fisioterapeuta do time. Tem aqueles comprometidos com amores de fora das quadras e que ainda encaram a distância, como os jogadores da seleção masculina, que estão na Argentina para a Liga Mundial, longe das amadas…

Veja também: Seleção de fotos e declarações do Dia dos Namorados no mundo dos esportes

Esses e outros casais das quadras declaram seu amor nas redes sociais nesta quarta. Veja as fotos e as frases apaixonadas na galeria (clique nas imagens para ampliá-las):

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

domingo, 9 de junho de 2013 Seleção masculina | 18:52

42 erros e altos e baixos, mas vitória na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina venceu a segunda partida contra a Polônia neste domingo na Liga Mundial. Como no primeiro jogo, venceu os dois primeiros sets, mas nesta tarde teve mais altos e baixos e só fechou a partida no tie-break, com parciais de 28/26, 25/22, 23/25, 20/25 e 15/10.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

FIVB

Vissotto, com 26 acertos, foi o maior pontuador do Brasil

O primeiro set foi equilibrado e o Brasil não fechou antes porque no finalzinho teve dois sets points e desperdiçou com dois saques errados. Quando a bola entrou no serviço de Éder, o bloqueio completou e fechou a parcial. Depois, Lucão sentiu dores e deu lugar a Isac, mais dos novatos do time e que fazia a estreia na Liga Mundial. As jogadas de meio caíram um pouco, afinal, Bruninho é muito mais entrosado com Lucão do que com o novo central. Para compensar, Vissotto comandou os ataques e a seleção fez o seu melhor set na virada de bola.

Aí veio a longa parada até o começo do terceiro set. Na volta ao jogo, a Polônia começou a se arrumar na recepção e, principalmente, cresceu no bloqueio. Ainda com muito mais bolas de meio com Éder que com Isac, os ponteiros acabaram marcados e todo mundo errou. Cada bola atacada reta na tentativa de explorar o bloqueio… Os erros continuaram no quarto set. Parecia que a concentração brasileira tinha se perdido. Resultado? Dois sets vencidos pela Polônia.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Tie-break e quatro contra-ataques errados do Brasil. Ainda assim, a seleção dominava o placar porque o saque havia voltado a funcionar e o bloqueio também incomodava os poloneses. Apesar dos vacilou, o time amarelo venceu com tranquilidade e levou o jogo.
Ainda é muito cedo para se preocupar com alguma coisa na temporada, mas foram dois jogos nos quais o Brasil poderia ter vencido por 3 a 0. E neste domingo, a seleção errou demais! Foram 42 pontos de graça aos poloneses! Eles falharam 33 vezes, o que também é um número alto. Pelo menos o Brasil soube se recuperar.

E vale lembrar que a Polônia era a mesma campeã do ano passado, enquanto o Brasil se renovou. No primeiro jogo, teve a estreia de Lucarelli, que foi muito bem por sinal. Neste domingo ele rendeu menos. E agora quem entrou foi Isac. Ao longo da partida as jogadas com Bruninho começaram a sair e o saque do central ajudou, e muito. Saiu Lucão, conhecido pela pancada, mas que não estava no melhor dia, e entrou outro com o braço muito pesado. O Brasil marcou oito aces, três com Isac (Vissotto fez mais três, enquanto Lucarelli e Dante completaram a relação).

O saldo da estreia foi positivo, afinal, foram duas vitórias. Agora é acertar a concentração para não deixar cair a virada de bola e manter o ritmo no saque para os jogos da semana que vem. E claro, errar menos e não dar tantos aviões no ataque. o próximo adversário será a Argentina. E então? O que esperar da seqüência da Liga Mundial?

P.s.: Neste domingo a seleção feminina, com o mesmo time campeão em Montreux, venceu a Itália e faturou o título do Torneio de Alassio. Até aqui, aproveitamento de 100% para o time de Zé Roberto!

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 7 de junho de 2013 Seleção masculina | 15:36

Estreia e tanto de Lucarelli e vitória da seleção na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina de vôlei venceu a Polônia na estreia na Liga Mundial 2013. A partida acabou agora há pouco com 3 sets a 1 para o time nacional, com parciais de 25/22, 25/20, 22/25 e 25/15. E o destaque desse jogo também é para um estreante.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

O ponteiro Ricardo Lucarelli, mais jovem do time com 21 anos, fazia a sua estreia pela equipe na Liga Mundial. Logo no primeiro set, recebeu três bolas de Bruninho e ficou três vezes no bloqueio. Nervosismo de marinheiro de primeira viagem? Pode ser… Ainda na mesma parcial, o Brasil buscou o placar e virou em 18 a 17 justamente com ponto de Lucarelli, dando o troco nos poloneses e marcando no bloqueio. A partir daí, ele entrou no jogo.

Depois de quatro sets, o ponteiro fechou a partida com o maior pontuador, com 17 bolas no chão. Foram 11 ataques, três bloqueios e três aces. E foi justamente o serviço o melhor fundamento dele na partida. Durante as suas passagens pelo saque – muitas vezes forçado, mas também com algumas variações – o Brasil conseguiu quebrar o passe polonês e melhorar no jogo.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Foi uma estreia e tanto para o ponteiro! Ele soube superar o nervosismo e os bloqueios do começo (e vamos combinar que não é nada bom levar logo três seguidos!) para ser um dos destaques em quadra. E se lembrarmos que o Brasil está um pouco carente na posição, já que Giba se aposentou e Murilo se recupera de uma cirurgia no ombro, é ótimo ver Lucarelli começar assim.

No geral, o Brasil foi bem. Poderia ter fechado o jogo no terceiro set, mas não se abalou e atropelou na quarta parcial. Depois de começar parando no bloqueio, a seleção deu o troco e fechou o jogo com 14 a 12 em pontos no fundamento. O saque também entrou, com direito a seis aces.

Quanto aos demais  jogadores, Leandro Vissotto foi o cara da segurança, cumprindo o seu papel. O entrosamento de Bruninho com Lucão e com Éder (eles atuaram juntos na Cimed e parecem ainda se entender muito bem) também ajudou. O mesmo valeu para a inversão de 5-1. William entrou com Wallace e os dois estão mais do que acostumados a jogar juntos e a troca fez efeito. E também é bom ver Dante seguro, depois de tantos problemas e dores nos joelhos nas últimas temporadas.

Foi só o primeiro jogo de um novo ciclo olímpico. Mas a primeira impressão, para mim, foi boa. Ainda mais vencendo o mesmo time que foi a pedra no sapato da seleção masculina na Liga Mundial do ano passado, com Kurek, Bartman e todo mundo em quadra! Domingo tem mais Brasil x Polônia!

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 3 de junho de 2013 Diversos, Superliga | 18:03

Gustavo em dia de "fico"

Compartilhe: Twitter
Divulgação

Gustavo tem seu dia do fico

O central campeão olímpico e mundial Gustavo convocou uma coletiva para a tarde desta segunda-feira. Todo mundo esperava que ele fosse encerrar a carreira, afinal, já havia deixado a dúvida no ar desde o final da temporada passada, e decidisse seguir nos bastidores, atuando com a comissão técnica. Pois ele vai fazer esse trabalho de bastidores também. Gustavo segue mais uma temporada no Canoas.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Foi uma boa surpresa. Ele é um jogador muito experiente e que faz bem a qualquer equipe. Quem não iria querer contar com bloqueador como esse? E aos 37 anos, como ele mesmo lembrou durante a coletiva, não sofre com lesões e, por isso, consegue jogar no alto nível.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Gustavo também é uma voz ativa e isso só tende a ajudar o esporte e aos atletas. Mesmo como jogador, ele nunca deixou de criticar ou fazer campanha quando foi necessário. E agora a CBV parece estar ouvindo os atletas e criando um diálogo, tanto que algumas mudanças como calendário, jogo das estrelas e outros pontos já estão sendo discutidos. Que continue assim!

Então, no dia do “fico” de Gustavo, resta dizer boa sorte e boa temporada! Ele segue como central do Canoas e também atuando no comitê de gestão do time.

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 2 de junho de 2013 Seleção feminina | 13:34

Título para abrir a temporada da seleção feminina

Compartilhe: Twitter

Primeira competição da temporada e primeiro título para a seleção brasileira feminina de vôlei. A equipe comandada por José Roberto Guimarães venceu a Rússia por 3 sets a 0 (25/23, 25/23 e 25/22) e faturou o ouro no torneio Montreux Volley Masters. E claro que é ótimo começar um ciclo olímpico com título e sem perder nenhum set na competição!

Divulgação

Festa das brasileiras com título no torneio de Montreux

O Brasil foi para a Suíça renovado e a experiência deu certo. Na primeira fase, sem entrosamento e com muitos erros na recepção, a equipe venceu, mas teve um certo trabalho. Depois, parece ter se soltado em quadra e dominado a situação. Neste domingo, teve que buscar o resultado no primeiro set, mas empatou no final em 20 a 20 e venceu. Em seguida, se manteve firme e fechou os outros sets, com quase um passeio na última parcial.

Veja mais detalhes da final Brasil x Rússia

Agora, com título na mão, o que dizer dessa seleção brasileira? Vocês comentaram por aqui da questão da altura. Sim, esse time ficou um pouco baixo, mas se virou. E tem horas, no bloqueio por exemplo, que nem sempre ser gigante é a resposta para tudo. Tanto que, mesmo mais baixo, o Brasil de novo teve destaque nesse fundamento, com 17 pontos na partida. E no ataque, virou quando entendeu que não valia a pena encarar as jovens grandonas da Rússia.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

E em a atuação individual? O que vocês acharam? Sigo com Fernanda Garay como um dos destaques. A ponteira vem numa crescente desde que assumiu a titularidade lá em Londres, foi a capitã no Montreux e segura. Ela está à vontade em quadra e tem lugar certo nesse novo ciclo. Foi eleita com merecimento a MVP do torneio. Já na outra ponta, Pri Daroit foi bem no torneio. Ela também foi uma segurança na rede e ainda tem a vantagem de contar com um saque que atrapalha a recepção rival. Será que ela conseguiu entrar na briga pela posição?

No meio, Juciely chamou mais a atenção que Adenízia. Pode ser impressão, mas escutava mais o nome dela. E a central, mais uma da ala as baixinhas, mostrou agilidade no bloqueio e colaborou para o time. Pode já ter 32 anos e ainda ser novata na seleção, mas deu o recado.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Para completar, Monique acabou como oposta. Tandara, com dores no ombro, nem foi relacionada. Ela tem um estilo diferente, não é tanto de pancada, mas também correspondeu. E sua irmã Michelle neste domingo entrou também na posição nas inversões de 5-1. Deu certo, tanto que o Brasil reagiu no primeiro set e embalou para a partida.

Começar com título é sempre bom e Zé Roberto agora é quem precisa decidir quem segue no time, se volta com mais veteranas e como será a seleção daqui para frente!

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 1 de junho de 2013 Seleção feminina | 15:39

Seleção feminina na primeira final da temporada

Compartilhe: Twitter

*atualizado às 18h22

O Brasil está na decisão da Montreux Volley Masters! A seleção feminina venceu, agora há pouco, a República Dominicana por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/18 e 32/30, e vai disputar a primeira final da temporada. E o jogo desta tarde foi o primeiro teste de fato da equipe até aqui.

Mais notícias, transações de mercado e bastidores? Curta também a página do Mundo do Vôlei no Facebook

Divulgação

Fernanda Garay foi a maior pontuadora do Brasil na semifinal

O time de Zé Roberto havia passado por Suíça, juvenis da China e reservas da Rússia. Mas agora tinha pela frente as dominicanas com jogadoras experientes, como De La Cruz, Castillo e companhia. O jogo foi o mais equilibrado e acho que o Brasil se comportou bem. Abriu no primeiro set, viu as rivais melhorarem com uma inversão de 5-1, mas logo fechou. Depois, buscou o placar na segunda parcial e, de novo, deslanchou no final para vencer. E no último set, dificuldade para acabar com a partida, mas um bloqueio resolveu o jogo.

Falando em bloqueio, o Brasil deu lavada no fundamento, marcando 18 pontos nas três parciais. No terceiro set, por exemplo, uma das viradas veio com sequência de pontos de bloqueio. Destaques para Juciely (ela costuma resolver no bloqueio na Unilever e aparece também agora na seleção), Adenízia e Pri Daroit.

Siga também o Mundo do Vôlei no Twitter

Além disso, a seleção não cometeu tantos erros bobos e até por isso venceu os dois primeiros sets depois de ver a situação ficar equilibrada. Já as dominicanas… Elas deram 25 pontos ao Brasil em erros! Ou seja, a equipe nacional teve que, de fato, vencer dois sets para acabar com a partida.

Como disse no outro post, acho bom Zé Roberto manter a sua equipe em quadra. De novo, só Suelen entrou em passagens de saque. O resto foi o mesmo e elas conseguiram se encontrar, virar o placar e sair com a vitória. Vi também alguns lindos ataques de Fê Garay pelo fundo e se no outro comentário elogiei Pri Daroit, aqui aprovo a atuação da outra ponteira. E Garay foi a maior pontuadora, com 15 bolas no chão. Ela está segura e confiante em quadra! Assumiu bem o papel de ser uma das experientes do time e também a capitã.

Agora é esperar a final neste domingo. A decisão será às 11h (horário de Brasília) e quem estará do outro lado será a Rússia.  A equipe venceu a Itália por 3 sets a 2 na segunda semifinal. Será que o Brasil repete a vitória da fase classificatória? Amanhã a gente descobre! Até lá!

Autor: Tags: , , , ,