Publicidade

Arquivo de abril, 2012

sexta-feira, 27 de abril de 2012 Seleção feminina | 20:59

Bernardinho mescla novidade e experiência com Ricardinho

Compartilhe: Twitter

Bernardinho divulgou, nesta sexta-feira, a relação de 18 jogadores para a disputa da Liga Mundial. Mais uma vez, a expectativa era para saber se o nome de Ricardinho estaria ou não nesta lista. Desta vez, o técnico preferiu manter o levantador na relação, deixando Marlon de fora. Depois de cinco anos, Ricardinho vai voltar a disputar uma competição pela seleção brasileira.

Vote na enquete: Você concorda com a volta de Ricardinho?

Como já comentei por aqui, o lado bom disso é a qualidade de Ricardinho, que nunca foi colocada em questão. Ele pode ter algumas atitudes que não me agradam, como as reclamações constantes, mas isso também faz parte do papel de capitão. E ele é um ótimo jogador, veloz e preciso e tem uma ampla experiência internacional, o que ajuda em um ano olímpico, no qual o Brasil chega pressionado depois do vice na Liga Mundial e o terceiro lugar na Copa do Mundo. Foram bons resultados, afinal foram pódios, mas mostraram um time com altos e baixos.

E a convocação também indica o fim de algum problema de convivência porque Bernardinho deve ter conversado com seus atletas antes de fechar a lista. Ele não iria querer um clima ruim na equipe exatamente agora. Que a volta do levantador faça bem à seleção e faça bem à Bruninho, que assumiu a vaga sem ter em quem se espelhar, sem aquela passagem de titular para reversa, como foi de Maurício para Ricardinho, por exemplo.

Bernardinho também resolveu apostar em algumas novidades, convocando nomes como Maurício Borges, Renan e Lucarelli. São todos jogadores que foram destaques na base e que tiveram bons desempenhos nesta Superliga. Maurício foi a segurança da final no Sada Cruzeiro. Renan é o oposto gigante de 2,17m do BMG/São Bernardo, que ajuda no ataque e no bloqueio. E Lucarelli foi diversas vezes caçado na recepção e sofreu, mas tentou não deixar isso abalar o seu ataque.

Agora é esperar pela Liga Mundial para ver como o Brasil se sai com as novidades…

Veja a lista de Bernardinho para a Liga Mundial:

Levantadores
Bruno (Cimed/SKY) e Ricardinho (Vôlei Futuro)

Opostos
Wallace (Sada Cruzeiro), Leandro Vissotto (Cuneo), Theo (RJX), e Renan (BMG/São Bernardo)

Centrais
Éder (Cimed/SKY), Sidão e Rodrigão (Sesi-SP) e Lucão (RJX)

Ponteiros
Giba (Cimed/SKY), Murilo (Sesi-SP), João Paulo Bravo (Arkas Spor Kulubu), Dante (RJX), Lucarelli (Vivo/Minas) e Maurício Borges (Sada Cruzeiro)

Líberos
Serginho (Sesi-SP) e Mário Junior (Vôlei Futuro)

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 26 de abril de 2012 Seleção feminina | 13:02

Uruguai será primeiro rival no Pré-Olímpico

Compartilhe: Twitter

A CBV divulgou a tabela do Pré-Olímpico feminino de vôlei, e o Brasil estreia contra o Uruguai. Depois, encara a Colômbia. No outro outro grupo, Argentina, Venezuela, Chile e Peru duelam e os dois melhores de cada chave vão para a semifinal (Veja a tabela completa do Pré-Olímpico de vôlei).

O Brasil é o favorito, sobre isso não há dúvidas. E o torneio deve ter o ritmo do Sul-Americano do ano passado, vencido pela seleção sem maiores problemas. O que vale é pensar mais para frente, nos Jogos Olímpicos…

Fernandinha -CBV

Fernandinha, uma das novidades da convocação de Zé Roberto, treina em Saquarema

A provável facilidade que a seleção deve encarar no Pré-Olímpico não pode iludir. E a Copa do Mundo do ano passado lembrou que o time ainda tem problemas. Mas vamos ver como algumas novidades vão se sair em quadra.

A levantadora Fernandinha, por exemplo. Fabíola foi bem na Superliga, principalmente na final, quando teve o passe na mão. Já Dani Lins eu acompanhei pouco na temporada. Será que Fernandinha pode roubar uma vaga?

Outra cara nova é Natasha, central do Usiminas/Minas. Mas aqui acho ainda mais difícil uma mudança. Fabiana e Thaísa são a segurança da posição e Adenízia também fez uma grande Superliga, tanto no bloqueio quanto no ataque. E ainda tem Juciely, que tenta desde o ano passado um espacinho no time…

Entre ponteiras e opostas, nenhuma novidade. Vamos esperar pela recuperação e volta de Natália para mais um reforço para o time.

O Pré-Olímpico começa no dia 9 e será o primeiro compromisso do ano do Brasil. Com a vaga garantida e um peso a menos, se tudo der certo, será mais simples definir o grupo que irá ao Grand Prix e para Londres.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 25 de abril de 2012 Diversos, Seleção masculina, Superliga | 14:33

Novidades na seleção e novidades nos times

Compartilhe: Twitter

Depois de suas semanas de muito trabalho para o iG com as finais da Superliga feminina e masculina e um tempinho de folga, estamos de volta com uma semana que começou com novidades. Teve a pré-lista de Bernardinho para a Liga Mundial, ida de Bruninho para o RJX, renovações de Dante, Fabi e Juciely… É hora de colocar o papo em dia!

Pré-lista para a Liga Mundial

Bernardinho divulgou a pré-convocação na segunda-feira. Depois de muito se especular e comentar, está lá o nome de Ricardinho. E também de Lorena, Renan, Wallace, Lucarelli…. (veja a pré-lista completa de Bernardinho). Na prática isso não garante nada, afinal, é apenas uma pré-convocação. Dessa relação vão sair os jogadores que de fato irão disputar a Liga Mundial, mas Bernardinho pode fazer como em 2010 e não manter o nome de Ricardinho.

Por um lado é difícil ver uma mudança às vésperas da Olimpíada. Se os jogos fossem depois de 2010, com título da Liga e do Campeonato Mundial, o questionamento acho que seria menor. Mas o Brasil teve um 2011 instável, nas palavras de Bernardinho, e tanto Ricardinho quanto William são excelentes levantadores e poderiam ajudar. É bom ter alguém experiente na equipe no momento mais importante do ciclo que é a Olimpíada.

Mas, apesar de reconhecer a genialidade de Ricardinho, o seu jeito em quadra me incomoda um pouco. Os muitos questionamentos com a arbitragem, as provocações… É o mesmo com Lorena. Ele é um grande oposto e já levou muitos times nas costas, mas tem um temperamento que parece difícil de lidar dentro da quadra. É um jogador puramente emocional, o que pode ser bom muitas vezes, mas pode tirar o foco em outras.

Enfim, são 25 nomes, mas pouco mais da metade realmente irá para a Liga Mundial e, depois, para a Olimpíada. A escolha depende de Bernardinho.

RJX para 2013

Falando em levantadores, Bruninho fechou com o RJX. Marlon é quem deve sair do time carioca. Bom para os cariocas e ruim para os catarinenses, que perderam um grande time que era Cimed. Como já disse por aqui, acho muito injusto tirar o patrocínio porque a equipe caiu nas quartas de final. Se fosse em campeonato previsível, com amplo favoritismo, ok. Mas a Superliga deste ano foi realmente muito equilibrada. E o Cimed caiu depois de uma série duríssima contra o Vivo/Minas.  Na casa nova Bruninho terá a vantagem de encontrar os conhecidos companheiros de seleção e de já ser bem entrosado com eles. Por enquanto, Dante já renovou o seu contrato.

Recomeço na Unilever

A Unilever já se prepara para a próxima temporada e as primeiras renovações foram com a líbero Fabi e com central a Juciely. Que o time não sofra de novo com uma jogadora a menos, como foi na temporada. Mas a derrota com direito a passeio para o Sollys/Nestlé na final da Superliga deve ter deixado algumas lições. Que o time siga forte, mas que na temporada 2012/2013 outros times cheguem à final do torneio nacional. Variar às vezes faz bem também.

Vice na Turquia

E a notícia quentinha do post é a final do Campeonato Turco. O jogo acabou agora há pouco e o título ficou com o Fenerbahçe, que bateu o Arkas Spor, de João Paulo Bravo, por 3 a 0, com parciais de 25/23, 25/20 e 25/21.

Autor: Tags: , , , , , , ,

sábado, 21 de abril de 2012 Superliga | 18:02

Briga, vibração e muito barulho na final da Superliga

Compartilhe: Twitter
Sada Cruzeiro

Sada Cruzeiro comemora título da Superliga

Parece que ainda estou escutando os bate-bates da torcida do Vôlei Futuro e os gritos do lado do Sada Cruzeiro mesmo horas depois da final da Superliga masculina. Os fãs deixaram o ginásio poliesportivo de São Bernardo do Campo branco e azul, fizeram barulho do começo ao fim e foram coroados com uma bela atuação do Sada Cruzeiro, campeão da Superliga masculina 2011/2012.

Saiba como foi a final da Superliga: De virada, Cruzeiro vence Vôlei Futuro e fatura título

No primeiro set da partida, a vibração do time do Vôlei Futuro era bem maior se comparada do Sada Cruzeiro. Talvez fiquei com essa sensação porque estava do lado deles da quadra. Cada ponto era um jogador gritando mais do que o outro. E logo no começo apareçam as características reclamações do time de Araçatuba (Ricardinho passa o jogo inteiro cobrando o árbitro!). Não deu certo. Lorena partiu para cima dos jogadores do Sada Cruzeiro e foi parar do outro lado da quadra, ao melhor estilo Brasil x Cuba no feminino.

Leia mais: Sada Cruzeiro domina premiação individual, mas valoriza conjunto

Com ânimos no lugar e depois de três amarelos, o jogo seguiu. Depois de um primeiro set equilibrado, o Sada Cruzeiro dominou as duas parciais seguintes. A vibração aos poucos mudou de lado. Com um ponto de bloqueio já no quarto set, o levantador William deu uma volta olímpica na quadra. E o Vôlei Futuro ainda perdeu Lorena, que sentiu cãibras na panturrilha direita, saiu no começo do terceiro set e voltou apenas no final do quarto.

Mais uma vez, barulho ensurdecedor. Mesmo atrás no placar, a torcida do Vôlei Futuro foi à loucura depois de pedir e ver Lorena em quadra. Mas a manhã era do Sada Cruzeiro. O time fez o que sabe, mostrou volume de jogo e aproveitou demais os contra-ataques. William distribuiu com precisão e foi o melhor em quadra. Filipe foi para o saque e soltou uma bomba. E o time de Minas ficou com o título.

Leia ainda: William se emociona ao lembrar do pai e descarta seleção

A festa foi azul em São Bernardo. Os jogadores do Vôlei Futuro agradeceram à torcida, mas quem fez festa mesmo foi o Sada Cruzeiro com sua volta olímpica e quem tinha vindo de Contagem, em Minas, para o ABC paulista.

O espetáculo poderia ter sido mais emocionante se Lorena tivesse jogado o tempo todo. Ele é a referência do Vôlei Futuro, que perdeu muito na virada de bola com o desfalque em dois sets que decidiram a partida. Mas isso em nada tira o mérito do Sada Cruzeiro que, com um jeito mais calmo e comedido no começo, cresceu e se aproveitou, soltando o grito de é campeão pela primeira vez.

Douglas - Sada/Cruzeiro

Douglas vibra para o campeão Sada Cruzeiro na final da Superliga

Autor: Tags: , , , ,

Superliga | 14:57

Sada Cruzeiro é campeão da Superliga masculina

Compartilhe: Twitter

Segunda final consecutiva e primeiro título para o Sada Cruzeiro. Time de Contagem venceu o Vôlei Futuro na manha deste sábado por 3 sets a 1 e faturou a edição 2011/2012 da Superliga masculina. Estava lá no ginásio em São Bernardo e, enquanto termino as matérias para o iG, deixo o relato do jogo para vocês. Volto mais tarde com os comentários. E parabéns, Sada Cruzeiro!

Saiba como foi a final da Superliga: De virada, Cruzeiro vence Vôlei Futuro e fatura título inédito

Sada Cruzeiro

Sada Cruzeiro no lugar mais alto do pódio na Superliga masculina


Autor: Tags: ,

sábado, 14 de abril de 2012 Superliga | 12:14

Com saque, vibração e Hooker, Sollys/Nestlé é campeão

Compartilhe: Twitter

Foi preciso 1 hora e 19 minutos para o Sollys/Nestlé fazer uma excelente partida, devolver os 3 sets a 0 do ano passado para cima do Unilever e faturar o título da Superliga feminina 2011/2012. Foi o quinto ouro do time de Osasco no torneio nacional.

sollys - vipcomm

Jaqueline levanta troféu de campeã da Superliga 2011/2012

As paulistas entraram concentradas e muito vibrantes desde o primeiro ponto. E logo usaram um recurso comum aos rivais do Unilever nesta Superliga: sacar na Mari. Nem era preciso forçar apenas na ponteira. No geral, o fundo carioca falhou bastante. Com um saque tático bem colocado, o Sollys/Nestlé fez cinco aces e quebrou o passe carioca diversas vezes. Assim, abriu vantagem e fechou o primeiro set com facilidade. E seguindo com esse mesmo serviço se manteve à frente durante quase toda a partida.

Veja como foi a vitória do Sollys/Nestlé na final da Superliga set a set

Se o saque entra, fica mais fácil fazer bloqueios. Foram mais seis pontos no fundamento e outros tantas bolas amortecidas. Depois, as amortecidas viraram contra-ataques no chão. O Unilever não conseguiu fazer tantos estragos com o saque e, principalmente no segundo set, errou muito no fundamento. Mesmo assim, pontuou mais no bloqueio (sete bolas no chão), mas não colocou tanta pressão no geral. E quando a bola das cariocas passava pelo bloqueio paulista, tinha a líbero Camila Brait no fundo. Como ela defendeu! Também poderia ter levado o troféu de melhor em quadra.

Destinee Hooker

Hooker foi a maior pontuadora da partida e comandou o ataque do Sollys/Nestlé

O saque fez sua parte e o ataque também. Aí quem merece destaque é a norte-americana Destinee Hooker, mais uma que poderia ter sido a melhor da partida. Ela chamou jogo, bateu, largou, superou o bloqueio. Marcou 20 pontos e foi realmente a jogadora de segurança que se espera de uma oposta. Quem também virou bem foi Thaísa, autora do último ponto. E isso é resultado da boa atuação de Fabíola, quem acabou sendo eleita a melhor jogadora da final e a melhor levantadora do torneio.

Enquanto Fernanda Venturini sofria com o passe, Fabíola pode trabalhar com a bola mão. Ela usou a Hooker, que estava virando mais, mas não esqueceu das outras atacantes. Fez o certo. Acionou as centrais enquanto o bloqueio carioca não estava acompanhando. Chamou a norte-americana no momento decisivo. Levantadora e oposta fizeram uma bela dupla. Fabíola fecha a temporada em ótima forma, mais madura e confiante para o Pré-Olímpico e para Londres (lembrando que levantadora vem sendo um problema para a seleção). Já Venturini se despede definitivamente das quadras com a derrota, mas também depois de ter feito uma ótima Superliga, consertando diversas bolas quebradas, coisa que só uma excelente jogadora consegue, e levando o Unilever até a final.

Foi campeão quem chegou melhor à decisão. O Sollys/Nestlé não perdia desde a estreia no returno. Já o Unilever teve uma temporada irregular, sofreu com uma jogadora a menos, já que Natália não entrou em nenhuma partida. Foi campeão quem jogou com sangue nos olhos. O Sollys/Nestlé vibrou muito mais, do primeiro ao último ponto. E foi campeão quem foi mais completo. O Sollys/Nestlé sacou melhor, atacou melhor e se impôs mais no bloqueio.

Autor: Tags: , , , , ,

Superliga | 00:13

Vôlei Futuro vence semi que começou e terminou no saque

Compartilhe: Twitter
Michael - Vipcomm

Michael fez quatro aces para o Vôlei Futuro na partida desta sexta-feira pela semi da Superliga

Logo de cara o Vôlei Futuro deu o seu recado para o RJX na partida que decidiria a semifinal da Superliga: iria apostar no saque forçado. E a aposta deu certo, já que Michael começou fulminando no fundamento. O time chegou a abrir 9 a 2 no primeiro set. Depois foi a vez de Vini, outro central de Araçatuba, acertar a mão, como já fez em outros jogos do torneio e na segunda partida da semifinal. Jogando em casa, o Vôlei Futuro fez 3 sets a 1 para cima do RJX e garantiu a vaga na decisão do campeonato.

Veja como foi a vitória do Vôlei Futuro set a set

Como o Vôlei Futuro soube acertar o saque! No final, foram nove aces da equipe da casa e cinco da carioca. Muitas bolas do Vôlei Futuro não foram direto para chão, mas “explodiram” nos jogadores do RJX. E o jogo começou e acabou no fundamento. Se Michael acertou e pontuou logo de cara no serviço, Lucão entregou o último ponto do quarto set com um erro, depois de ter feito também mais um ponto no saque.

Mas outros aspectos ainda chamaram a atenção nesta sexta-feira. O central paulista Michael não foi bem apenas no serviço. Ele virou no ataque e ajudou no bloqueio, tanto que foi eleito o melhor em quadra. No final, Dentinho foi o cara, com bloqueios em sequência mesmo não sendo o mais alto da rede.

Do outro lado, Dante segurou o jogo. Ele foi o maior pontuador do confronto, com 17 acertos, e entrou de fato na partida depois de ver uma discussão entre seus companheiros. Marlon e Riad se desentenderam e o central acabou indo para o banco. Assim que foi substituído, ele partiu para o vestiário. Dante se revoltou com aquela atitude, chamou Riad de moleque e desabafou na bola, soltando a bola no ataque, pontuando sempre que acionado. Vale lembrar que no segundo jogo uma situação parecida aconteceu. Lorena acordou de vez depois de discutir com Théo.

O problema foi que, desta vez, só a vontade de Dante não adiantou. O ponteiro motivou o RJX no terceiro set e a equipe venceu a parcial. Entretanto, começou o quarto set como os outros, atrás no placar, sofrendo com o saque e sem muitas forças para virar. Além disso, Théo, que seria o cara de segurança no RJX, não se encontrou em momento algum na partida. E se nem o seu oposto joga bem quando o passe está bem quebrado, fica complicado.

Essa partida começou com cara de jogo fácil depois de o Vôlei Futuro vencer as duas primeiras parciais, ganhou ares de um jogaço com a reação no terceiro set do RJX, mas acabou com vantagem para os donos da casa. Que venha agora a final contra o Sada Cruzeiro.

Notícia triste do dia

Segundo jornais e alguns blog, o Cimed perdeu o patrocínio da Sky e corre o risco de fechar. É complicado acabar com uma equipe tetracampeã só porque caiu nas quartas de final duas vezes seguida. Chegar aos playoffs, ainda mais uma um torneio equilibrado como a Superliga masculina, não é pouco.

Com a saída do patrocinador devem sair também Giba e Gustavo. Que o time consiga manter os outros atletas…

Autor: Tags: , , , , , , ,

domingo, 8 de abril de 2012 Superliga | 13:23

Lorena volta, e Vôlei Futuro empata em jogo de saques

Compartilhe: Twitter

Está tudo igual na semifinal da Superliga masculina. O Vôlei Futuro venceu o RJX por 3 sets a 1 neste domingo e levou a decisão para casa. E se na primeira partida, quando perdeu por 3 a 0, o time de Araçatuba sofreu por não contar com Lorena que, doente, jogou muito abaixo do esperado, agora o oposto cresceu no jogo e comandou.

Veja o jogo set a set: De virada, Vôlei Futuro vence RJX e empata semifinal

Lorena-Ricardinho/Divulgação

Lorena abraça Ricardinho na vitória do Vôlei Futuro sobre o RJX

Foi preciso uma discussão na rede para “acender” Lorena. Depois de brigar com Théo por causa de uma marcação do árbitro (falando nisso, diversas bolas foram duvidosas), o oposto passou a vibrar mais e, concentrado, virou bolas e variou no saque. Nada de, na hora da decisão, forçar e correr risco de errar. Lorena balanceou e ajudou seu time. Mais uma vez, a parceria com Ricardinho deu certo. O oposto chamou jogo, ganhou confiança e “voltou” de fato ao time.

E a virada do Vôlei Futuro também merece destaque. Eles saíram de 5 a 0 e 9 a 3 no terceiro set e se recuperaram, De novo, com Lorena, que marcou o ponto de empate e colaborou para que o Vôlei Futuro voltasse e ainda vencesse o set.

No RJX, um bom começo aproveitando os contra-ataques, mas faltou definição para aguentar até o quarto set. Mesmo bloqueando mais (8 a 4), o time caiu de rendimento e viu o Vôlei Futuro seguir forte. Eles fizeram um lance lindo no começo, com Dante recuperando uma bola quase na arquibancada e, depois, concluindo no bloqueio. Mas pecaram no final, com um levantamento que passou no meio dos braços do central Ualas…

Saque forçado x saque forçado

Neste domingo, o saque das duas equipes foi muito bem. O Vôlei Futuro demorou um pouco a ganhar o ritmo ideal, mas fez um excelente final. Lucão, que vem sendo destaque do RJX, continuou forçando e acertando o serviço, como no outro jogo da série. Só ele fez cinco dos oito aces do time carioca.

Foram oito aces também para o lado de Araçatuba, quatro de Vini. E como o central arriscou e marcou na hora certa! No quarto set, quando o Vôlei Futuro já liderava, ele quebrou a recepção e fez um ace na sequência, marcando 23 a 17. O RJX ainda salvou um match point no com outro ace, agora de Théo. Mas o oposto colocou na rede o serviço e o jogo acabou.

Os times estão forçando muito e o resultado está saindo. Além dos 16 aces no jogo, diversos passes saíram quebrados. E, depois de uma sequência de pancadas, alguém alivia e confunde ainda mais a recepção do outro lado. Gostei desse serviço neste domingo e espero mais pancadas  certeiras na próxima sexta, na partida que decide o finalista da Superliga. O jogo será às 21h, em Araçatuba.

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 7 de abril de 2012 Superliga | 13:01

Sada Cruzeiro mostra superioridade e vai para final

Compartilhe: Twitter
Sada Cruzeiro - Vipcomm

Bloqueio do Sada Cruzeiro atrapalhou os ataques do Minas na semifinal deste sábado

Sada Cruzeiro venceu o Vivo/Minas na manhã deste sábado e está na final da Superliga masculina 2011/2012. Para os donos da casa, nem a torcida ajudou. Eles deram 23 pontos de graça e viram o Cruzeiro marcar 3 sets a 0, com direito a lavada no terceiro set. Do lado dos visitantes, foi o jogo já conhecido, com volume, contra-ataques certeiros e um bom saque.

Veja como foi set a set: Sada Cruzeiro bate Vivo/Minas e fecha semifinal

A diferença do jogo começou pelo saque. Enquanto o Sada Cruzeiro conseguiu acertar a mão e tirar o passe de Marcelinho, o Vivo/Minas não foi agressivo e William trabalho soltou, com a bola redonda na maioria das jogadas. Assim ficou simples para o levantador variar bem as jogadas. Depois de começar os sets com meio com Douglas Cordeiro, passou a usar Maurício, Filipe e Wallace, mais uma vez o maior pontuador do jogo. Foi uma bela atuação de William!

Além disso, sabemos que  quem saca melhor tem vantagem no bloqueio. Foram oito pontos a três no fundamento para o Sada Cruzeiro. Isso sem contar as amortecidas… E atacar sempre com bloqueio armado é ruim e faz o jogador cometer mais erros ainda com bolas isoladas na tentativa de explorar, por exemplo.

Já o Vivo/Minas foi se apagando em quadra. Saiu na frente no primeiro set e levou a virada. Depois, tentou equilibrar no segundo set e, de novo, ficou para trás. E aí entregou os pontos no terceiro set, perdendo por 12 a 3, depois 20 a 9 e vendo o jogo acabar em 25 a 15. Sem passe, Marcelinho teve que forçar mais com as pontas e aí o bloqueio cruzeirense foi melhor. E os mineiros erraram demais! 23 pontos de graça em três sets jogo? Dispensa mais comentários…

Mas os playoffs da Superliga masculina estão bem interessantes. Se no feminino já era esperado mais uma vez Unilever e Sollys/Nestlé na final, por aqui os duelos estão surpreendendo. Nas quartas, o RJX deixou o campeão Sesi pelo caminho. Já o Sada Cruzeiro sofreu muito para bater o BMG/São Bernardo e, agora, passou com facilidade pelo Minas. Isso porque o Minas havia feito uma virada diante do Cimed só por 3 sets a 2!

Ingressos rendem polêmica

Durante a semana, os ingressos para Vivo/Minas x Sada Cruzeiro causaram uma certa polêmica nas redes sociais. O Minas logo disse que os ingressos estavam esgotados, deixando muitos cruzeirenses “na mão”. Jogadores reclamaram e ironizaram em suas páginas no Twitter antes da partida. “Galera, sobrou um ingresso, alguém?”,  disse o central Acácio. Agora, depois do jogo, eles voltaram às redes sociais.

“300 cruzeirenses fizeram muito mais barulho que 3300 minastenistas”, escreveu o líbero Serginho, que ainda postou que sua família acompanhou a partida pela televisão.

Tudo bem, o jogo era de mando do Vivo/Minas, mas não era possível fazer um acordo mais amigável sobre os ingressos?

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 6 de abril de 2012 Superliga | 23:29

E a final será Unilever x Sollys mais uma vez…

Compartilhe: Twitter

Começa Superliga, termina Superliga e uma coisa não muda: a final. Pela oitava vez consecutiva Unilever vai encarar o Sollys/Nestlé na decisão do torneio nacional. O time do Rio Janeiro venceu o Vôlei Futuro agora há pouco por 3 sets a 0 e avançou à briga pelo título.

Unilever

Juciely ajudou no bloqueio da Unilever. Fundamento fez a diferença mais uma vez

Leia mais detalhes do jogo: Unilever vence Vôlei Futuro e vai a mais uma final de Superliga

E depois de um 3 a 0 no qual só o Unilever jogou e outro jogo decidido no tie-break para o Vôlei Futuro, a partida desta noite começou um pouco devagar. Ninguém atacava a bola de verdade! Era largada de um lado e largada de outro. Aos poucos, as largadas do Unilever cairam mais e o time venceu o primeiro set.

O cenário começou a mudar na segunda parcial. De um lado, Sheilla passou a soltar o braço. Do outro, Paula Pequeno e Fernanda Garay também começaram a atacar mais. O Vôlei Futuro cresceu, liderou, mas falhou. Quando tinha a vantagem e podia decidir e empatar o jogo, pecou nas finalizações e levou a virada e saiu, de novo, derrotado.

Ainda havia o terceiro set, mas o Vôlei Futuro demorou a voltar para a quadra e levou um 7 a 1. Elas até empataram, mas aí o jogo voltou a ser como na primeira partida da série, com o bloqueio do Unilever marcando presença. Foram três pontos em sequência no fundamento no finalzinho da parcial, mais uma vitória, final de jogo e a vaga na decisão. Amanda, que saiu do banco para ajudar no fundo, acabou aparecendo também na rede e foi destaque da partida.

Ninguém estava no auge do ataque nesta noite. Mari pouco apareceu. Sheilla demorou a virar de verdade. Joycinha também mais aliviou do que soltou o braço. Os passes quebrados dos dois lados ajudaram para isso. Mas se não dá para decidir no ataque, a opção é decidir no bloqueio. Parece que foi essa a tática adotada pelo Unilever e que já deu certo em outros jogos da Superliga. O time de Bernardinho pode sofrer na recepção e, muitas vezes, depender do talento de Fernanda Venturini (apesar de eu achar que ela não foi tão bem nesta sexta-feira), mas está se mostrando uma potência e tanto no bloqueio, marcando muito bem os rivais. E o Vôlei Futuro ajudou, sendo pouco agressivo nos momentos decisivos. E lá vamos nós para mais um Rio x Osasco na decisão…

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última