Publicidade

Arquivo de julho, 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010 Seleção masculina | 14:59

Brasil fecha primeira fase com vitória no tie-break

Compartilhe: Twitter

*atualizado dia 10/07, às 11h20

Acabou a primeira fase da Liga Mundial para o Brasil. O time de Bernardinho venceu a Bulgária por 3 sets a 2 fora de casa e encerrou a etapa com apenas uma derrota, para a Holanda. O jogo começou bom, com o Brasil variando os ataques com Marlon no levantamento. Depois, a Bulgária encaixou o saque e o ataque, a recepção brasileira aceitou e o time perdeu a concentração e dois sets. Fechou apenas no tie-break.

Coincidência ou não, o Brasil se recuperou jogo no momento que Vissotto voltou a bloquear. A partir daí, a equipe recuperou a atenção necessária para as jogadas. O oposto, mais uma vez, foi o maior pontuador, com 21 bolas no chão. Ele resumiu bem o jogo. “Todos os sets eles estiveram na frente, porque acabamos tendo alguns momentos de desconcentracão. Era para termos vencido por 3 a 0”, disse ao site da CBV.

Sim, depois do primeiro set, parecia mesmo um 3 a 0. Mas, apesar dos deslizes, valeu ver o Brasil lutando até o fim em um jogo que não valia mais nada, já que a equipe já estava classificada para as finais e na liderança do grupo. E do outro lado, a Bulgária estava com tudo porque uma vitória poderia colocar o time na fase decisiva.

Além disso, como bem comentou Edgar após a partida por aqui, a seleção se mostrou um conjunto coeso. Não teve o cara do jogo, mas cada um que havia falhado antes vez o seu papel e ajudou a reerguer o time. Também gostei da variação de jogadas de Marlon e de Giba, que não está em seu melhor, mas é importante para o time pela experiência e confiança que passa. E como também escreveram por aqui, eu queria ver o Sandro em ação mais vezes. Ele realmente entrou bem no começo da Liga Mundial, mas não foi mais relacionado por Bernardinho…

Agora é se acertar para chegar forte à fase final, na Argentina, a partir do dia 21 de julho. A seleção descansa no Brasil e, depois, segue para Córdoba. Eu acredito nessa seleção… E vocês? Deixem seus comentários!

P.s.: bem legais os comentários dos jogos, galera. Sempre que consigo, tento incluir alguns deles no post. O que acham disso? Bom, o blog ficou em boas mãos nessa correria com a Copa do Mundo aqui na redação! Obrigada!

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 8 de julho de 2010 Seleção masculina | 16:53

Vissotto é o cara da vitória da classificação do Brasil

Compartilhe: Twitter

O Brasil venceu a Bulgária fora de casa por 3 sets a 1 (25/22, 25/23, 23/25 e 26/24) nesta sexta-feira e garantiu a vaga na fase final da Liga Mundial. Foi um jogo de alto nível, com belos ataques, saques eficientes e bloqueios “caixotes”. E dessa vez quem merece o destaque é Leandro Vissotto.

Com 2,12m, ele era o cara de segurança para vencer o pesado bloqueio búlgaro e desempenhou muito bem o seu papel. Acho que o foi o melhor jogo dele na Liga Mundial. Vissotto marcou 28 pontos na partida e estava seguro no ataque, mas também cresceu nos outros fundamentos, principalmente no saque.

Como o leitor Emmanuel comentou no post anterior, o saque do Brasil ainda está inconstante. Quando era apenas uma torcedora, chamava isso de “saque descartável”, ou seja, acerta o primeiro e erra o segundo. E isso, como comentou Emmanuel, está acontecendo com frequência na seleção. Os jogadores insistem em forçar e erram muito. Hoje foram 18 erros no total.

Vissotto optou por um saque mais seguro. Trocou a força pelo serviço tático e prejudicou bastante a recepção da Bulgária. No começo do quarto set, o Brasil perdia por 6 a 2 e empatou em 6 a 6 na passagem do oposto pelo serviço. Foi o que quis dizer no último post, com além de usar a inteligência no ataque para não levar bloqueio no rosto, é bom usá-la no saque. Encaixar o serviço pode ser muito mais valioso do que arriscar tudo na pancada. Vale deixar o jogo acontecer e contar, por exemplo, com o bloqueio para segurar o ataque. Para seguir com os números, Vissotto sacou 17 vezes e errou duas.

O oposto brasileiro também atuou bem no bloqueio. Ele marcou seis pontos no fundamento, com direito muita vibração depois de fechar a porta para Kaziyski, seu companheiro de Trentino. Enfim, foi o Leandro Vissotto que todos esperavam! Pelo menos foi o que eu esperava, já que comentei outras vezes por aqui que o achava inseguro em alguns momentos e sabia, pelo que fez no Italiano e na Liga dos Campeões, que era melhor do que aquilo.

O Brasil joga mais uma vez contra a Bulgária neste sábado, ao meio-dia, e pode até perder que já está na fase final porque acabaria essa etapa com uma vitória a mais que os búlgaros. Ainda assim, acredito em mais um belo jogo. E vocês? O que acharam da partida? Deixe seu comentário!

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 7 de julho de 2010 Seleção masculina | 12:46

A vitória que vale a classificação na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina pode assegurar a vaga na fase final da Liga Mundial nesta quinta-feira. Para isso, é preciso vencer a Bulgária fora de casa. E agora, o que deve ser feito no time para segurar a liderança e garantir logo o passaporte para os jogos na Argentina? Vamos a alguns palpites…

Concentração
O Brasil chega à Bulgária com duas vitórias sobre a Coreia do Sul, mas com alguns problemas. Pedi ajuda para Thiago Alves para entender o aconteceu com a seleção para perder uma parcial em cada jogo. “O time vacilou porque nos dois dias estávamos vencendo o 3º set e, no final, acabamos entregando nos nossos próprios erros. Se não me engano, no sábado os dois últimos pontos foram dois aces que ficamos naquela dúvida se ia dentro ou fora”, disse.

Isso pode ser falta de concentração, afinal, o Brasil se perdeu com os próprios erros. Contra a Bulgária, é fundamental ter atenção a todos os detalhes já que, do outro lado da quadra, estarão jogadores experientes, bons no ataque e que também sonham com a vaga na fase final.

Saque x recepção
Como vimos no primeiro final de semana da Liga Mundial, o jogo da Bulgária é baseado em saque forçado. Eles sacam pesado o tempo todo e a nossa recepção precisa estar ligada para, mesmo assim, conseguir passar bem as bolas para não cairmos nas jogadas mais lentas.

Inteligência no ataque
E chegamos a outro ponto observado por Bernardinho depois dos primeiros jogos. Para vencer a Bulgária, é preciso atacar com inteligência. Não adianta soltar o braço contra o bloqueio deles, que é muito bem armado. Tem que explorar no caso das bolas mais altas e acelerar quando possível. Foi assim que Murilo se destacou no começo da Liga Mundial, e passou pelo bloqueio mesmo com 1,90m. E aqui é bom contar com Leandro Vissotto em uma crescente, afinal, será para ele a bola mais complicada, para bater por cima do bloqueio triplo.

Vale também inteligência no saque. Às vezes, o serviço forçado é ótimo, mas também é possível sacar flutuante para atrasar a jogada e tirar, por exemplo, Kaziyski do ataque. E essa variação no serviço é uma das qualidades do Brasil, que tem jogadores como Lucão, especialista na pancada, e Rodrigão, bem no flutuante.

E você? O que acha que o Brasil precisa fazer para vencer a Bulgária e assegurar a vaga na fase final? Dê o seu palpite!

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 4 de julho de 2010 Seleção masculina | 14:12

A segunda vitória na madrugada

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina venceu mais uma vez a Coreia do Sul na Liga Mundial, nesta madrugada. O Brasil fez 3 sets a 1 e vai para a Bulgária, na última rodada da primeira fase, como líder do grupo A. De novo, pelo mesmo motivo (leia-se plantão da Copa do Mundo), não assisti ao jogo, mas gostei mais do que eu li dessa vez.

Leandro Vissotto foi o destaque da seleção

Leandro Vissotto foi o destaque da seleção

Leandro Vissotto foi o maior pontuador da partida, com 24 acertos e pontos em todos os fundamentos. Já falei algumas vezes sobre ele aqui no blog e sempre comentei que esperava mais nesta temporada na seleção. Será agora temos a grande atuação do nosso oposto? Espero que sim! Bom saber também da boa atuação de Wallace, que até arrancou gritos da torcida sul-coreana quando partia para o ataque. Com impulsão e um jeito cubano de bater, ele é o futuro na posição de oposto e deve estar muito bem para a Olimpíada de Londres. Por enquanto, como comentou a leitora Cecília, ele pode ser a opção no banco no lugar de Théo.

Voltando para o jogo da madrugada, mais uma vez o Brasil poderia ter feito um 3 a 0. Venceu os dois primeiros sets, com destaque para Vissotto no ataque na segunda parcial, mas se perdeu com o saque asiático e com a falta de concentração no terceiro. Parece que foi o mesmo problema do primeiro jogo. Depois, eles se recuperaram e acabaram com a partida (leia mais).

O dever foi cumprido! Era preciso vencer os dois jogos para assegurar a primeira colocação. Isso o Brasil fez. Agora, os jogadores seguem viagem para Bulgária. Lá terão pela frente saque e ataques potentes e bloqueios bem armados, como foi na estreia da Liga Mundial. A diferença é que, agora, os brasileiros sabem que vale mais atacar com inteligência do que soltar o braço. E será bom contar com Vissotto, nosso gigante, em uma crescente!

E você? Assistiram aos jogos da madrugada? Gostaram da atuação dos brasileiros? E o que esperam para as partidas contra a Bulgária? Deixem seus comentários!

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 3 de julho de 2010 Seleção masculina | 12:12

A primeira vitória na madrugada

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina fez o que precisava e venceu a Coreia do Sul nesta madrugada fora de casa na Liga Mundial. Confesso que não consegui ficar acordada para a partida (mesmo com o Brasil fora da Copa, o ritmo segue puxado na redação!) e não gostei tanto do que li sobre a partida.

O Brasil fez 3 sets a 1 e todos sabemos que temos time para vencer por 3 a 0. Quem assistiu, me ajude a entender o que aconteceu? Pelo que eu vi, a seleção começou bem, mas a Coreia equilibrou o jogo com bolas de velocidade no primeiro set. Na parcial seguinte, o ataque do Brasil fez a diferença e o time venceu sem problemas. Depois foi a vez da Coreia do Sul. Os asiáticos acertaram a mão no saque, abriram vantagem e fecharam o set. Para tudo “voltar ao normal”, superioridade total do Brasil e um 25 a 13 para acabar com a partida.

Os números do jogo também dizem alguma coisa. Dante segue bem e foi o maior pontuador, com 22 acertos e líder em pontos em todos os fundamentos. Alguém ainda duvida que ele está em ótima fase? Vissotto marcou 14 pontos e é bom saber que ele aparecendo nos jogos. No final, o Brasil venceu, conquistou três pontos, e fez o seu papel para seguir na liderança do grupo A.

Depois do jogo, Bernardinho disse que a seleção venceu aproveitando-se da deficiência dos asiáticos na defesa. Ele ainda lembrou que os times estavam cansados, pois estavam há apenas dois dias no país. Para o Brasil, o jogo foi em um horário diferente do habitual. Os jogadores estão acostumados descansar depois do almoço e não entrar em quadra para jogar às 14h.

Os dois times se enfrentam de novo nesta madrugada. Ao Brasil, fica o alerta para evitar erros. Os sul-coreanos erraram demais, com 25 bolas de graça, mas os brasileiros foram além e deram 29 pontos. Não tem motivo para forçar e errar tanto contra com o um time mais fraco tecnicamente como a Coreia…

Vamos ver como será o próximo jogo! Por enquanto, vocês me contam o que aconteceu no set perdido desta madrugada… Eu continuo no plantão aqui na redação!

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última