Publicidade

Arquivo de junho, 2010

domingo, 27 de junho de 2010 Seleção masculina | 14:29

Virada para acordar na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina teve trabalho para vencer a Holanda pela segunda vez neste final de semana na Liga Mundial. O Brasil perdeu os dois primeiros sets, buscou a virada e fechou a partida no tie-break (19/25, 23/25, 25/22, 25/17 e 15/10). Um jogo que pode servir de alerta na Liga Mundial.

Dante ataca para cima do bloqueio da Holanda - Divulgação

Dante ataca para cima do bloqueio da Holanda - Divulgação

O Brasil começou perdendo por causa do saque e do bloqueio holandês. E, depois virou o jogo quando melhorou nesses dois fundamentos. Não precisa sacar forçado o tempo todo, às vezes com serviço colocado e bem executado atrapalha mais a recepção, como já comentamos por aqui. Além disso, bloqueio é mais do que fundamental e precisa estar ligado  e colocando pressão o tempo todo. É o que Galvão Bueno fala sempre no futebol: não tem mais bobo em campo! Mais efetivo na rede, o Brasil tirou a estabilidade holandesa e os europeus erraram mais (foram 11 pontos de graça contra 2 do Brasil no quarto set!).

No jogo deste domingo, Dante, Sidão e Marlon, que entraram bem no sábado, começaram como titular. Com as derrotas nos primeiros sets, só Dante seguiu no jogo. E, coincidência ou não, o Brasil engrenou depois da entrada de Murilo no lugar de Giba. A recepção e o ataque melhoraram com o novo ponteiro, que começou no banco pela primeira vez nesta Liga Mundial, se eu não me engano. A seleção ganha mais volume de jogo com ele em quadra! Parece que a substituição no sábado fez bem a Lucão. Ele voltou com vontade para quadra hoje e cresceu no bloqueio. Além disso, com o passe melhor no final do jogo, já que Mário Jr teve um começo irregular, o central virou várias bolas de velocidade e foi o segundo maior pontuador brasileiro, com 13 acertos, apenas um a menos que o oposto Leandro Vissotto, líder da estatística.

Agora esperamos um final de semana mais tranquilo contra a Coreia do Sul. Como vimos aqui no Brasil, basta deixar o jogo solto que os asiáticos se perdem em quadra. Além disso, como disse Bernardinho, também queremos o Brasil jogando com alegria (leia mais). A seleção está abaixando a cabeça quando está perdendo, por exemplo. Isso pode prejudicar a concentração. Na outra chave, promessa de bons duelos entre Bulgária, que ainda disputa a vaga na final com o Brasil, e Holanda. Até lá!

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 26 de junho de 2010 Seleção masculina | 14:24

O que não faz um bom técnico

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina começou a sua jornada fora de casa na Liga Mundial com vitória. Neste sábado, o Brasil venceu a Holanda por 3 sets a 1 (25/20, 23/25, 26/24 e 25/16) e segue na liderança do grupo A. Esse resultado é mérito de Bernardinho.

O Brasil venceu o primeiro set e saiu na frente no segundo. Depois disso, a Holanda cresceu e a seleção se entregou. Os europeus fecharam o segundo set e começaram na liderança no terceiro, chegando a abrir sete pontos de vantagem. E esse foi o momento de ver o que um bom técnico faz.

Bernardinho começou a mexer no time. Primeiro trocou os levantadores. Bruninho, abalado com a derrota na parcial anterior, deu lugar a Marlom. Ele errou uma bola de cheque infantil, é verdade, mas levantou com precisão e frieza. Para completar, trocou Giba por Dante e, depois, Lucão por Sidão. Tudo isso ainda entre a segunda e a terceira parte do set, ou seja, com o tempo para o time se reencontrar em quadra.

Foi isso que aconteceu. Marlom distribuiu muito bem, Dante entrou fulminante no saque e no ataque e Sidão finalmente conseguiu colocar pressão no bloqueio, que não estava funcionando. O Brasil virou, os três seguiram no jogo e a seleção liquidou a partida com autoridade no quarto set (veja como foi o jogo ponto a ponto).

Bernardinho soube mexer na hora certa. Substituiu aos poucos os jogadores e deu tempo para eles mostrassem seu jogo. O bloqueio melhorou (depois de ficar em branco no começo do jogo, terminou com 11 pontos contra 5 dos holandeses no fundamento) e o saque entrou. Sidão e Dante forçaram no serviço e quebraram a recepção holandesa. E o oposto Klapwijk finalmente foi parado no bloqueio.

Enquanto isso, Murilo, mais uma vez, mereceu destaque. O líbero Mário Jr parou com a virada no segundo set. Diante disso, Murilo assumiu a responsabilidade do fundo de quadra, recepcionou diversas bolas e devolveu o passe para as mãos do levantador. Definitivamente, ele é grande jogador do Brasil no momento!

E minhas dúvidas estão acabando. No outro post, falei que Dante havia entrado bem e que seria dificil escolher dois ponteiros entre ele, Giba e Murilo. Mas, se as coisas continuarem como estão, escolho Dante e Murilo. Giba não está bem na virada, enquanto Dante entrou arrasador no saque e atacando com grande facilidade.

E você? O que achou da vitória da seleção? O que fazer para vencer de novo amanhã, em mais jogo contra a Holanda? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 24 de junho de 2010 Campeonato Italiano, Superliga | 14:44

Leandro Vissotto volta ou não para o Brasil?

Compartilhe: Twitter

Afinal, Leandro Vissotto, oposto da seleção brasileira, está ou não de volta ao Brasil depois de quatro temporadas na Itália? Na tarde de quarta-feira, o site Volleyball.it publicou uma notícia dizendo que ele vai jogar no Vôlei Futuro na próxima temporada, ao lado do levantador Ricardinho e do central Lucão.

Assim que vi a notícia, entrei em contato com a assessoria de imprensa de Vissotto, que me respondeu hoje, por volta da hora do almoço. “Se ele deixar o Trentino, divulgaremos no momento oportuno. Ainda não há nada definido quanto a isso. São apenas especulações”, foram as frases do assessor. E agora, ele volta ou não?

Se a negociação se concretizar, será mais uma estrela no time de Araçatuba. E será interessante ver o gigante de 2,12m atuando ao lado de Ricardinho, conhecido por suas jogadas de velocidade. Vissotto é o típico oposto, que pega as bolas altas, e teria que se adaptar ao estilo do levantador, ou vice e versa. Porém, se conseguir aliar altura e velocidade, dará muito trabalho ao bloqueio adversário. Na seleção ele está ainda se acertando nas bolas aceleradas com Bruninho. Pode ser um começo…

O mesmo site italiano também afirmou que Lorena fechou com o Perugia. Já sabíamos que o maior pontuador da história da Superliga não seguiria mesmo no Bonsucesso/Montes Claros e ele era mais um jogador nos sonhos do Vôlei Futuro. O time paulista pode ter perdido um oposto, mas garantido outro. Será?

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 20 de junho de 2010 Seleção masculina | 10:57

Que volta de Dante para a seleção brasileira!

Compartilhe: Twitter

*atualizada dia 23/06

Dante esperava jogar contra a Holanda, na semana passada, mas teve uma fissura no dedo e ficou de fora. Entrou em quadra no sábado, foi titular na vitória sobre a Coreia do Sul e arrasou! Que reestreia na seleção! Ele fez pontos em todos os fundamentos e foi o destaque da partida. “Voltei e foi maravilhoso”, disse o jogador.

Eu achava que o Brasil já tinha os seus ponteiros neste começo de temporada. Murilo é o jogador mais regular da equipe e merece estar no elenco titular. Giba mudou o espírito do time quando entrou em quadra e, com o entrosamento com Bruno, é uma peça fundamental no ataque. Mas faltava ver a volta de Dante ao time nacional….

Dante foi o nome do jogo contra a Coreia do Sul - Vipcomm

Dante foi o nome do jogo contra a Coreia do Sul - Vipcomm

Ele ficou uma temporada fora da seleção para cuidar de seu filho mais novo, Antônio, com problemas de saúde, mas sempre esteve em contato com o time. Foi o último a chegar à concentração em Saquarema, apenas uma semana antes da estreia na Liga Mundial. Entrou em alguns lances contra a Bulgária, no primeiro jogo, porém, o retorno de fato foi na partida de sábado à noite.

Contra os sul-coreanos, Dante parecia um adolescente em quadra. Ele atacou muito bem, cresceu no bloqueio e acertou a mão no saque. Jogou solto e sem pressão, como um novato. Foi o maior pontuador da partida, com 12 ataques, quatro aces e dois bloqueios. Deu gosto de ver! Ele está pronto para voltar a ser titular, pena que não é possível jogar com três ponteiros em quadra. Nessa disputa quem sai atrás é Thiago Alves, o novato na posição. Ele sacou bem contra os búlgaros, mas falhou no ataque. Entretanto, ainda é novinho e tem tempo para ganhar experiência.

Falando em novato, também foi bom ver Wallace como oposto titular, virando bem as bolas. Ele, que segundo Dante “salta como um grilo”, é mais um ainda a amadurecer na seleção, mas que já começa a mostrar as suas habilidades para Bernardinho.

E finalmente o Brasil conseguiu o 3 a 0 que faltava nesta Liga Mundial (leia mais sobre a partida). A Coreia do Sul é a seleção mais fraca do grupo e o time precisava de uma vitória assim, com superioridade, para seguir confiante para a fase internacional da etapa classificatória. E o resultado colocou a equipe na liderança isolada do grupo A, já que a Bulgária fez a sua parte e venceu a Holanda. Os dois times jogam mais uma vez nesta tarde.

E você? Gostou da volta de Dante à seleção brasileira? O que achou da vitória brasileira? Deixe a sua opinião!

P.s.: Galera, a discussão nos comentários está boa, hein? E, mais uma vez, quero me desculpar pela ausência! O ritmo na redação está puxado e, infelizmente, não estou conseguindo conciliar tudo. Afinal, depois de trabalhar quase um mês sem parar com o plantão da Copa do Mundo, eu preciso descansar e dormir um pouco quando chego em casa… Por isso, vou tentar acompanhar o Brasil na Liga Mundial e conto com a compreensão e os comentários de vocês! Abraços!

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 18 de junho de 2010 Seleção masculina | 22:16

Brasil vence a Coreia do Sul, mas não convence

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina começou mais uma rodada da Liga Mundial nesta noite. O time de Bernardinho venceu a Coreia do Sul por 3 sets a 1, garantiu os três pontos na tabela, mas não convenceu em quadra.

Fiquei presa no trânsito quando sai do trabalho e levei um susto ao ligar a televisão. O jogo estava equilibrado até demais para um Brasil x Coreia do Sul. Mas logo, pelos números da parcial, entendi o que estava acontecendo. O problema parecia ser o saque. Enquanto os coreanos acertavam a mão, os brasileiros tentavam forçar e erravam muito. Com isso, recebendo pontos de graça, os coreanos fecharam o set.

Na sequência, a partida voltou ao esperado. O Brasil aliviou no serviço e fez a Coreia jogar. Resultado, eles usaram as jogadas simples e foram muito bem marcados pelos brasileiros. E era assim que deveria ser. Mesmo no começo de temporada e sem muito ritmo do jogo, o Brasil é superior à Coreia do Sul. Por isso, bastou confiar em seu desempenho e forçar o jogo para cima deles que eles pararam e o bloqueio nacional fechou a porta. No total, foram 17 pontos no fundamento, contra 5 dos rivais.

Murilo usa habilidade no ataque - Vipcomm

Murilo usa habilidade no ataque - Vipcomm

A seleção ainda se manteve bem no terceiro set  e no quarto, perdeu um pouco a concentração e os erros voltaram. Com isso, mais uma vez a Coreia do Sul equilibrou o jogo. Mas o Brasil conseguiu se arrumar com ataques de Giba e Murilo e liquidou o jogo (leia mais).

Eu sou brasileira, torço pela seleção, mas estou decepcionada com alguns jogadores nesta temporada. Leandro Vissotto parece não aproveitar os seus 2,12m nos ataques! Ele começou mal na Liga Mundial, melhorou no segundo jogo contra a Holanda, mas ainda, na minha opinião, está deixando a desejar. Ele não bate para baixo e não está com o tempo perfeito com Bruninho nas bolas mais rápidas.

Além disso, está cometendo erros que um oposto, o cara de segurança, não deveria. Tanto que nem recebeu tantas bolas hoje e passou a virar nos últimos sets. Ele tem um grande potencial para melhorar, como vem mostrando na Itália, e espero que isso aconteça logo. Já Lucão começou bem contra a Bulgária, mas acho que teve uma queda no rendimento e busca recuperar a melhor forma.

Quem está arrasando e é o nome dessa seleção é Murilo. Ele esteve bem em todos os jogos e foi um grande jogador hoje, no ataque e no bloqueio. Como disse no post sobre a Bulgária, não precisa ter mais de 2m para crescer na rede. Murilo tem provado isso a cada partida. Está em uma ótima fase, é um líder e uma segurança em quadra. Que continue assim até o Mundial!

Também gostei da atuação de Giba. Além de estar entrosado com Bruninho na rede, ele atuou muito bem no fundo de quadra. Outro que entrou e fez o seu papel foi Wallace. Logo de cara, cravou uma bola quase impossível porque o levantamento tinha sido horrível. Depois, seguiu pontuando em todas as inversões de 5-1.

Bom, amanhã tem mais! Se o Brasil mantiver a concentração e obrigar a Coreia do Sul a jogar, usando saque tático e se armando no bloqueio, virá mais uma vitória. E que seja o 3 a o que falta para esse time ganhar moral!

E você? O que achou da partida do Brasil nesta noite? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 17 de junho de 2010 Seleção masculina | 18:35

As outras seleções na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Até agora falamos do Brasil na Liga Mundial 2010, que teve até uma boa estreia, fez feio no primeiro jogo contra a Holanda e, depois, voltou a jogar. Eles enfrentam a Coreia do Sul nesta sexta e neste sábado no Maracanãzinho e precisam de duas vitórias para tentar retomar a liderança do grupo A seguir na briga pela vaga na fase final. Mas vamos dar uma pausa na seleção e dar uma olhada nas outras equipes que brigam pelo título na competição. E nesta rodada teremos duelo de invictos!

Grupo B
Sérvia e Itália estão com quatro vitórias cada um e abrem os duelos da chave na sexta-feira. Os sérvios começaram a Liga com um 3 a 0 e um 3 a 1 na China. Depois, fizeram dois 3 a 0 na França. Eles têm um time novo, com nomes do Starovic, Podrascanin, Kovacevic e Stankovic, mas que está se acostumando a jogar junto e, por enquanto, despontam como uma das grandes seleções da Liga Mundial.

Já os italianos tem um 3 a 0 e um 3 a 2 na França e dois 3 a 0 para cima da China. Fei vem sendo um dos grandes nomes do time. Faz tempo que a Itália é uma equipe mais de tradição do que de eficiência em quadra, mas eles começaram bem neste ano. Ainda assim, no confronto direto, aposto na Sérvia.

Grupo C
Nesta chave a única invicta é a Rússia, que passou sem muitos problemas pelos Estados Unidos no final de semana de estreia (3 a 0 e 3 a 1), mas que decepcionou contra o Egito. Na primeira partida, venceu por 3 a 1 e no outro jogo sofreu com o saque egípcio e com seus erros e fechou apenas no tie-break. O técnico Daniel Bagnoli deixou a quadra esbravejando. “Depois de um jogo como esse, nós deveríamos estar bravos com a nossa atuação”, disse. E ele tem razão. Ninguém imaginava que o Egito pudesse dar trabalho aos gigantes da Rússia. Foi quase a primeira zebra da Liga Mundial.

No mesmo grupo, os campeões olímpicos Estados Unidos tentam a recuperação. Mesmo com veteranos  como Lee e Millar, eles começaram mal com as derrotas para a Rússia e voltaram para a briga com dois 3 a 1 sobre a Finlândia. Entretanto, acho que ainda precisam de mais para recuperarem o nível das Olimpíadas de Pequim.

Grupo D
O invicto do grupo é Cuba, que segue com seu estilo já conhecido de jogo: pancadas no saque e no ataque. Leon, que apareceu na última Liga Mundial, continua sendo o nome do time. Até agora, são duas vitórias sobre a Argentina e duas sobre a Alemanha. Assisti à estreia cubana contra a Argentina e não gostei muito da partida, com pouco volume de jogo. Mas acho que isso se deu pelo baixo nível dos sul-americanos, que tentam se renovar e não são mais aqueles grandes do começo dos anos 2000.

Por enquanto é isso! Boa sorte ao Brasil contra a Coreia e que venham duas vitórias para dar moral ao time e aos nossos atacantes, principalmente a Leandro Vissotto, que já melhorou, mas pode fazer muito mais. E fica a torcida para a Bulgária vencer a Holanda e tirá-la da liderança do grupo! Volto depois da partida! Até…

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 16 de junho de 2010 Seleção masculina | 16:39

Bom levantador acerta até deitado!

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira masculina se prepara para mais uma rodada da Liga Mundial. O time de Bernardinho encara na sexta-feira e no sábado, às 19h (horário de Brasília), a Coreia do Sul. Com o segundo lugar no grupo, a equipe nacional precisa de duas vitórias no Maracanãzinho para seguir mais tranquila para os jogos no exterior. Para ajudar, vale a torcida pela Bulgária contra a líder do grupo Holanda. Uma vitória dos búlgaros nos ajudaria na tabela…

O Brasil já treina no ginásio carioca e uma imagem me chamou a atenção nos trabalhos desta quarta-feira. Quem disse que levantador tem que saber tocar bem na bola apenas na rede, para o atacante? Para aperfeiçoar o toque, vale jogar deitado e sentado. E foi assim que trabalhou o reserva Sandro no Maracanãzinho. Veja as fotos. As imagens são do site oficial da CBV.

Depois do trabalho, vamos ver quem Bernardinho deixa no banco contra a Coreia do Sul. Sandro foi a opção nos jogos contra a Bulgária e deu lugar a Marlom contra a Holanda. Apesar de Marlom ser muito preciso, eu gostei da entrada de Sandro e queria vê-lo de novo no time brasileiro. Ele é um levantador que sabe acelerar a bola e foi bem na inversão do 5-1 ao lado de Wallace, surpreendendo o alto bloqueio búlgaro.

Novidades no mercado

Enquanto todos falam de seleção, o Unilever aproveitou para negociar uma jogadora para o setor que ficou mais deficiente nas transações do mercado. O time perdeu a sua capitã Fabiana para o Vôlei Futuro e buscava uma central de peso. Anunciou nesta quarta-feira a contratação de Valeskinha, que volta ao Brasil depois de jogar na Itália e na Turquia.

Valeskinha, aos 34 anos, tem a seu favor a agilidade e a experiência. É uma jogadora leve e que salta bem. Entretanto, confesso que não sei como ela estava na última temporada no vôlei turco… Pode ter sido uma boa escolha do Unilever, mas ela ainda não está no mesmo nível de Fabiana, excelente atacante e bloqueadora. Vou esperar o começo da temporada para ver como o time se comporta em quadra com Mari e Sheilla nas pontas e a nova central.

E você? Gostou do treino do Brasil? Acha que o time consegue as duas vitórias sobre a Coreia do Sul? E Valeskinha, é uma boa opção ao Unilever? Deixe seus comentários!

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 13 de junho de 2010 Seleção masculina | 22:41

Brasil bate Holanda e se recupera de 'tapa na cara'

Compartilhe: Twitter

Poderia ter sido 3 sets a 0, mas a vitória por 3 a 1 desta noite sobre a Holanda está de bom tamanho para a seleção brasileira na Liga Mundial. Depois de levar, como disse Murilo, um tapa na cara com os 3 a 0 na primeira partida do final semana, o Brasil voltou a jogar.

A partida deste domingo deixa duas lições. A primeira é que concentração é fundamental! Foi por falta de cabeça no lugar que a seleção perdeu o segundo set e não fechou a partida em 3 a 0. Os brasileiros se irritaram com a marcação da arbitragem, Bernardinho quase partiu para cima dos holandeses e o time vacilou em quadra.

Bloqueio de Murilo e Lucão

Se no sábado o Brasil sofreu com o bloqueio holandês, agora foi a vez de dar o troco

Depois, com a concentração necessária de volta, dominou o jogo, como no primeiro set. Os ataques voltaram a entrar e, principalmente, o bloqueio funcionou e muito bem. No quarto set, o Brasil fez uma parede no meio e na ponta, liquidando os ataques dos europeus. E aí a falta de concentração mudou de lado. Se Kooistra tinha sido o cara da reação holandesa na segunda parcial, ele levou um bloqueio de Lucão que voltou em seu rosto e se perdeu em quadra. Pois é, concentração é tudo!

Para ajudar nesse quesito, um jogador experiente e líder em quadra. Giba foi titular hoje e fez o seu papel: passou calma e tranquilidade aos jogadores novatos e foi para a briga, mas sem se exceder. Se um holandês vibrava do lado brasileiro, ele ia cobrar mais respeito com o árbitro. Se recebia bola, ataca bem. Ele foi um ótimo jogador.

E finalmente Leandro Vissotto passou a atacar mais e melhor. Ontem ele passou praticamente em branco e hoje melhorou. Parece que ainda precisa de mais confiança, mas está no caminho certo. Lucão também voltou a jogar, principalmente no bloqueio. E Murilo manteve a sua regularidade. Foi o único jogador com bom desempenho em todos os jogos até agora da Liga Mundial. Ele está em uma excelente fase!

A segunda lição dessa vitória é sobre o saque. Nem sempre forçar demais é a solução. Um saque tático bem colocado pode complicar mais a recepção adversária. Prova disso é que o serviço sem peso de Rodrigão fez efeito neste domingo. É preciso se adaptar ao adversário e o Brasil, depois do tapa na cara de sábado, estudou os holandeses e conseguiu isso.

Encerrada a rodada, a Holanda segue na liderança, com um ponto a mais que a seleção brasileira. Agora resta vencer a Coreia do Sul na semana que vem no Maracanãzinho e ser Bulgária desde criancinha, para que eles vençam os holandeses pelo menos uma vez. Assim, os brasileiros assumem a liderança do grupo, lugar que dá a vaga para a fase final. Vai Kaziyski!

E você? O que achou da partida Brasil x Holanda? A seleção se recuperou do tropeço de sábado? Dê a sua opinião!

P.s.: Depois eu volto com números do final de semana, resultados dos outros grupos e um balanço do Brasil na temporada!

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 12 de junho de 2010 Seleção masculina | 21:53

"Jogueiros" da Holanda arrasam Brasil na Liga

Compartilhe: Twitter

Bem que o Dante havia dito que os holandeses eram altos como os búlgaros e poderiam nem atacar tão bem, mas defendiam melhor e tinham mais volume de jogo. Mas acho que ninguém espera tanta volume assim! A Holanda, uma equipe renovada e pouco conhecida dos brasileiros, passou pela seleção por 3 sets a 0 nesta noite em Brasília. E eu ainda achava o pior já tinha passado com a Bulgária…

Bloqueio holandês cresce para cima de Théo

Bloqueio holandês cresce para cima de Théo

A Holanda ganhou com dois fundamentos: saque e defesa. Ao mesmo tempo que prejudicou a armação brasileira com bons serviços, conseguiu se armar para salvar as bolas e pontuar no contra-ataque. Do outro lado, o Brasil aceitou o jogo e teve uma atuação abaixo do esperado. Teve chances de virar no primeiro e no terceiro sets, mas falhou. No final, foram 21 pontos em erros para cada lado, o que é bastante coisa para um jogo de três sets, mas os holandeses colocaram mais bola no chão com ataques e contra-ataques (42 a 36) e por isso venceram.

Eles gostaram do jogo. O time é jovem, com grande potência física e que cresceu quando viu que poderia vencer a nossa seleção. Mas agora fica a lição para o próximo jogo. Além de altos e bons no saque, os holandeses são bons no fundo de quadra. Será preciso paciência no ataque para trabalhar bem a bola e um melhor rendimento do nosso bloqueio para não levar mais um resultado como o de hoje. Nossos opostos também precisam melhorar. Vissotto começou jogando, mas não estava bem. Deu lugar a Théo, que rendeu no começo, mas logo caiu.

Brasil encara a Holanda em Brasília mais uma vez neste domingo e vamos ver como o time se comporta. Como disse Giba na coletiva depois da partida, agora os brasileiros já conhecem os holandeses e não tem mais desculpas.

Mas vale lembrar que é começo de temporada e que esse foi o terceiro jogo da seleção no ano. Ninguém está no auge ainda e nem poderia, ou chegaria cansado às finais. Mas é bom se recuperar para a amanhã ou a derrota pode custar a vaga lá na frente, afinal, é o líder do grupo quem avança para a fase decisiva da Liga Mundial. E a Holanda está na frente, sem perder nenhum set no torneio.

Depois do desempenho de hoje, eu não vou apostar em como será a partida do sábado. Amanhã a gente conversa! Deixo para vocês falarem. O que acharam do jogo? O que faltou para a seleção? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , ,

Seleção masculina | 11:00

Seleção brasileira x "jogueiros" da Holanda

Compartilhe: Twitter

A seleção brasileira vai para o segundo final de semana de Liga Mundial contra os líderes do grupo A. A Holanda venceu a Coreia do Sul duas vezes por 3 sets a 0 e é o segundo pior adversário para o Brasil, depois da Bulgária. Como já passamos a ansiedade e os erros da estreia, acho que agora a vida pode ser mais fácil.

Dante, Murilo e Rodrigão no treino do Brasil

Dante, Murilo e Rodrigão no treino do Brasil

Conversei com Dante para uma matéria para o iG (leia a reportagem) e ele me disse que a Holanda é alta como a Bulgária, também é forte no bloqueio e é um time mais jogueiro. ““Eles não têm o mesmo nível de ataque que os búlgaros, mas batem bem e defendem mais. Eu acho que é uma equipe mais ‘jogueira’, com mais volume de jogo”, disse.

O jeito será manter a inteligência no ataque. “Temos que trabalhar porque se jogarmos força contra força com eles, eles vão ganhar”, completou Dante. Mais uma vez, como no primeiro jogo da Liga, vai valer explorar o bloqueio ou mesmo atacar para a bola voltar e tentar se armar melhor, se não sair a jogada perfeita. Além disso, como os holandeses são altos, vale sacar forte para tentar tirar as bolas de velocidade. E eles também estãocom uma seleção renovada em quadra, ou seja, força física garantida.

Em Bernardinho pode mudar a formação da equipe, se desejar. Dante me disse que conversou durante a semana com o técnico e que pode ganhar espaço. Giba, que fez apenas a segunda partida contra a Bulgária, deve seguir como titular. E Lucão, que torceu no tornozelo no primeiro final de semana de Liga Mundial, já está recuperado e liberado, assim como Marlom, que chegou à seleção ainda se recuperando de uma lesão na mão. Enfim, agora os jogadores estão mais treinados e em melhores condições físicas.  Eu gostaria ainda ver, como opções, Sandro e Wallace, que fizeram bem a inversão de 5-1 contra o búlgaros. Murilo, o cara dos primeiros jogos, também tem lugar cativo no time. Vamos ver quem Bernardinho coloca em quadra…

E você? O que espera de Brasil x Holanda? Deixe seu comentário!

P.s.: galera, vou ser sincera com vocês! A correria com a Copa do Mundo está grande aqui na redação e talvez não consiga postar logo depois do jogo. Assim que tiver um tempo, eu escrevo para vocês aqui. Enquanto isso, comentem à vontade que isso ajuda e muito nos posts!

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última