Publicidade

Arquivo de março, 2010

terça-feira, 30 de março de 2010 Superliga | 10:19

Blausiegel/São Caetano chega "grande" à semifinal

Compartilhe: Twitter

Já está definido o primeiro confronto das semifinais da Superliga feminina 2009/2010: Unilever x Blausiegel/São Caetano. E pelo volume de jogo apresentado nas quartas-de-final, o time do ABC paulista chega “grande” para esse confronto.

Equipe do São Caetano - divulgação

Equipe do São Caetano - divulgação

O São Caetano assegurou a vaga ao vencer o Usiminas/Minas por 3 sets a 0 (25/14, 25/23 e 25/18) na noite de segunda-feira. A equipe de Mauro Grasso começou arrasadora, trabalhando com passe na mão. Depois, as mineiras entraram no jogo no segundo set, mas elas não conseguiram acertar os contra-ataques e concluir os pontos. Com isso, levaram a virada e perderam mais uma parcial. Repetindo o bom desempenho e a variação no ataque, o Blausiegel/São Caetano fechou o jogo e liquidou as quartas-de-final.

O duelo foi um show de defesas dos dois lados. Não importava se o ataque era na força, sempre havia uma jogadora do outro lado da quadra pronta para tentar a manchete. E foi aí que apareceu a qualidade do São Caetano. O time estava totalmente concentrado e teve tranquilidade para finalizar os contra-ataques ou acabar os rali com belos bloqueios no pé das mineiras, que insistiam em atacar para baixo.

O Blausiegel/São Caetano parece que, agora, é aquele time que esperávamos desde a contratação de Mari, Sheilla e Fofão. O time está coeso em quadra e as jogadoras, no auge. E não apenas as olímpicas! Pela lógica, as bolas complicadas vão para a Sheilla decidir. Mas o jogo da segunda mostrou o poder das centrais Natália e Juciely, que fizeram muitos pontos no ataque e no bloqueio, e de Mariana, a outra ponteira do time.

Segundo Mauro Grasso, a equipe ainda vive o fantasma da temporada passada, quando caíram nas semis da Superliga e do Paulista. Aos poucos, elas estão retomando a confiança e isso é visto em quadra. Contra o Minas, todas vibravam muito a cada ponto, por exemplo. Estavam entregues à partida e tem tudo para fazerem ótimos jogos na semifinal deste ano, contra o Unilever (que garantiu a vaga com duas vitórias sobre o Cativa/Opnnus).

Sollys/Osasco também está classificado

O Sollys/Osasco é o outro time que já está garantido na semifinal. Jaqueline, Natália e companhia venceram o Praia Clube/Banana Boat por 3 a 1 fora de casa e fechou a série das quartas-de-final com dois triunfos. O time espera o resultado de Pinheiros/Mackenzie x Vôlei Futuro, na noite de quarta-feira, para conhecer o seu adversário (leia mais).

E agora? Quem vai para a final da Superliga feminina 2009/2010? Dê o seu palpite!

P.s.: Desculpem não falar muito do Unilever ou do Sollys/Osasco… Mas assisti apenas ao jogo do São Caetano (o que passou na TV)… Mas, como já comentaram por aqui, o Unilever é um grande time e dá trabalho, principalmente se Dani Lins conseguir trabalhar com Fabiana pelo meio. Alguém assistiu ao jogo das cariocas? Quem viu, pode comentar!

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 29 de março de 2010 Superliga | 10:23

Quartas para as mulheres e vagas para os homens

Compartilhe: Twitter

Manhã de segunda-feira é a hora de comentar o que aconteceu na rodada do final de semana na Superliga. Para os homens, decidida as vagas para os playoffs e vitória do Fratelino sobre o Fratelone no clássico da rodada. Entre as mulheres, vitórias em casa na abertura das quartas-de-final e surpresa na segunda rodada.

Murilo vence duelo com irmão

Murilo vence duelo com irmão

Fratelino x Fratelone

Sesi-SP, de Murilo, venceu o Pinheiros/Sky, de Gustavo, no clássico da 16ª rodada da Superliga masculina. E a vitória foi merecida! Murilo e companhia conseguiram impor o ritmo de jogo e abriram 4 a 1 em todos os começos de sets. Depois, com belos saques, acabaram com a recepção do Pinheiros/Sky. Marcelinho ficou o jogo todo sem passe na mão! Resultado foi 3 a 0 para o Sesi em um dos melhores jogos do time no torneio (leia mais sobre a partida).

Com o crescimento no returno, o Sesi é cada vez mais um dos favoritos ao título da Superliga. E, com a derrota, Gustavo perdeu a aposta para o irmão e terá que ficar sem barba. Vamos ver como fica o novo visual na próxima rodada…

Vagas definidas no masculino

A rodada de sábado da Superliga masculina também definiu os últimos classificados para as quartas-de-final. O Brasil Vôlei confirmou o seu lugar ao vencer o Santo André por 3 sets a 0 (25/17, 25/21 e 25/21). A outra vaga ficou com o Vivo/Minas, que passou com facilidade pelo Funvic/Uptime/Cuiabá por 3 a 0 (25/13, 25/12 e 25/20) e contou a derrota do Ulbra/São Caetano para o Bonsucesso/Montes Claros para carimbar o passaporte.

Os outros times nos playoffs são: Cimed/Malwee (que já assegurou a liderança), Sada Cruzeiro (MG), Sesi-SP, Pinheiros/Sky (SP), Montes Claros/Funadem (MG) e Fátima/Medquímica/UCS/SPFC (RS). As duas últimas rodadas definirão quem pega quem na luta pelas semifinais.

Mari ataca contra o Usiminas/Minas

Mari ataca contra o Usiminas/Minas

Vitórias em casa no feminino

A Superliga feminina já está em sua fase decisiva e, por enquanto, quem jogou em casa levou a melhor. Na primeira rodada das quartas-de-final foram poucas surpresas. O Sollys/Osasco levou um susto, mas venceu o Praia Clube/Banana Boat. No primeiro set, as paulistas, como definiu Jaqueline, jogaram com corpo mole e perderam. Depois, voltaram para a partida e fizeram 3 a 1 (leia mais sobre a partida).

3 a 1 também foi o placar para Blausiegel/São Caetano x Usiminas/Minas. O time do São Caetano também começou perdendo, com muitos erros na recepção. Na sequência, com ótima distribuição de Fofão, empatou e virou a partida em casa.

Já Unilever e Pinheiros conseguiram 3 sets a 0 nos seus primeiros jogos das quartas-de-final. As cariocas passaram pelo Cativa/Oppnus na única vitória fora de casa. Tandara, que era a esperança do Sul para o duelo, não jogou bem, virou poucas bolas e seu time não deu trabalho para as atuais campeãs.

Enquanto isso, o Pinheiros contou com a inspiração de Lia para vencer o Vôlei Futuro.  Mas, na segunda rodada dos playoffs, a primeira surpresa. Na manhã de domingo, jogando em casa, o Vôlei Futuro cresceu e fez 3 a 1 nas rivais da capital, empatando a série melhor de três.

Os playoffs seguem na noite desta segunda. Sollys/Osasco, Blausiegel/São Caetano e Unilever já podem garantir a vaga na semifinal da Superliga feminina. E você? Já tem seus favoritos? Quem você acha que vai para a semi? Dê o seu palpite!

*crédito das fotos: Divulgação/CBV

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 26 de março de 2010 Superliga | 10:28

Vamos voltar a falar de Superliga?

Compartilhe: Twitter

Depois de uma semana tomada pela volta de Ricardinho a uma convocação da seleção brasileira, vamos voltar a falar da Superliga? O torneio masculino teve rodada na noite da quinta-feira e a briga pelas duas últimas vagas nas quartas-de-final segue aberta.

Ulbra vence Brasil Vôlei - divulgação

Ulbra vence Brasil Vôlei - divulgação

O Brasil Vôlei, que não teve o líbero Serginho, machucado, poderia ter assegurado o lugar nos playoffs, mas perdeu para o Ulbra/São Caetano por 3 sets a 2 em quase duras horas de partida. O jogo foi todo equilibrado e o Brasil Vôlei só venceu com facilidade o 3º set. Depois, perdeu o quarto e também o tie-break. Com o resultado, os dois times ainda podem se classificar.

Quem também sonha com uma das quartas-de-final é o Vivo/Minas, que venceu pela primeira vez sob o comando do campeão olímpico Douglas. Os mineiros fizeram um fácil 3 a 0 sobre o Upis/Brasília. Já o Vôlei Futuro, outro com chances de chegar aos playoffs, folgou na rodada e volta para a quadra no sábado, diante do Fátima/Medquímica/UCS/SPFC (leia mais).

Fratelino x Fratelone

A rodada de sábado terá uma briga “caseira”. Pinheiros/Sky, de Gustavo, recebe o Sesi-SP, de Murilo. Conversei com os dois irmãos na semana passada e, mesmo já classificados para as finais (ao lado de Cimed e Sada/Cruzeiro), eles têm o mesmo objetivo: terminar a classificatória em terceiro lugar e ter a vantagem de decidir as quartas em casa.

E a partida já virou até motivo de brincadeiras no Twitter. Murilo, o fratelino, postou em sua página no começo da semana: “Vai com calma Fratelone,tem que guardar energias para o playoff, acho que vc deveria descansar no jogo de sabado”. Dias depois, ele deixou um comentário dizendo que iria comer uma lasanha de micro-ondas e teve que aguentar uma resposta de Éder, da Cimed. “Boaaaa refeiçao, assim vai chegar sobrando energia sabado pro jogo”, postou o central.

Bruninho, também da Cimed, fez campanha pela partida em sua página. “Eu quero ver o jogo de sábado!!!hehe os Fratelos! @Murilovolei8 e @Gustavo0013jogaço!!bicho vai pegar”, escreveu o levantador. O clássico paulista Pinheiros/Sky x Sesi-SP será às 11h, com transmissão da Sportv.

Para esquentar a rodada de sábado, na noite desta sexta-feira tem a abertura das quartas-de-final da Superliga feminina. Vale lembrar que o lugar na semifinal é disputado na série melhor de três.

Agora é com vocês. Quem deve se classificar na Superliga masculina? E quem fatura o clássico, Gustavou ou Murilo? Dê o seu palpite! Volto ao final da rodada com os comentários desse jogaço e a briga pela classificação. Até lá!

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 24 de março de 2010 Seleção masculina | 12:55

O que falam da volta de Ricardinho à seleção

Compartilhe: Twitter

*atualizada às 20h45

O nome de Ricardinho na pré-lista da seleção brasileira para a Liga Mundial é o grande assunto da semana, não tem jeito. Conversei ontem com o Rodrigão a respeito da convocação e confesso que fiquei surpresa com a sinceridade do jogador. Rodrigão sempre esteve disposto a dar entrevistas sem fugir de perguntas, e agora não foi diferente. Fiz uma matéria para o iG com a nossa conversa, mas deixo aqui algumas frases do atleta.

“Não sei o que vai acontecer. A maior dúvida é sobre como será a convivência. Só vamos saber quando chegarmos lá”

“Sabia da convocação desde a semana passada. O Bernardo ligou para a gente, conversou e a gente aceitou. O Bernardo nos dá total liberdade para conversar ou falar qualquer coisa. E faz isso para ninguém ter do que reclamar depois”

“Ninguém sabia que ele seria cortado. Foi uma das únicas coisas que Bernardo não nos comunicou. Talvez não tenha dado tempo. E ele (Ricardo) esperava que a gente o defendesse, mas não tinha como. Ele falava as coisas certas, mas da maneira errada. Jogava no meio de todo mundo. Tinha opiniões corretas e falava as coisas certas, mas aquele não era o modo correto de um capitão agir”

Já o levantador Bruninho usou  o twitter para se manifestar. “Se ele entrar com o espírito na seleção que os mais velhos passam, de comprometimento, união e trabalho em equipe, ele vai somar e agregar muito. O cara dispensa comentários jogando”, postou o atleta.

Conversei com ele por e-mail hoje também e ele afirmou que não está “ameaçado” pela volta de Ricardinho. “Não vejo dessa forma. Acho que já conquistei o meu espaço na seleção e a concorrência é algo normal em um grupo de alto nível”, disse Bruninho.

Giba, melhor amigo de Ricardinho nos bons tempos e bastante criticado pelo levantador depois do corte, se pronunciou por uma nota oficial divulgada no começo da noite. “Não tenho dúvidas sobre a capacidade técnica do Ricardinho e o que ele vai somar na Seleção Brasileira. Mas precisamos ver a vontade dele de se ajustar ao grupo. Ele precisa demonstrar o real interesse de voltar. Após três anos se isolando, se ele não demonstrar isso, fica difícil convencer”, comentou o atacante.

Giba ainda disse que Ricardinho tentou ligar para ele, mas não o encontrou pela correria do final do segundo turno da Superliga. “Ele (Ricardinho) passou muito tempo isolado e preciso refletir e pensar também antes de responder as suas ligações. É um direito que tenho, não é?”, explicou (leia mais)

Até Gustavo, que não está mais na seleção, mas conviveu bastante tempo com Ricardinho, opinou, pelo Twitter. “Só se fala no Ricardinho. Que loucura, porque não adianta nada agora. Tudo será resolvido ou não no dia que todos se encontrarem na seleção. Jogos importantíssimos esta semana para classificação e playoffs. Vamos mudar o foco pessoal!!”, pediu o central.

Esqueceram o Dante!

No meio disso tudo, esqueceram (inclusive eu) de comentar a volta de Dante para a seleção brasileira. Ele havia pedido dispensa do time para cuidar da saúde do filho mais novo, Antônio. Agora, com o filho passando bem e família em ordem, Dante volta ao time e pode ser mais um grande jogador experiente a ajudar na renovação.

E você, o que acha? A seleção está preparada para esquecer as brigas e desavenças e aceitar bem Ricardinho? E Dante? Qual o seu espaço? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 22 de março de 2010 Seleção masculina | 19:34

Ricardinho está na pré-lista para a Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

Depois de quase três anos o nome do levantador Ricardinho aparece em uma lista da seleção brasileira. O jogador foi chamado na primeira convocação para a Liga Mundial deste ano. A relação tem 22 jogadores, mas apenas 19 irão participar do torneio. A convocação final sairá até o final de abril (leia mais).

Ricardinho e Bernardinho brigaram no Pan-Americano de 2007, ele foi cortado pelo técnico e, desde então, não conversaram. Falaram por telefone no final de semana e agora ele está de novo na equipe verde e amarela (leia mais).

Quem acompanhou toda a briga entre os dois deve se lembrar de alguns fatos. Bernardinho disse que só chamaria de novo o levantador se ele pedisse desculpas publicamente. Depois, Ricardinho afirmou em uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que seleção era coisa do passado. “Não sinto falta, acho que isso faz parte, é um processo. Não sou um cara que fico pensando, remoendo coisas…”, disse ao jornal em setembro de 2009 (leia mais). Agora, tudo pode ter mudado…

Para o Brasil, essa volta tem um lado bom e outro ruim. Não tem como se discutir a capacidade de Ricardinho. Foi com ele que a seleção ganhou velocidade, ousou e dominou o mundo. Será que a seu retorno é a garantia da volta desse jogo?

Entretanto, o time nacional teve que aprender a jogar sem Ricardinho. Perdeu a velocidade com Marcelinho, mas estava aos poucos a recuperando com Bruninho. Ainda não é a mesma do ouro de Atenas ou do título mundial, mas estava no meio de um trabalho. E nessa hora tem que ter paciência até as coisas se reencontrarem com a renovação. Vale parar tudo isso para devolver o posto de levantador a Ricardinho?

Gostaria sim de ver Ricardinho de volta à seleção. Mas acho que ele poderia ter o papel que Maurício desempenhou  nas Olimpíadas de Atenas: estar ali no grupo e ajudar na transição, na formação dos novos levantadores. Foi isso que Maurício fez quando “passou a titularidade” a Ricardinho. Agora Ricardinho pode ser titular, já que ainda está jogando bem na Itália e é um excelente atleta, mas também deve ajudar com Bruno, por exemplo, para o futuro da seleção.

Porém, depois de toda a confusão desses anos, ainda tem clima para esse reencontro? Toda a seleção parece ter ficado abalada com a briga entre técnico e levantador. Ricardinho também ficou sem conversar com os ex-companheiros e até Giba pediu que ele se desculpasse com Bernardo e não foi atendido.Vamos esperar para ver se ele estará na lista final de Bernardinho para a Liga Mundial…

E você? O que acha da convocação de Ricardinho para a seleção? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , ,

sábado, 20 de março de 2010 Superliga | 13:17

Caldeirão empurra Montes Claros contra o Cruzeiro

Compartilhe: Twitter

Já era esperado um bom público na partida que encerraria a 13ª rodada da Superliga masculina 2009/2010 entre Bonsucesso/Montes Claros e Sada/Cruzeiro. E o confronto, já conhecido como “duelo das torcidas”, não decepcionou. 7.911 torcedores lotaram o ginásio Tancredo Neves e o Montes Claros aproveitou a empolgação da sua torcida e venceu por 3 sets a 2, de virada (leia mais sobre a partida)

“O apoio do público foi importantíssimo”, disse Lorena, um atacante do Montes Claros na temporada. “Nossa vontade de vencer foi decisiva. Em momento algum desistimos de buscar a vitória. Jogamos o tempo inteiro com muita vontade tanto que estou até sem voz”, comentou o jogador. Ficar sem voz valeu a vitória, que estava engasgada desde a derrota pelo mesmo placar no primeiro turno.

Jogadores reconhecem apoio da torcida

Jogadores reconhecem apoio da torcida

O que chama a atenção é a paixão dos mineiros por esse time. O jogo não contava com as estrelas consagradas do vôei que estão nesta Superligal como Giba, Gustavo, Murilo ou André Nascimento. E o ingresso foi pago (R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia). Mesmo assim o ginásio estava lotado e dava a impressão de um caldeirão! E muitos gritavam, por exemplo, o nome de Lorena, o astro do Montes Claros na temporada e que era pouco conhecido do grande público. São novos jogadores ganhando fãs e isso é muito bom! Ainda preciso assistir a um jogo lá!

Toda a vibração da torcida foi vista dentro de quadra. Piá, o destaque no tie-break principalmente no bloqueio, entrou muito inspirado na partida e, a cada ponto, pedia festa aos fãs, que respondiam na mesma hora. Sintonia que deu certo! Com a vitória, o Bonsucesso/Montes Claros fica na quinta colocação na tabela da Superliga. Já o Sada/Cruzeiro cai para o quarto lugar.

E você? O que achou do clássico mineiro? Estava no ginásio? Dê a sua opinião ou mande a sua foto para o Mundo do Vôlei

*crédito da foto: Clésio Robert

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 19 de março de 2010 Superliga | 13:36

Brasil Vôlei tenta sobreviver e Minas, sair da crise

Compartilhe: Twitter

A Superliga 2009/2010 teve rodada dupla na quinta-feira. Para os líderes, vida fácil. A Cimed passou pelo Funvic/Uptime/Cuiabá por 3 sets a 0 e segue isolada na ponta da disputa entre os homens (leia mais sobre a partida). No feminino, o Unilever aproveitou a folga do Sollys/Osasco, venceu o Pauta/São José e pulou para o primeiro lugar (leia mais sobre a partida).

Mas o jogo que chamou a minha atenção nesta rodada foi Brasil Vôlei x Vivo/Minas. Os dois ainda brigam para se garantir nas quartas-de-final. O Brasil Vôlei vive um momento melhor na competição, já que vinha de uma série de seis vitórias e apenas uma derrota, para a Cimed. Já o time mineiro está em crise. Trocou o técnico, mas ainda não se encontrou sob o comando de Douglas, campeão olímpico em 92. E ainda perdeu para o Brasil Vôlei por 3 a 0.

Particularmente eu torço por uma boa campanha do Brasil Vôlei. O time está ameaçado e pode não continuar na próxima temporada. O Santander, atual patrocinador, ainda paga os salários dos atletas, mas ficará apenas nesta temporada, já que ter um time de vôlei não faz parte do marketing do banco, que visa esportes “globais”, como Fórmula 1 e futebol. Espero que ainda tenha uma solução e que a equipe consiga um patrocínio. E que bons resultados nessa fase “quase final” da Superliga dêem visibilidade ao time. E eles têm mostrado no segundo turno que ainda podem brigar.

Já o Vivo/Minas precisa achar a saída para a crise. Conversei com Douglas, o novo técnico, antes da rodada e ele me disse que o time precisa ter mais cabeça. “A gente vem de uma sequência de derrotas e tem que levantar o moral da equipe”, comentou. Só pode ser essa a solução, porque gente boa em quadra tem. Afinal, o elenco contra com André Nascimento, André Heller, Henrique, Minuzzi, Rafinha, Maurício… O que falta para voltar a vencer? Talvez acreditar mais um pouquinho…

A Superliga masculina continua nesta sexta-feira com um jogo que promete. Bonsucesso/Montes Claros recebe o Sada/Cruzeiro no clássico mineiro entre duas das torcidas mais apaixonadas nesta Superliga. O Cruzeiro está melhor, mas jogar em casa pode ajudar o Montes Claros… Veremos!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 17 de março de 2010 Superliga | 14:50

Na reta final da Superliga, 3 a 0 é o que importa

Compartilhe: Twitter

Falta pouco para os playoffs da Superliga 2009/2010. Nas últimas rodadas do returno, todos fazem coro: o que importa é vencer, e vencer bem. “Temos que ganhar os jogos, de preferência por 3 a 0”, disse Luizomar, técnico do Sollys/Osasco. “Não podemos perder o foco nas últimas partidas. Temos que vencer e com vitórias que dêem confiança”, afirmou Mauro Grasso, do Blausiegel/São Caetano.

Bloqueio é destaque no Sollys/Osasco

Bloqueio é destaque no Sollys/Osasco

Ao final de mais uma rodada, na noite de terça-feira, as meninas do Osasco e o Unilever entenderam o recado. E a justificativa para essa preocupação dos técnicos é simples: garantir os primeiros lugares na tabela para decidir os playoffs em casa.

Mesmo sem um ótimo voleibol, o Osasco venceu o Sport/Banco BMG por 3 a 0 em casa. As anfitriãs erraram mais, deram 19 pontos de graça contra 15 do time do Nordeste. Para compensar, o bloqueio funcionou. Foram 13 pontos, enquanto as adversárias marcaram nove. E isso é resultado de um bom saque. O Osasco quebrou o passe do Sport e ainda marcou sete aces (leia mais sobre a partida).

“O importante é que não perdemos nenhum set, o que no final do returno irá nos ajudar na classificação”, disse a levantadora Carol Albuquerque. O primeiro critério de desempate na competição é o set avarage. Com o resultado, elas estão na liderança da tabela.

O Unilever venceu o Cativa/Oppnus, também por 3 a 0 (25/20, 25/15 e 25/14), e está na vice-liderança da Superliga. A equipe sofreu com a ausência da líbero Fabi, que se recupera de uma contratura na coxa, e deixou o Cativa equilibrar o primeiro set. Depois, com o time mais entrosado com Michelle e melhor na recepção, as cariocas dominaram com facilidade o segundo set e venceram o terceiro.

A Superliga feminina segue nesta quinta-feira, com a 12ª rodada. A noite também terá jogos da Superliga masculina.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 16 de março de 2010 Sem categoria | 07:32

São Caetano passa por mais uma etapa do "parto"

Compartilhe: Twitter

O Blausiegel/São Caetano abriu a 11ª rodada da Superliga feminina contra o São Bernardo com um bom currículo. Havia vencido o Sollys/Osasco na semana passada e bateu o Pinheiros/Mackenzie no final de semana. A partida poderia ser mais uma bela vitória, mas o time de Mauro Grasso passou sufoco. Essa Superliga não está fácil…

Sheilla deixou a quadra logo no começo da partida com dores no ombro. Sem a oposta, a equipe perdeu a sua jogada de segurança. Para piorar, o passe não estava dos melhores. Fofão teve que se virar para armar as bolas e muitas pararam no bloqueio adversário. Do outro lado, o São Bernardo não tinha nada a perder e se manteve na frente enquanto conseguiu saque forçado e boa marcação na rede.

O jogo foi decidido apenas no quinto set e venceu quem teve mais calma. O São Bernardo errou demais e perdeu a potência no serviço. Com isso, o passe chegou mais às mãos de Fofão e o São Caetano fechou o jogo, assumindo provisoriamente a terceira colocação na tabela da Superliga (leia mais sobre a partida).

O Blausiegel/São Caetano é um exemplo de que apenas ter estrelas não é sinônimo de vitória. É um time de grandes jogadoras, mas que ainda peca pela falta de concentração e erros bobos. Teve esses momentos na vitória sobre o Sollys e mais uma vez na noite da segunda-feira, contra o rival do ABC.

E, pode parecer contraditório, mas nessas horas é que ajuda ter as atletas mais experientes em quadra. Elas chamam a responsabilidade. Ou seja, não garantem que o time todo vire um grande conjunto e faça excelentes exibições, mas sabem resolver quando o momento pede um talento individual, como uma bela chutada de Fofão ou um ataque de Sheilla diante de triplo armado.

“Temporada tem sido um parto”

Conversei na manhã de segunda-feira com o técnico Mauro Grasso e ele me disse que as duas vitórias (Sollys/Osasco e Pinheiros/Mackenzie) não significavam que estava tudo resolvido e que o time estava pronto. Prova foi a partida contra o São Bernardo. Foi mais um triunfo, mas sem jogar bonito.

“Essa temporada está sendo um parto. Mas o bebê não está nascendo pela cabeça. Está nascendo pelo pé. Nasceu um pé contra o Sollys e outro contra o Pinheiros. Mas não podemos pensar que agora o bebê ‘vai escorregar’. Vai continuar sendo complicado e vamos ter uma cesária até o final da Superliga”, explicou brincando o técnico.

Será que o time vai mesmo ter que passar por essa cesariana na competição ou ainda tem tempo de realmente se encontrar? Dê a sua opinião! A rodada da Superliga feminina continua nesta noite.

Autor: Tags:

sexta-feira, 12 de março de 2010 Superliga | 08:09

Deu liga no São Caetano e pane no Osasco

Compartilhe: Twitter

Blausiegel/São Caetano x Sollys/Osasco era o clássico da 9ª rodada do segundo turno da Superliga feminina 2009/2010. Pelo histórico na competição, era esperada uma vantagem do time de Osasco. Mas em quadra a história foi bem diferente, com verdadeiras panes do time laranja e um entrosamento às vezes perfeito das meninas do ABC paulista.

O primeiro set já mostrou como seria a partida. O Blausiegel/São Caetano se impôs desde o começo. Depois de abrir uma boa vantagem, deu uma relaxada e o Sollys/Osasco chegou entrar no jogo, mas perdeu a parcial. Na sequência, o inverso. No segundo set, a equipe de Osasco se encaixou (a única vez na partida) e o São Caetano aceitou, sendo derrotado.

Festa das jogadoras do São Caetano

Festa das jogadoras do São Caetano

Nas duas parciais seguintes, história foi parecida com a da primeira. Mas agora o domínio das comandadas por Mauro Grasso foi praticamente absoluto. O Sollys/Osasco parou e passou a errar demais. Do outro lado, também erros, mas que foram compensados por pontos de bloqueios e pelo entrosamento do time. Final, 3 a 1 para o Blausiegel/São Caetano (25/21, 19/25, 25/19 e 25/18).

As donas da casa fizeram belos bloqueios. No final, foram 16 pontos contra apenas seis das visitantes. Além disso, a afinidade de Fofão com as atacantes do São Caetano foi crucial. Com 40 anos e um dia, a levantadora deu aula de distribuição, salvou bolas complicadas, levou bolada no rosto e continou a jogada, acelerou pelo meio e fez seus pontos de largada. E se algo começava a dar errado, como no final dos sets quando o Osasco ameaçava crescer, era bola para Sheilla e ponto.

Já do outro lado, não adiantou Luizomar pedir calma e cabeça no jogo. As atletas não estavam ali. Elas erraram ataques bobos, não acertaram o passe e pouco fizeram jogadas de meio. Nem Natália virou tanto como costuma. A noite não era das meninas de laranja…

Outros jogos da rodada
A noite de quinta-feira ainda teve um susto para o Usiminas/Minas, que perdeu o primeiro set para o Sport/Banco BMG, mas conseguiu a virada por 3 sets a 1. Já o Unilever passou sem problemas pelo Praia Clube/Banana Boat por 3 a 0. Na abertura da rodada, na quarta-feira, o Pinheiros/Mackenzie havia vencido o São Bernardo por 3 sets a 1.

E você? O que achou do clássico paulista? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última