Publicidade

Arquivo de fevereiro, 2009

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009 Seleção feminina, Seleção masculina, Superliga | 11:28

Técnico da seleção apenas na seleção

Compartilhe: Twitter

Bernardinho e Zé Roberto estão perto de se despedirem do Rexona e do Pesaro para comandar apenas às seleções masculina e feminina de vôlei. A informação foi dada pelo Blog do Bruno Voloch na tarde de quinta-feira. No mesmo dia, o colunista afirmou que recebeu um contato de Ary Graça, presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) dizendo que a entidade não teria dinheiro para bancar o salário dos dois técnicos. Ter os melhores custa caro, não é?

Se isso acontecer mesmo, os clubes são os mais prejudicados. Bernardinho e Zé Roberto fazem um bom trabalho nas seleções e comandar clubes ao mesmo tempo não os atrapalha. Para Zé pode até ser uma ajuda, já que ele acompanha de perto as selecionáveis que estão jogando lá fora. Para Bernardinho talvez seja uma válvula de escape para a pressão e o mau humor que ele tem quando treina os homens.

Os técnicos contam a ajuda da comissão para observar os jogadores do Brasil e do mundo que pretendem convocar enquanto estão à frente dos seus times. Sim, seria bom se eles pudessem acompanhar o desenvolvimento dos atletas mais de perto. Porém, as coisas estão caminhando bem mesmo com a “jornada dupla”.

Já os times perderiam uma peça importante e que está trazendo resultado. Pesaro já levou a Copa da Itália e está muito bem na Liga dos Campeões. Rexona está dando um baile na Superliga, venceu os três primeiros turnos e é o time mais “redondo” do Brasil no momento. Será que eles sobrevivem sem seus técnicos? Podem criticar, mas Zé e Bernardinho são bons no que fazem e a prova disso são os resultados.

E para você, leitor, um técnico deve ser exclusivo da seleção brasileira ou pode comandar outro clube ao mesmo tempo? Um trabalho atrapalha o outro? Dê a sua opinião!

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 Mais Europa, Seleção masculina | 14:42

Será que agora Giba volta ao Brasil?

Compartilhe: Twitter

Ele tá tinha falado em seu blog que queria voltar. Agora deu uma entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo, e reafirmou o desejo. Mas a pergunta é: quando teremos Giba mais uma vez jogando no Brasil? Segundo o próprio jogador, “é só esperar um pouquinho”.

Giba conversa desde o ano passado com o Cimed. O time catarinense, um dos melhores desta Superliga, afirmou na semana passada que estava em busca de três patrocinadores para injetar R$ 1,8 milhão no orçamento para bancar o atacante. Se ele vier mesmo, será um bom negócio para o time, para o jogador, para Bruninho e para a torcida.

Vamos por partes. Bom para o time é óbvio, afinal, Giba é excelente jogador e está em uma ótima fase. Bom para o jogador, que vai sair do frio, o que tem feito ele reclamar bastante ultimamente. Bom para Bruninho, que terá ao seu lado o homem de segurança da seleção e vai poder se entrosar perfeitamente como ele para as partidas com a camisa verde e amarela. Bom para torcida, que vai ter mais um olímpico ali, bem ao seu lado. Todos ficarão felizes se esse “pouquinho” que Giba disse que falta para acertar a sua volta passar rápido.

Já sobre a seleção, o atacante é mais cauteloso e tem toda a razão em ser assim. Ele não é mais um menino e idade pesa para manter o corpo em forma, sem lesões e aguentar o ritmo puxado do alto nível. Giba fala que quer disputar pelo menos o Mundial de 2010 e depois vai pensar na Olimpíada de Londres. Correto! Um passo de cada vez. Se ele ainda estiver em forma em 2012, terá o seu lugar no time de Bernardinho.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009 Superliga | 23:18

Rexona vence de cá, Finasa vence de lá e assim vai…

Compartilhe: Twitter

As duas melhores equipes da Superliga feminina 2008/2009 começaram o quarto e último turno da competição com vitória. Rexona venceu com facilidade o frágil Pomerode por 3 sets a 0. Já o Finasa também não teve dificuldade em passar pelas mineiras do Praia Clube pelo mesmo placar. A pergunta é: porque quando o Finasa encara o Rexona não consegue jogar com a mesma eficiência?

Sim, o Rexona é um time bem mais forte e mais experiente que o Praia Clube. Mas o Finasa também é um time forte e experiente e, no entanto, se perde diante das cariocas. Foi assim na final do terceiro turno, mais uma decisão vencida pelo time de Bernardinho.

As paulistas se perdem quando jogam sob pressão. Apesar de terem a força de Paula Pequeno e Natália, a altura de Thaíssa, as defesas de Sassá e Camila e a distribuição de Carol Albuquerque, elas pecam no conjunto no momento da decisão. É falta de comando de Luizomar no banco? É falta de cabeça no lugar das jogadoras? Não sei ao certo qual a explicação, pois estamos falando de atletas experientes, campeãs olímpicas! Assim como na seleção, sobrou para psicóloga vai cuidar do emocional das meninas. Com a equipe verde e amarela deu certo…

Finasa e Rexona já estão classificados para os playoffs e, pelo que está acontecendo nesta Superliga, devem fazer mais uma final. Apesar dos erros, Finasa ainda é melhor que os demais. E o Rexona está se mostrando muito seguro em quadra e firme em todas as partidas, sejam as mais simples ou as finais de turno.  Faltam cinco rodadas no quarto turno. É o tempo para o Finasa colocar a cabeça no lugar, o Rexona se firmar ainda mais e os outros times correrem atrás. Quem leva a melhor nesta Superliga? Faça a sua aposta!

Autor: Tags: , ,

Diversos, Superliga | 15:51

Voltar para quadra virou moda?

Compartilhe: Twitter

Tande, Giovane, Nalbert, Virna… Todos tiveram ótimas carreiras na quadra e, depois de alguns anos, arriscaram jogar na praia e voltaram para os ginásios. Agora, Marcelo Negrão quer seguir o mesmo caminho.  O oposto, campeão olímpico em Barcelona, se diz inspirado por Virna, que fechou com o Rexona no começo do ano, e busca mais uma chance de atuar no vôlei indoor. Será que tem espaço?

Virna foi para o Rexona sabendo que seria uma reserva de luxo, ou seja, só entraria se alguma das titulares se machucasse. Marcelo Negrão seria um reserva de luxo entre os homens também? Acho que não vale a pena…

Negrão afirmou, em entrevista ao Diário de São Paulo, que “a maioria dos times precisa de um jogador mais experiente”.  As equipes, pelo menos as grandes como Cimed, Minas, São Bernardo, Ulbra e Unisul, já têm um ótimo elenco e já foram reforçados no começo da temporada e não sei se precisam dessa experiência. É sempre bom ter um jogador renomado em quadra, mas esse jogador precisa estar em plena forma, preparado para agüentar horas de disputa no piso duro e entrosado com os companheiros.

Marcelo Negrão está há anos na praia e foi para areia para se poupar de lesões.  Ele diz que está bem e que os tempos na areia “aumentaram a sua vida útil”. Será? Jogar na quadra é muito diferente de atuar na praia e parece que os atletas se esquecem disso, tanto que voltam depois de um tempo na areia. E Negrão deixou os ginásios ainda quando o vôlei não era tão rápido, com todas as bolas chutadas. Que ele foi um excelente atacante e homem de segurança do Brasil, ninguém duvida, mas não sei tem espaço para ele voltar e ser tudo isso de novo…

E  você, leitor, o que acha da volta dos jogadores da praia para a quadra? Ainda tem espaço para eles na Superliga? Deixe a sua opinião!

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 Diversos, Superliga | 08:42

Problemas e problemas

Compartilhe: Twitter

Galera, desculpe! O terceiro turno da Superliga acabou, Rexona e Cimed foram campeões e nem comentei nada por aqui. Tive problemas técnicos nos últimos dias, traduzindo, fiquei sem internet e sem TV a cabo e o blog estava instável….

Parece que as coisas estão voltando ao normal por aqui e, sendo assim, posso voltar aos posts também! Logo logo escrevo sobre as finais e o que está por vir no último turno da Superliga…

Autor: Tags:

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009 Superliga | 11:23

Quem precisa da vitória x quem está classificado

Compartilhe: Twitter

Minas e Cimed fecharam o terceiro turno da Superliga masculina de vôlei. De um lado, o time de André Heller e companhia com a necessidade de vencer para chegar à final do turno. Do outro, Bruninho e companheiros  com a vaga garantida na decisão. E a necessidade fez a força dentro de quadra!

Depois de dois sets equilibrados, ficou claro que o Minas estava jogando “pra valer”. A partir do terceiro set, os anfitriões  arrumaram bloqueio e ataque e viram o Cimed se perder e começar a errar. Na última parcial, o saque do Minas acabou com o passe do adversário. No final, 3 a 1 para o time de Belo Horizonte e a vaga na final.

O confronto da noite de segunda foi um jogo de opostos. O Cimed não chegou a entregar a partida, mas aceitou o saque e os ataques do Minas, principalmente no quarto set. Alguns jogadores entraram, Bruninho deu lugar a Joel, mas o ânimo dos catarinenses nem se comparava a garra e vontade dos mineiros. É isso o que acontece quando um joga para cumprir tabela e o outro, para vencer.

Minas mereceu o resultado e mostrou que consegue se manter no alto nível mesmo sem André Nascimento, que ainda se recupera de uma cirurgia no joelho. Igor, que substituiu o canhoto, jogou muito bem e deixou algumas medalhas na defesa da Cimed. Méritos para Rafinha, que fez uma ótima variação de jogadas com seus atacantes. André faz falta, mas o Minas ainda é o Minas e vai brigar por mais um título de turno.

E para você? Quem vence a final do terceiro turno? Minas ou Cimed? Deixe o seu palpite!

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009 Mais Europa, Superliga | 15:10

O título por lá e a final por aqui

Compartilhe: Twitter

O final de semana foi  de decisão para brasileiros. Na Itália, Rodrigão comemorou título no domingo. Por aqui, foi decido o local da final do terceiro turno da Superliga. Nos dois casos, nenhuma grande surpresa…

Rodrigão comemora com MacerataO Macerata, do meio-de-rede da seleção brasileira, venceu o Cuneo e faturou o bicampeonato na Copa da Itália Os 3 sets a 1 no placar já eram esperados pela campanha dos dois times na temporada.  O Macerata é um dos melhores times no Campeonato Italiano e chegou como favorito a essa final.  A lógica prevaleceu.

Já na Superliga feminina, mais uma vez Finasa vai encarar o Rexona em uma final de turno. A situação é a mesma do segundo turno da competição. Os dois times já estavam classificados e fizeram o confronto da última rodada para decidir quem mandaria o jogo da decisão. De novo, Finasa venceu e garantiu a partida em seu ginásio, em Osasco. Resta saber se a história será a mesma até a cena final. No segundo turno, Rexona se recuperou da derrota e foi campeão ao vencer por 3 sets a 2. Vamos esperar até sábado para ver quem vence dessa vez!

Mas confesso que ter mais uma vez Finasa e Rexona na final é um pouco frustrante. Era esperado que o São Caetano e suas olímpicas crescessem ao longo da Superliga e atrapalhassem paulistas e cariocas. Nada disso! Tempo passou e o time de Fofão, Mari e Sheilla ainda não é uma ameaça real. O Minas estava no caminho certo, mas perdeu a força com a saída de Ivna. E cadê Brusque e Pinheiros? Ainda tem um turno da Superliga para eles aparecerem de fato na competição…

E você, leitor, arrisca um palpite sobre o campeão do terceiro turno? Finasa dá o troco no Rexona ou as cariocas mantêm a supremacia? Opine!

Autor: Tags: , , , ,