Publicidade

terça-feira, 27 de janeiro de 2009 Superliga | 15:08

Quando vale a pena contar com uma veterana no banco?

Compartilhe: Twitter

Janeiro é um mês um pouco parado no esporte nacional. Os jogadores ganharam folga para as festas de final de ano e a Superliga só voltou no meio do mês. Tempo para inscrever alguns reforços até o final da competição. Tempo para se recuperar de lesões. E até, tempo para se machucar! Então, depois das férias, agora é hora de colocar o assunto em dia por aqui!

Quatro anos longe das quadras, Virna voltou ao piso duro de um ginásio na segunda-feira. A ponta assinou contrato com o Rexona até o final da Superliga 2008/2009 e já treinou com o time de Bernardinho. Outra veterana com a camisa da equipe carioca é Fernanda Venturini. Quase um ano depois de ter recebido um “não” de Zé Roberto para integrar a seleção feminina em Pequim, Fernanda volta a ser comandada por Bernardinho.

Entretanto, as duas contratações foram apenas preventivas. Rexona é o líder da Superliga, vai muito bem e pode garantir a vaga antecipada para a final do terceiro turno da competição já nesta noite, na partida contra o Pinheiros. Virna e Venturini seriam utilizadas apenas caso alguma das titulares se machucasse. Vale a pena um negócio desses?

O Rexona contratou os nomes e não as jogadoras. Virna estava na praia e vai precisar de um tempo para se readaptar à quadra e Fernanda estava sem jogar e fora de ritmo. Será que elas estarão prontas caso tenham que entrar para jogar? Só um nome e uma carreira garantem sucesso nessa volta? Não sei…

Lesão assombra o Minas

Enquanto o Rexona contratou em janeiro, o Minas sofreu baixas nos times feminino e masculino. A jovem Ivna, apontada como a grande revelação desta temporada, jogava no time principal e no juvenil no Minas e teve uma grave lesão no joelho. Quem agüenta treinar no alto nível em um período e ainda defender o time da categoria de base no outro? Sem Ivna,  as meninas de Belo Horizonte perderam sua força e se distanciaram dos primeiros colocados.

Já entre os homens, a baixa ficou por conta de André Nascimento. O oposto sentiu fortes dores depois de um treino e teve que passar por uma cirurgia no menisco. O caso dele é bem menos grave e ele espera voltar para as finais do terceiro torneio.

Se o Minas tivesse uma Virna no banco, por exemplo, poderia ajudar. Faltou alguém para o lugar de Ivna. Mas no time masculino, o conjunto fala mais que um só jogador. Mesmo sem André, a equipe tem bons atacantes, como Ezinho e Maurício, e está muito bem na Superliga. Tanto que venceu o Unisul no clássico da abertura da rodada.

Voltando para as veteranas do Rexona, Virna não deve ter espaço, pois o time também tem boas atacantes. Já Venturi vira apenas a reserva de Dani Lins, mas a levantadora não vai vender barato a sua posição, já que está muito bem na competição e ainda briga para herdar a vaga de Fofão na seleção brasileira. E você, o que acha da volta das veteranas? E da lesão de André Nascimento? Ele faz muita falta ao Minas? Deixe o seu comentário!

Autor: Tags: , ,

7 comentários | Comentar

  1. 27 rose 21/06/2009 17:21

    Gostaria de saber de times amadores de volei feminino que treinam em bh ,moro no buritis e quanto mais próximo da região melhor , tenho 34 anos.

  2. 26 Paulo Montenegro 08/03/2009 22:32

    Cara Aretha, acredito que os veteranos sempre terão lugar nas equipes atuais, desde que tenham a humildade de perceber quando não têm condições de jogar ( o que significa não apenas condições físicas, mas também técnicas). Joguei volei por muito tempo, fui campeão paulista adulto no último campeonato adulto conquistado pelo Pinheiros SP(1980) e parei e voltei a jogar quatro ou cinco vezes. Sempre parei porque o clube em que eu estava desmanchava a equipe e deixava de disputar o campeonato ( aquela triste época do volei sem patrocínio, com atletas amadores e dirigentes mais amadores ainda ). Quando me refiro à questão das condições técnicas, o volei de hoje tem situações diferentes das de antigamente, mas se pode treinar específicamente para corrigir falhas. Em minha época, era raro o saque viagem, e bem menos potente que o de hoje. Estou treinando específicamente saque e passe, e para minha surpresa, voltei a ser o melhor de minha atual equipe nestes fundamentos (em todas as equipes em que joguei, sempre fui o melhor saque, melhor defesa e melhor passe.) . Estou com 52 anos e penso em talvez disputar campeonato oficial este ano,( fui convidado) mas ainda preciso entrar em uma melhor forma. Lamento que você tenha parado de jogar tão cedo, mas, cada um com suas razões. Mande-me seu e-mail, preciso conversar mais sobre volleybal. Um grande abraço

  3. 25 Paulo Montenegro 08/03/2009 22:05

    m

  4. 24 angel 03/02/2009 14:30

    corrigindo meu escorregão…..pretensiosa e não pretenciosa como saiu

  5. 23 angel 03/02/2009 14:26

    como vc é pretenciosa…..a Virna e a Fernanda são apenas nomes????dor de cotovelo mata…..vc só elogia o pessoal de SP pra baixo….Sabia que o Minas é tricampeão???Ah acho que não…

  6. 22 DENIS FARIA 01/02/2009 14:01

    EXITEM ALGUNS FATORES QUE ATRAPALHAM OS PLANOS DAS EQUIPES E DOS TREINADORES. LESÕES TEM SIDO AS MAIOORES VILÃS NOS ESPORTES. O CASO DE IVNA É MAIS UMA Q UE ATRAPALHA OS PLANOS DO MINAS NO FEMININO, JA O MASCULINO SEM ANDRE NASCIMENTO AS COISAS FICAM MAIS DIFÍCEIS, SE LEVARMOS EM CONTA QUE O TIME FOI MONTADO PRA DESBANCAR O PODEROSO TIME DE FLORIANÓPOLIS. LEMBRANDO QUE ANDRÉ NASCIMENTO TEM UM GRANDE ATAQUE UM SAQUE MUITO POTENTE, ALGO QUE NÃO SE ENCONTRA EM UM JOGADOR DA NOITE PRO DIA. PORTANTO ELE FARÁ MUITA FALTA SIM.

  7. 21 Renato Cardoso Klemenz 28/01/2009 16:55

    o time do minas tanto o masculino como o feminino sao eguipes de alto potencial dentro da competiçao.Porem o feminino tm um tem gupo menor e uma necessidade enorme de um banco forte. para suprir os desgaste da competiçao.

    mas acredito que mesmo sem a Ivna nessa rodada o minas feminino vai surpriender oa adversarios.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.