Publicidade

Arquivo de setembro, 2008

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 Sem categoria | 09:30

O que faltou ao Brasil para o ouro na final da Copa América

Compartilhe: Twitter

Confesso que errei na previsão do resultado da Copa América deste ano. Achava que, mesmo com os jogadores que vieram da seleção de novos, o Brasil não iria ter problemas para levar a competição. Não teve problemas até a final, contra os cubanos…

Na briga pela medalha de ouro, a falta de treino e entrosamento dessa equipe ficou clara. Do outro lado da quadra estava uma seleção cubana cheia de caras novas, mas já mais acostumadas a atuar junta. No time nacional, mesmo com Bruninho, Dante, André Nascimento, Murilo, Serginho e Rodrigão, que já estão juntos na seleção desde o ano passado, os jogadores bateram cabeça. Eles já eram do time de Bernardinho, mas não estão acostumados a atuar ao mesmo tempo em quadra, já que uns são reserva e outros titulares. E, em um jogo equilibrado como foi a final, quem está mais entrosado e erra menos leva. Mérito aos cubanos, que faturaram o ouro por 3 sets a 2.


Dante cumprimenta Simon, capitão da equipe de Cuba/Divulgação

A Copa América é uma mostra que renovação, mesmo que conte com uma mescla de jogadores experientes e novatos nem tão novos assim, não é um momento simples. Não basta colocar todos juntos em quadra e esperar que o título venha. Os cubanos, liderados por Simon, nem se deram conta do bloqueio nacional e, agora, a seleção tem vários atletas com mais de 2m. Só que, sem treino, eles parecem perdidos e não conseguem atuar juntos em quadra. É preciso trabalho e paciência para buscar os resultados.

O Brasil tem meses para se reencontrar em quadra e arrumar as falhas, principalmente no bloqueio, fundamento mais prejudicado com a aposentadoria de Gustavo. Anderson, apesar da pancada no ataque, pode ser substituído com mais facilidade por Vissotto, por exemplo. Outros veteranos como Giba, André Heller e Samuel devem voltar ao time logo mais. Juntos, eles devem trabalhar para se entrosar com os novos e chegar inteiros à Liga Mundial. Em 2008, Bernardinho não passou da prata no comando da seleção. O ouro volta em 2009? Opine!

Autor: Tags:

sexta-feira, 26 de setembro de 2008 Sem categoria | 10:13

Mais uma vitória esperada na Copa América

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina de vôlei venceu mais uma partida na Copa América, em Cuiabá, agora contra a Venezuela. O resultado, mais um 3 sets a 0, não foi nenhuma novidade e as outras partidas também não devem ser…

Apesar de renovado, o time brasileiro ainda tem jogadores mais experientes, como os olímpicos Murilo, André Nascimento, Rodrigão, Bruninho, Dante e Serginho, e isso conta na hora de entrar em quadra. Os novatos estão ganhando o seu espaço, mas o entrosamento de quem já estava na equipe ajuda, e muito.

Ainda é cedo para analisar a nova seleção masculina, como lembrou o leitor Pierre. Esses jogadores treinaram apenas uma semana juntos antes da Copa América. Mas, até agora, eles estão fazendo o esperado e vencendo com uma certa tranqüilidade os adversários mais fracos.

Agora o Brasil vai encarar a Argentina ou Cuba na semifinal e o jogo deve ser mais parelho, mais pela tradição desses duelos no voleibol que pelos atletas adversários. A Argentina está aos poucos tentando voltar ao cenário mundial e Cuba também passa por um processo de renovação, mas tem uma arma gigante: Wilfredo Leon, de 15 anos e 2,05m. É esperar para ver… E você, acha que o Brasil está fazendo a sua parte na Copa América? Deixe seu comentário!

Autor: Tags:

quinta-feira, 25 de setembro de 2008 Sem categoria | 15:17

Heróis entram em quadra com Modena no Campeonato Italiano

Compartilhe: Twitter

Os líberos do Modena contam com uma força a mais para os campeonatos na Itália. Foi apresentada nesta semana, na sede do clube, a nova camisa de Pietro Rinaldi e Edoardo Ciabattini. Os dois vão para as quadras acompanhados por Monkey D. Ruffy, personagem principal da série de mangá “One Piece”, animação criada no Japão e sucesso na Itália desde 2001.

Na história, Ruffy come um fruto que lhe dá super-poderes. O menino consegue se esticar, como se fosse feito de borracha. Quando cresce, Ruffy procura um grupo de piratas para encontrar o One Piece, o maior tesouro escondido pelos ladrões dos mares. Parece que o Modena quer que seu jogadores também ganhem poderes de esticarem para alcançar as bolas lá na Itália.

Essa não é a primeira vez que o líbero do time de Murilo e Sidão ganha uma camisa “poderosa”. Na temporada de 2006, o Modena usou uma camisa com o Homem de Ferro e, em 2007, adotou a estampa do Homem-Aranha.

Autor: Tags:

Sem categoria | 11:47

Renovada e mais alta, seleção vence e convence

Compartilhe: Twitter

A estréia da renovada seleção masculina de vôlei na Copa América atraiu mais atenção pelos jogadores que pelo resultado da partida. Que o Brasil ia vencer o México todo mundo já sabia. O esperado mesmo era a atuação das caras novas no time nacional.

Bom, caras nem tão novas assim. A maioria estava na prata do Brasil na edição do ano passado do torneio. A diferença é que, em 2007, o País levou a seleção de novos para a disputa e agora, os jogadores foram “promovidos” para a seleção adulta. E deram conta do recado.

O Brasil fez 3 a 0 contra a fraca seleção mexicana e disputa uma vaga na semifinal contra a Venezuela nesta noite. Entretanto o placar não foi a principal atração do jogo. Na primeira partida da seleção depois da Olimpíada de Pequim, já ficou claro que o ponto forte desse time é a altura. Quando os brasileiros se reuniam para comemorar um ponto, era até engraçado ver Serginho, de apenas 1,84m, sumir ao lado de Leandro Vissotto, de 2,11m. Com a renovação, a média de altura do time foi para 1,98m.

E com jogadores mais altos, fica mais simples sacar, atacar e bloquear. A estatística comprova, já que Vissotto, que nem começou como titular, foi o maior pontuador da partida, com 12 bolas no chão.

Além da altura, esses novatos tem a vantagem de carregar uma certa bagagem na carreira. Não são meninos que caíram na seleção. Eles já jogaram no time de novos, atuaram em competições internacionais e têm passagens pelo exterior. Vissotto, por exemplo, já está na sua terceira temporada na Itália. O central Éder, o líbero Allan e o atacante Thiago Alves já defenderam o Brasil em outros torneios. Agora falta só mais entrosamento no time brasileiro para evitar erros e se preparar para as pedreiras como Liga Mundial, Campeonato Mundial e Olimpíada. Qualidade eles têm! E você, o que achou da estréia da nova seleção masculina? Dê a sua opinião!

Autor: Tags:

quarta-feira, 24 de setembro de 2008 Sem categoria | 12:24

Brasil terá moleza na Liga Mundial

Compartilhe: Twitter

A seleção masculina de vôlei terá vida simples na primeira fase da Liga Mundial de 2009. A Federação Internacional de Vôlei divulgou na terça-feira os grupos da competição e o Brasil caiu em uma das chaves mais simples.

O time de Bernardinho está no Grupo D e vai enfrentar Polônia, Finlândia e Venezuela. Desses, os únicos que podem complicar são os poloneses. Eles são vice-mundiais e sabem variar bolas altas e rápidas. Porém, não foram perigosos na Olimpíada de Pequim. Já os finlandeses, apesar de altos, não têm muita tática e os venezuelanos ainda dependem de boas atuações de Harry e Valderrama para complicar.

Um grupo que deve ter bons jogos é o A. Lá estão Estados Unidos, atuais campeões olímpicos e da Liga, Itália, Holanda e China. Os italianos ainda precisam renovar seu time para voltar a brigar pelos primeiros lugares, mas têm tradição no esporte e sabem jogar. A Holanda volta esse ano para a Liga e deve apresentar um time alto, como os gigantes europeus. Pior para a China, que não consegue no masculino mostrar o alto nível apresentado pelas mulheres.

O grupo C, com Rússia, Bulgária, Cuba e Japão também é uma chave forte. Russos e búlgaros têm estilo parecido. Jogam forçando o saque o tempo todo e com o bloqueio bem armado. Os russo levam vantagem na altura dos jogadores e na renovação. Em Pequim, Mikhaylov, de 20 anos, e Ostapenko, de 22, fizeram bonito quando entraram em quadra.

Para completar a fase classificatória, Sérvia, França, Coréia do Sul e Argentina formam o grupo B. Vida fácil para França, com o levantador Puyol, e Sérvia, com a mescla de veteranos e jovens já vista na Liga deste ano e em Pequim.

Será que até lá, Bernardinho já terá achado os substitutos para Gustavo e Anderson no time brasileiro? A renovação começa nesta noite, com a estréia na Copa América. Até junho de 2009, quando começa a Liga Mundial, tem um bom tempo para o time se achar… E você? O que achou do grupo do Brasil? A seleção estará pronta para buscar o oitavo título na Liga? Comente!

Autor: Tags:

terça-feira, 23 de setembro de 2008 Sem categoria | 10:30

Bernardinho fica para renovar a seleção! Já estava na hora..

Compartilhe: Twitter

Falta apenas a assinatura no papel para que Bernardinho siga à frente da seleção masculina de vôlei. Na segunda-feira ele comentou mais uma vez que pretende continuar na equipe nacional e que busca renovar o time. Já era a hora disso acontecer! E Bernardinho sabe como lidar com essa situação.

A seleção masculina que foi prata em Pequim já está ficando velha. Além de Gustavo e Anderson, que já se despediram do time, Giba, Marcelinho, Serginho e André Heller têm mais de 30 anos e não devem seguir até a Olimpíada de Londres, em 2012. E para voltar ao lugar mais alto do pódio é preciso trabalhar a longo prazo para chegar aos próximos Jogos com o time no auge.

Bernardinho assumiu a seleção em 2001 depois de uma passagem desastrosa de Radamés Lattari. O Brasil estava arrasado, sem vencer e sem motivação. Para piorar, ainda tinha a aposentadoria de craques da geração de ouro de 1992 como Tande e Giovane. Bernardinho assumiu o time e conseguiu arrumar a casa. Trouxe gente nova como Murilo e Rodrigão. Deu espaço para Serginho, André Heller e até Ricardinho, antes de toda confusão e brigas internas. Está na hora de fazer esse trabalho mais uma vez.

BernardinhoE os leitores do Mundo do Vôlei aprovam a permanência de Bernardinho no comando da seleção masculina. Foram mais de 30 comentários a favor do técnico e 16 contra. Muitos lembraram as conquistas nesses últimos anos (ouro em Atenas, bicampeonato Mundial, seis títulos da Liga Mundial, etc.) e esperam a prometida renovação.

As caras novas já serão vistas na Copa América, que começa nesta quarta, e já foram apresentadas aqui. Brasil terá apenas André Nascimento, Bruno, Dante, Murilo, Rodrigão e Sergio Escadinha dos veteranos. Os outros são atletas da seleção de novos e tem como ponto chave a altura. Essa nova seleção masculina tem sete jogadores com mais de 2m, como Leandrão, Lucão, Éder, Leandro Vissoto, e essa é a tendência do vôlei mundial.

Aposto em vitórias para esse time, mas é preciso ter paciência. Nenhuma equipe nasce pronta! Será necessário tempo, treinamento forte e confronto contra os melhores times do mundo para que a seleção masculina ganhe experiência. Bruninho logo logo estará pronto para suportar a pressão de ser o novo levantador e vai se divertir com atacantes tão altos para distribuir as bolas. É a hora de renovar! Temos quatro anos para buscar mais um ouro olímpico. E você, o que espera da nova seleção? Quem dos veteranos deve continuar? Quem dos novatos vai se destacar? Deixe a sua opinião!

Autor: Tags:

terça-feira, 16 de setembro de 2008 Sem categoria | 21:38

E a folga chegou…

Compartilhe: Twitter

Galera, depois de 26 dias de trabalho sem final de semana nem nada na Olimpíada, chegaram os meus dias de folga! Por isso, ficarei uma semana afastada do blog e vou aproveitar para descansar e voltar com força total.

Logo começam a Copa América, com a seleção masculina, e os campeonatos na Itália, que continuam com muitos brasileiros. Então, fica a pergunta para os meus dias de folga. O Brasil leva a Copa América, mesmo com apenas seis olímpicos no currículo? É a hora de começar a renovação na seleção masculina? Deixe a sua opinião!

Abraços e até a volta!

Autor: Tags:

sexta-feira, 12 de setembro de 2008 Sem categoria | 11:16

Bernardinho diz que fica na seleção masculina! Você aprova?

Compartilhe: Twitter

“Vou ficar na seleção brasileira, mas isso depende do patrão”. Foram essas as palavras de Bernardinho na manhã desta sexta-feira no programa Mais Você. Segundo o treinador, deve seguir no comando do time nacional se tiver o apoio do patrão Ary Graça, presidente da CBV.

Se for mesmo só isso que falta para a palavra final, já está tudo certo. No começo da semana, Graça havia dito que achava que Bernardinho continuaria na seleção e só sairia se quisesse. Parece que ele não quer…

Se ficar mesmo no time, vai enfrentar mais uma leva de críticas. Bernardinho é massacrado desde o corte de Ricardinho no Pan do ano passado e as coisas só pioraram com a Liga Mundial e a prata na Olimpíada de Pequim. A opinião dos leitores do Mundo do Vôlei é dividida. Alguns relembram tudo o que o Brasil conseguiu com Bernardinho e outros, o culpam pelas derrotas sem Ricardinho.

Como comentei no post anterior, a seleção e os torcedores precisam aprender a viver sem Ricardinho porque ele não quer mais voltar. Porém, se Bernardinho está disposto a arrumar a casa, ele não merece um voto de confiança? Comandar um time ele sabe, poderia apenas controlar um pouco os ânimos e apaziguar as brigas…

É o momento de mostrar experiência e construir um time para o novo ciclo olímpico, como em 2001. Quando assumiu a seleção, Bernadinho soube lidar com as despedidas de Giovane, Tande e grandes e nomes e montar uma equipe vencedora. Terá que fazer o mesmo com as saídas de Gustavo e Anderson. E logo mais saem Giba, Marcelinho, Serginho e outros com mais e 30. E agora? Bernardinho está certo em permanecer na seleção masculina? O que fazer para voltar a vencer? Qual a sua opinião?

Autor: Tags:

quarta-feira, 10 de setembro de 2008 Sem categoria | 11:55

Ricardinho: "Seleção é coisa do passado. Não sinto falta"

Compartilhe: Twitter

Não adianta tentar fugir! Desde o corte às vésperas do Pan-americano, Ricardinho é lembrado em todas as vitórias e derrotas da seleção masculina de vôlei. Se o time venceu, falam que poderia ter sido melhor com ele. Se perdeu, foi o levantador que fez falta. Mas não importa o que falem por aí, Ricardinho garante que a seleção é passado.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo desta quarta, o levantador comentou que vive uma fase nova em sua vida e que não pensa mais no time comandado por Bernardinho, apesar de ter visto a semifinal e a final da Olimpíada de Pequim. “Vi os dois jogos, mas prefiro não comentar nada, não quero falar de seleção. Seleção para mim é coisa do passado. Não sinto falta, acho que isso faz parte, é um processo. Não sou um cara que fico pensando, remoendo coisas…”, disse ao jornal.

Ricardinho também garantiu que não conversa com ninguém do grupo brasileiro desde o corte, mesmo tendo jogado no Modena, ao lado de Murilo, André Nascimento e André Heller. Agora ele vai defender as cores do Treviso, também na Itália, atuará ao lado de Gustavo e será comandado por Renan Dal Zoto, amigo de Bernardinho da geração de prata. “Faz um ano e dois meses que não falo com ninguém. Mas nós somos profissionais”, garante.

Está mais do que claro que Ricardinho quer colocar um ponto final na sua história com a seleção masculina. Ele foi um levantador excepcional para o time e, impondo muita velocidade nos levantamentos, conseguiu fazer o Brasil surpreender a todos os adversários e ser o melhor time do mundo. Mas está fora da equipe e está fazendo o certo: viver a sua vida.

A seleção brasileira ficou mais previsível com Marcelinho no levantamento e perdeu duas competições importantes neste ano (Liga Mundial e Olimpíada), mas terá que reaprender a jogar. O jeito é juntar os jogadores que estão com a camisa verde e amarela e trabalhar. Se falta velocidade no levantamento, vamos melhorar o passe para que a bola já chegue “acelerada” ao levantador. Também dá para investir no bloqueio, fundamento que vem crescendo nesse time, e investir na formação de novos levantadores velozes, como Bruninho, que já tem essa característica. A solução é fazer como Ricardinho e deixar todo o episódio do corte e as brigas internas em seu lugar: no passado! E você, o que achou das declarações de Ricardinho? Dê a sua opinião!

Autor: Tags:

Sem categoria | 11:50

Bernardinho segue na seleção ou dá lugar para gente nova?

Compartilhe: Twitter

Técnico Bernardinho, massacrado pelo corte de Ricardinho e suas explicações evasivas sobre o fato e pelas derrotas na Liga Mundial e em Pequim, ganhou carta branca para seguir no comando da seleção. De acordo com Ary Graça, presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, ele “só não fica no comando do time se não quiser” e tem um caso de “amor eterno” com a equipe.

Bernardinho chegou a colocar o seu cargo à disposição, mas acho que ainda não é a hora dele deixar o time nacional. Com seu jeito briguento e exigente, colocou o Brasil no topo e ganhou quase tudo o que disputou. Poderia sim ter agido diferente com Ricardinho, conversado com ele antes do Pan e falado sobre o corte sem ser na véspera da competição. Teria evitado tanta polêmica…

Mas a decisão ainda não foi tomada. E se Bernardinho quiser sair da seleção masculina, quem deve assumir o seu lugar? Renan Dal Zoto, que já foi campeão brasileiro com a Cimed e agora comanda o Treviso, na Itália, poderia ser uma boa opção. Ele tem experiência como técnico e como jogador. Outro bom nome seria Mauro Grasso, que já treinou o Banespa e chegou ao vice da Superliga 2007/2008 com o Telemig/Minas. Os dois, diferentes de Bernardinho, parecem ser calmos, mas sabem levantar o tom e cobrar a equipe quando necessário. E a vantagem é que conhecem os jogadores do Brasil, seja aqui no País ou lá na Itália. E para você? O que deve acontecer com o comando da seleção brasileira? Bernardinho deve seguir ou dar lugar a outro treinador? Dê a sua opinião!

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última