Publicidade

Arquivo de janeiro, 2008

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 Sem categoria | 14:36

Cartão amarelo derrota Finasa na final da Superliga

Compartilhe: Twitter

A final do segundo turno da Superliga feminina de vôlei entre Rexona/Ades e Finasa/Osasco mostrou o poder de um cartão amarelo em um momento crítico. O técnico Luizomar de Moura recebeu a advertência no segundo set e o time de São Paulo teve uma verdadeira pane em quadra. Com o cartão veio a derrota e o segundo lugar na decisão.

A partida parecia mais um típico confronto entre paulistas e cariocas. Começou com muito equilibrio e um duelo de Natália e Regiane no ataque. Quem se deu melhor foi o Finasa, que venceu o primeiro set. Mas a história mudaria nas parciais seguintes.

No segundo set, o técnico do Osasco reclamou de uma bola com o juíz e levou um cartão amarelo. Em quadra, as jogadoras sentiram o peso da punição. Além de perderem um ponto, perderam a concentração. Nem parecia mais aquela equipe que venceu o primeiro turno. Natália e Paula Pequeno não se acertavam no ataque e a líbero Marcelinha perdeu totalmente o tempo do passe.

Enquanto o Finasa errava uma recepção atrás da outra, o Rexona/Ades dava um passeio em quadra. Era o dia de Renatinha. Ela estava com mão perfeita para sacar e com um ataque potente. O resultado não podia ser outro: a equipe do Rio de Janeiro se aproveitou da instabilidade das adversárias, virou o jogo e venceu o segundo torneio da Superliga.

O resultado foi justo. Um time como o Finasa/Osasco, de tradição e experiência, não pode se deixar abater. Se uma jogadora está errando, o correto seria que ela recebesse o apoio das outras e não que o resto do time começasse a errar também. Nem Paula Pequeno, jogadora de seleção brasileira, teve maturidade para superar o mau momento e reverter a situação. Quem levantou a cabeça foi a americana Danielle Scott, mas um time não vence apenas com uma atacante. O Osasco precisa melhorar seu passe e a cabeça das jogadoras para voltar a reagir em momentos críticos se quiser manter a liderança da Superliga feminina.

*Foto: Thaisa e Dani Lins comemoram vitória do Rexona/Divulgação*

Autor: Tags:

domingo, 27 de janeiro de 2008 Sem categoria | 12:32

Ulbra vira algoz do Minas e se impõe nesta Superliga

Compartilhe: Twitter

A final do segundo torneio da Superliga masculina 2007/2008 deste sábado teve um personagem diferente. Após o domínio de mineiros do Telemig e catarinenses do Cimed, os gaúchos do Ulbra mostraram seu potencial e porque ainda não perderam nenhum título na temporada. Em casa, o Ulbra venceu o Telemig por 3 sets a 1 (25/22, 25/22, 21/25 e 25/21) e assumiu a primeira colocação da classificação geral da Superliga. Mineiros estão em segundo e os catarinenses, na terceira posição.

Quem acompanhou a Superliga do ano passado pode ter visto caras comuns aos confrontos das finais entre Telemig e Cimed. Nesta temporada, o Ulbra se reforçou com nomes do time de Florianópolis como Filipe, João Paulo e Jeff. E pode se dizer que a equipe de Canoas herdou uma qualidade com as contratações: o saque.

Usando um serviço forçado em cima de Ezinho, principal atacante do Telemig/Minas, o Ulbra se manteve à frente do placar praticamente o tempo todo no primeiro e no segundo sets e abriu 2 a 0 no placar. Na terceira parcial, a equipe de Minas reagiu com bons ataques de Maurício e Rivaldo e venceu. Só que mais uma vez o saque do Ulbra fez estragos, agora no quarto set. Depois de desperdiçar ataques quando estava colado no placar, o Minas viu o Ulbra abrir e chegar ao match point no serviço de Filipe. Para fechar, bola no chão com Bob, melhor atacante do time de Canoas.

A partida final do segundo torneio da Superliga masculina deu duas lições. A primeira é que, nesta temporada, o Ulbra tem um time que pode encarar Telemig e Cimed. Tanto que os gaúchos já são os algozes dos mineiros. Eles venceram os atuais campeões pelo mesmo placar, 3 sets a 1, no começo do returno, quebrando a invencibilidade do Telemig no campeonato.

A outra lição é que um time não precisa de selecionáveis para vencer. Anderson é oposto do Ulbra, mas só foi usado a partir do meio da partida. Nalbert seria um reforço para o Minas, mas fez neste sábado apenas o seu primeiro jogo após seis meses de recuperação de uma lesão no ombro e ficou pouco tempo em quadra, já que ainda não pode atacar. Mesmo com as estrelas no banco, o jogo não perdeu o brilho. Do lado do Ulbra, Bob fez bonito no ataque, Vinhedo distribuiu bem as bolas e Filipe teve uma bomba no saque. Já pelo Telemig/Minas, Rivaldo inspirado era ponto certo no ataque, assim como o meia Jardel. É bom que os grandes nomes se preocupem com os “menos conhecidos” e cuidem bem de seus lugares nos times.

*Foto: Bob passa pelo bloqueio de Ezinho/Divulgação*

Autor: Tags:

Sem categoria | 12:20

Rexona x Finasa na final da Superliga feminina, mais uma vez

Compartilhe: Twitter

A hegemonia do Rexona/Ades e do Finasa/Osasco entra em quadra mais uma vez. As duas equipes vão brigar pelo título da Superliga. Paulistas e cariocas farão a final do segundo torneio da competição feminina nesta terça, às 20h30, no Rio de Janeiro.

Na primeira fase da Superliga feminina, o Brasil Telecom, de Brusque, foi a grande surpresa. As catarinenses venceram as comandadas por Bernardinho e foram para a decisão contra o Finasa/Osasco. Na final, deu a lógica e após cinco sets e com mais concentração e maturidade, as paulistas venceram. O rendimento do time de Brusque caiu na segunda fase. Elas perderam novamente para o Finasa e depois para a estreante equipe de Maurício de Nassau, do Nordeste. O primeiro candidato a acabar com a hegemonia de Rio e Osasco havia ficado para trás.

Na segunda fase, a pedra no sapato foi o tradicional time de São Caetano do Sul. As mulheres do ABC lideraram o seu grupo até a tarde deste sábado. Aí o Rexona entrou em quadra, venceu o Finasa por 3 sets a 1 e assumiu a primeira colocação e garantiu o lugar em mais uma final. E as cariocas precisavam apenas vencer um set. Porém, em um jogo muito equilibrado, acabaram com o único invicto da Superliga até o momento.

É difícil dizer até que ponto é bom para o voleibol nacional outra decisão entre paulistas e cariocas. A vantagem é que jogo entre essas equipes é garantia de equilíbrio e uma exibição da seleção brasileira. Mas isso também mostra a distância para os outros times do País. Será que alguém ainda conseguirá enfrentar de igual para igual esses dois gigantes ou o primeiro lugar da competição nacional será decidido de novo entre eles? Façam as suas apostas…

Autor: Tags:

terça-feira, 8 de janeiro de 2008 Sem categoria | 19:01

Férias

Compartilhe: Twitter

Galera,

Mais um ano de trabalho e as merecidas férias chegaram mais uma vez. Durante o mês de janeiro eu estarei longe do computador e dos posts. No final do mês, eu volto para comentar as finais do segundo torneio da Superliga.

Bom 2008 para todos e até mais!

Autor: Tags: