Publicidade

Arquivo de agosto, 2006

quinta-feira, 31 de agosto de 2006 Sem categoria | 23:50

Compartilhe: Twitter

Classificado para a final, Brasil entra na 3ª semana do Grand Prix

O primeiro desafio da seleção brasileira feminina nesta semana será a Itália, às 2h30 (horário de Brasília). O Brasil já está garantido na fase final por ter conseguido seis vitórias em seis jogos até o momento. Com esse desempenho, é a única equipe invicta no Grand Prix. Já a Itália também está classificada por ser o país sede da etapa decisiva.

Para o jogo desta madrugada, o técnico José Roberto Guimarães vai escalar a líbero Arlene e dar uma folga para Fabi. A nova responsável pelo fundo de quadra brasileiro é a mais velha do grupo, com 36 anos. Foi campeã com o Brasil no Grand Prix de 2004 e na Copa Pan-Americana.

Arlene entra para o time num momento importante na competição. A seleção não pode baixar o rendimento em quadra porque já está classificada para as finais. A nova líbero, com a experiência que tem, pode ajudar a controlar os ânimos e a empolgar as jogadoras. Vontade de vestir a camisa amarela não deve faltar a Arlene, que diz ter sofrido por ter visto os primeiro jogos do torneio das arquibancadas, já que não estava inscrita para as partidas.

Zé Roberto garante que a seleção não diminuiu o ritmo de treinos por causa da vaga na fase decisiva. “Trabalhamos forte a parte física e aproveitamos o tempo que temos para treinar. O objetivo é manter o primeiro lugar na classificação geral”, disse.

A adversária desta madrugada será a seleção italiana, que tem um forte bloqueio e está mordida, pois perdeu o último jogo para Cuba. “As italianas são regulares, erram pouco. Têm um bloqueio eficiente, um bom saque e contra-atacam com efetividade”, analisa o técnico.

Do lado brasileiro, existe a confiança pela boa campanha. Na semana passada, as meninas venceram a República Dominicana por 3 sets a 2 com dificuldade, mas estabeleceram mais ritmo de jogo e passaram por Estados Unidos, por 3 sets a 1, e pela China, atuais campeãs olímpicas, por 3 sets a 0.

O Brasil não pode cometer o mesmo erro que fez na partida contra as americanas. A seleção venceu os dois primeiros sets e entrou “de salto” na terceira parcial. As atletas estavam desconcentradas em quadra. Contra a Itália, é preciso estar atento o tempo todo. O jogo promete ser equilibrado e vai levar quem for mais regular e souber lidar com a pressão em quadra.

*com informações da CBV*

Autor: Tags:

terça-feira, 29 de agosto de 2006 Sem categoria | 23:03

Mundo do Vôlei no Orkut

Compartilhe: Twitter

Venha fazer parte da nossa comunidade no orkut, lá você encontrará noticias, fóruns, enquetes, além de conhecer pessoas amantes do voleibol. Clique e participe!!

Autor: Tags:

domingo, 27 de agosto de 2006 Sem categoria | 14:57

Brasil mostra que é Brasil

Compartilhe: Twitter

A final da Liga Mundial neste domingo foi mais um jogo de superação. A França foi o adversário que deu mais trabalho para a seleção nesse campeonato. Com uma defesa bem armada, os ataques brasileiros sempre desviavam no bloqueio e as bolas não iam direto para o chão, parando ou resvalando nos braços dos franceses. O atacante Antiga foi um dos responsáveis pelo passe certeiro da França nos dois primeiros sets.

Depois de perder duas parciais sofrendo com o bom saque da França, Bernardinho tomou a decisão de tirar titulares de quadra. Saíram André Heller, André Nascimento e Dante. Entraram Gustavo, Anderson e Murilo. Os reservas estavam no banco com vontade de jogar e mudaram a história da partida. Anderson forçou muito o saque e desequilibrou a defesa compacta da França. Gustavo também forçou e virou as bolas que recebeu no meio. Murilo, irmão mais novo de Gustavo, se destacou no ataque na ponta e, quando foi preciso, colocou a bola na mão de Ricardinho.

O Brasil conseguiu, com raça e muito voleibol, virar o jogo e levar o título no tie-break. Com isso, mostro porque é a melhor seleção do mundo na atualidade. Conseguiu superar os erros, ter cabeça no lugar e reverter um placar totalmente adverso. A tradução dessa superação em quadra foi Giba. Ele cresceu junto com o Brasil em quadra e não foi eleito a toa o melhor jogador da Liga Mundial.

Futebol, sinta-se vingado! Dentro das quatro linhas das quadras, mesmo diante de um forte time como foi a França, deu Brasil. No esporte das mãos, o Brasil é absoluto.

Confira os melhores da Liga Mundial

Melhor ataque – Kazyski (Bulgária)
Melhor bloqueio – Montmeat (França)
Melhor saque – André Nascimento (Brasil)
Melhor líbero – Verbov (Rússia)
Melhor levantador – Zhekov (Bulgária)
Melhor pontuador – Ruette (França)
Melhor jogador – Giba (Brasil)

Autor: Tags:

Sem categoria | 14:16

Brasil é hexacampeão!!!!!!!!!

Compartilhe: Twitter

O jogo deste domingo foi digno de uma final de Liga Mundial. A França, que fazia a sua primeira decisão, deu muito trabalho ao
Brasil. O time de Bernardinho soube se recuperar, reservas entraram com garra e prevaleceu a superioridade verde e amarela. O Brasil é hexacampeão.

O jogo começou equilibrado e o bloqueio brasileiro conseguia amortecer as bolas de ataques da França. Porém, o fundo de quadra francês provou que é um dos melhores da Liga Mundial. Os passes saíram na mão de Puyol e Ruette virou diversas bolas. O bloqueio da França também apareceu, fez 4 pontos contar apenas 1 do Brasil. Os brasileiros erraram 3 saques seguidos, a França aproveitou e venceu o primeiro set por 25 a 22.

No segundo set, a França continuou com saque potente, que quebrou o passe brasileiro. O bloqueio adversário também seguiu marcando forte. Em um rali, fez três bloques seguidos e matou o ponto no quarto fazendo 8 a 7 no jogo. O Brasil empatou com bom saque de Giba, mas a França voltou a ficar na frente do placar com erros brasileiros e venceu mais uma vez por 25 a 23.

Bernardinho mudou o time, colocou Murilo e Anderson ainda na segunda parcial e, no set seguinte, deu chance para Gustavo também. O Brasil mudou o comportamento em quadra, passou a vibrar mais e com saque forçado de Anderson, quebrou o passe da França. Além disso, fechou o fundo e cresceu o nível de recepções e defesas. No nesse set, os brasileiros marcaram 5 pontos de bloqueio. O Brasil soube administrar a pouca vantagem que teve no placar o todo o set e fechou em 25 a 22.

A seleção voltou para o quarto set com mais atitude em quadra e encaixando o saque. Rodrigão, em um serviço flutuante marcou e Anderson, no saque mais forçado, desestruturou a recepção francesa. Brasil conseguiu abrir 3 pontos no placar. A França empatou em 17 a 17 em um ponto de saque sem peso e uma recepção errada de Murilo. Entretanto, o Brasil voltou a liderar o jogo em um saque violento de Anderson e levou a vantagem até o final set e venceu por 25 a 23 com um saque de Granworka para fora.

O tie-break começou tenso e disputado. Em um erro de ataque francês, o Brasil empatou em 5 a 5. Logo depois, com um ataque forçado de Anderson e um bloqueio duplo em que a bola voltou no francês e uma parede de Anderson, o Brasil virou em 9 a 6. A França voltou a quebrar a recepção brasileira e encostou em 12 a 11. Em um ataque de meio de Rodrigão, o Brasil fechou o set em 15 13 e levou mais uma vez a Liga Mundial. Brasil é hexacampeão da Liga Mundial.

No outro jogo do dia, a Rússia, dona da casa, venceu a Bulgária por 3 sets a 0 e ficou com a medalha de bronze.

Autor: Tags:

sábado, 26 de agosto de 2006 Sem categoria | 14:31

Não basta um saque, tem que ter vontade!

Compartilhe: Twitter

O Brasil aprendeu com o derrota para a Bulgária. Depois de perder um jogo graças ao saque forçado o tempo todo dos búlgaros, os brasileiros decidiram arriscar e forçar também.

André Nascimento vestiu essa camisa e soltou o braço o jogo todo. Ele fez aces e quando a recepção russa pegava, o passe saia totalmente quebrado. O resultado foi muito bom e o Brasil ficou na frente no placar no primeiro e no segundo set.

No terceiro set, quem aprendeu com derrota foram os russos. Eles tentaram forçar o saque e erraram, portanto, resolveram tirar a força e colocar mais a bola em jogo. A tática deu certo e a recepção brasileira se desencontrou em quadra.

Entretanto, o Brasil soube, como no jogo desta sexta também contra a Rússia, levantar a cabeça e reverter o placar. O ponta Giba era a tradução dessa vontade de vencer em quadra. Ele chamava bolas e quando recebia, era ponto na certa. Giba marcou da saída, da entrada e do fundo de quadra. Não é a toa que ele foi escolhido o melhor jogador em quadra.

Do lado russo, quem estava virando todas era Poltavsky, que marcou 29 pontos em toda a partida. Mas isso não foi suficiente para bater a superioridade brasileira. Resta a Rússia tentar o terceiro lugar em partida contra a Bulgária, neste domingo, às 9h (horário de Brasília).

Os brasileiros fazem a final da Liga Mundial contra a França, ao meio-dia. Será a experiência de uma seleção que busca o hexacampeonato contra surpresa da competição, que chega pela primeira vez a uma final. Que a sorte esteja do nosso lado!

Autor: Tags:

Sem categoria | 14:05

Brasil x Rússia

Compartilhe: Twitter

A segunda semifinal deste domingo foi um jogo tenso e equilibrado. A diferença foi o saque forçado do Brasil, que ajudou a seleção a vencer o jogo por 3 sets a 1 e a se classificar para a grande final da Liga Mundial, neste domingo ao meio-dia (horário de Brasília)

André Nascimento forçou o saque, quebrou o passe russo e isso ajudou a armação do bloqueio brasileiro, que tocou na maioria das bolas. Brasil abriu 6 pontos, administrou a vantagem com bons contra-ataques e fechou o set em 25 a 19.

O saque brasileiro continuou forçado no segundo set. Em boa passagem no serviço de Abramov, Rússia encostou no placar. Porém, o Brasil aproveitou uma recepção errada dos russos, cresceu no bloqueio e abriu 8 pontos de diferença. Apesar de ter uma média de altura de apenas 1,96m contra 2,01m da Rússia, a seleção subiu no bloqueio e fez quatro pontos só nesse set. Em um saque errado da Rússia, Brasil levou o set por 25 a 19.

Na terceira parcial, os russos mudaram a maneira de sacar. Depois de terem desperdiçado 11 serviços tentando forçar no set anterior, eles passaram a sacar balanceado. A Rússia saiu na frente do placar e o Brasil virou em 20 a 19 com um ace de André Nascimento. Mas os russos fizeram pressão, os brasileiros aliviaram e perderam o set por 29 a 27.

A seleção russa voltou empolgada para o quarto set e variou bem as jogadas. O destaque foi Poltavski que virou diversos ataques na ponta. As duas seleções ficaram se intercalando na frente do placar, mas nenhuma conseguia abrir mais de 2 pontos. A recepção brasileira saiu quebrada nesse set com o saque russo forçado, que passou a entrar. Quando o Brasil estava com o ponto do jogo, o gigante Kasacov, de 2,17m, fechou o bloqueio. Entretanto, o Brasil não aliviou no saque e, em mais um serviço forçado de André Nascimento e em uma jogada de contra-ataque, a seleção fechou o set em 29 a 27 e se classificou para a final da Liga Mundial

Autor: Tags:

Sem categoria | 10:31

Vitória da boa defesa

Compartilhe: Twitter

França e Bulgária fizeram a primeira semifinal do dia na Liga Mundial. Os franceses, que tinham ficado apenas com 10º lugar na edição de 2005, entraram em quadra querendo fazer história.

A equipe comandada por Philipe Blain dominou a Bulgária. O saque búlgaro, principal arma da equipe e que fez estragos na defesa brasileira, não funcionou bem neste sábado. Os serviços mais forçados paravam na rede ou iam direto para fora da quadra.

Do outro lado, o sistema defensivo da França estava muito bem montado. As bolas iam quase todas para as mãos do levantador Puyol. O oposto Ruette mostrou porque é o maior pontuador da Liga até o momento. Ele foi o homem de segurança da França, chamou a responsabilidade do jogo e virou ótimas bolas.

Além dos passes certeiros para o levantador, os franceses conseguiram neutralizar o ataque da Bulgária com um bloqueio compacto. E vale lembrar que o bloqueio da França era um dos piores da competição.

Com o bom fundo de quadra da França, contra-ataques aproveitados e Ruette e Antiga fazendo bem os seus papéis na rede, a Bulgária sentiu a pressão a não conseguiu impor o seu ritmo de jogo e seu saque não funcionou. A França fechou o jogo em 3 sets a 0, com parciais de 25 a 21, 25 a 20 e 25 a 20 e chega à final da Liga Mundial pela primeira vez na história.

O adversário da França sairá do jogo Brasil x Rússia, que acontece logo mais, às 12:00h (horário de Brasília).

Autor: Tags:

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 Sem categoria | 22:27

França x Bulgária na primeira semifinal da Liga

Compartilhe: Twitter

A Bulgária começou esta quinta classificada para a semi. Estava apenas esperando para saber qual seria o adversário do jogo deste sábado, às 9h da manhã.

Mas estar classificada não bastava e os búlgaros queriam mais. Eles entraram em quadra no primeiro jogo do dia e bateram a Itália por 3 sets a 0. Com isso, a Bulgária terminou a rodada com três vitórias e na liderança do grupo.

Já a adversária da semifinal não teve tanta facilidade. No segundo jogo do dia a França enfretou a Sérvia e Montenegro, vice-campeã em 2005. Os franceses vinham de uma vitória sobre a Itália na primeira rodada e uma derrota sofrida para os russos, donos da casa. Já a Sérvia e Montenegro ainda não tinha vencido ainda nesta fase decisiva.

A partida foi bastante equilibrada. Os sets foram decididos nos pontos finais e a França não conseguiu segurar a Sérvia e Montenegro, que levou o jogo por 3 sets a 2.

Com isso, as duas equipes terminaram a rodada empatadas em 4 pontos e a França levou a vaga na semifinal no desempate, ou seja, alcançou a melhor média de pontos em todas as partidas dessa etapa da Liga Mundial.

O jogo deste sábado promete ser também equilibrado. A França é uma equipe alta e tem o maior pontuador da Liga. Ruette Sebastien, além de ser o terceiro melhor atacante, já marcou 60 vezes nesse campeonato. Os franceses também terminaram em primeiro de seu grupo na fase de classificação, na frente de Rússia e Itália.

Do outro lado da quadra estarão os búlgaros, que arrasaram o Brasil, a Sérvia e Montenegro e a Itália por 3 a 0. Além disso, Kaziyski e Nikolov são os dois melhores atacantes da Liga Mundial.

Quem vencer vai para a grande decisão, que acontece neste domingo. O outro finalista sairá do jogo Brasil x Rússia.

Autor: Tags:

Sem categoria | 15:24

Recuperação até com reservas

Compartilhe: Twitter

Como o Brasil entrou em quadra classificado para as semifinais e já sabia que o adversário seria mais uma vez a Rússia, Bernardinho testou os reservas em um jogo que o ponto determinante foi o fundo de quadra.

No começo, Giba não estava acertando a recepção do saque russo e muitas bolas voltaram de graça para a quadra adversária. Contra um time com mais de 2m de altura isso é suicídio. O resultado foi a derrota no primeiro set.

No segundo set, Giba parecia outro em quadra e melhorou a recepção e, com a bola na mão, o Brasil empatou o jogo. Entretanto, os problemas reapareceram no terceiro set. Mais uma vez a recepção não se entendia em quadra e Murilo e Samuel não conseguiam passar bolas para Marcelinho, que entrou no lugar de Ricardinho. Recepção ruim, set ruim e mais uma derrota.

Mas o Brasil estava com vontade e soube superar os erros mais uma vez. Nos últimos sets a recepção saiu, o saque entrou e Anderson foi um dos destqaues, virando muitas bolas, apesar do alto bloqueio russo.

Bernardinho arriscou colocando reservas porque queria dar ritmo aos jogadores e eles deram conta. Erraram muito no fundo de quadra, o que precisa melhorar para a semifinal deste sábado, mas conseguiram ter cabeça para reverter.

O jogo de amanhã será decisivo. Quem vencer, vai para a final e pega Bulgária ou França.

Autor: Tags:

Sem categoria | 15:04

Brasil vence os donos da casa com dificuldade

Compartilhe: Twitter

Em um esquenta para a semifinal, Brasil faz um jogo de recuperação, buscou o placar e venceu a Rússia no tie-break. Os dois times voltam para a quadra amanhã, ao meio-dia, para a decisão da vaga na final.

Bernardinho aproveitou que as duas seleções já estavam classificadas para a semi e testou o time com Samuel, Marcelinho, Anderson, Gustavo e Murilo.

Brasil começou arrasador no saque, com ace de André Nascimento e outo de Giba. A seleção da Rússia virou o jogo em erros do brasileiro, que não recepcionaram bem. Ricardinho precisou colocar bolas nas pontas e o bloqueio russo aproveitou. O Brasil deu várias bolas de graça com recepções ruins de saque e os russos fecharam o set em 25 a 15 com um ataque para fora de Giba.

A recepção brasileira melhorou e o jogo ficou equilibrado no segundo set. Aos poucos o Brasil apareceu e, com passe na mão, Ricardinho variou as jogadas de ataque e colocou o time na frente do placar. Entretanto, os russos viraram bolas rápidas e, aproveitando a altura de seus jogadores, descontaram uma vantagem de 4 pontos. O Brasil soube se recuperar com boa distribução de Ricardinho, saque forçado de André Nascimento, colocou 7 pontos na frente e fechou o set em 25 a 18.

Bernardinho começa o terceiro set com a formação que acabou o interior: com Marcelinho no levamento e Anderson de oposto para dar ritmo aos atletas, já que as duas seleções estão classificadas para a semifinal. Além deles, o reserva Murilo também entrou em quadra. O jogo seguiu equilibrado até o 10º ponto e, com um saque muito forte e contanto com diversos erros do Brasil, a Rússia abriu 7 pontos, administrou a vantagem e fechou set em 25 a 13.

Apesar de ter atuado mal na terceira parcial, técnico brasileiro mantém os reservas em quadra. Do outro lado, só o titular Tetyukhin não está na partida. O set foi equilibrado, e o Brasil conseguiu encostar no placar com erros da seleção da russa no saque e variação de jogadas rápidas do meio e na ponta. Em 25 a 24, Marcelinho acertou um saque forçado e o Brasil levou o set por 26 a 24.

No tie-break, Brasil começou fazendo pressão no saque e firme na defesa, usando bem os contra-ataques. Com isso, a seleção abriu 4 pontos no set decisivo, manteve a vantagem e fechou o set em 15 a 12 e ganhou o jogo por 3 sets a 2.

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última